Podcasts about centen

  • 308PODCASTS
  • 616EPISODES
  • 33mAVG DURATION
  • 5WEEKLY NEW EPISODES
  • Jan 6, 2023LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022

Categories



Best podcasts about centen

Latest podcast episodes about centen

DFT-podcast met Martin Visser
'Probeer optimistisch te zijn voor komend jaar'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Jan 6, 2023 35:49


In de eerste podcast van het nieuwe jaar blikken Martin Visser en Herman Stam vooruit. Wat gaat 2023 brengen? Ze lopen drie grote economische thema's langs: de huizenmarkt, de arbeidsmarkt en de inflatie. Wordt het kommer en kwel in het nieuwe jaar? Misschien is er ook wel reden voor optimisme, stelt Visser in Kwestie van Centen. We zitten dan wel in een recessie, hoge werkloosheid is voorlopig niet te verwachten. „Een baan is de beste garantie voor je koopkracht.” Op de huizenmarkt domineert de onzekerheid.See omnystudio.com/listener for privacy information.

+Liberdade
Biblioteca: O Centenário da Crítica de von Mises ao Socialismo, Richard Ebeling

+Liberdade

Play Episode Listen Later Jan 2, 2023 22:52


2022 marcou o centenário da publicação da influente obra "Socialismo", do economista austríaco Ludwig von Mises (1881-1973). Para o assinalar, partilhamos um texto do professor Richard Ebeling, com o qual poderás ficar a conhecer melhor a importância e a atualidade deste marcante e profético livro. Ler na Biblioteca: https://maisliberdade.pt/biblioteca/o-centenario-da-critica-de-von-mises-ao-socialismo/Narração: Pedro Almeida Jorge

DFT-podcast met Martin Visser
Prijsbewust aan de kerstdis? 'Neem sigaar en cognac'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Dec 23, 2022 55:47


In de laatste Kwestie van Centen van2022 blikken verslaggevers Martin Visser en Herman Stam terug op een bewogen jaar. De coalitie sloot een jaar geleden een regeerakkoord dat vooral gericht was op het uitgeven van geld. Zien we daar al effect van? En hoe lang kan het kabinet deze koers aanhouden in tijden van crisis? Ook gaan Visser en Stam in op de vraag of een eurocrisis een reëel scenario kan zijn. Tot slot geeft Visser tips om het kerstdiner zo goedkoop mogelijk te maken en er wordt vooruit geblikt op 2023.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Conversas à quinta - Observador
O centenário que quase ninguém celebra: o da URSS

Conversas à quinta - Observador

Play Episode Listen Later Dec 22, 2022 39:44


Foi no final de Dezembro de 1922 que as diferentes repúblicas soviéticas se juntaram numa URSS de que há poucas saudades. Uma URSS que duraria até final de outro mêsde Dezembro, após 69 anos trágicosSee omnystudio.com/listener for privacy information.

DevTales Podcast
150: Másfélszeres centenáriumi adás

DevTales Podcast

Play Episode Listen Later Dec 21, 2022 40:18


Szó lesz ma ámokfutókról, kriptonitról, Nuxtról, összehajtható iphone-ról és a 150-es számnál maradva átbeszélünk 150 Js interjúkérdést is.  Résztvevők: Gyuri Róka Ámokfutás: Twitter - Elon Musk takeoverhttps://twitter.com/elonmusk/status/1593899029531803649?s=20&t=pW-1jGp_qOmX-zVWxHqiHA Nuxt 3 stable release:https://nuxt.com/v3 150+ Javascript interjúkérdés: https://electronicspost.com/150-javascript-interview-questions/ Hallgasd kedvenc lejátszódban, ne csak a legfrissebb részt! Google Podcasts - https://podcasts.google.com/feed/aHR0cHM6Ly93d3cuaXZvb3guY29tL2VuL2RldnRhbGVzLXBvZGNhc3RfZmdfZjE1OTg1OTdfZmlsdHJvXzEueG1s Apple Podcasts - https://podcasts.apple.com/hu/podcast/devtales-podcast/id1386667284?mt=2 CastBox - https://castbox.fm/channel/DevTales-Podcast-id1295470 Pocket Casts - https://pca.st/podcast/5a10e180-5077-0136-fa7c-0fe84b59566dSpotify - https://open.spotify.com/show/4fS3YtJknqn1gSKa4HqKAt YouTube - https://www.youtube.com/channel/UC5nbDGKvuSK9NwOIJOiiwnARSS - https://devtales.shiwaforce.com/feed/podcast Facebook - https://www.facebook.com/groups/devtales Twitter - https://twitter.com/_devtales Slack - https://devtalespodcast.slack.com Email - devtales@shiwaforce.com

Kazzttor e seu isCaps
Deu no rádio

Kazzttor e seu isCaps

Play Episode Listen Later Dec 17, 2022 73:03


Em 7/09/1922 um discurso do presidente Epitácio pessoa transmitido via rádio para algumas cidades brasileiras por ocasião do Centenário da Independência do Brasil tornou-se oficialmente a primeira transmissão de rádio no Brasil. Neste ano de 2022 além de ser o bi Centenário da Independência também é o Centenário do rádio no Brasil. Este episódio é uma homenagem ao meio de comunicação que inspirou a criação deste meio de comunicação, por que o rádio é o bisavô do podcast e por conta disso serão contados causos e histórias que envolvem o rádio e que também me envolvem vir servindo de inspiração a todos os apaixonados por soltar a voz e mandar uma mensagem para o mundo. --- This episode is sponsored by · Anchor: The easiest way to make a podcast. https://anchor.fm/app --- Send in a voice message: https://anchor.fm/kazzttor/message

DFT-podcast met Martin Visser
Zo krijg je meer salaris in het nieuwe jaar

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Dec 16, 2022 46:38


Werkgevers spreken zich negatief uit over een hogere loonstijging om de inflatie te compenseren. Volgens Martin Visser is dit opmerkelijk: „De zuinigheid druipt er vanaf.” In een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen bespreekt Visser samen met Herman Stam de loonontwikkeling en wat werknemers nu moeten doen om er meer geld bij te krijgen. Ook gaan ze in op de explosieve groei van het aantal zzp'ers en de gevolgen voor de arbeidsmarkt. En Visser en Stam delen richting het nieuwe jaar tips voor salarisonderhandelingen met je werkgever.See omnystudio.com/listener for privacy information.

NCD Cast
Centenário da vida e obra de Ernesto Meyer Filho

NCD Cast

Play Episode Listen Later Dec 14, 2022 52:37


Hoje o papo do NCD Cast é sobre o centenário da vida e obra de Ernesto Meyer Filho. Acompanhe uma conversa com a Pesquisadora e Presidente do Instituto Meyer Filho, Sandra Meyer e a Curadora Adjunta Gabi Brezola da Exposição de Arquivos Implacáveis Meyer Filho, sobre as obras deixadas pelo artista em mais de cinco décadas de atuação e também fatos da trajetória que revelam movimentos artísticos no período de 1943 a 1991.

