Podcasts about fernando haddad pt

  • 38PODCASTS
  • 132EPISODES
  • 30mAVG DURATION
  • 5WEEKLY NEW EPISODES
  • Jan 24, 2023LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022


Best podcasts about fernando haddad pt

Latest podcast episodes about fernando haddad pt

Abertura de Mercado
Lula cria novo ruído com volta do BNDES a posto de financiador de países vizinhos

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 24, 2023 19:49


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quer colocar o pobre brasileiro e os amigos estrangeiros no Orçamento federal.Depois de esclarecer a confusão -- ou tentar -- sobre uma suposta moeda comum, o presidente arranjou um novo ruído para colocar no lugar: a volta do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) como indutor do crescimento em outros países.Da Argentina em sua primeira viagem internacional do terceiro mandato, e acreditando no ditado que diz que "brasileiro tem memória curta", Lula refaz a aposta na engenharia brasileira executada nos países vizinhos como fonte de crescimento da nossa economia.O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), continua no esforço de ser uma tecla "SAP" do que diz o presidente. O ex-prefeito de São Paulo legitimou o debate sobre um ajuste da meta de inflação com "tranquilidade", e, sobre as medidas anunciadas em Buenos Aires, Haddad garantiu que "dessa vez vai ser diferente", já que os bancos públicos vão financiar os importadores argentinos e obras no exterior com garantias reais de um país em crise aguda,Não demora, e a equipe econômica vai precisar de uma secretaria do garantir -- alguém que arrume dinheiro o suficiente para resolver os problemas do Brasil e dos parceiros externos eleitos por Lula.No episódio desta terça-feira (24), o CNN Money traz ainda um levantamento da analista de economia Raquel Landim, que mostra que o Brasil ainda tem alguns bilhões de reais a receber de operações do BNDES feitas com países latinos durante os mandatos petistas, e a desancoragem das expectativas para o IPCA-15, divulgado ainda nesta manhã.Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Política econômica de Lula se mostra mais afinada; nos EUA, recessão bate à porta

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 18, 2023 19:30


A condução da política econômica do novo governo segue na base do discurso. Ainda assim, há duas mudanças sutis com forte efeito. A primeira delas reside no fato de que apenas o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), e a ministra do Planejamento, Simone Tebet (MDB), têm falado sobre economia -- alinhados e, ao mesmo tempo, cada um no seu quadrado. O segundo é que o rumo da prosa está na direção correta, e com força o suficiente para mostrar uma intenção real de reverter a fragilidade das contas públicas. Esses dois fatores confirmam que funcionou a bronca do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aos ministros que pregam mais radicalismo, e Haddad conseguiu apaziguar, ao menos por enquanto, as expectativas sobre seu trabalho. Mas a política não dorme, e nem sua agenda. Esta quarta-feira (18) será marcada pela tentativa de emplacar uma mudança no valor do salário mínimo e na política de reajustes do piso. Lula encontra as centrais sindicais em Brasília e vai ouvir delas uma longa defesa pelo aumento do valor dos atuais R$ 1.302, que cabem nas contas públicas. No episódio desta quarta, o CNN Money mostra os argumentos dos sindicatos e os riscos que a sedução populista impõe -- não só à gestão pública, mas ao crescimento econômico caso a adoção de uma política de reajuste do salário mínimo promova aumentos acima da produtividade brasileira. Nos Estados Unidos, os balanços trimestrais de grandes bancos mostram que a redução da atividade econômica por lá já é uma realidade, dando sinais de que uma recessão se aproxima. Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Crise da Americanas se agrava; reajuste do salário mínimo volta ao debate

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 17, 2023 22:21


O desfecho da crise da Americanas parece estar muito longe de acontecer, à medida que mais peças deste quebra-cabeça desencontrado parecem surgir de todos os lados, todos os dias.  Os bancos estão na linha de frente dessa briga, tentando derrubar a liminar que protege a gigante varejista de credores por 30 dias. O BTG Pactual foi o primeiro a tomar uma ação na Justiça e teve seu pedido negado, enquanto outras instituições, expostas ao risco da Americanas, se perguntam qual será, afinal, o tamanho dessa fatura, ainda mais ao considerar a possibilidade de recuperação judicial. Na última segunda-feira (16), a agência classificadora de risco S&P Global rebaixou a nota da Amerianas para "D", de "Default" (calote, em inglês), e outras, como a Fitch Ratings e a Moody's, também devem seguir o mesmo caminho. Diante das turbulências do dia, as ações da varejista despencaram 38% na segunda, cotadas a R$ 1,94. No pregão anterior ao anúncio sobre os problemas fiscais, na última quarta-feira (11), os papéis da Americanas valiam R$ 12. Do lado político, o episódio desta terça-feira (17) do CNN Money ainda se debruça sobre a batalha pelo aumento do salário mínimo, que voltou a ganhar espaço com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), na Suíça para o Fórum Econômico Mundial. As centrais sindicais ressuscitaram o aumento do mínimo a R$ 1.342, que pedem desde o ano passado, ao passo que a ala política do governo quer emplacar ao menos R$ 1.320. O custo fiscal desse aumento varia de R$ 7 bilhões a R$ 17 bilhões, provando uma contradição dos programas sociais do país: o valor é baixo para quem recebe e alto para quem paga.  Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Plano "improvável" de Haddad agrada mercado; Americanas vive ressaca após "terremoto"

