Podcasts about Planalto

  • 333PODCASTS
  • 1,895EPISODES
  • 22mAVG DURATION
  • 1DAILY NEW EPISODE
  • Nov 10, 2022LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022

Categories



Best podcasts about Planalto

Show all podcasts related to planalto

Latest podcast episodes about Planalto

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Lula tenta nova abordagem para negociar com partidos "

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Nov 10, 2022 29:18


O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva admitiu, nesta quarta-feira, 9, fazer um acordo político com o Centrão. Na primeira reunião em Brasília após vencer a disputa para o Palácio do Planalto, Lula disse ao presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que o PT não terá candidato próprio ao comando da Casa, em fevereiro de 2023. Embora Lula não tenha afirmado com todas as letras que seu partido apoiará a recondução de Lira, as negociações caminham nesse sentido."Gato escaldado tem medo de água fria. Lula pagou um preço bastante alto com Mensalão, Petrolão, aquelas coisas todas e está tentando fazer nova abordagem aos partidos e aos parlamentares desta vez", avalia Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Brasil no mundo: agenda de Lula no exterior sinaliza reposicionamento do país

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Nov 9, 2022 30:07


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço das expectativas sobre os planos do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para a política externa brasileira. A agenda internacional de Lula terá início antes mesmo da posse, com a participação dele na Conferência do Clima da ONU (COP27), no Egito, a partir de 14 de novembro. Desde a campanha ao Planalto, o agora presidente eleito já havia sinalizado que planeja mudar os rumos da política externa brasileira adotada durante o governo de Jair Bolsonaro (PL). O assunto foi um dos temas explorados por Lula em seu primeiro discurso depois da vitória nas eleições. O presidente eleito disse que espera retomar "parcerias com os Estados Unidos e a União Europeia em novas bases" e que "o Brasil está pronto para retomar o seu protagonismo na luta contra a crise climática". Para traçar um panorama do que podemos esperar do posicionamento internacional do futuro governo Lula, participam deste episódio o analista de política Internacional da CNN Lourival Sant'Anna e a cientista política Denilde Holzhacker, professora de relações internacionais da ESPM. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Estadão Notícias
Lula na COP-27 e o futuro da política ambiental brasileira

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 8, 2022 25:54


O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), figura como uma das principais atrações da COP-27, que é a conferência sobre o clima da Organização das Nações Unidas (ONU). O novo governo deve mostrar ao mundo o potencial de geração de energia limpa do País. O presidente eleito, Lula, também pretende usar a COP-27 para realizar encontros bilaterais considerados cruciais para a sua retomada ao comando do Palácio do Planalto. O petista pretende se reunir com os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da França, Emmanuel Macron. Jair Bolsonaro (PL) se queixou da decisão do presidente eleito de ir à conferência climática da Organização das Nações Unidas, em um desabafo que foi testemunhado por auxiliares. O atual presidente chamou o petista de “usurpador” e o acusou de vestir a faixa presidencial antes da hora. Mais de 190 países vão participar da cúpula, incluindo o Brasil. Cerca de 90 chefes de Estado confirmaram sua presença, porém, alguns líderes mundiais não devem comparecer ao evento, enviando representantes do seu governo, como Vladimir Putin, presidente da Rússia. No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre esse assunto com o secretário executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini, que está na COP-27, no Egito. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Gabriel Lara Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Durma com essa
Da política à Copa: a camisa amarela em seu palco principal

Durma com essa

Play Episode Listen Later Nov 7, 2022 21:41


O técnico Tite convocou nesta segunda-feira (7) os 26 jogadores que vão o Brasil na Copa do Mundo de futebol masculino no Qatar, que começa em 21 de novembro. A seleção brasileira vai representar um país onde cresce o desinteresse pelo esporte, enquanto vê seu uniforme ser usado por extremistas em manifestações pedindo uma intervenção militar após a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições ao Planalto. O Durma com Essa relembra a relação entre futebol e política em outras participações brasileiras em Copas e fala da apropriação da camisa amarela pelo bolsonarismo. O programa conta também com a participação de Fabiano Santos, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, falando sobre os desafios para a governabilidade de Lula, e de Mariana Vick, que comenta a participação do Brasil na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que acontece no Egito.

Durma com essa
A transição de governo num país que tenta voltar à normalidade

Durma com essa

Play Episode Listen Later Nov 4, 2022 24:17


O vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB) se encontrou nesta quinta-feira (3) com o presidente Jair Bolsonaro no Planalto. Também se reuniu com ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP) e com representantes do Congresso. O Durma com Essa fala sobre o início da transição para o governo Luiz Inácio Lula da Silva, conta como esse processo funciona e relembra outras passagens de poder no Brasil. O episódio também tem as participações do redator Marcelo Roubicek, que fala sobre os desafios econômicos do futuro governo, do colunista Olavo Amaral, que comenta as pesquisas eleitorais da campanha, e da editora-executiva da Gama Revista, Isabelle Moreira Lima, que dá dicas culturais na seção “Achamos que vale”, inspirada na newsletter homônima que você pode assinar clicando no link abaixo. Leia a editoria Ponto Futuro.Gama Revista: https://weverify-demo.ontotext.com/#!/similaritySearchResults&type=Videos¶ms=https%3A%2F%2Fgamarevista.uol.com.br%2Fassinar-newsletter%2F

O Antagonista
“A transição já começou”, diz Alckmin

O Antagonista

Play Episode Listen Later Nov 3, 2022 1:20


O coordenador do comitê de transição, o vice de Lula, Geraldo Alckmin (PSB), afirmou há pouco em entrevista coletiva que já houve uma primeira troca de informações com integrantes da cúpula do governo Jair Bolsonaro. “A transição já começou”, ressaltou Alckmin. Segundo ele, os trabalhos do comitê vão começar na próxima segunda-feira, no CCBB – Centro Cultural Banco do Brasil. Os nomes que farão parte do comitê de transição serão entregues ao Palácio do Planalto até a próxima segunda-feira. Alckmin disse que a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, conversou com os presidente de outros nove partidos que compuseram a aliança do primeiro turno. "Eles vão indicar nomes para participar do grupo de transição e também pessoas que não estavam conosco no primeiro turno como Simone Tebet." “A conversa foi bastante proveitosa. Muito objetiva”, ressaltou o ex-tucano sobre a primeira reunião realizada na Casa Civil, com a participação de Gleisi Hoffmann, do ex-ministro Aloizio Mecadante; de Ciro Nogueira, ministro-chefe da Casa Civil e do general Luis Eduardo Ramos, ministro Secretaria-Geral da Presidência. Ele informou ainda que todo fluxo de informações foi conversado e será encaminhado para a Casa Civil "com o objetivo da transparência, do planejamento e da continuidade dos serviços prestados a população". “Amanhã a Gleisi e Mercadante vão lá [no CCBB] fazer uma visita e deveremos começar a partir de segunda feira da próxima semana. A transição será instalada com o objetivo da transparência, do planejamento e de continuidade dos serviços prestados à população. Que a gente possa nesse período ter acesso a todas as informações, continuar os serviços e não interrompê-los”, complementou Alckmin. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Assunto
PT: a história e os desafios à frente