Viração - ADUFPel
Viração 153 - Centenário do Álbum de Pelotas de 1922

Viração - ADUFPel

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 54:51


Está no ar mais um episódio do Viração. Neste programa, Mauro Dillmann e Aristeu Lopes, professores do curso de História da UFPel, falam sobre a organização da coletânea que trata do centenário do Álbum de Pelotas de 1922. O programa Viração é uma produção da Assessoria de Imprensa da ADUFPel e vai ao ar todas as segundas-feiras, às 13h, na RádioCom 104.5 FM, e aqui em formato podcast. Não deixe de assinar nosso feed para receber sempre os novos episódios. Siga nossas redes sociais ADUFPel: instagram / twitter / facebook

DFT-podcast met Martin Visser
‘Pas op, energiesteun is niet oneindig'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 43:15


Er is eindelijk meer duidelijkheid over het prijsplafond voor stroom en gas, waardoor de energierekening van huishoudens per 1 januari flink omlaag gaat. In een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen houden Martin Visser en Herman Stam de compensatieregeling tegen het licht. Wat betekent het voor je portemonnee en wat staat ons nog te wachten? „Reken maar dat dit een enorme politieke discussie gaat worden”, zegt Visser. Ook bespreken de financieel journalisten de gevolgen van de nieuwe EU-boycot op Russische olie.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Artes
Mindelo acolhe o "Cinema-Debate Amílcar Cabral" a partir desta quarta-feira

Artes

Play Episode Listen Later Dec 6, 2022 18:25


No âmbito do programa de celebração do Centenário de Amílcar Cabral que se assinala em 2024, a Fundação Amílcar Cabral, em parceria com a Fundação alemã Rosa Luxemburgo, promove a partir desta quarta-feira até ao dia 9 de Dezembro no Auditório do Centro Cultural do Mindelo, em Cabo Verde, o “Cinema-Debate Amílcar Cabral”. Durante este evento que é pensado para ser itinerante, vão ser promovidos debates e vão igualmente ser projectados 3 filmes alusivos à figura de Amílcar Cabral e à luta pela independência de Cabo Verde e da Guiné-Bissau: "O nascimento de uma Nação", um filme sueco datando de 1973, "Spell Rell", uma co-produção da Alemanha, Portugal, França e Guiné-Bissau elaborada em 2017 a partir de imagens de arquivo e "O Regresso de Amílcar Cabral", documentário de 1976 no qual trabalhou nomeadamente o realizador guineense Flora Gomes. Esta iniciativa proposta nomeadamente pela arquitecta angolana e comissária de exposições Paula Nascimento assenta igualmente no trabalho desenvolvido pela historiadora cabo-verdiana Ângela Coutinho. Em entrevista à RFI, esta investigadora ligada à Universidade Nova de Lisboa começa por evocar a génese deste projecto, a necessidade dos jovens abraçarem a História do seu país. Ao recordar que Amílcar Cabral, cujo activismo impulsionou a luta pela libertação de Cabo Verde e da Guiné-Bissau, "é considerado como um dos maiores intelectuais de África do século XX", Ângela Coutinho refere que com este evento "pretende-se interpelar os mais jovens que em Cabo Verde, nos PALOP e em África em geral, têm estado um pouco alheados da História mais recente. As projecções servirão como forma de tentar cativar o interesse destes jovens e, para isso, contamos com equipas de vários académicos e artistas que têm reflectido sobre este legado". Ao evocar o volumoso acervo de documentação audiovisual que existe pelo mundo fora sobre Amílcar Cabral e a luta de libertação, a historiadora refere que "há muitas imagens que não têm sido divulgadas ao grande público. Alguns destes filmes, até hoje, ainda não foram traduzidos para a língua portuguesa. Durante estes dias, vamos fazer um resumo em língua portuguesa. Há ainda este trabalho a ser feito". Pouco antes do lançamento deste evento, a estudiosa admite que é a concretização de uma aspiração muito profunda. "Comecei a investigar este tema há quase trinta anos por iniciativa própria porque eu queria saber mais da minha história. Desde essa altura que tenho a ambição de partilhar as minhas reflexões e preocupações com os meus conterrâneos e concidadãos, porque é uma história que diz respeito a todos", refere Ângela Coutinho. O "Cinema-Debate Amílcar Cabral" arranca esta quarta-feira a partir das 18 horas locais no Auditório do Centro Cultural do Mindelo, na ilha cabo verdiana de São Vicente.

Isolados
Episódio Do Centenário | ISOLADOS Podcast | Episódio 100 | Temporada 04

Isolados

Play Episode Listen Later Dec 6, 2022 71:53


Chegamos ao episódio 100 !! Uma jornada inusitada na podsfera chega ao fim. Você deu play ou baixou 100 vezes e escutou mais de 150 horas de besteirol e, por incrível que pareça, gostou! Dá pra acreditar? Isso dá quase 10mil minutos que você poderia ter investido na sua carreira, sendo coach, dormido, estudado ou assistido curso que ensina a vender cursos. Nesse episódio final, vamos falar de tudo completa 100 de alguma forma. E para isso, contaremos com a formação original completa, o lindão direto da Irlanda Felipe Kustela e a Cia de Humor 4&Meio: Davi Rios, Victor Alen, Olavo Firmeza e Vinicius Augusto Bozzo. Vem que tá bom demais! Acesse ao nosso site e nos conheça nossa Cia: http://www.4emeio.com.br Edição: Rildon Oliver (@radiolamecanica)

DFT-podcast met Martin Visser
Inflatie daalt, maar is dat wel goed nieuws?

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Dec 2, 2022 36:32


Voor het eerst in lange tijd is de inflatie fors lager dan eerdere maanden. Maar volgens Martin Visser is het vreemd dat we een stijging van elf procent als goed nieuws beschouwen. De financieel journalist benadrukt in een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen dat de huidige inflatiecijfers uitzonderlijk hoog zijn en alleen zijn te vergelijken met cijfers ten tijden van wereldoorlogen. Ook beantwoordt Visser met Herman Stam de vraag of deze daling door kan zetten en hoe de ECB kijkt naar de huidige inflatiecijfers.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Artes
Angola: Fenacult 2022 alusivo ao centenário de Agostinho Neto