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 13, 2023 21:50


O anúncio de medidas econômicas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), ocupou um espaço na agenda do novo governo para falar do país, e não da gestão da crise política instalada depois dos ataques aos Três Poderes no último domingo (8). A iniciativa foi bem recebida, como uma atuação pragmática da equipe econômica. O plano de Haddad agradou, mesmo que não tenha surpreendido pelo peso maior na arrecadação de receitas, e não na redução de despesas: a possibilidade de acabar com o rombo de mais de R$ 230 bilhões esse ano conta com apenas R$ 50 bilhões na ponta de corte de gastos. O sucesso das medidas é possível, porém improvável, como o próprio ministro admitiu. Ele já vai se dar por satisfeito se terminar o ano entregando um déficit abaixo de 1% do PIB - o que é bem factível, segundo analistas. Como o diabo mora nos detalhes, há muita incerteza sobre o alcance das medidas. A seta do roteiro apresentado por Haddad aponta para o lado correto, na visão de muita gente que inclusive já esteve em uma equipe econômica. Chegar no destino, porém, é outra história. Sem resistir ao apelo que sua fala produz, Haddad também deu mais uma cutucada com vara curta no Banco Central (BC) em seu discurso na última quinta-feira (12). No episódio desta sexta-feira (13), o CNN Money se debruça sobre alguns dos detalhes do plano de Haddad e traz uma primeira leitura de analistas sobre o pacote anunciado, além da repercussão do "terremoto Americanas", que causou efeitos não só no mercado, mas na confiança sobre a governança de varejistas brasileiras. Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Contenção de novas ameaças em Brasília leva mercado ao 6º dia seguido de altas

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 12, 2023 18:35


Quatro dias após os ataques aos Três Poderes que chocaram o país, a resposta de Brasília à provocação de grupos bolsonaristas diante de ameaças de novos atos criminosos foi mais rápida e contundente. Com a percepção de que o risco de uma nova rodada de vandalismo antidemocrático está contido, o mercado financeiro engatou no sexto dia de viés positivo, com bolsa em alta e dólar e juros em queda. Líderes na fila de compras, os investidores estrangeiros ainda não voltaram com o mesmo apetite do ano passado, mas já é o suficiente para a condução dos negócios para o azul. Mas nem tudo são flores nos jardins da Faria Lima: nesta quinta-feira (12), o mercado terá que lidar com a surpresa da saída-relâmpago de Sergio Rial, presidente da Americanas, depois da descoberta de um rombo de R$ 20 bilhões no balanço da empresa, uma das maiores varejistas do país. Além disso, o episódio desta quinta do CNN Money ainda traz um levantamento exclusivo da corretora Avenue, que mostra que milhares de brasileiros acham que a grama do mercado internacional é bem mais verde que a da Faria Lima. Segundo os dados divulgados, a abertura de contas no exterior está três vezes acima do período pré-eleição. O dia ainda guarda o que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), deve anunciar como o primeiro pacote econômico do governo Lula, e as expectativas para o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, que começa na próxima semana e promete assentar mais um capítulo da discussão sobre o que vai ser da economia global no pós-pandemia. Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Primeiros dias do governo Lula escancaram falta de coordenação entre ministros

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 4, 2023 24:03


Os primeiros dias do novo governo oferecem um festival de declarações de ministros. De revisão da Reforma da Previdência ao patamar dos juros do consignado, os escolhidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se posicionam sem considerar as consequências. Até a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, discursou em uma posse de ministro, prometendo rever a Reforma Trabalhista. O mercado corrige os preços, porque muito do risco percebido até a posse não era considerado real. Na visão dos operadores, a falta de coordenação entre os ministros não parece uma boa estratégia para engatar um novo governo, e o resultado é a geração de ainda mais instabilidade no cenário econômico. O poder de Fernando Haddad (PT) se dilui por fogo-amigo e por ele mesmo. Na última terça-feira (3), ele qualificou a taxa de juros como uma "anomalia fora de propósito", e, embora sua fala tenha sentido ao olhar o patamar da Selic a 13,75% a.a., descumpriu uma regra básica: ministro da Fazenda não fala de juros. Na sequência, seu número 2, Gabriel Galípolo, disse que não dá para ter controle de gastos com gatilho pela dívida pública. Tem muito economista que concorda -- ainda mais porque o debate sobre a política fiscal não é simplista --, mas Galípolo quebrou outra regra do cargo: não gastar palavra com o que não vai fazer, porque sugere a ausência de decisão sobre o que fazer. Não são regras escritas e tabuladas em cláusula pétrea, mas orientações que prezam pelo bom-senso e pela promoção de previsibilidade, coesão e, mais do que tudo, clareza sobre os rumos do governo. Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

CNN Brasil Business
Primeiros dias do governo Lula escancaram falta de coordenação entre ministros

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Jan 4, 2023 24:03


Os primeiros dias do novo governo oferecem um festival de declarações de ministros. De revisão da Reforma da Previdência ao patamar dos juros do consignado, os escolhidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se posicionam sem considerar as consequências. Até a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, discursou em uma posse de ministro, prometendo rever a Reforma Trabalhista. O mercado corrige os preços, porque muito do risco percebido até a posse não era considerado real. Na visão dos operadores, a falta de coordenação entre os ministros não parece uma boa estratégia para engatar um novo governo, e o resultado é a geração de ainda mais instabilidade no cenário econômico. O poder de Fernando Haddad (PT) se dilui por fogo-amigo e por ele mesmo. Na última terça-feira (3), ele qualificou a taxa de juros como uma "anomalia fora de propósito", e, embora sua fala tenha sentido ao olhar o patamar da Selic a 13,75% a.a., descumpriu uma regra básica: ministro da Fazenda não fala de juros. Na sequência, seu número 2, Gabriel Galípolo, disse que não dá para ter controle de gastos com gatilho pela dívida pública. Tem muito economista que concorda -- ainda mais porque o debate sobre a política fiscal não é simplista --, mas Galípolo quebrou outra regra do cargo: não gastar palavra com o que não vai fazer, porque sugere a ausência de decisão sobre o que fazer. Não são regras escritas e tabuladas em cláusula pétrea, mas orientações que prezam pelo bom-senso e pela promoção de previsibilidade, coesão e, mais do que tudo, clareza sobre os rumos do governo. Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

CNN Brasil Business
Haddad diz ser "patinho feio da Esplanada" e reforça temores de submissão a Lula