O Assunto

Play Episode Listen Later Nov 3, 2022 34:11


Fundado em 1980, na esteira de uma greve de metalúrgicos que deu projeção nacional a sua principal liderança, o Partido dos Trabalhadores chegou à Presidência da República 22 anos depois e lá ficou por dois mandatos de Lula e “um e meio” de Dilma Rousseff - alvo de impeachment em 2016. A partir daí, o partido atravessou um longo deserto até receber das urnas, no último dia 30, a missão de voltar ao Palácio do Planalto e “reorganizar a democracia”, em processo muito semelhante ao levado a cabo por Ulysses Guimarães e o PMDB ao final da ditadura, avalia Celso Rocha de Barros, convidado de Renata Lo Prete neste episódio. Autor do livro recém-lançado “PT, uma história”, o sociólogo avalia que se trata do “último grande partido ainda de pé” no país. Para ele, neste terceiro mandato de Lula é possível que a militância passe por uma “crise de identidade”, a partir da necessidade de fazer alianças mais ao centro - com personagens como Simone Tebet (MDB) e Eduardo Paes (PSD). Ele explica como a transição Bolsonaro-Lula pode definir a política econômica na largada do novo governo. “Quando Lula assumiu em 2003, sabia que não tinha ninguém pronto para dar golpe, o que lhe permitiu tomar medidas impopulares na economia”, lembra. E conclui falando sobre o desafio de lidar com Bolsonaro. “Essa é a grande questão da política brasileira”: com o futuro ex-presidente liderando a oposição será preciso “se preparar para uma década de instabilidade”.

E Tem Mais
Troca de comando: quais os próximos passos até a formação do novo governo Lula

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Nov 1, 2022 36:52


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama das expectativas para os próximos passos até a formação do novo governo, após a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais. A disputa pelo Planalto em 2022 entrou para a história como a mais disputada desde a redemocratização. Pouco mais de 2 milhões de votos separaram o presidente eleito, Lula, e o candidato derrotado à reeleição, Jair Bolsonaro (PL). O petista venceu em 13 estados, e o atual presidente foi o mais votado em outros 14, incluindo o Distrito Federal. O resultado do segundo turno marca o fim da corrida eleitoral e dá início às articulações para a reorganização das forças políticas no país. A expectativa é de que os próximos dias sejam dedicados a esforços de Lula para formar a sua nova equipe de governo e construir uma base de apoio sólida, em especial, no Congresso Nacional.  Para descrever o que podemos esperar dos próximos passos do presidente eleito, participam deste episódio o cientista político Antonio Lavareda, do Ipespe (Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas), a repórter da CNN Tainá Falcão e o analista de política Gustavo Uribe. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

O Assunto
A vitória de Lula para 3° mandato inédito

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 31, 2022 34:53


Estavam apuradas mais de 98% das urnas quando o TSE anunciou o resultado oficial da eleição para Presidente. Luiz Inácio Lula da Silva (PT) registrou a maior votação da história do país: foram mais de 60 milhões de votos, o que garantiu a ele 50,90% do total de válidos - diante de um uso nunca visto antes da máquina pública a favor de Jair Bolsonaro (PL). “Uma vitória nos minutos finais da prorrogação”, sintetiza Thomas Traumann, pesquisador da Fundação Getúlio Vargas. Na madrugada desta segunda-feira, ele e Renata Lo Prete analisaram os dois discursos do presidente eleito: o primeiro para seus correligionários, e o segundo, para a militância, na Avenida Paulista. “Foram mensagens muito claras”, afirma o jornalista. Lula sabe que vai assumir um “país partido” e que precisa pregar um governo de amplo espectro. O petista também reconhece “que o PT sozinho não teria ganho essa eleição”: daí a importância da ampla aliança construída no 2º turno com Simone Tebet (MDB), Marina Silva (Rede) e o grupo de economistas responsáveis pelo Plano Real - além da presença de seu vice, Geraldo Alckmin (PSB). Para Traumann, no entanto, essa “grande tenda” organizada por Lula tem contradições naturais: “O que unia todo mundo era o movimento contra Bolsonaro”. Agora, entende, o presidente eleito – que assume o Planalto em 1º de janeiro de 2023 - terá que aglutinar essas forças para serem “a favor de outras pautas”.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Campanha de Bolsonaro errou muito no final"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 28, 2022 19:18


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a corrida pelo Palácio do Planalto com 49% das intenções de voto, ante 44% do presidente Jair Bolsonaro (PL), segundo a pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira, 27. É o penúltimo levantamento do instituto antes do segundo turno. "A campanha de Bolsonaro errou muito no final e ele próprio comete um erro após o outro. Do outro lado, Lula não apresentou um plano de governo, fala muito do passado, mas tem muito o que mostrar na área de inclusão social, por exemplo", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Ontem foi o dia mais tenso de toda campanha"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 27, 2022 15:11


O presidente Jair Bolsonaro convocou uma reunião ministerial de emergência ontem, no Palácio da Alvorada, com a presença dos comandantes do Exército, Freire Gomes; da Marinha, Almir Garnier Santos, e da Aeronáutica, Carlos de Almeida Baptista Junior. O encontro foi chamado após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) rejeitar o pedido da campanha de Bolsonaro para suspender a veiculação das inserções do candidato do PT ao Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva, em rádios de todo o País. "Ontem foi o dia mais tenso de toda campanha. Bolsonaro insistiu nesta história da fraude. O ministro Alexandre de Moraes exigiu provas e, então, especialistas do TSE, desmontaram a farsa. Esse movimento não é demonstração de força, mas de desespero. Se estivesse seguro que de ganhará no domingo, Bolsonaro não tumultuaria o processo", opina Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Alerta: campanha de Bolsonaro diz que Dilma criou o 'sigilo de 100 anos'

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 27, 2022 0:55


Em vídeo a ser veiculado no horário eleitoral gratuito desta quinta-feira (27), a campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) diz que o direito ao "sigilo de 100" anos foi decretado pela ex-presidente petista Dilma Rousseff por meio da Lei 12.527 de 2011, a Lei de Acesso a Informação (LAI). A norma, no entanto, estabelece que o acesso não poderá ser restrito a fim de "prejudicar processo de apuração de irregularidades em que o titular das informações estiver envolvido". O Art. 31 da LAI prevê o sigilo no prazo máximo de 100 anos para informações pessoais, "relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem", como já foi exemplificado por O Antagonista. O recurso foi utilizado tanto em governos petistas quanto no governo de Bolsonaro. Entre 2003 e 2010, durante o governo do ex-presidente Lula, gastos com cartões corporativos da Presidência da República foram classificados como sigilosos. Em 2015, ano em que Dilma governava, documentos envolvendo empresa investigada na Lava Jato também foram mantidos em sigilo. Já no governo Bolsonaro, além do cartão de vacinação do presidente, estão restritos os registos de entrada de seus filhos no Palácio do Planalto e o processo interno do Exército contra o ex-ministro da Saúde  Eduardo Pazuello. Entenda a Classificação Real: notícias e informações quem podem ser verificadas com documentos ou dados concretos e ostensivosFake: notícias ou informações, normalmente inventadas, que não correspondem a fatos e dados conhecidosAlerta: notícias ou informações com conteúdo parcialmente verdadeiro, mas normalmente manipulado, ou sem possibilidade de comprovação por dados concretos Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista  

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "A campanha é incrível pela estabilidade"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 26, 2022 21:38