Artes

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 8:38


Até ao dia 17 de Dezembro as portas do Teatro Elinga em Luanda, Angola, abrem-se no âmbito do Festival Nacional da Cultura (Fenacult) cuja edição deste ano é alusiva ao centenário de Agostinho Neto. No Elinga a actividade começou este fim-de-semana com a peça “A Errância de Caim”, uma adaptação da obra “Caim” de José Saramago, com encenação, cenografia e direcção de José Mena Abrantes.  Até ao dia 17 de Dezembro as portas do Teatro Elinga em Luanda, Angola, abrem-se no âmbito do Festival Nacional da Cultura (Fenacult) cuja edição deste ano é alusiva ao centenário de Agostinho Neto. No Elinga a actividade começou este fim-de-semana com a peça “A Errância de Caim”, uma adaptação da obra “Caim” de José Saramago, com encenação, cenografia e direcção de José Mena Abrantes, tal como explicou à RFI o director do Elinga-Teatro.  “No âmbito do centenário de nascimento do primeiro Presidente de Angola, Agostinho Neto, o Governo Provincial de Luanda e governos de outras províncias estão a levar a cabo um Festival Nacional de Cultura, o Fenacult, que já teve edições anteriores. Este ano, o Fenacult é dedicado precisamente ao centenário de nascimento de Agostinho Neto e para diversificar a apresentação de peças, o Elinga foi também escolhido para apresentar no seu espaço algumas das peças que já foram levadas a cena em alusão precisamente a Agostinho Neto. De Junho a Setembro, o Circuito Internacional de Teatro (CIT) levou a cabo 100 obras alusivas ao Presidente Neto em três províncias: Huíla, Bengo e Luanda.  Em Luanda, como há uma grande dificuldade de espaços de representação, o CIT pediu que o Elinga cedesse as instalações para a apresentação de 43 espectáculos, quase todos, dedicados à figura do Presidente Neto.  Entretanto, se assinala também o centenário de José Saramago e há algumas afinidades de biografia entre os dois, quisemos repor “A errância de Caim”, uma adaptação que fiz do romance “Caim” [de José Saramago] e explorar, precisamente, essa ligação de ambos que se dedicaram, toda a vida, a causas nobres, à luta por uma humanidade pacífica e de desenvolvimento.” Entretanto, no próximo dia 17 de Dezembro, o Elinga-Teatro fecha este festival com uma apresentação que se chama "8 Poetas no Poeta Agostinho Neto".  “Essa selecção de poemas também já tinha sido feita há alguns anos, chegámos a fazer esse recital num hotel aqui em Luanda com a participação de vários actores do Elinga. Entendemos repor esse recital minimamente teatralizado com oito poemas que são uma construção, uma montagem de poemas.   A minha selecção tem o poeta revoltado, o poeta solidário, o poeta da amizade, o poeta da esperança, o poeta do outro, o poeta do amor, o poeta do futuro e o poeta ele só. Portanto, em função destes temas foram seleccionados, montados e entrelaçados às vezes vários poemas para expressar a dimensão humana e literária do Agostinho Neto enquanto escritor.  Por exemplo, no termo da selecção eu escolhi um poema que para mim é o talvez o mais conseguido sobre Agostinho Neto, que é um poema de Arnaldo Santos que se chama “Canto a Um Homem que não era árvore”. Foi publicado logo a seguir à morte do Presidente Neto.”

Appleton Podcast
Episódio 85 - "Faca na Pedra" - Conversa com Rita Castro Neves e Daniel Moreira

Appleton Podcast

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 70:54


Daniel Moreira e Rita Castro Neves vivem e trabalham entre o Porto e a Beira Alta. Daniel Moreira é licenciado em Arquitectura, iniciando em 2000 um percurso multidisciplinar entre a arquitectura e as artes plásticas. Rita Castro Neves, após terminar o Curso Avançado de Fotografia do Ar.Co em Lisboa e o Master in Fine Art da Slade School of Fine Art de Londres, inicia uma atividade artística regular, de docência e de curadoria.Com percursos artísticos separados, começaram a trabalhar em colaboração com Laking, que realizaram em 2015 a convite do espaço artístico finlandês Oksasenkatu 11, iniciando um projeto longo a propósito da representação da paisagem, em que refletem com o desenho, a fotografia e o vídeo, de forma instalada, sobre colaboração artística, diferentes técnicas e culturas artísticas, território, escala e percurso. Desde então realizam diversas exposições individuais e coletivas, bem como residências artísticas. Em 2020 terminam o projeto de recuperação da Escola de Macieira, uma antiga escola primária do Plano dos Centenários na Serra de São Macário, na Beira Alta, para aí iniciarem um projeto de reflexão sobre cultura serrana, a natureza e o rural, e logo pela ecologia, a biopolítica e a preservação ambiental.Links:http://ritacastroneves.com/en/http://danielmoreiraartist.blogspot.com/https://escolademacieira.com/about/https://umbigomagazine.com/pt/blog/2022/11/29/faca-na-pedra-na-appleton/https://ateliefidalga.com.br/galerias/Daniel-Moreira-e-Rita-Castro-Neves-pthttps://www.publico.pt/2021/06/26/p3/reportagem/antiga-escola-primaria-serra-sao-macario-fez-residencia-artistas-artistas-1967857https://www.cafecandelabro.com/playlist-29-daniel-moreira-rita-castro-neves/Episódio gravado a 03.11.2022 http://www.appleton.pt Mecenas Appleton:HCI / Colecção Maria e Armando Cabral Financiamento:República Portuguesa - Cultura / DGArtes Apoio:Câmara Municipal de Lisboa

DFT-podcast met Martin Visser
‘Britse crisis moet wijze les zijn voor Nederland'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Nov 25, 2022 37:24


Wat moet premier Rishi Sunak doen om een economische crisis in het Verenigd Koninkrijk af te wenden? Dat bespreken verslaggevers Martin Visser en Herman Stam in een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen. Sunak moet hard zijn best doen om het vertrouwen van beleggers te herwinnen. Willen de Britten alsnog een Zwitsers EU-model hanteren? Welk gevaar schuilt er in het grensgebied tussen Ierland en Noord-Ierland? En hoe moet de Europese Unie zich opstellen? „Als er ergens economisch voordeel ontstaat, waarom niet”, stelt Visser. See omnystudio.com/listener for privacy information.

Udesc em Rede - Newsletter em áudio
Edição 826 - Mais de dois mil candidatos farão o concurso para cargo técnico da Udesc

Udesc em Rede - Newsletter em áudio

Play Episode Listen Later Nov 23, 2022 2:21


Foi divulgada a homologação das inscrições para o Concurso Público nº 02/2022 da Udesc, que oferece 30 vagas de técnico universitário com ensino superior concluído. Confira a homologação no site da Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (Fepese). O concurso teve um total de 2.064 inscritos. A prova objetiva de conhecimentos gerais e específicos será aplicada em 4 de dezembro e o resultado será divulgado até 31 de janeiro. Os candidatos aprovados dentro do número previsto de vagas no edital serão admitidos durante a vigência do concurso público, que será de dois anos e poderá ser prorrogada por mais dois anos. As oportunidades são para 15 funções diferentes, em dez municípios. O regime de trabalho das vagas é de 40 horas, com remuneração de R$ 5.413,98 e auxílio-alimentação de R$ 29,25 por dia útil trabalhado. Mais informações podem ser obtidas na página oficial e com a Fepese, por telefone, Whatsapp e pelo e-mail udesc@fepese.org.br. --- Reitor recebe a maior homenagem do Poder Legislativo do Estado Dilmar Baretta foi agraciado com entrega da Comenda do Legislativo de SC pelas ações feitas na Udesc. --- Missão internacional com a Udesc visita Singapura ______________ Ceart terá apoio do CNPq para ações em Portugal ______________ Gestão da Udesc integra Fórum de Extensão da Abruem ______________ Rádio Udesc faz campanha dos 25 anos nas ruas e redes ______________ Centenário do escritor Guido Sassi é destaque na Capital ______________ Adolescentes de oficina teatral participam de espetáculo

Radioagência
Sessão solene destaca importância do rádio na comemoração do centenário do veículo de comunicação

Radioagência

Play Episode Listen Later Nov 22, 2022


Diocese de Petrópolis
Ícone Missionário do Regional Leste 1 será levado para o centenário da Diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda

Diocese de Petrópolis

Play Episode Listen Later Nov 22, 2022 1:21


O Ícone Missionário da Visitação de Nossa Senhora a sua prima Isabel continua sua peregrinação pelas Dioceses do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). O ícone encontra-se na Diocese de Petrópolis e, no dia 2 de dezembro, segue para Diocese de Barra do Piraí – Volta Redonda, onde participa das celebrações do centenário da Diocese, no dia 4 de dezembro, na Ilha São João, em Volta Redonda. Leia matéria na íntegra em Notícias - www.diocesepetropolis.org.br

DFT-podcast met Martin Visser
Is omvallen platform FTX dodelijk voor crypto?