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Jan 3, 2023 26:20


Logo no primeiro dia como ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT) apresentou a descrição no seu novo crachá: "patinho feio da Esplanada".Em uma fala de improviso no discurso de posse, por ato falho ou por graça, o ex-prefeito de São Paulo confirmou o que se temia sobre sua posição de isolamento e submissão ao comando político do governo.A reação do mercado veio forte, e a queda de mais de 3% do Ibovespa foi também uma correção sobre tudo que aconteceu desde a última sexta-feira (30), quando não houve pregão devido ao período de recesso de final de ano. Quem reclama da reação da Faria Lima argumenta que nunca foi segredo de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria o "super-ministro" de seu próprio governo.A surpresa está na pressa com que a ala petista assumiu a tomada de decisões, e o esforço de moderação de Haddad foi contido (ou está sendo) antes que ele convencesse a todos de que ela existe.Na conta da derrocada da Bolsa, ainda teve o tombo de 6,45% da Petrobras e a piora nas expectativas para a inflação de 2023, o que pode afetar a credibilidade do Banco Central (BC).No episódio desta terça-feira (3), o CNN Money ainda traz um levantamento exclusivo sobre a derrota do governo na prorrogação da desoneração dos combustíveis, que vai custar R$ 25 bilhões aos cofres públicos.Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Haddad diz ser "patinho feio da Esplanada" e reforça temores de submissão a Lula

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Jan 3, 2023 26:20


Logo no primeiro dia como ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT) apresentou a descrição no seu novo crachá: "patinho feio da Esplanada".Em uma fala de improviso no discurso de posse, por ato falho ou por graça, o ex-prefeito de São Paulo confirmou o que se temia sobre sua posição de isolamento e submissão ao comando político do governo.A reação do mercado veio forte, e a queda de mais de 3% do Ibovespa foi também uma correção sobre tudo que aconteceu desde a última sexta-feira (30), quando não houve pregão devido ao período de recesso de final de ano. Quem reclama da reação da Faria Lima argumenta que nunca foi segredo de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seria o "super-ministro" de seu próprio governo.A surpresa está na pressa com que a ala petista assumiu a tomada de decisões, e o esforço de moderação de Haddad foi contido (ou está sendo) antes que ele convencesse a todos de que ela existe.Na conta da derrocada da Bolsa, ainda teve o tombo de 6,45% da Petrobras e a piora nas expectativas para a inflação de 2023, o que pode afetar a credibilidade do Banco Central (BC).No episódio desta terça-feira (3), o CNN Money ainda traz um levantamento exclusivo sobre a derrota do governo na prorrogação da desoneração dos combustíveis, que vai custar R$ 25 bilhões aos cofres públicos.Apresentado por Thais Herédia, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

5 Fatos
Lula revoga privatizações em andamento e mantém desoneração de combustíveis

5 Fatos

Play Episode Listen Later Jan 2, 2023 24:20


No primeiro dia útil do mandato como presidente, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), assinou medidas que terão impactos econômicos como a prorrogação da isenção de tributos sobre combustíveis. A desoneração havia sido adotada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) em meio às constantes altas nos preços da gasolina e do diesel.  O presidente também determinou, nesta segunda-feira (02), a revogação dos atos que dão seguimento às privatizações de estatais como a Petrobras e os Correios. Ouça o podcast e saiba como foi a repercussão internacional da posse de Lula (PT) como presidente do Brasil, Fernando Haddad (PT) é empossado ministro da Fazenda e fala em novo arcabouço fiscal e o primeiro dia do velório do Rei do Futebol Pelé.  Produção e roteiro: Camila Olivo, Ramana Rech, Rodrigo TammaroEdição de áudio e sonorização: Cláudio Cuca

Jovem Pan Maringá
Fernando Haddad pede que Guedes não prorrogue desoneração para combustíveis

Jovem Pan Maringá

Play Episode Listen Later Dec 28, 2022 59:54


Futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT) declarou que solicitou ao atual ministro da Economia, Paulo Guedes, não prorrogue a desoneração de tributos federais sobre combustíveis. Segundo a declaração, Guedes teria aceito o pedido e instruído a equipe econômica a não tomar nenhuma atitude que viesse a impactar o governo eleito no mandato que inicia-se em 1º de janeiro. --- Send in a voice message: https://anchor.fm/jovem-pan-maring/message

Jovem Pan Maringá
Haddad diz que Tebet aceitou ficar sem ‘ministério finalístico' no novo governo

Jovem Pan Maringá

Play Episode Listen Later Dec 27, 2022 58:24


Em entrevista aos jornalistas nesta segunda-feira, 26, o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT) declarou que a senadora Simone Tebet (MDB-MS) aceitou ficar sem o 'ministério finalístico' na composição do novo governo Lula. "A Simone visava um ministério finalístico. Era esse o objetivo. Um ministério finalístico é o que? É um ministério lida diretamente com algum assunto específico. Cidades, Turismo, Desenvolvimento Social. E isso mudou da semana passada para cá", declarou o petista, acrescentando que Tebet é qualificada e que não haveria dúvidas em relação ao seu nome para uma possível indicação ao Ministério do Planejamento. "A Simone é uma política muito qualificada, é uma pessoa que sabe trabalhar em equipe, é uma pessoa enfim que estava concorrendo à Presidência da República, com muita respeitabilidade. Não vejo nenhuma dificuldade em relação a isso. --- Send in a voice message: https://anchor.fm/jovem-pan-maring/message

O Antagonista
Cortes do Papo - Coaf vai para o Ministério da Fazenda

O Antagonista

Play Episode Listen Later Dec 27, 2022 4:13


Interlocutores do governo eleito afirmam que Lula (PT) deve transferir o Coaf para o Ministério da Fazenda, a ser chefiado por Fernando Haddad (PT). A informação é da Folha. O Conselho de Controle de Atividades Financeiras está atualmente submisso ao Banco Central. O órgão fiscalizador pertencia à Fazenda, mas foi realocado no governo Bolsonaro para a Justiça, a pedido de Sergio Moro. Uma comissão mista do Congresso revogou a transferência do Coaf para a Justiça posteriormente; Bolsonaro o realocou então para o BC, onde se encontra hoje. O futuro ministro da Justiça e um dos principais porta-vozes do governo de transição, Flávio Dino (PSB), afirmara no início de dezembro que o órgão retornaria à Fazenda ou à Justiça. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Descomplica, Kelly!
O gol da Croácia e Haddad na Fazenda

Descomplica, Kelly!