Pesquisa PoderData divulgada nesta quarta-feira, 26, mostra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) com 53% dos votos válidos para retornar ao Palácio do Planalto, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 47% para a reeleição. O levantamento começou a ser feito no último domingo, 23, dia em que Roberto Jefferson disparou com fuzil e atirou granadas contra agentes da Polícia Federal, ou seja, abarca os efeitos desse episódio. "A campanha é incrível pela estabilidade; acontecem várias coisas e nada mexe nelas. E o Lula se mantém sempre na frente; todos os levantamentos dão uma margem de diferença de pelo menos quatro pontos. Com seis dias da eleição, é muito difícil Bolsonaro tirar essa diferença porque são muitos milhões de votos", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "O Estado brasileiro está trabalhando por uma das campanhas"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 25, 2022 17:56


A campanha de Jair Bolsonaro, convocou às pressas uma coletiva de imprensa ontem à noite para denunciar um “fato grave” à Nação e alegar, a seis dias das eleições, que está sendo “censurada” por rádios pelo País para favorecer o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. Uma hora depois da entrevista, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, classificou a denúncia como inconsistente, disse que o relatório apresentado à Corte era “apócrifo” e pediu provas. "Havia um certo pudor no divisor de águas entre campanha e Presidência; comitê de campanha e Palácio do Planalto. Isso não existe mais. A gente não sabe mais o que é dinheiro público e de campanha; virou uma grande confusão. O que você tem é o Estado brasileiro trabalhando por uma das campanhas, tornando-a totalmente desigual", opina Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Taxa de abstenção: como o total de eleitores ausentes pode influenciar as eleições

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 24, 2022 22:15


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama das dúvidas sobre o possível impacto da abstenção no segundo turno das eleições presidenciais de 2022. A parcela de eleitores que deixaram de votar no primeiro turno, em 2 de outubro, chegou a quase 21% e atingiu o maior patamar desde 1998. Desde que o país voltou a realizar eleições diretas para presidente, em 1989, quando houve segundo turno, menos eleitores compareceram às urnas em relação ao primeiro turno. Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou prefeituras do país a conceder transporte urbano gratuito em 30 de outubro, data do segundo turno, em uma tentativa de diminuir a abstenção. Com a expectativa de uma disputa apertada na corrida presidencial, o número de ausentes pode ser decisivo para o resultado das eleições. Para descrever como a abstenção pode afetar os planos dos candidatos ao Planalto, participam deste episódio os cientistas políticos Antonio Lavareda e Deysi Cioccari. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

E Tem Mais
Cabos eleitorais: qual o papel dos aliados dos candidatos na corrida ao Planalto

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 20, 2022 21:19


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama sobre o papel dos aliados ou cabos eleitorais dos candidatos que disputam a Presidência da República na campanha das eleições de 2022. Lideranças políticas, personalidades, artistas e influenciadores digitais ocupam um espaço que muitas vezes os candidatos não conseguem preencher, seja pelo apelo que têm junto a parcelas específicas da sociedade ou pela maneira como se comunicam. Na disputa entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno das eleições presidenciais, alguns cabos eleitorais também têm exercido uma outra função na campanha: a de liderar ataques ao adversário nas redes sociais para que os dois candidatos evitem uma possível exposição negativa com falas mais agressivas. Para descrever de que forma os aliados e apoiadores são usados para contribuir com as candidaturas de Lula e Bolsonaro, participam deste episódio o analista de política da CNN Iuri Pitta e o consultor de marketing político Marcelo Vitorino, professor do IDP (Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa). Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

O Assunto
O voto e o peso do agro em 2022

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 20, 2022 24:38


No cinturão do agronegócio brasileiro, que atravessa os estados do Sul, passa por São Paulo, integra o Centro-Oeste e chega a porções do Norte, o resultado das urnas no primeiro turno traduziu o expressivo apoio que o setor oferece a Jair Bolsonaro. Os elementos que explicam esse fenômeno, afirma Caio Pompeia, autor do livro “Formação Política do Agronegócio”, são “em parte econômicos e em parte ideológicos”. Em conversa com Renata Lo Prete, o antropólogo e pesquisador visitante na Universidade de Oxford recorda que o “agro se beneficiou muito nos governos petistas”, mas sempre houve resistência a políticas trabalhistas, sociais, agrárias e ambientais implementadas nas gestões Lula e Dilma. A insatisfação se misturou bem à “agenda antiesquerda” promovida pelo atual presidente desde antes da chegada ao Planalto. Assim, ele atraiu para sua órbita principalmente a pecuária e a sojicultura, dois segmentos que, neste ano, se opuseram “ferozmente” aos agroempresários dispostos a dialogar com Lula. “Os líderes do setor são muito conservadores”, ressalta Caio, e muitos foram cooptados para a promoção de pautas “antidemocráticas e contra o STF”. Nos números, o PIB nominal do agro, informa Marsílea Gombata, repórter do jornal Valor Econômico, chegou a R$ 2,4 trilhões - avanço muito superior, nos últimos quatro anos, ao do conjunto da economia. A expansão, explica a jornalista, tem mais motivações externas do que internas: a alta recorde no preço das commodities, a desvalorização do real diante ao dólar e a integração do agro ao mercado internacional.

O Antagonista
Cortes do Talks - Governo terá secretaria para atender prefeitos, diz Jair Bolsonaro

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 2:42


Jair Bolsonaro participa, nesta quarta-feira (19), de um episódio especial do Claudio Dantas Talks, o podcast de O Antagonista. O presidente da República contou, no início do programa. que esteve durante a tarde em reunião com cerca de 200 prefeitos. "O prefeito na ponta da linha é o que mais tem contato com eleitor. e no, nosso governo, os prefeitos passaram a ter uma popularidade muito grande", disse Bolsonaro, que elogiou, entre outros nomes, o prefeito de Montes Claros, cidade mineira que Bolsonaro visitou ontem (18). O presidente disse que vai criar uma nova secretaria, destinada a articular demandas de prefeitos ao poder Executivo federal. A pasta será subordinada à Secretaria de Governo do Palácio do Planalto. "Resolvemos criar agora uma secretaria dos prefeitos. Os prefeitos tem um local onde carreiam o seu interesse", completou. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Colunistas Eldorado Estadão
Moura Brasil: Pedófilo, não; sórdido, sim

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 19:03


Na edição desta quarta-feira, o jornalista Felipe Moura Brasil analisa o pedido de desculpa do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, por falas sobre meninas venezuelanas, e o comentário do candidato do PT ao Palácio do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sobre o mesmo assunto. O colunista discute os principais temas que rondam o noticiário político do País, de segunda a sexta, às 07h35, no Jornal Eldorado.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Liderança do ex-presidente Lula não está ameaçada"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 18, 2022 19:07


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 50% das intenções de voto no segundo turno na disputa pelo Planalto, aponta pesquisa Ipec (ex-Ibope) divulgada nesta segunda-feira, 17. O presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), aparece com 43%. De acordo com o levantamento, brancos e nulos representam 5%, e indecisos, 2%. Nos votos válidos, o petista tem 54%, e o presidente, 46%. "A liderança do ex-presidente Lula não está ameaçada - pelo contrário: se mantém e é resiliente durante toda campanha. Mas alguns segmentos mostram melhoria na avaliação do presidente Jair Bolsonaro. Ele melhorou sua posição entre os católicos, no nordeste, sudeste e no maior eleitorado do País - aquele com até um salário mínimo", analisa Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Assunto
Bolsonaro com Moro: qual é a jogada