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Nov 18, 2022 39:41


De crash van het cryptoplatform FTX heeft de rumoerige wereld van de crypto's andermaal flink opgeschud. De waarde van onder andere de bitcoin is hard gedaald sinds de ineenstorting van het platform. Is de zeepbel van de cryptowereld nu daadwerkelijk geknapt? Of is dit juist een uitstekend instapmoment? En hoe zit het met de flamboyante oprichter van FTX, komt hij ongehavend uit deze strijd? Dat bespreken verslaggevers Martin Visser en Herman Stam met crypto-verslaggever Theo Besteman in een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen. See omnystudio.com/listener for privacy information.

Repórter Unicamp
Exposição virtual celebra o centenário da primeira transmissão de rádio no Brasil

Repórter Unicamp

Play Episode Listen Later Nov 18, 2022 8:55


Uma exposição virtual organizada pelo Arquivo Edgard Leuenroth (AEL), em parceria com o Centro de Estudos de Opinião Pública (Cesop) da Unicamp, celebra o centenário da primeira transmissão de rádio no Brasil, realizada no dia 7 de setembro de 1922, no Rio de Janeiro.A mostra “Modernidade, identidade e consumo: as ondas do rádio na formação de padrões de comportamento social e político nos centros urbanos brasileiros” pode ser conferida pelo site da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicamp: radio100anos.proec.unicamp.br.____Juliana Franco (Rádio Unicamp)

Didosseia - Podcast de Literatura
Centenário de José Saramago - conto _Cadeira_

Didosseia - Podcast de Literatura

Play Episode Listen Later Nov 17, 2022 18:44


Centenário de José Saramago - conto "Cadeira". Sempre é tempo de celebrar Saramago!Portal, deleitem-se!

A Música do Dia
Hoje é 16 de novembro, centenário do escritor José Samamago

A Música do Dia

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022


Sopa de Letras
Centenários: José Saramago

Sopa de Letras

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 9:39


A série Centenários é uma homenagem do PET Letras às vozes que ecoam há mais de cem anos na nossa literatura. Pesquisa: Amanda Cerioli Roteiro: Amanda Cerioli Revisão: Gabriela Di Diego Siga-nos! Facebook: facebook.com/ufrgspetletras Instagram: @petletras.ufrgs Twitter: @LetrasPet Website: petletrasufrgs.wixsite.com/pet-letras-ufrgs

Manhãzitos da 3
Centenário de Saramago

Manhãzitos da 3

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 9:57


A homenagem a Saramago no dia em que se celebra o centenário do Prémio Nobel Português, com testemunhos de Ana Saramago Matos e José Luís Peixoto.

Portugalex
Lobo Antunes comenta centenário de Saramago

Portugalex

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 3:19


Fórum: como vai manifestar o seu apoio à Seleção?

Programa Bem Viver
Saramago: o centenário do escritor que esculpiu o reflexo da sociedade, define historiadora

Programa Bem Viver

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 59:57


“Não tenho, a bem dizer, mais voz que a voz que elas tiverem.” Termina assim o discurso de José Saramago ao receber o Nobel de Literatura em 1998. O escritor português, que nesta quarta-feira (16) completaria 100 anos, referia-se às personagens de suas obras, que teriam mais voz que o próprio autor delas. “O mundo […] O post Saramago: o centenário do escritor que esculpiu o reflexo da sociedade, define historiadora apareceu primeiro em Rádio Brasil de Fato.

DFT-podcast met Martin Visser
Recessie op komst: ‘Inflatie-ellende voorlopig niet voorbij'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 39:43


Consumenten zijn nog nooit zo somber geweest over de economie en hun persoonlijke, financiële situatie. Ondertussen gaat iedereen nog op vakantie, zitten de restaurants vol en is het dringen in de Ikea. Terwijl multinationals als Facebook, Philips en Tupperware in zwaar weer verkeren vanwege de hoge inflatie, schiet de winst van bedrijven als Ahold Delhaize juist omhoog. Wat zeggen deze wisselende doch onheilspellende geluiden precies over onze economie? In een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen vragen Martin Visser en Herman Stam zich af hoe zwaar de recessie wordt en belangrijker nog, hoe lang het gaat duren.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Renascença - Ensaio Geral
O centenário de Saramago e uma exposição cheia de "Cor e Esperança"

Renascença - Ensaio Geral

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 25:56


No dia 16 de novembro completam-se 100 anos sobre o nascimento de José Saramago. Neste Ensaio Geral mergulhamos na vida e obra do prémio Nobel da Literatura. Sobre o autor de Ensaio sobre a Cegueira descobrimos a histórias das suas sete vidas com os biógrafos Miguel Real e Filomena Oliveira. Entramos na sua casa de Lanzarote pela mão da viúva Pilar del Rio e, com ele e a sua escrita, vamos à ópera descobrir Blimunda no Teatro São Carlos. Escutamos, também, as escolhas literárias de Guilherme d'Oliveira Martins e visitamos uma exposição cheia de cor.