Play Episode Listen Later Dec 16, 2022 22:26


No episódio de hoje, descomplicamos os desafios que se avizinham na condução do Ministério da Fazenda, que será comandado por Fernando Haddad (PT) no futuro governo Lula. O temor do mercado se justifica? O que isso afetará nossas vidas? Que sinais estão sendo captados a partir das declarações do presidente eleito? Nosso convidado é o jornalista Thomas Traumann, colunista da Revista Veja é autor de “O Pior Emprego do Mundo”, em que 14 ministros da Fazenda revelam como tomaram suas decisões — que mexeram no seu bolso.

Rádio Gaúcha
O gol da Croácia e Haddad na Fazenda

Rádio Gaúcha

Play Episode Listen Later Dec 16, 2022 22:26


No episódio de hoje, descomplicamos os desafios que se avizinham na condução do Ministério da Fazenda, que será comandado por Fernando Haddad (PT) no futuro governo Lula. O temor do mercado se justifica? O que isso afetará nossas vidas? Que sinais estão sendo captados a partir das declarações do presidente eleito? Nosso convidado é o jornalista Thomas Traumann, colunista da Revista Veja é autor de “O Pior Emprego do Mundo”, em que 14 ministros da Fazenda revelam como tomaram suas decisões — que mexeram no seu bolso.

5 Fatos
PF apreende arsenal em operação contra atos antidemocráticos

5 Fatos

Play Episode Listen Later Dec 15, 2022 21:45


A Polícia Federal (PF) realizou, nesta quinta-feira (15), uma operação contra financiadores e organizadores de atos antidemocráticos que pedem um golpe de estado, a dissolução do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF), e desrespeitam o resultado das eleições.  A operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, e mais de cem mandatos foram cumpridos no Distrito Federal e em oito estados. Em Santa Catarina (SC), os policiais encontraram 11 armas com um dos alvos, incluindo um fuzil e rifles com lunetas de longo alcance.   Ouça também: futuro Ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), diz que presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pediu para colocar pobre no orçamento e rico no imposto de renda. Jair Bolsonaro (PL) edita Medida Provisória (MP) que abre crédito para pagar aposentados. Enfermeiros fazem primeira paralisação da história no Reino Unido.  Produção e roteiro: Camila Olivo, Ramana Rech, Rodrigo TammaroEdição de áudio e sonorização: Cláudio Cuca  

Abertura de Mercado
Brasil vive meme de "expectativa e realidade" com anúncios da equipe econômica

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Dec 14, 2022 21:43


Se um meme fosse capaz de traduzir o Brasil, pelo menos na última terça-feira (14), seria o "Expectativa x Realidade". O novo ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), fez um discurso moderado em sua primeira coletiva após a nomeação. Ao confirmar Bernard Appy como secretário especial para reforma tributária, enaltecer o mercado de capitais, prometer equilíbrio entre responsabilidade fiscal e social e se comprometer a entregar o quanto antes sua proposta para o novo arcabouço fiscal, o ex-prefeito de São Paulo fez jus ao seu apelido de "o mais tucano dos petistas". Esse é o lado da "expectativa". Do lado da "realidade", a Câmara dos Deputados aprovou, no final da noite de terça, uma mudança na Lei das Estatais que permite que Aloizio Mercadante assuma a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A manobra do presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas), antecipa um arranjo político azeitado desde já para o próximo governo. Depois de confirmar que Mercadante no BNDES era fato, e não boato, Lula bradou que as privatizações acabaram. No campo da realidade, já em prática, o Banco Central registrou seu alerta sobre os riscos que uma reversão de reformas, como a de ontem, e o uso de bancos políticos, como o esperado de Mercadante no BNDES, tenha um desfecho certeiro: a alta da inflação, e não o crescimento da economia. No episódio desta quarta-feira (14), o CNN Money analisa o perfil que vai se formando na equipe econômica e a reação do mercado financeiro ao arranjo do novo governo. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.  

CNN Brasil Business
Brasil vive meme de "expectativa e realidade" com anúncios da equipe econômica

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Dec 14, 2022 21:43


Se um meme fosse capaz de traduzir o Brasil, pelo menos na última terça-feira (14), seria o "Expectativa x Realidade". O novo ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), fez um discurso moderado em sua primeira coletiva após a nomeação. Ao confirmar Bernard Appy como secretário especial para reforma tributária, enaltecer o mercado de capitais, prometer equilíbrio entre responsabilidade fiscal e social e se comprometer a entregar o quanto antes sua proposta para o novo arcabouço fiscal, o ex-prefeito de São Paulo fez jus ao seu apelido de "o mais tucano dos petistas". Esse é o lado da "expectativa". Do lado da "realidade", a Câmara dos Deputados aprovou, no final da noite de terça, uma mudança na Lei das Estatais que permite que Aloizio Mercadante assuma a presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A manobra do presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas), antecipa um arranjo político azeitado desde já para o próximo governo. Depois de confirmar que Mercadante no BNDES era fato, e não boato, Lula bradou que as privatizações acabaram. No campo da realidade, já em prática, o Banco Central registrou seu alerta sobre os riscos que uma reversão de reformas, como a de ontem, e o uso de bancos políticos, como o esperado de Mercadante no BNDES, tenha um desfecho certeiro: a alta da inflação, e não o crescimento da economia. No episódio desta quarta-feira (14), o CNN Money analisa o perfil que vai se formando na equipe econômica e a reação do mercado financeiro ao arranjo do novo governo. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.  