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 18, 2022 24:28


Colocado para fora do governo em 2020 com requintes de humilhação, o ex-juiz falou o diabo do presidente - e vice-versa. Frustrado em seu projeto original de concorrer ao Palácio do Planalto, candidatou-se ao Senado pelo Paraná, e obteve sucesso justamente quando se associou de novo à imagem do ex-chefe. Este, por sua vez, levou-o a tiracolo ao debate de domingo para “encarnar a memória do antipetismo”, analisa Carlos Andreazza, âncora da rádio CBN, apresentador do podcast 2+1 e colunista do jornal O Globo. Em conversa com Renata Lo Prete, o jornalista diz que o time de futuros parlamentares ao qual Moro pertence consagrou o bolsonarismo e “anistiou criminosos da pandemia”. Como o “discurso da Lava Jato já não servia mais”, Moro topou representar a “radicalização no sentimento antipetista”. Bom negócio para Bolsonaro, avalia Andreazza, mas de ganho incerto para Moro. Se Lula vencer, o ex-ministro da Justiça ainda poderá tentar se cacifar como alternativa da direita para 2022, a despeito de sua pouca entrada com as forças políticas. Em caso de reeleição, Bolsonaro se afastará rapidamente de Moro, no qual nunca confiou - e vice-versa. “Ambos com razão”, completa Andreazza.

Eliane Cantanhêde responde
'É um erro crasso Bolsonaro ir para Recife na véspera da ida de Lula'

Eliane Cantanhêde responde

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022 18:56


O presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição pelo PL, esteve no Recife e afirmou que seu adversário na disputa pelo Palácio do Planalto vai “voltar para a cadeia”. Ontem, em Maceió, o candidato pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, discursou ao lado do senador Renan Calheiros (MDB-AL), do senador eleito Renan Filho (MDB-AL) e do governador afastado Paulo Dantas (MDB-AL), candidato à reeleição. Ao microfone, o ex-presidente elogiou Renan por sua atuação enquanto relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. "É um erro crasso Bolsonaro ir justamente para Recife na véspera da ida de Lula. O ex-presidente é sempre campeão de votos no Pernambuco; já está com 73% de votos no estado. E Bolsonaro foi somente ao Pernambuco enquanto Lula está surfando nas campanhas de candidatos que foram para o segundo turno em outros estados do Nordeste. Na semana que vem, o foco das duas campanhas é no Sudeste", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: 'É um erro crasso Bolsonaro ir para Recife na véspera da ida de Lula'

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022 18:56


O presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição pelo PL, esteve no Recife e afirmou que seu adversário na disputa pelo Palácio do Planalto vai “voltar para a cadeia”. Ontem, em Maceió, o candidato pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva, discursou ao lado do senador Renan Calheiros (MDB-AL), do senador eleito Renan Filho (MDB-AL) e do governador afastado Paulo Dantas (MDB-AL), candidato à reeleição. Ao microfone, o ex-presidente elogiou Renan por sua atuação enquanto relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. "É um erro crasso Bolsonaro ir justamente para Recife na véspera da ida de Lula. O ex-presidente é sempre campeão de votos no Pernambuco; já está com 73% de votos no estado. E Bolsonaro foi somente ao Pernambuco enquanto Lula está surfando nas campanhas de candidatos que foram para o segundo turno em outros estados do Nordeste. Na semana que vem, o foco das duas campanhas é no Sudeste", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Giro pelo Brasil: estados das cinco regiões vão eleger governador no 2° turno

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 29:27


Neste episódio do E Tem Mais, depois de abordar as disputas em São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul, Carol Nogueira apresenta um balanço das expectativas para o segundo turno das eleições que vão definir o governador de outros nove estados espalhados pelas cinco regiões do Brasil. Em Santa Catarina, no Espírito Santo, em Alagoas e no Amazonas, os embates refletem a polarização do cenário nacional, com duelos entre aliados do ex-presidente Lula (PT) contra candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Em Pernambuco e na Paraíba, o PSDB aposta na neutralidade na corrida ao Planalto para tentar reverter a vantagem de nomes que têm o apoio do presidenciável petista neste segundo turno. Em dois estados, Mato Grosso do Sul e Rondônia, a disputa é restrita a candidatos que apoiam a campanha de Bolsonaro à reeleição. E, em Sergipe, os nomes que se enfrentam no segundo turno se mobilizam para conquistar mais eleitores de Lula no estado, onde o petista teve mais de 60% dos votos no primeiro turno. Para traçar um panorama das eleições estaduais em todos esses lugares, participam deste episódio os repórteres da CNN Carol Queiroz, de Manaus, Valéria Santana, de Aracaju, e Divino Caetano, de Porto Velho, e o analista de política Leandro Resende. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

E Tem Mais
2º turno no RS: Onyx Lorenzoni e Eduardo Leite travam duelo pelo governo gaúcho

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 11, 2022 24:37


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço das expectativas para o segundo turno das eleições para governador no Rio Grande do Sul e os rumos da corrida eleitoral. No próximo dia 30, os gaúchos voltam às urnas para escolher quem vai comandar o governo do estado em uma disputa entre o ex-ministro Onyx Lorenzoni (PL), antigo aliado do presidente Jair Bolsonaro, e o ex-governador Eduardo Leite (PSDB), candidato eleito quatro anos atrás e que tenta retornar ao posto. Leite terá o desafio de reverter uma vantagem de 600 mil votos obtida pelo adversário no primeiro turno em um estado que é o quinto maior colégio eleitoral do país e onde Bolsonaro ficou com quase 49% dos votos da corrida presidencial em 2 de outubro. Para traçar um panorama sobre o cenário gaúcho e o peso do estado na disputa pelo Planalto, participam deste episódio o cientista político Augusto Oliveira, professor da PUCRS, e a repórter da CNN em Porto Alegre Bruna Ostermann. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Eldorado Expresso
Congresso controla 40% do Orçamento de 2023

Eldorado Expresso

Play Episode Listen Later Oct 11, 2022 13:50


O presidente que for eleito no dia 30 assumirá o cargo em janeiro de 2023 com um poder menor do que todos os ocupantes anteriores do Palácio do Planalto. Pela primeira vez, o chefe do Executivo iniciará o mandato sem controlar 40% dos recursos federais destinados a investimentos, que ficarão nas mãos do Congresso por meio de emendas parlamentares. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou deflação pelo terceiro mês consecutivo, mais uma vez puxado pelos combustíveis. Em setembro, a queda nos preços foi 0,29%, depois do recuo de 0,36% em agosto, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 11, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com isso, a inflação em 12 meses baixou dos 8,73% no acumulado até agosto para 7,17% agora. Ainda: o acirramento do conflito entre Rússia e Ucrânia com novos ataques de Moscou e o tricampeonato da brasileira Mayra Aguiar no judô. Ouça estas e outras notícias desta terça-feira, 11, no “Eldorado Expresso”.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Índices de avaliação de governo e rejeição mostram eficácia de campanha bolsonarista"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 11, 2022 23:56