Artes
Dança Contemporânea de Angola chega a Paris

Artes

Play Episode Listen Later Nov 9, 2022 13:27


A Companhia de Dança Contemporânea de Angola apresenta, esta quinta-feira, na UNESCO, em Paris, o espectáculo "Isto é uma mulher?", das coreógrafas Ana Clara Guerra Marques e Irène Tassembédo. A peça é interpretada por homens que dançam e questionam o género, em mais uma criação que rejeita cristalizações de conceitos, corpos e identidades. A coreógrafa e directora artística da Companhia de Dança Contemporânea de Angola, Ana Clara Guerra Marques, conversou com a RFI sobre a história, a evolução, as dificuldades e a resistência da companhia que cumpre 31 anos em Dezembro e que se apresenta, pela primeira vez, em França. RFI : Quer começar por descrever-nos a peça que a Companhia de Dança Contemporânea de Angola apresenta em Paris ? Ana Clara Guerra Marques, directora artística da Companhia de Dança Contemporânea de Angola: "A peça que nós viemos apresentar foi a última criação do CDC que é uma co-autoria entre mim e a coreógrafa Irène Tassembédo e chama-se 'Isto é uma mulher?'" E o que é "uma mulher" para a Companhia de Dança Contemporânea de Angola? "Esta peça não é uma peça feminista, é uma peça que pretende pôr as pessoas a pensar e a reflectir sobre algumas questões ligadas ao género, mas, também, sobre a condição da mulher. Acho que é interessante porque a companhia é masculina, são sete homens que dançam a mulher ou interpretam – não imitam, não reproduzem – interpretam." Ser interpretada por bailarinos, homens, não é contraditório? Quem deve falar de mulheres não são as mulheres? "Não. Nós não achamos nada disso e também achamos que mulher não se circunscreve a um aspecto físico e discutimos isso na peça. Toda a gente deve falar de toda a gente. Sobretudo, o que nos interessa aqui é a nossa condição de ser humano, ser mulher, homem ou qualquer outro género. Com tanto discurso feminista, no nosso país chegou-se a um exagero: põem mulheres porque é preciso ter mulheres independentemente da sua competência ou da sua não competência e são homens que fazem isto, que promovem, que nomeiam, que põem. Nós também não temos que estar sujeitas a esta magnanimidade masculina. Nós devemos aceder às coisas pelo nosso mérito e não por sermos mulheres. Esta peça anda muito à volta disto. Obviamente que existem situações em que as mulheres são altamente discriminadas em algumas culturas, mas também há outros géneros que também são discriminados. Tudo isto vem acima na peça. Para quem quiser ver." Além disso, as coreógrafas são mulheres. "São mulheres, mas são mulheres de fibra." Em termos de vocabulário plástico e de coreografia, como é essa dança? "A companhia é de dança contemporânea, inclusiva. A linguagem é uma linguagem mista porque são duas linguagens, duas coreógrafas. O nosso trabalho não pretende ser uma reprodução daquilo que estamos habituados a ver como sendo a dança contemporânea que se vê sobretudo na Europa, aquela forma de movimentar. Nós trabalhamos com os nossos bailarinos que têm uma formação diferente destes bailarinos daqui, ou seja, não têm uma formação convencional -  a formação é-lhes dada dentro da companhia. E, portanto, eles têm uma forma de mover, cada um deles. Obviamente que eles têm técnica e têm aulas de técnica, etc, mas  nós investimos no lado artístico deles e a linguagem é muito feita a partir dos corpos deles, dos movimentos que eles trazem e trabalhando isso, depois, com as coisas de cada coreógrafo." Como é que surge a apresentação na UNESCO? A Clara é membro do Conselho Internacional de Dança da UNESCO. É a partir daí que surge o convite ? "Não. A companhia também é membro, somos os dois, mas o convite foi feito pela nossa Embaixadora de Angola na UNESCO, a doutora Ana Maria de Oliveira, que conhece o trabalho da companhia, que aprecia bastante o trabalho da companhia, que está desde o início da criação da companhia - quando a companhia foi formada, ela era ministra da Cultura. É uma pessoa que tem vindo a acompanhar o nosso trabalho e tem um grande apreço. Convidou-nos no âmbito das comemorações da Independência de Angola e do Centenário de Agostinho Neto." Também há outra data redonda. Os 30 anos da Companhia de Dança Contemporânea de Angola. Que balanço faz? "Em realidade, nós vamos fazer 31 anos agora em Dezembro. Foi um percurso difícil, muito sofrido e continua a ser, como se diz no livro, de grande resistência, ou seja, o nosso país talvez não esteja ainda preparado para um trabalho desta desta natureza, com estas linguagens. Mas foi, ao mesmo tempo, um percurso que marcou a dança, marcou a mudança, marcou a diferença e continua a marcar a diferença num país que é, de certa forma, conservador em relação a estas propostas mais contemporâneas da arte. Tem sido uma grande luta, mas tem sido também um desafio. Nós podemos saldar como positivo. Apesar de, repito, de um caminho completamente tortuoso, completamente difícil, muitas vezes sem lugar para ensaiar, sem possibilidades para produzir. Mas nós somos lutadores e se achamos que é preciso fazer, que é preciso modificar, que é preciso pôr Angola no caminho do progresso, no campo das artes, então é isso que nós fazemos." Precisamente, vocês também apresentaram na Embaixada de Angola em França dois livros sobre a companhia, "Lugares Incorporados" e "Companhia de Dança Contemporânea de Angola - 30 Anos de Resistência". Olhemos para este título - "30 anos de resistência". É preciso resistir para se ter dança contemporânea em Angola ? "É. É preciso resistir para conseguir levar um trabalho novo, propostas às quais as pessoas não estão habituadas e que, muitas vezes, são rejeitadas porque as pessoas, muitas vezes, pensam ou acham que o nosso trabalho não é suficientemente africano para representar um país africano. Ou seja, há uma certa confusão, há uma certa falta de cultura, há uma certa ignorância, uma certa falta de sensibilidade porque as pessoas, sobretudo a nível institucional, são muito progressistas em relação a outros aspectos mas, de repente, quando chega a parte das artes e, sobretudo, da dança, pensa-se que a dança angolana tem que ser exclusivamente a dança patrimonial, ou seja, nós devemos apenas mover-nos no terreno etnográfico e das danças tradicionais e populares. Nós temos sempre que resistir. Esta palavra resistência tem também a ver com o facto de nós resistirmos a este movimento, digamos, quase contra o nosso trabalho, mas fazendo um novo, apresentando um novo. É, no fundo, um trabalho de vanguarda, se é que ainda podemos utilizar esta palavra numa altura destas, mas é neste sentido também." É um trabalho de vanguarda, um trabalho contemporâneo, mas, ao mesmo tempo, que se inspira em danças tradicionais, em danças populares angolanas… "Às vezes. Nós temos duas linhas de criação: por um lado, intervenção social e esta é a nossa preferência, uma companhia que intervém, é quase um trabalho político; e também temos esse trabalho baseado no nosso acervo patrimonial, não apenas nas danças, em que eu utilizo o trabalho de investigação que eu tenho feito justamente neste campo etnográfico. Nós trabalhamos nestas duas vertentes, digamos assim." A dança inclusiva é algo fundamental no seu trabalho também. "Sim. Angola, com as várias guerras e sucessivas guerras, tem um grande número de pessoas mutiladas e com deficiências, etc, e há alguma discriminação também em relação às pessoas portadoras de deficiências. Nós achamos que é importante mostrar que um corpo diferente pode dançar também e num país como o nosso, em que há realmente esta discriminação, a companhia tem feito um trabalho importante nesse sentido, mostrando realmente que a diferença não é um problema, não é uma limitação." A companhia contribuiu para alterar a história da coreografia e da dança em Angola? "Completamente, completamente. Nós trouxemos a dança contemporânea, a dança inclusiva, a utilização de espaços não convencionais. Nós trouxemos realmente novas linguagens para um panorama que tinha apenas as danças populares, as danças sociais, naturalmente, as festas, etc, e o acervo tradicional. Não havia mais nada. Mesmo da época colonial para depois da Independência, não passou nenhuma estrutura. Não havia no tempo colonial nenhuma companhia de dança em Angola, havia de teatro mas não havia de dança. Raramente éramos visitados por companhias de dança. Eu lembro-me de lá ter ido a Gulbenkian nos anos 70, eu era miúda, andava na escola de dança já. Nós inovámos também. Trouxemos o regime de temporadas, o profissionalismo mesmo em dança porque os bailarinos são profissionais, são formados, dominam linguagens, dominam léxicos. Tudo isto foi realmente completamente inovador. Eu acho que também daí, às vezes, há algum medo de assumir este colectivo e o nosso trabalho, sim." Porque no fundo, a companhia fundada em 1991 foi a primeira companhia profissional em Angola. E em África ? "Foi das primeiras em África nascidas no continente. Havia, e continua a haver, muitos coreógrafos africanos que estão radicados em Paris, na Alemanha, aqui e ali, e têm as suas companhias e fazem o seu trabalho. Mas, a surgir no continente, a nossa deve ter sido a quarta ou a quinta companhia e em Angola, sim, foi a primeira e neste momento é a única companhia profissional que Angola tem. Os bailarinos vivem da sua profissão." Conseguem sobreviver da dança? "Sim, sim, sim. Dedicam-se, com exclusividade ao trabalho da companhia, trabalham seis, sete, oito horas por dia. Ou seja, é um trabalho profissional." Em termos de apresentações, limitam-se a Angola ou conseguem exportar o vosso trabalho? "Nós conseguimos fazer 'tournées'. De há uns anos para cá, nós fazemos, pelo menos, uma tournée por ano e fazemos as temporadas em Angola. É difícil fazer digressões dentro de Angola. Quando conseguimos apoios, preferimos trazer o trabalho cá fora, preferimos divulgar e internacionalizar o nosso trabalho." Quantas peças têm no vosso repertório ao longo destes 31 anos? Quais as que mais marcaram a  companhia e, até, Angola? "Se nós pensarmos que desde 1991 até agora fizemos, pelo menos, uma peça por ano, temos 0 peças mais ou menos. É difícil escolher. Imagina-te com vários filhos, não podes gostar mais de um do que de outros! Em relação ao público, tem graça, porque as peças mais críticas, mais agressivas, digamos assim, são as peças que marcam mais o público. Obviamente que nós somos um produto do público também. 'Palmas, por favor!' foi uma peça que marcou bastante. O 'Agora não dá! Tou a bumbar…' também porque era uma crítica cheia de humor porque essa é uma das características do nosso trabalho. 'O Homem que chorava sumo de Tomates' foi mesmo, mesmo muito forte. O 'Ceci n'est pas une porte' foi outra peça em que não havia teatros – e não há - então nós construimos uma série de caixas e encostámo-las a uma parede e os bailarinos dançaram nessa parede de caixas. Foi na altura em que prenderam 15 activistas, portanto, eles estavam confinados numas caixas, não podiam falar, não tinham espaço..." Uma mensagem política, portanto? "Sempre. Sempre. Eu divido, claramente, o entretenimento da arte. Já que existimos, os artistas, não temos que existir para o deleite de pessoas. Nós devemos existir para intervir, para estar presente e para dar o nosso contributo para mudar."