CNN Brasil Business
Especulações de Mercadante em cargos públicos acirram riscos em semana agitada

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Dec 13, 2022 17:30


A semana começou com uma série de riscos que provocaram correções fortíssimas nos preços do mercado. Os rumores de uma possível ida de Aloizio Mercadante à presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e, na tarde da última segunda-feira (13), da Petrobras, afetaram os ativos brasileiros em cheio. O Ibovespa fechou o dia em queda de 2,02%, a 105.343,33 pontos, menor patamar de fechamento desde 3 de agosto. Antigo aliado do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Mercadante fez muitos favores ao petista no passado, e existe uma ideia de que uma possível indicação do ex-ministro ao "segundo escalão" da equipe econômica seria uma espécie de recompensa aos quadros históricos do PT. A ida de Mercadante ao BNDES ou à Petrobras alimentam impressões de um governo gastador, menos responsável do ponto de vista fiscal, e também aponta para uma tendência de sobrepor política à técnica. Os rumores vêm na esteira da indicação de Fernando Haddad (PT) ao Ministério da Fazenda, na última sexta-feira. A análise feita por especialistas é que, apesar do mercado não ser favorável à indicação do ex-prefeito de São Paulo ao cargo, ele seria uma espécie de meio termo entre nomes políticos e técnicos. Coube a ele, inclusive, baixar a temperatura quanto a especulações de que Lula estaria estudando mudar a Lei das Estatais. Haddad disse que os rumores não procediam e acalmou os ânimos, em uma semana que já engatou agitada. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Especulações de Mercadante em cargos públicos acirram riscos em semana agitada

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Dec 13, 2022 17:30


A semana começou com uma série de riscos que provocaram correções fortíssimas nos preços do mercado. Os rumores de uma possível ida de Aloizio Mercadante à presidência do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e, na tarde da última segunda-feira (13), da Petrobras, afetaram os ativos brasileiros em cheio. O Ibovespa fechou o dia em queda de 2,02%, a 105.343,33 pontos, menor patamar de fechamento desde 3 de agosto. Antigo aliado do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Mercadante fez muitos favores ao petista no passado, e existe uma ideia de que uma possível indicação do ex-ministro ao "segundo escalão" da equipe econômica seria uma espécie de recompensa aos quadros históricos do PT. A ida de Mercadante ao BNDES ou à Petrobras alimentam impressões de um governo gastador, menos responsável do ponto de vista fiscal, e também aponta para uma tendência de sobrepor política à técnica. Os rumores vêm na esteira da indicação de Fernando Haddad (PT) ao Ministério da Fazenda, na última sexta-feira. A análise feita por especialistas é que, apesar do mercado não ser favorável à indicação do ex-prefeito de São Paulo ao cargo, ele seria uma espécie de meio termo entre nomes políticos e técnicos. Coube a ele, inclusive, baixar a temperatura quanto a especulações de que Lula estaria estudando mudar a Lei das Estatais. Haddad disse que os rumores não procediam e acalmou os ânimos, em uma semana que já engatou agitada. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

CNN Brasil Business
Haddad na Fazenda e rumores de Mercadante no BNDES agravam incerteza nos mercados

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 23:12


A escolha de Fernando Haddad (PT) para o Ministério da Fazenda seria capaz de conter a incerteza sobre a gestão econômica do próximo governo -- não fosse tão carregada de política. A lealdade ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prevaleceu sobre seu título de mestre em Economia, sinalizando mais influência do petista na condução da pasta. Por isso, a dúvida sobre quem vai compor toda a equipe econômica e qual será seu novo organograma mantém a incerteza em alta. O nome de Aloizio Mercadante é dado como certo para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) -- um péssimo sinal sobre a gestão do banco que foi o maior instrumento de crédito subsidiado nos mandatos petistas. Mercadante, intervencionista clássico, já deu pistas de que quer esvaziar o Planejamento, considerado estratégico para a gestão do Orçamento, e de que quer o BNDES sob o guarda-chuva do Ministério da Indústria e Comércio, que será recriado. Numa economia onde o setor de serviços representa quase 70% do Produto Interno Bruto (PIB), a equação não faz sentido. Quando enfrentou as manifestações de junho de 2013 na Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad sabia que a onda de protestos nunca foi pelos 20 centavos a mais na tarifa de ônibus. Da mesma forma, sabe que sua nomeação não será redentora, ou fiadora, de uma gestão responsável do terceiro mandato de Lula. No episódio desta segunda-feira (12), o CNN Money discute ainda as expectativas de novos anúncios de ministros e da diplomação de Lula e Geraldo Alckmin, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Haddad na Fazenda e rumores de Mercadante no BNDES agravam incerteza nos mercados

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 23:12


A escolha de Fernando Haddad (PT) para o Ministério da Fazenda seria capaz de conter a incerteza sobre a gestão econômica do próximo governo -- não fosse tão carregada de política. A lealdade ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) prevaleceu sobre seu título de mestre em Economia, sinalizando mais influência do petista na condução da pasta. Por isso, a dúvida sobre quem vai compor toda a equipe econômica e qual será seu novo organograma mantém a incerteza em alta. O nome de Aloizio Mercadante é dado como certo para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) -- um péssimo sinal sobre a gestão do banco que foi o maior instrumento de crédito subsidiado nos mandatos petistas. Mercadante, intervencionista clássico, já deu pistas de que quer esvaziar o Planejamento, considerado estratégico para a gestão do Orçamento, e de que quer o BNDES sob o guarda-chuva do Ministério da Indústria e Comércio, que será recriado. Numa economia onde o setor de serviços representa quase 70% do Produto Interno Bruto (PIB), a equação não faz sentido. Quando enfrentou as manifestações de junho de 2013 na Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad sabia que a onda de protestos nunca foi pelos 20 centavos a mais na tarifa de ônibus. Da mesma forma, sabe que sua nomeação não será redentora, ou fiadora, de uma gestão responsável do terceiro mandato de Lula. No episódio desta segunda-feira (12), o CNN Money discute ainda as expectativas de novos anúncios de ministros e da diplomação de Lula e Geraldo Alckmin, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Estadão Notícias
Haddad na Fazenda e as dúvidas sobre a política fiscal