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a disputa ao Palácio do Planalto com 51% das intenções de voto, ante 42% do presidente Jair Bolsonaro (PL), aponta nova pesquisa Ipec (ex-Ibope) para o segundo turno divulgada nesta segunda-feira, 10. De acordo com o levantamento, 5% dos entrevistados dizem que pretender votar em branco ou anular, e 2% não sabem ou não responderam. Em votos válidos, Lula aparece com 55%, ante 45% de Bolsonaro. "O ex-presidente Lula continua com uma vantagem confortável, com a qual atravessou a campanha inteira. É difícil o presidente Jair Bolsonaro compensar isso, porque são milhões de votos, mas há dois indicadores favoráveis a ele: avaliação de governo e rejeição. Isso mostra que a campanha de Bolsonaro está mais eficaz", diz Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Eliane Cantanhêde responde
"Índices de avaliação de governo e rejeição mostram eficácia de campanha bolsonarista"

Eliane Cantanhêde responde

Play Episode Listen Later Oct 11, 2022 23:56


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera a disputa ao Palácio do Planalto com 51% das intenções de voto, ante 42% do presidente Jair Bolsonaro (PL), aponta nova pesquisa Ipec (ex-Ibope) para o segundo turno divulgada nesta segunda-feira, 10. De acordo com o levantamento, 5% dos entrevistados dizem que pretender votar em branco ou anular, e 2% não sabem ou não responderam. Em votos válidos, Lula aparece com 55%, ante 45% de Bolsonaro. "O ex-presidente Lula continua com uma vantagem confortável, com a qual atravessou a campanha inteira. É difícil o presidente Jair Bolsonaro compensar isso, porque são milhões de votos, mas há dois indicadores favoráveis a ele: avaliação de governo e rejeição. Isso mostra que a campanha de Bolsonaro está mais eficaz", diz Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
“Se apoiar Lula, vai tomar decisão isolada”, diz Ibaneis, sobre Tebet

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 0:42


Após reforçar seu apoio a Jair Bolsonaro (PL) na corrida presidencial, o governador do DF Ibaneis Rocha (MDB) comentou, em entrevista coletiva, a aliança entre Simone Tebet (MDB) e Lula (PT) no segundo turno, que deve ser anunciada em breve. Segundo ele, se a senadora emedebista, que disputou o Planalto pelo partido, trabalhar pela reeleição do petista, será uma "decisão isolada".  "Ela nunca chegou a me ligar, nem durante o período da eleição. A Simone, como candidata e representante do MDB, não teve diálogo com os governadores. Agora, neste momento, vai tomar uma decisão, mais um vez, isolada se ela for apoiar o presidente Lula", disse Ibaneis, que foi reeleito no último domingo (2). O governador, que foi ao Palácio da Alvorada nesta manhã, também confirmou que a direção do MDB deve liberar os integrantes do partido para apoiarem quem quiserem no segundo turno do pleito. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Lula minimiza apoios a Bolsonaro: "Somatória é a mesma"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 0:52


Em coletiva há pouco ao lado de Carlos Lupi, presidente do PDT, Lula minimizou os apoios de governadores a Jair Bolsonaro no segundo turno da corrida ao Planalto. O petista afirmou que os anúncios feitos nesta semana já eram esperados. "A somatória do meu adversário é o mesmo do mesmo. Ele já está tendo apoio de quem já apoiou ele no primeiro turno. Todo mundo sabia que o governador do Rio era bolsonarista, todo mundo sabia que o Rodrigo era bolsonarista. Nós vamos juntar os diferentes para vencer os antagônicos." Além de Cláudio Castro (Rio) e Rodrigo Garcia (SP), os governadores Ratinho Júnior (PA), Ibaneis Rocha (DF) e Romeu Zema (MG) declararam que darão suporte à campanha de reeleição do presidente. Como mostramos, na coletiva, Lula também fez agradecimentos ao PDT por apoiá-lo no segundo turno e disse que o partido e Ciro Gomes "valem muito mais do que os votos que tiveram".  Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Bolsonaro deu uma demonstração de força muito grande"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 22:52


O presidente Jair Bolsonaro, candidato à reeleição pelo PL, dominou a agenda política ao encontrar os governadores dos três principais colégios eleitorais do País e receber manifestações públicas de apoio no segundo turno. Em eventos em série, o postulante a mais um mandado à frente do Palácio do Planalto reuniu Romeu Zema (Novo-MG), Cláudio Castro (PL-RJ) e Rodrigo Garcia (PSDB-SP), com pronunciamentos ao vivo em televisões e fotos para campanha. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), por sua vez, recebeu a adesão do PDT. Candidato derrotado em quatro disputas presidenciais, Ciro Gomes seguiu o partido e divulgou um vídeo para endossar o apoio, mas não citou o petista nominalmente. O Cidadania também anunciou voto em Lula. "Rodrigo Garcia foi o cavalo de Troia do DEM para implodir de vez o PSDB. Ele não se acertou com o diretório nacional ou estadual do partido e fez de sua própria cabeça um apoio a Bolsonaro e Tarcísio de Freitas. Foi um papelão. Isso mostra o fim melancólico do PSDB", opina Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Os apoios de Lula e Bolsonaro para o 2º turno

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 26:45


Passado o primeiro turno, os dois candidatos à presidência começam a negociar apoios e reunir figuras importantes em seus palanques de olho no eleitorado que ficou órfão após o último domingo. O candidato do PT, Lula, conseguiu trazer para o seu lado alguém que parecia impossível: Ciro Gomes. E ele não veio sozinho, seu partido, o PDT, também vai apoiar o petista. Ainda na onda de apoio, Lula contará com o Cidadania no seu palanque e, provavelmente, o da terceira colocada nas eleições presidenciais, Simone Tebet (MDB). Apesar de ainda não ter feito o anúncio oficialmente, a senadora deixou nas entrelinhas que deve seguir com o petista, no próximo dia 30. Jair Bolsonaro (PL), também reuniu importantes apoios para o segundo turno. Os governadores eleitos em Minas Gerais e Rio de Janeiro, Romeu Zema (Novo) e Cláudio Castro (PL), respectivamente, anunciaram que estarão com o atual presidente, após reunião no Palácio do Planalto. Mas não parou por aí, o governador de São Paulo, que saiu derrotado nas urnas, Rodrigo Garcia, disse que vai apoiar "incondicionalmente" Bolsonaro, e seu candidato no Estado, Tarcísio de Freitas (Republicanos) em encontro no aeroporto de Congonhas, na capital paulista. Afinal, o quanto esses apoios são revertidos em votos? Qual a importância de ter esses políticos no palanque? No Estadão Notícias de hoje, vamos analisar esse assunto com o cientista político da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Eduardo Grin. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte, Milena Félix. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Durma com essa
O vale-tudo religioso no segundo turno presidencial

Durma com essa

Play Episode Listen Later Oct 4, 2022 17:32


Integrante da campanha de Lula, o deputado federal André Janones, do Avante, usou nesta terça-feira (4) um vídeo antigo de Jair Bolsonaro para associá-lo ao satanismo e questionar sua religiosidade. Já apoiadores do presidente, candidato à reeleição pelo PL, reavivaram montagens que tentam ligar o candidato do PT ao diabo. O Durma com Essa mostra como a disputa do segundo turno da eleição ao Planalto, com votação marcada para 30 de outubro, começa explorando temas infernais. O episódio também tem a redatora Mariana Vick comentando a diversidade no Congresso eleito no domingo (2), e a colunista Vera Monteiro falando sobre a segurança jurídica para gestão pública.