News.med.br
Nifedipina para pré-eclâmpsia / Crioneurólise reduz dor na mastectomia / Fígados centenários

News.med.br

Play Episode Listen Later Nov 5, 2022 9:20


O Amor é... (Diário)
O centenário de Agustina

O Amor é... (Diário)

Play Episode Listen Later Nov 3, 2022 4:05


DFT-podcast met Martin Visser
'Onzekerheid over nieuw pensioen neemt alleen maar toe'

DFT-podcast met Martin Visser

Play Episode Listen Later Nov 2, 2022 37:10


Een recessie staat voor de deur, de inflatie is hoog en de rente stijgt: is dit wel het goede moment om een nieuw pensioenstelsel in te voeren? Steeds meer experts betwijfelen of deze ongekende financiële operatie verantwoord is, zo bespreken Martin Visser en Herman Stam in een nieuwe aflevering van de podcast Kwestie van Centen. Het politieke debat lijkt een gelopen race, aldus Visser. „Pieter Omtzigt gaat heel lang praten en aan het eind gaat alles gewoon door", aldus de financieel verslaggever van de Telegraaf.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Rádio Gaúcha
Paixão Ca-Ju #11: Brandão, ex-centroavante do Caxias

Rádio Gaúcha

Play Episode Listen Later Nov 2, 2022 35:05


Brandão é um dos maiores goleadores da história do Caxias. O atacante, natural de São Borja, atuou pelo clube no início dos anos 1990 e deixou sua marca pelo Centenário. Na carreira, também brilhou pelo Coritiba e teve passagem importante pelo futebol português. Confira algumas histórias relembradas pelo centroavante no bate-papo comandado pelos jornalistas Marcelo Rocha e Maurício Reolon, no 11º episódio do Paixão Ca-Ju Podcast.

A Música do Dia
1º de novembro é o centenário de morte do escritor Lima Barreto

A Música do Dia

Play Episode Listen Later Nov 1, 2022


NexoCast
NexoCast 48 – Elvio Lupo e a trajetória centenária da Lupo

NexoCast

Play Episode Listen Later Oct 26, 2022 84:39


Membro da terceira geração da família fundadora da centenária empresa Lupo, o empresário e conselheiro Elvio Lupo foi o convidado da reunião mensal do Nexo Governança Corporativa e a conversa está nesse episódio do NexoCast. Na pauta, os desafios das empresas familiares e a importância da jornada da governança. A Lupo, uma família numerosa com 10 filhos, muitos netos e bisnetos, enfrentou em 101 anos uma história conturbada, que teve conflitos, transformações, ciclos de valor e muita resiliência, especialmente a partir da liderança de Liliana Aufiero nos anos 90, que assim como Elvio, é membro da terceira geração da Lupo. Em 2022, a empresa foi listada na CVM, elaborou um novo acordo de acionistas e governança e se prepara para a nova janela de oportunidade para IPO. Em março deste ano, inaugurou o Espaço Lupo, um prédio multidisciplinar que conta com um museu sobre a história da empresa e espaços para o futuro, como estúdios fotográficos. Os três pilares que baseiam a empresa são qualidade; relação ampla com os comerciantes, lojistas e clientes e relação com o fator humano, com os funcionários. A Lupo emprega cerca de 10 mil funcionários e hoje é líder no mercado brasileiro de meias e cuecas. Tem 450 lojas franqueadas, 95 lojas da marca Scala e 35 mil pontos de venda multimarcas no varejo. O NexoCast é uma produção original de Nexo Governança Corporativa, com produção técnica da Rádio União FM. O Nexo tem patrocínio de Atitus Educação, Privatto Family Office, Charneski Advogados e BrSupply Suprimentos Corporativos.

Peças Raras - 24 h em sintonia com você
#200 Marcelo Duarte e curiosidades no rádio e nas redes - entrevista para a série ZYR 100

Peças Raras - 24 h em sintonia com você

Play Episode Listen Later Oct 23, 2022 24:45


Depois de completar 19 anos na Rádio Bandeirantes, o programa "Você é Curioso?" foi transportado para canais do Guia dos Curiosos no ambiente da web (Youtute, Facebook, Spotify, Deezer, SoundCloud). Marcelo Duarte nos conta como foi essa adaptação, quais as diferenças entre fazer o programa no rádio e na internet e o que ouvia no rádio da infância. Esta entrevista faz parte do projeto da Rádio Cultura Brasil, a série em 5 capítulos ZYR-100, o Centenário do Rádio no Brasil. A série completa pode ser ouvida em centenariodoradio.blogspot.com --- Send in a voice message: https://anchor.fm/pecasraras/message

Renascença - Ensaio Geral
Exposições, passeios e filmes celebram o centenário de Agustina Bessa-Luís

Renascença - Ensaio Geral

Play Episode Listen Later Oct 21, 2022 24:37


Nesta edição do Ensaio Geral, damos os parabéns a Agustina Bessa-Luís cujo centenário agora se celebra. Espreitamos, também, o cartaz do Lisbon & Sintra Film Festival que traz a Portugal estrelas do cinema como John Malkovich ou David Cronenberg. E vamos até Penafiel onde termina este fim-de-semana o Festival Escritaria dedicado à poetisa Ana Luísa Amaral. Escutamos, ainda, as sugestões de Guilherme d'Oliveira Martins e descobrimos oito novos livros de banda desenhada, na semana em que começa o Festival de BD da Amadora.