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 25:32


Após conseguir aprovar a PEC da Transição no Senado, e de ter uma expectativa positiva de que passará também pela Câmara dos Deputados nesta semana, o futuro governo Lula (PT) precisa cumprir, até agosto, um pedido dos parlamentares sobre o desenho da nova âncora fiscal, que vai substituir o atual teto de gastos. O vice-presidente da República eleito Geraldo Alckmin chegou a defender que fosse definido, “se possível este ano”, o novo modelo para substituir o atual, mas reconheceu que é preciso ter calma para apresentar a proposta que será levada ao Congresso Nacional. Com Lula confirmando Fernando Haddad (PT) como novo ministro da Fazenda, caberá ao novo titular da pasta fazer essa proposta e negociar com os parlamentares uma espécie de teto de gastos mais flexível e que não cause um desarranjo fiscal. Afinal, se o teto cair, ou for substituído, qual vai entrar no seu lugar? A confirmação de Haddad na condução da economia dá sinais de estabilidade ou traz de volta o pesadelo do desenvolvimentismo petista? No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com a economista Juliana Inhasz, professora e coordenadora de graduação em economia do Insper. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes,Vinicius Novais e Lais Gottardo. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
O primeiros ministros de Lula e os rumos da PEC na Câmara

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Dec 9, 2022 36:26


O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deverá anunciar alguns futuros ministros nesta sexta-feira. A expectativa é que, entre os anunciados, estejam os ministros da Fazenda, Fernando Haddad (PT), da Defesa, José Múcio Monteiro, e da Justiça, Flávio Dino (PSB). O novo governo, ainda na sua fase de transição, já conseguiu sua primeira vitória no Congresso Nacional. Os senadores aprovaram em duas votações a chamada PEC da Transição, que abre um espaço fora do teto de gastos de R$ 145 bilhões, mais R$ 23 bilhões para recompor o orçamento deste ano. No entanto, a fase mais difícil começa agora, quando o texto vai para a Câmara dos Deputados, e pode ser modificado, ou até rejeitado. A tendência é que Lula consiga o número de parlamentares para a aprovação. Mas os deputados têm condicionado essa aprovação a um outro tema: orçamento secreto. Nesta semana, começou no Supremo Tribunal Federal (STF), o julgamento sobre a constitucionalidade da medida. Em um entendimento anterior, os ministros já suspenderam o instrumento pela falta de transparência. Os parlamentares se defendem e dizem que já tomaram medidas para tornar o orçamento menos secreto. A agitação acontece também com países vizinhos. No Peru, após uma tentativa fracassada de destituir a Câmara dos Deputados, o presidente Pedro Castillo foi deposto e preso. O líder peruano tentava se salvar de um processo de impeachment por parte dos parlamentares.  Estes são alguns dos assuntos que guiam o ‘Poder em Pauta', nossa conversa semanal com os repórteres do Estadão que cobrem o dia a dia da política. Participam desta edição Felipe Frazão, de Brasília, e Pedro Venceslau, de São Paulo. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Podcast Política - Agência Radioweb
Haddad é articulador político e deverá montar equipe econômica

Podcast Política - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Dec 9, 2022 2:28


Fernando Haddad (PT) foi confirmado como ministro da Fazenda no governo Lula. O nome do petista foi anunciado nesta sexta-feira (09) pelo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília.

5 Fatos
Fora da Copa, Brasil tem futuros ministros escalados

5 Fatos

Play Episode Listen Later Dec 9, 2022 30:59


No dia em que a Seleção Brasileira de Futebol foi eliminada da Copa do Catar nos pênaltis, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) anunciou os primeiros nomes da futura equipe ministerial. Foram confirmados nesta sexta-feira (09), na futura pasta da Fazenda, Fernando Haddad (PT); na Defesa, José Múcio Monteiro; na Casa Civil, Rui Costa (PT); na Justiça, Flávio Dino (PSB) e nas Relações Exteriores, Mauro Vieira.  Ouça as análises e repercussões dos anúncios.  E ainda: o presidente Jair Bolsonaro (PL) quebra o silêncio; aposentadoria antecipada pode dar a Lula (PT) a indicação de vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) e as notícias da Copa do Mundo do Catar. Produção e roteiro: Camila Olivo, Ramana Rech, Rodrigo Tammaro e André PinheiroEdição de áudio e sonorização: Cláudio Cuca    

5 Fatos
Reunião com Guedes aumenta especulações sobre Haddad na Fazenda

5 Fatos

Play Episode Listen Later Dec 8, 2022 22:53


O ex-ministro Fernando Haddad (PT) se reuniu nesta quinta-feira (08) com o atual ministro da Economia Paulo Guedes. O encontro aconteceu a portas fechadas e não constava nas agendas oficiais dos dois.   A agenda de Haddad, recheada de reuniões, reforça o favoritismo da escolha do nome dele para chefiar o Ministério da Fazenda na gestão de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ouça também no episódio: Ministro da Educação anuncia liberação de orçamento para universidades federais; vereadora Carla Ayres fala sobre assédio sofrido na Câmara de Florianópolis; jogadora de basquete norte-americana é libertada da prisão na Rússia em troca entre prisioneiros. Produção e roteiro: Camila Olivo, Ramana Rech, Rodrigo TammaroEdição de áudio e sonorização: Cláudio Cuca

CNN Brasil Business
Rumores de novos nomes para Fazenda e desidratação da PEC animam mercados