O Assunto
O resultado do 1° turno das eleições

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 39:10


Na madrugada desta 2ª feira, uma vez encerrada a maratona da apuração na Globo, Renata Lo Prete foi ao estúdio do g1 no Rio de Janeiro e de lá conversou com o jornalista Thomas Traumann, pesquisador da Fundação Getúlio Vargas sobre os resultados eleitorais de domingo, com foco na disputa pelo Palácio do Planalto. Para Thomas, o desempenho de Lula (48,43%) e de Bolsonaro (43,20%) retrata um “antibolsonarismo muito forte, mas um antipetismo também”. A dupla comenta as principais surpresas das urnas, caso da disputa pelo governo de São Paulo – onde Tarcísio de Freitas chegou à frente de Fernando Haddad, contrariando o que indicavam as pesquisas. Agora, afirma o jornalista, os institutos vão precisar “investigar o bolsonarismo escondido” que não foi captado nos últimos meses – e que teve resultados expressivos também na eleição de aliados do presidente na Câmara e no Senado. Na disputa do segundo turno, Bolsonaro larga com “o vento a favor” e com a possibilidade de confirmar o apoio dos governadores reeleitos Romeu Zema (Minas Gerais) e Cláudio Castro (Rio de Janeiro), dois importantes colégios eleitorais. “Se isso acontecer, vamos ter uma eleição muito mais apertada do que temos hoje”. Para Lula, avalia Thomas, além de fechar a presença de Simone Tebet e Ciro Gomes em seu palanque, será necessário “negociar parte da sua proposta econômica” para derrotar o incumbente no dia 30 de outubro. Considerado o desempenho expressivo de seu campo político, Bolsonaro terá que vencer uma diferença de mais de 6 milhões de votos para conseguir uma virada inédita. “Lula segue favorito”, conclui Traumann.

E Tem Mais
Eleições terão 2º turno: Lula e Bolsonaro se enfrentam em 30 de outubro

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 19:50


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço do primeiro turno das eleições de 2022 e das perspectivas para as próximas semanas de campanha até a rodada definitiva de votação em 30 de outubro. Na corrida presidencial, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) se enfrentarão no segundo turno. O atual presidente terá o desafio de reverter a vantagem obtida pelo petista em 2 de outubro, algo inédito na história das disputas pelo Planalto em dois turnos, mas a diferença acabou sendo menor do que apontavam as pesquisas eleitorais. O primeiro turno também definiu a reeleição dos governadores em 12 estados, incluindo Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, Pará e Amazonas. Outros 12 estados terão segundo turno, em uma lista da qual fazem parte São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco e Ceará. No Congresso, o PL terá a maior bancada na Câmara dos Deputados e no Senado. Para traçar um panorama dos resultados do primeiro turno das eleições, este episódio reúne os principais momentos da apuração de votos de 2 de outubro e as primeiras indicações sobre o que podemos esperar da campanha para o segundo turno. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Este foi o debate presidencial mais tenso desde 1989"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 21:17


Os candidatos à Presidência da República deixaram em segundo plano as propostas de governo e deram mais atenção às ofensas mútuas e aos embates agressivos no último debate antes da votação em primeiro turno. O encontro promovido pela TV Globo, que avançou pela madrugada desta sexta e reuniu sete postulantes, foi uma oportunidade para embates diretos entre os dois candidatos que lideram a disputa pelo Planalto. "Este foi o debate mais tenso desde 1989. Ontem começou diferente; Bolsonaro já partiu para cima. A segunda diferença é que usualmente todos os candidatos se unem contra quem disputa a reeleição e não foi assim: o alvo foi o ex-presidente Lula, pois é o favorito. Simone Tebet e Ciro Gomes foram os únicos que apresentaram propostas, os outros ficaram nas pegadinhas e 'pancadaria'. Lula foi muito pressionado por causa da corrupção e Bolsonaro, curiosamente, não aproveitou sua pergunta para ir ao embate com ele. Do ponto de vista de conteúdo e forma, ninguém ganhou tanto e ninguém perdeu tanto", opina Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Reta final das eleições: campanhas definem últimos passos antes do 1º turno

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 30:42


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço das expectativas das campanhas de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) para as últimas horas antes da votação do primeiro turno das eleições presidenciais de 2022. Ao longo das últimas semanas, apesar de oscilações, os números das intenções de voto registrados por diferentes institutos reforçaram a tendência de uma disputa polarizada, com Lula à frente, e Jair Bolsonaro em segundo lugar na corrida pelo Planalto, de acordo com as pesquisas eleitorais. Na reta final da campanha, o candidato petista espera conquistar um número de votos suficientes para definir as eleições já no primeiro turno, em 2 de outubro. Já o atual presidente, e candidato à reeleição, busca reduzir a vantagem do adversário e prolongar a disputa até 30 de outubro, data prevista para o segundo turno, se necessário. Para descrever o clima e os bastidores da disputa pela Presidência, participam deste episódio os repórteres da CNN Tainá Falcão, que acompanhou as movimentações de Lula ao longo das últimas semanas, e Leandro Magalhães, que fez a cobertura jornalística da trajetória de Jair Bolsonaro neste período. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Durma com essa
Da sala da urna à sede do TSE: qual é o caminho do voto

Durma com essa

Play Episode Listen Later Sep 29, 2022 20:00


Valdemar Costa Neto visitou a sala de totalização dos votos das eleições de 2022 nesta quarta-feira (28) no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O presidente do PL disse que não há “sala secreta” de apuração, como costuma afirmar Jair Bolsonaro, candidato à reeleição ao Planalto pelo partido. O ministro Alexandre de Moraes, que comanda a corte, estava junto na visita. O Durma com Essa explica como acontece o processo de contagem dos votos, do momento em que o eleitor digita os números nas urnas até a contabilização final do resultado. O episódio também conta com a participação do editor-chefe Conrado Corsalette, que fala sobre o décimo e último episódio da minissérie “Uma crise chamada Brasil”, do podcast Politiquês, e da estagiária da redação Mariana Marques, que dá recomendações de consumo consciente pensando na Amazônia. Leia o texto dela na editoria Ponto Futuro.

O Antagonista
Cortes do Papo - Gilberto Kassab admite possível conversa com Lula se houver 2º turno

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 3:48


O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, afirmou, em entrevista publicada nesta terça-feira (27), que, caso haja um segundo turno presidencial, negociar um possível apoio a Lula (PT) será uma "prioridade". Como anunciado em julho, o partido está neutro na disputa pelo Planalto, pelo menos durante o primeiro turno. Ele deu as declarações desta terça a O Estado de S. Paulo. "Não vou falar isso antes de discutir internamente, mas posso dizer que é uma prioridade importante", disse ao ser questionado sobre a possibilidade de, nas palavras do Estadão, "entrar na mesa de conversas para um apoio no segundo turno ao Lula". Kassab também afirmou que outra prioridade do PSD será a reeleição de Rodrigo Pacheco, do próprio partido, à presidência do Senado em 2023. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Instituto Paraná, 1º turno: Lula 42,7% x Bolsonaro 36,4%

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 3:58


Levantamento do Instituto Paraná divulgado hoje sobre a corrida ao Planalto mostra Lula (PT) na liderança, com 42,7% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Jair Bolsonaro (PL) aparece na sequência, com 36,4%. Ciro Gomes (PDT) tem 5,6%, e Simone Tebet (PDT), 5%. Os demais candidatos aparecem com menos de 1%. Brancos e nulos somam 4,6%, assim como os que não sabem/não responderam. Na rodada anterior, publicada na semana passada, Lula tinha 40,1%, e Bolsonaro, 36,4%. Ou seja, o petista cresceu 2,6 pontos percentuais, enquanto o presidente se manteve estável. Ciro tinha 7,2%, e Tebet, 4,6%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Na espontânea, Lula tem 35%, Bolsonaro, 31,2%, Ciro, 3%, e Tebet, 2,2%. Os que não sabem/não responderam totalizam 22,4%, e os brancos e nulos, 5,7%. Foram ouvidos 2.020 eleitores entre os dias 22 e 26 de setembro. O levantamento está registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR-03928/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Ipec: Bolsonaro foi o único presidenciável que teve alta na rejeição durante campanha