Esqueletos no Armário
120. Esqueletos e os 120 Dias de Sodoma (Salò e o centenário do Pasolini)

Esqueletos no Armário

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 71:32


Banquete de merda, os horrores do fascismo, twinks italianos, uma ode à um dos maiores gays da história, filmes perturbadores (que são muito mais do que isso), cinema político fora de cartilha, os quatro pilares do estado, os círculos do inferno e o riso de nervoso ao olhar o abismo e ele te olhar de volta. Hoje os Esqueletos comemoram os 100 anos do lendário diretor homossexual, sodomita, degenerado, italiano igual a Gaga e ARTISTA, Pier Paolo Pasolini, e visitam sua obra mais icônica e controversa: Salò ou os 120 Dias de Sodoma (1975). Apresentado por: Luiz Machado - @machadolue no Instagram Alvaro de Souza - @gayracula98 no Twitter e @alllvarusdesouza no Instagram Com a participação especial de Thiago Gelli - @thigelli no Twitter e @thigellicle no Instagram Confira o nosso site: https://www.esqueletosnoarmario.com/ Apoie o nosso projeto: https://apoia.se/esqueletosgays @esqueletosgays no Twitter e Instagram

CPB Revista Adventista
#teaser A história centenária do rádio

CPB Revista Adventista

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 3:05


Os quatro episódios desta série da Revista Adventista narram uma jornada que começa nos primórdios da radiofonia no Brasil, passa pelo pioneirismo da “Voz da Profecia” (primeiro programa religioso no rádio brasileiro) e chega à radiomorfose provocada pela internet. Confira o teaser e embarque nessa viagem por meio das ondas sonoras. Trilhas utilizadas (YouTube Audio Library) - “The Take Down” – DJ Williams - “Tiptoe Out the Back” – Dan Lebowitz - “Bellissimo” – Doug Maxwell

Reportagem Observador
"This is London calling". Os sons que marcam o centenário da BBC

Reportagem Observador

Play Episode Listen Later Oct 18, 2022 2:12


A BBC faz 100 anos. Lembramos alguns dos momentos históricos da rádio e televisão: os discursos motivadores de Churchill, o relato do dia D, a coroação da Rainha Isabel II e a chegada à lua. See omnystudio.com/listener for privacy information.

SBS Portuguese - SBS em Português
Portugal celebra o centenário de Agustina e prepara-se para o de Saramago

SBS Portuguese - SBS em Português

Play Episode Listen Later Oct 16, 2022 3:10


Portugal começa neste fim de semana a celebrar o centenário de Agustina.

Rede Geek podcasts
Centenário do rádio no Brasil

Rede Geek podcasts

Play Episode Listen Later Sep 26, 2022 73:40


Eu não acredito que o rádio chegou aos 100 anos no Brasil com o título de principal veículo de comunicação do país. Sim. Em 07 de setembro de 2022 - mesmo dia do Bicentenário da Independência do Brasil - o rádio completou um século de existência por aqui. E, para muitos estudiosos da área, ele segue reinando como a mídia preferida dos brasileiros. A paixão pelos podcasts está aí para provar isso. Vem com a gente revisitar suas memórias radiofônicas e assoprar as velinhas desses 100 anos com quem ajudou a construir a história do rádio no Brasil. Com Léo Lopes, radialista, locutor, sonhador e empreendedor, criador da Rádiofobia Podcast e Multimídia. Gostou do episódio? Mande um comentário em áudio pelo WhatsApp +55 11 98765-6950. Seu comentário poderá aparecer no podcast Serviço de Atendimento à Cavalaria (SAC). Saiba mais em www.redegeek.com.br

Emissão Vespertina Fim de Semana - Voz da América. Subscreva o serviço de Podcast da Voz da América
Emissão Vespertina 18 Setembro 2022: Centenário de Agostinho Neto - setembro 18, 2022

Emissão Vespertina Fim de Semana - Voz da América. Subscreva o serviço de Podcast da Voz da América

Play Episode Listen Later Sep 18, 2022 59:59


Ao domingo um tema social ou cultural angolano, saúde com a Dra. Graça e a rubrica “Fala África” em que conversamos com jovens influencers, músicos, líderes comunitários, jovens com novas ideias e projectos. Horário: Sáb-Dom Hora UTC: 1700 Duração: 60 min

Deixar o Mundo Melhor
Artur Santos Silva

Deixar o Mundo Melhor

Play Episode Listen Later Sep 16, 2022 44:05


Nasceu no Porto a 22 de maio de 1941 e cresceu na zona oriental da cidade, "o Porto menos desenvolvido". Filho de um advogado da oposição ao regime do Estado Novo, Artur Santos Silva conta que o pai o matriculou no colégio onde os primos andavam para "não ter de pertencer à Mocidade Portuguesa" - que, à época, era obrigatória no ensino público. O banqueiro que durante muitos anos foi o rosto do BPI - Banco Português de Investimento recorda o seu professor de Francês, Manuel Francisco Rodrigues, que escreveu o livro "Tarrafal, Aldeia da Morte", fala da sua vida na Faculdade de Direito de Coimbra onde se licenciou e foi assistente, dos primeiros anos do BPI, da sua curta passagem pelo PPD (hoje PSD) quando o partido foi criado, e do brinde que fez em casa de Francisco Sá Carneiro no dia 25 de Abril de 1974 com um "champanhe que ele tinha guardado para esta ocasião". Aos 81 anos está à frente da Fundação "La Caixa", cujo trabalho social inclui a criação de uma "rede de cuidados paliativos,  porque o sistema de saúde português não estava a funcionar bem nesta área". Foi presidente da Fundação Calouste Gulbenkian (2011-2017) e da Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República, e secretário de Estado do Tesouro no VI Governo Provisório (1975-1976).See omnystudio.com/listener for privacy information.

roNca roNca
#508 e o Rádio ceNteNário…

roNca roNca

Play Episode Listen Later Sep 2, 2022 122:07


#508 voltando a setembro1922 + pere ubu, herbie hancock, tony tornado, frank zappa, os índios tabajaras... vem!

Janela Aberta
Ep 171 - bar Live Music!, indecisões, metáforas frescas, falar português, skater centenário

Janela Aberta

Play Episode Listen Later Aug 11, 2022 49:30


Aquela parte sobre skatar com 100 anos não era a gozar, mas vou precisar de ajuda.