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 20:04


No desfecho da última terça-feira (29), os mercados foram dormir animados.Em reação a rumores ventilados por notícias envolvendo o governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quase todas sinalizando uma mudança de postura quanto às principais pautas da transição na economia, a Bolsa subiu em quase 2% e o dólar caiu a R$ 5,29.A maior delas é que Lula teria voltado a cogitar outros nomes para o Ministério da Fazenda, em especial o do vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB). Segundo apurado pelo site Poder360, a ideia é que Fernando Haddad (PT) -- até ontem o principal cotado para a pasta -- vá para o Ministério do Planejamento, que deve ser recriado a partir de 2023.Outros nomes também foram citados para a Fazenda, segundo o Estadão Brodcast: Luiz Carlos Trabuco, do Bradesco, e Josué Gomes, da Fiesp. O rumor aponta que o setor do empresariado também poderia ser contemplado, aliviando investidores que temiam um modus-operandi mais heterodoxo na nova gestão econômica.Ainda na terça-feira, petistas e aliados teriam admitido que a PEC da Transição, apelidada de PEC do Estouro, poderia ser desidratada no Congresso, principalmente na redução do valor de R$ 198 bilhões e do prazo de 4 anos de vigência do texto. A proposta já recebeu mais do que as 27 assinaturas necessárias para começar a tramitar na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal e deve ser discutida em breve.O analista de política da CNN, Caio Junqueira, ainda apurou que o presidente eleito teria se reunido por mais de 5 horas com economistas do grupo de transição, em encontro no qual Lula mais ouviu do que falou. A leitura geral é que o teto de gastos não existe mais, na prática, e deve ser substituído -- mas não só por uma nova regra, e sim mais de uma, configurando a necessidade de um arcabouço fiscal.No episódio desta quarta-feira, o CNN Money traz as expectativas da transição de governos na economia e análises sobre os nomes recém-cotados para as principais pastas do governo Lula.Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
Rumores de novos nomes para Fazenda e desidratação da PEC animam mercados

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 20:04


No desfecho da última terça-feira (29), os mercados foram dormir animados.Em reação a rumores ventilados por notícias envolvendo o governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), quase todas sinalizando uma mudança de postura quanto às principais pautas da transição na economia, a Bolsa subiu em quase 2% e o dólar caiu a R$ 5,29.A maior delas é que Lula teria voltado a cogitar outros nomes para o Ministério da Fazenda, em especial o do vice-presidente eleito Geraldo Alckmin (PSB). Segundo apurado pelo site Poder360, a ideia é que Fernando Haddad (PT) -- até ontem o principal cotado para a pasta -- vá para o Ministério do Planejamento, que deve ser recriado a partir de 2023.Outros nomes também foram citados para a Fazenda, segundo o Estadão Brodcast: Luiz Carlos Trabuco, do Bradesco, e Josué Gomes, da Fiesp. O rumor aponta que o setor do empresariado também poderia ser contemplado, aliviando investidores que temiam um modus-operandi mais heterodoxo na nova gestão econômica.Ainda na terça-feira, petistas e aliados teriam admitido que a PEC da Transição, apelidada de PEC do Estouro, poderia ser desidratada no Congresso, principalmente na redução do valor de R$ 198 bilhões e do prazo de 4 anos de vigência do texto. A proposta já recebeu mais do que as 27 assinaturas necessárias para começar a tramitar na Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal e deve ser discutida em breve.O analista de política da CNN, Caio Junqueira, ainda apurou que o presidente eleito teria se reunido por mais de 5 horas com economistas do grupo de transição, em encontro no qual Lula mais ouviu do que falou. A leitura geral é que o teto de gastos não existe mais, na prática, e deve ser substituído -- mas não só por uma nova regra, e sim mais de uma, configurando a necessidade de um arcabouço fiscal.No episódio desta quarta-feira, o CNN Money traz as expectativas da transição de governos na economia e análises sobre os nomes recém-cotados para as principais pastas do governo Lula.Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Abertura de Mercado
A R$ 198 bilhões, PEC é protocolada no Senado; Haddad se aproxima da Fazenda

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Nov 29, 2022 19:20


A PEC da Transição, que propõe mudar a Constituição para viabilizar o Bolsa Família em R$ 600 no ano que vem, foi protocolada no Senado Federal pelo governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).O texto manteve a proposta original de tirar R$ 175 bilhões do teto de gastos e deixar uma gordurinha de R$ 23 bilhões para investimentos, totalizando R$ 193 bilhões. Ainda assim, interlocutores do novo governo falam em discutir valores menores, de R$ 150 bilhões ou menos, e ainda considerar a proposta do senador Tasso Jereissati (PSDB), que não tira o Bolsa Família do teto, mas abre espaço de R$ 80 bilhões no teto.Entre diferentes valores e propostas, o fato concreto é que já se passaram 3 semanas sem avanços da PEC. O PT chegou a achar que a negociação seria mais fácil, mas o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas), está praticamente reeleito ao cargo, diminuindo a necessidade de apoio do partido.Diante desse cenário, é provável que o mercado continue refletindo essa indefinição, subindo ou descendo conforme o valor da PEC aumenta ou diminui.No entanto, outra incerteza pode se dissipar em breve: o nome de quem vai ocupar o Ministério da Fazenda. Na noite da última segunda-feira (28), Fernando Haddad (PT) disse que vai passar a integrar a equipe de transição na Economia a pedido de Lula, confirmando seu favoritismo ao cargo.O ex-prefeito de São Paulo também disse que irá conversar com Gabriel Galípolo e Guilherme Melo, economistas à frente das discussões econômicas do novo governo. Em aceno às preocupações que dominam os mercados desde que a discussão sobre a PEC começou, Haddad também disse que quem pilotar a Fazenda terá de se apropriar da questão fiscal.No episódio desta terça-feira (29), o CNN Money discute o novo texto da PEC e as perspectivas daqui para frente, inclusive se essa novela pode ter um desfecho próximo ou não.Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

CNN Brasil Business
A R$ 198 bilhões, PEC é protocolada no Senado; Haddad se aproxima da Fazenda