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 2:49


Jair Bolsonaro (PL) foi o único candidato ao Planalto que viu sua taxa de rejeição crescer nas pesquisas Ipec além da margem de erro, de dois pontos percentuais. Como mostramos, o índice do atual presidente da República está em 51%, de acordo com a sondagem divulgada ontem. Na metade de agosto, eram 46%. Lula (PT) era rejeitado por 33% do eleitorado, taxa que agora é de 35%. A variação está no limite da margem de erro. A rejeição a Ciro Gomes (PDT) passou de 18% para 14%, enquanto a de Simone Tebet (MDB) permaneceu em 6% no período. Como mostramos, no levantamento geral, Lula aparece com 48% das intenções de voto, contra 31% de Bolsonaro. Ciro oscilou um ponto para baixo e agora tem 6%; Tebet manteve seus 5%. Soraya Thronicke (União Brasil) e Luiz Felipe D'Avila (Novo) aparecem com 1%; os demais candidatos não pontuaram. O instituto entrevistou 3.008 pessoas em 183 municípios brasileiros entre o sábado (24) e esta segunda (26). A pesquisa está registrada no TSE como BR‐01640/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane analisa dados da pesquisa Genial/Quaest

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 21:07


A quatro dias do primeiro turno da eleição presidencial, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) oscilou dois pontos para cima e abriu 13 de vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) na disputa pelo Palácio do Planalto, mostra pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira, 28. O petista aparece com 46% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro oscilou um ponto para baixo em comparação com o levantamento da semana anterior e agora tem 33%. "Quase metade do eleitorado do País está no Sudeste e o ex-presidente Lula tem vantagem no Rio de Janeiro de seis pontos; é bastante coisa para este estado, onde Bolsonaro 'nadou de braçada' em 2018 e onde está a base do presidente. Em São Paulo, são 11 pontos de vantagem - isso, na reta final, não é desprezível. Pela primeira vez, Simone Tebet passou, numericamente, Ciro Gomes neste estado. Em Minas, a diferença é de 18 pontos entre Bolsonaro e Lula - e, em todas as eleições, quem ganhou neste estado, ganhou a Presidência da República", analisa Cantanhêde.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Claudio Dantas Talks #03 - Felipe D'Avila

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 26, 2022 60:24


Felipe D'Avila, candidato do NOVO à Presidência da República, é o convidado desta segunda-feira (26) do Claudio Dantas Talks, o podcast de O Antagonista que tem feito sabatinas com os candidatos ao Palácio do Planalto. Na conversa com  Claudio Dantas, o presidenciável participa de um papo franco sobre suas propostas para a política e a economia do país, a seis dias de um  primeiro turno polarizado entre Lula e Jair Bolsonaro. Antes, as sabatinas foram com Soraya Thronicke no episódio de estreia e Ciro Gomes. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista  

Durma com essa
Debandada e racha: a 4ª campanha de Ciro Gomes ao Planalto

Durma com essa

Play Episode Listen Later Sep 26, 2022 20:54


O candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) leu um manifesto nesta segunda-feira (26) no qual anunciou que se mantém na disputa pelo Planalto , mesmo diante da mobilização pelo “voto útil” em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para derrotar o presidente Jair Bolsonaro (PL) já no dia 2 de outubro. O pedetista enfrenta dissidências de apoiadores que temem que mais quatro semanas de campanha tragam novos episódios de violência bolsonarista e possibilidades de ruptura institucional. O Durma com Essa fala sobre a estratégia de Ciro na eleição de 2022 e de seus impactos. O episódio também tem a participação de Fabíola Brigante Del Porto, pesquisadora da Unicamp, que fala sobre a relação da opinião pública com a democracia, e do redator Cesar Gaglioni, que traz iniciativas de cientistas para descobrir vida inteligente fora da Terra. A ciência é um tema-chave da Ponto Futuro, editoria do Nexo dedicada a refletir sobre os próximos anos.Materiais de referência:Ensaio: O que está em jogo nas eleições: opinião pública, por Fabíola Brigante Del PortoLink: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/2022/09/25/O-que-est%C3%A1-em-jogo-nas-elei%C3%A7%C3%B5es-2022-opini%C3%A3o-p%C3%BAblicaExpresso: O cientista em busca de vida inteligente fora da Terra, por Cesar GaglioniLink: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/25/Os-cientistas-em-busca-de-vida-inteligente-fora-da-TerraConfira outros textos sobre Ciência na Ponto FuturoLink: https://www.nexojornal.com.br/pontofuturo/

O Assunto
Para entender a sucessão no Ceará

O Assunto

Play Episode Listen Later Sep 26, 2022 23:50


Liderada desde a pré-campanha por Capitão Wagner (União Brasil), a disputa pelo governo agora embolou: com 29% na mais recente pesquisa Ipec, o deputado federal e ex-PM está tecnicamente empatado com o deputado estadual Elmano de Freitas (PT), que obtém 30%. Em seguida, com 22%, aparece o ex-prefeito de Fortaleza Roberto Claudio (PDT). A presença simultânea de Freitas e Claudio na pista marca o fim da longa aliança entre o clã Ferreira Gomes e o PT no Estado. Para entender esse quadro, Renata Lo Prete conversa com o jornalista Inácio Aguiar, da TV Verdes Mares, afiliada da Globo. Ele explica os motivos que levaram Ciro, candidato a presidente, a bancar internamente a opção pelo ex-prefeito. E também a saia-justa criada para seu irmão Cid: o ex-governador, hoje no Senado, tenta se apresentar como “bombeiro” na relação com os petistas. E já indicou que apoiará Elmano se Claudio não chegar ao segundo turno. Na avaliação de Aguiar, os três nomes “são competitivos”, e o desfecho da eleição, “imprevisível”. Com Lula forte no Estado, e o ex-governador Camilo Santana (PT) favorito para a vaga disponível de senador, Ciro está sob risco de colher este ano, em sua base, o pior resultado de todas as suas tentativas de chegar ao Palácio do Planalto.