PEBMED - Notícias médicas
PEBMED e Pfizer: PAF - Polineuropatia Amiloidótica Familiar e sinais de alerta

PEBMED - Notícias médicas

Play Episode Listen Later Jul 13, 2022 14:59


Neste episódio especial da PEBMED em parceria com a Pfizer, Marcelo Gobbo, médico de comunidade e família e editor médico do Portal recebe a neurologista Viviane Carvalho para falar sobre PAF, a Polineuropatia Amiloidótica Familiar, uma condição rara que pode ter sua trajetória modificada quando identificada precocemente e adequadamente tratada. Referências Bibliográficas: 1- Picken MM. The Pathology of Amyloidosis in Classification: A Review. Acta Haematol. 2020;143(4):322-334. doi: 10.1159/000506696. Epub 2020 May 11. PMID: 32392555. 2- Adams D, Koike H, Slama M, Coelho T. Hereditary transthyretin amyloidosis: a model of medical progress for a fatal disease. Nat Rev Neurol. 2019 Jul;15(7):387-404. doi: 10.1038/s41582-019-0210-4. Epub 2019 Jun 17. PMID: 31209302. 3- Guevara C, Barrientos N, Flores A, Idiáquez J. Polineuropatia amiloidótica familiar tipo I. Rev Méd Chile. 2003;131:1179-82. 4- Centenário do nascimento de Corino de Andrade. Sinapse, publicação da Sociedade Portuguesa de Neurologia, Suplemento 1, Volume 6, Nº1, Maio de 2006. 5- Andrade, C. A peculiar form of peripheral neuropathy; familiar atypical generalized amyloidosis with special involvement of the peripheral nerves. Brain. 1952 Sep;75(3):408-27. doi: 10.1093/brain/75.3.408. PMID: 12978172.) 6- Saporta, M. A. C., C Zaros, M W Cruz, C André, M Misrahi, et al. "Penetrance estimation of TTR familial amyloid polyneuropathy (type I) in Brazilian families." European journal of neurology 16.3 (2009): 337-341. 7- Vieira M, Saraiva MJ. Transthyretin: a multifaceted protein. Biomol Concepts. 2014 Mar;5(1):45-54. doi: 10.1515/bmc-2013-0038. PMID: 25372741. 8- Galant NJ, Westermark P, Higaki JN, Chakrabartty Al. Transthyretin amyloidosis: an under-recognized neuropathy and cardiomyopathy. Clin Sci. 2017 ;131(5):395-409 9-Simões M. V., Fernandes F, Marcondes-Braga F, Scheinberg P, Correia E, et al. Posicionamento sobre Diagnóstico e Tratamento da Amiloidose Cardíaca (2021). Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 117, 561-598. 10- Bonaiti B, Olson M, Hellman U, Surh O, Bonaiti-Pellie C, et al. TTR familial amyloid polyneuropathy: does a mitochondrial polymorphism entirely explain the parent-of-origin difference in penetrance? Eur J Hum Genet. 2010;18(8):948- 52 11- Ando Y, Coelho T, Berk J, Cruz M, Ericzon B-G, et al. Guideline of transthyretin- related hereditary amyloidosis for clinicians. Orphanet J Rare Dis. 2013;8:31 12- Salvi F, Pastorelli F, Plasmati R, Bartolomei I, Dall'Osso D, et al. Genotypic and phenotypic correlation in an Italian population of hereditary amyloidosis TTR-related (HA-TTR): clinical and neurophysiological aids to diagnosis and some reflections on misdiagnosis. Amyloid. 2012;19 Suppl 1:58-60. 13-Gertz MA, Benson M, Dyck PJ, Grogan M, et al. Diagnosis, Prognosis, and Therapy of Transthyretin Amyloidosis. J Am Coll Cardiol. 2015 Dec 1;66(21):2451-2466. doi: 10.1016/j.jacc.2015.09.075. PMID: 26610878 14- Luiz F. Pinto, MD; and Marcus V. Pinto, MD, MS. The most common amyloidosis are both treatable; accurate diagnosis is paramount. Practical Neurology, July, 2021.

DWBRcast
DWBRcast 248 - Legend of the Sea Devils!

DWBRcast

Play Episode Listen Later Apr 21, 2022 48:39


Vamos para mais um review! No especial de Páscoa Legend of the Sea Devils, a Doutora, Yaz e Dan encontram a famosa pirata Madame Ching e se envolvem na busca por um tesouro! O episódio traz o retorno dos Sea Devils, da série clássica, e ainda traz outras surpresas no relacionamento da Doutora com a Yaz. Ah, e claro, a gente também comenta sobre o trailer do especial do Centenário, onde ocorrerá a regeneração da 13ª Doutora! Vem com a gente!

Café Brasil Podcast
Cafezinho 473 – O paradoxo do Dadinho

Café Brasil Podcast

Play Episode Listen Later Mar 18, 2022 7:46


CONHEÇA A VEROO CAFÉS: http://veroo.cafe/cafebrasil Ouvintes do Café Brasil têm 15% de desconto nos primeiros 3 meses de assinatura. Basta acessar o link e aplicar o cupom CAFEBRASIL Assine o Café Brasil em http://mundopodcast.com  Dadinho é aquele docinho à base de amendoim, em forma de cubo, embalado um a um num papel metalizado prateado com o nome e estrelinhas vermelhas. Foi lançado em 1954 para comemorar o 4º Centenário da Cidade de São Paulo. O nome do docinho era 4º Centenário, mas o povo botou o apelido de Dadinho, e a empresa que o lançou, a Dizioli, adotou.  E a molecada ficava doida. Cara, como eu comi Dadinho na minha infância! Depois que cresci, parei. Fiquei dezenas de anos sem comer o Dadinho. Outro dia recebi de presente um pote cheio de guloseimas. Quem é que tem menos de 66 anos de idade e fala “guloseimas”? Tá bom. Vou mudar. Recebi um pote cheio de acepipes (silêncio)… e dentro dele quem? Dadinhos, cara! Dezenas de Dadinhos! Cara, o Lucianinho imediatamente avançou em cima dos Dadinhos. Que satisfação ver aquela embalagem que é muito parecida com a original! A gente desembrulha igual! O tamanho é igual! A cor… mas aí começou. Peraí. A consistência tá meio estranha. Botei na boca… e descobri que o Dadinho de hoje é uma merda. Não tem nada a ver com aquela delícia de 50 anos atrás! É horrível, uma massa sem gosto, parecia que eu estava comendo uma borracha de apagar na escola. É horrível! Destruíram o Dadinho. Esse é o Paradoxo do Dadinho. É a mesma coisa, modernizada, com processos de fabricação mais eficientes, com controles que nem se sonhava 50 anos atrás, com cuidados supremos com a qualidade dos ingredientes, tudo muito mais sofisticado, com técnicas para fabricação, comercialização e distribuição modernas, tudo que há de mais moderno. E o resultado é uma merda. Paradoxo do Dadinho. Alguma coisa se perdeu no caminho.   Esta reflexão continua no vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=NUgTuBVoXjE Gostou? De onde veio este, tem muito, mas muito mais. Torne-se um assinante do Café Brasil e nos ajude a continuar produzindo conteúdo gratuito que auxilia milhares de pessoas a refinar seu processo de julgamento e tomada de decisão. Acesse http://mundocafebrasil.com