O Antagonista
Cortes do Talks - Ciro diz que se arrepende de ter defendido Lula contra Collor

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 22, 2022 2:28


Ciro Gomes falou há pouco, em entrevista ao Claudio Dantas Talks, podcast de O Antagonista, sobre a disputa judicial envolvendo um apartamento em Fortaleza em seu nome. Como mostramos, recentemente, o ex-senador Eunício Oliveira (MDB-CE) entrou na Justiça com um pedido de imissão do imóvel, avaliado em mais de mais de R$ 500 mil reais, que foi a leilão em 2021 para pagar uma indenização por danos morais movida pelo senador Fernando Collor (PTB-AL) contra o candidato do PDT ao Planalto por tê-lo chamado de “playboy safado” e “cheirador de cocaína”. Ao comentar o episódio, Ciro disse que se arrepende de ter defendido Lula de acusações feitas por Collor. "Eu comprei um apartamento que foi financiado pela Caixa. Ele está na minha declaração de bens como meu, [...] mas é alienado à Caixa. É um imóvel financiado, então eu estou devendo esse apartamento. [...] Basicamente, perderam o prazo de recurso. E é por isso que eu me odeio: eu não falei contra o Color, eu falei defendendo o Lula por aquilo que o Collor falou sobre o Lula ter promovido um aborto na ex-mulher. [...] Essa gente não presta. Por causa disso, o Collor me processou, e eu, perdendo o prazo, fui condenado a pagar, vamos dizer, 25 mil reais e isso virou essa bola de neve de juros e correção monetária  e acabaram penhorando essa apartamento que eu estava pagando para dar para um filho", disse o candidato do PDT ao Planalto. "Aí o que acontece: o Eunício Oliveira, o novo rico, o bandidaço, que o Lula deu um bilhão de reais de contrato, sem licitação da Petrobras, o nome da empresa é Manchester, [...] foi lá para me humilhar e disse que comprou o título executivo do Collor só para dizer que tomou o meu apartamento e que vai fazer o despejo", acrescentou. Ciro também afirmou que mora em outro apartamento e que o imóvel envolvido na ação foi alugado antes da decisão judicial. O candidato do PDT voltou a chamar Eunício de "mentiroso".  Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Talks - "Quem fundou e ressuscitou o bolsonarismo foi Lula", diz Ciro Gomes

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 22, 2022 1:18


Em entrevista ao Claudio Dantas Talks, podcast de O Antagonista, Ciro Gomes (foto) afirmou há pouco que Lula foi responsável por fundar e ressuscitar o bolsonarismo. O candidato do PDT ao Planalto disse que, para melhorar sua popularidade e se salvar, Jair Bolsonaro criou o auxílio emergencial com ajuda do PT. "É indisfarçável que o Bolsonaro, para se salvar, [...] inventou a emenda de emergência para fazer o socorro de 600 reais e o PT deixou a oposição pendurada na brocha e foi lá toda a favor. Para quem acha pouco, a emenda de relator, que é uma escandalosa regularização a nível constitucional do mensalão, criado e praticado pelo lulopetismo, sabe quem deu o voto definitivo em favor da emenda de relator e de toda a esculhambação? O senador do Sergipe que faz o serviço de Lula no Senado", afirmou Ciro, se referindo ao petista Rogério Carvalho. "Evidentemente, o Bolsonaro ajuda, porque é um bruto, um grosseiro, um fascista, etc, mas quem fundou o bolsonarismo e o ressuscitou, para servir de espantalho e não deixar que o Brasil se liberte disso se chama Luís Inácio Lula da Silva", acrescentou o presidenciável. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Ciro Gomes: "Se você deixar, o PT bate sua carteira"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 20, 2022 2:17


Ciro Gomes (à esquerda na foto) voltou a criticar o PT nessa segunda-feira (19). Em entrevista ao Programa do Ratinho, exibido no SBT, o candidato do PDT ao Planalto disse que "até os termos de esquerda foram roubados" pelo Partido dos Trabalhadores. "Aliás, se você deixar, o PT bate sua carteira. Tem umas exceções? Tem", prosseguiu Ciro. O pedetista também disse, mais uma vez, que Lula "está prometendo picanha e cerveja para o povo e mentindo". "O povo brasileiro, indignado com o mais devastador escândalo de corrupção e com a mais grave crise econômica da nossa história, elegeu Bolsonaro. Será que é razoável agora, decepcionado com Bolsonaro, votar no Lula, um dos maiores responsáveis por essa tragédia? Precisamos desarmar essa bomba!", acrescentou Ciro. Questionado sobre seu posicionamento político, o pedetista definiu seu projeto como de "centro-esquerda". Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Durma com essa
A frente de apoio a Lula para derrotar Bolsonaro no 1º turno

Durma com essa

Play Episode Listen Later Sep 19, 2022 18:58


Oito ex-candidatos à Presidência se reuniram em São Paulo nesta segunda-feira (19) em um evento em apoio a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva na corrida pelo Planalto. Presidente do Banco Central no governo do petista e ministro da Economia de Michel Temer, Henrique Meirelles (União Brasil) foi um dos que ficaram ao lado do ex-presidente, em detrimento da candidata de seu partido, Soraya Thronicke. O Durma com Essa fala sobre o arco de alianças do petista e como a campanha aposta no voto útil para derrotar o presidente Jair Bolsonaro já no primeiro turno. O episódio também tem a participação de Leonardo Barros Soares, professor da Universidade Federal de Viçosa, que fala sobre o que está em jogo para o meio ambiente nas eleições, e do redator Cesar Gaglioni, que explica como a fusão nuclear pode virar uma fonte de energia limpa. A ciência é um tema-chave da Ponto Futuro, editoria do Nexo dedicada a refletir sobre os próximos anos.Materiais de referência:Ensaio: O que está em jogo nas eleições: meio ambiente, por Leonardo Barros SoaresLink: https://www.nexojornal.com.br/ensaio/2022/O-que-est%C3%A1-em-jogo-nas-elei%C3%A7%C3%B5es-2022-meio-ambiente?position-home-esquerda=1Expresso: O que falta para tornar a fusão nuclear uma fonte de energia, por Cesar GaglioniLink: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/17/O-que-falta-para-tornar-a-fus%C3%A3o-nuclear-uma-fonte-de-energiaConfira outros textos sobre Ciência na Ponto FuturoLink: https://www.nexojornal.com.br/pontofuturo/

Durma com essa
Extratos da semana do medo na política

Durma com essa

Play Episode Listen Later Sep 16, 2022 8:42


Os episódios e relatos de intimidação ligados à disputa eleitoral. O levantamento que mostra que a maioria da população teme sofrer agressões por sua opinião política. O cenário cristalizado das intenções de voto ao Palácio do Planalto. A posse de Rosa Weber na presidência do STF. E mais Acesse a Gama Revista e leia a nova edição da Semana a partir de domingo: https://gamarevista.com.br/ Links para as matérias citadas: A misoginia aflorada do bolsonarismo na campanha de 2022https://www.nexojornal.com.br/podcast/2022/09/14/A-misoginia-aflorada-do-bolsonarismo-na-campanha-de-2022Por que contrapor pesquisa ao ‘Datapovo' não faz sentidohttps://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/14/Por-que-contrapor-pesquisa-ao-%E2%80%98Datapovo%E2%80%99-n%C3%A3o-faz-sentidoComo o medo permeia a democracia no Brasil, segundo este estudohttps://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/15/Como-o-medo-permeia-a-democracia-no-Brasil-segundo-este-estudoComo Ciro e Tebet fazem campanha numa eleição cristalizadahttps://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/13/Como-Ciro-e-Tebet-fazem-campanha-numa-elei%C3%A7%C3%A3o-cristalizadaFé no voto: a ação dos líderes evangélicos e a realidade dos fiéishttps://www.nexojornal.com.br/podcast/2022/09/14/F%C3%A9-no-voto-a-a%C3%A7%C3%A3o-dos-l%C3%ADderes-evang%C3%A9licos-e-a-realidade-dos-fi%C3%A9isRosa Weber assume presidência do Supremo Tribunal Federalhttps://www.nexojornal.com.br/extra/2022/09/12/Rosa-Weber-assume-presid%C3%AAncia-do-Supremo-Tribunal-Federal