CNN Brasil Business

Play Episode Listen Later Nov 29, 2022 19:20


A PEC da Transição, que propõe mudar a Constituição para viabilizar o Bolsa Família em R$ 600 no ano que vem, foi protocolada no Senado Federal pelo governo eleito de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).O texto manteve a proposta original de tirar R$ 175 bilhões do teto de gastos e deixar uma gordurinha de R$ 23 bilhões para investimentos, totalizando R$ 193 bilhões. Ainda assim, interlocutores do novo governo falam em discutir valores menores, de R$ 150 bilhões ou menos, e ainda considerar a proposta do senador Tasso Jereissati (PSDB), que não tira o Bolsa Família do teto, mas abre espaço de R$ 80 bilhões no teto.Entre diferentes valores e propostas, o fato concreto é que já se passaram 3 semanas sem avanços da PEC. O PT chegou a achar que a negociação seria mais fácil, mas o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas), está praticamente reeleito ao cargo, diminuindo a necessidade de apoio do partido.Diante desse cenário, é provável que o mercado continue refletindo essa indefinição, subindo ou descendo conforme o valor da PEC aumenta ou diminui.No entanto, outra incerteza pode se dissipar em breve: o nome de quem vai ocupar o Ministério da Fazenda. Na noite da última segunda-feira (28), Fernando Haddad (PT) disse que vai passar a integrar a equipe de transição na Economia a pedido de Lula, confirmando seu favoritismo ao cargo.O ex-prefeito de São Paulo também disse que irá conversar com Gabriel Galípolo e Guilherme Melo, economistas à frente das discussões econômicas do novo governo. Em aceno às preocupações que dominam os mercados desde que a discussão sobre a PEC começou, Haddad também disse que quem pilotar a Fazenda terá de se apropriar da questão fiscal.No episódio desta terça-feira (29), o CNN Money discute o novo texto da PEC e as perspectivas daqui para frente, inclusive se essa novela pode ter um desfecho próximo ou não.Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Lula quer diluir indicação de Haddad com outros nomes"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 17:36


O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), chegou a Brasília na noite deste domingo para tentar destravar as negociações envolvendo a PEC da Transição e começar a definir sua equipe de ministros. Lula deve despachar nesta semana do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede da transição. O petista chegou acompanhado da futura primeira-dama, Janja da Silva, e do ex-ministro Fernando Haddad (PT), que vem sendo cotado para comandar o Ministério da Fazenda. "Bolsonaro deixou uma destruição de um lado e contas públicas estouradas do outro. Muita coisa para fazer e pouco dinheiro. Todo mundo, portanto, está de olho no Ministério da Fazenda", comenta Eliane. "Lula não quer anunciar Haddad sozinho para ele virar alvo de todo mundo. Quer diluir junto com outros nomes. Lembrando que os focos principais são Fazenda, Defesa, uma área conflagrada, e a articulação política". See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Moura Brasil: As operações Haddad e Defesa

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 9:55


Na edição desta segunda-feira, o jornalista Felipe Moura Brasil comenta a chegada do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a Brasília na noite deste domingo. Lula deve começar a definir sua equipe de ministros.O petista chegou à capital federal acompanhado da futura primeira-dama, Janja da Silva, e do ex-ministro Fernando Haddad (PT), que vem sendo cotado para comandar o Ministério da Fazenda de Lula. O colunista discute os principais temas que rondam o noticiário político do País, de segunda a sexta, às 8h30, no Jornal Eldorado.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Cortes do Papo - Os erros de Lula na transição

O Antagonista

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 19:48


Lula desembarcou em Brasília na noite de ontem para atuar nas discussões em torno da transição de governo e tentar destravar as negociações envolvendo a PEC da Gastança. O presidente eleito chegou à capital federal acompanhado de Janja, a futura primeira-dama, e de Fernando Haddad (PT), cotado para assumir o Ministério da Fazenda do novo governo. Nas últimas duas semanas, Lula participou da COP27, no Egito, viajou a Portugal e depois passou alguns dias em São Paulo, onde passou por uma cirurgia para retirar uma lesão na laringe. Além da PEC da Gastança, estão no radar do presidente temas como a definição da composição ministerial de seu governo e a conclusão da formação das equipes de transição que ainda pendentes. Lula deve despachar nesta semana do Centro Cultural Banco do Brasil, sede da transição. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Abertura de Mercado
Expectativas sobre detalhes da transição de governo na economia embalam semana

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 21:36


A semana começa com grandes expectativas sobre mais detalhes da transição de governos na economia. O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já recuperado da cirurgia na laringe, desembarcou em Brasília no último domingo à noite (27) acompanhado de Fernando Haddad (PT), ex-prefeito de São Paulo e principal nome cotado ao Ministério da Fazenda. Em meio às reuniões previstas com os presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira (Progressistas) e Rodrigo Pacheco (PSD), respectivamente, além de outros parlamentares, espera-se que o novo governo dê mais informações sobre a PEC da Transição, também chamada de PEC do Estouro, e talvez sobre quem de fato será o ministro da Fazenda. Na última sexta-feira, Haddad participou do almoço com banqueiros organizado pela Febraban. Seu discurso foi considerado genérico e não trouxe detalhes sobre os planos do governo Lula para pagar o Auxílio Brasil, que volta a se chamar Bolsa Família a partir do ano que vem, em R$ 600. Para críticos, a avaliação foi que a falta de preparo de Haddad para o evento reflete como seria uma possível gestão do petista na pasta econômica. Já apoiadores, por outro lado, dizem que o ex-prefeito fez o que pode, já que ainda não é ministro da Fazenda, não está por dentro das discussões e foi escalado para o almoço de última hora. A Bolsa brasileira -- que subiu na quinta-feira com a possível dobradinha de Haddad com Pérsio Arida, um dos pais do Plano Real -- devolveu os ganhos na sexta com as indefinições. No final de semana, o evento promovido pelo grupo Esfera, no Guarujá (SP), contou com Floriano Pesaro (PSDB), coordenador executivo da equipe de transição de Lula. Ele justificou os impasses em Brasília dizendo que "estamos trocando o CEO da empresa chamada Brasil". Emídio de Souza, deputado estadual do PT, completou dizendo que até uma empresa funcionar redonda, demora. Já os empresários, em resposta, falaram sobre o diálogo entre setores público e privado, e a importância de unir um país dividido para avançar em pautas que podem levar ao crescimento econômico. No episódio desta segunda-feira (28), o CNN Money discute os caminhos possíveis para o avanço da economia em meio às incertezas, e as expectativas que a semana guarda. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Eliane Cantanhêde responde
"Lula quer diluir indicação de Haddad com outros nomes"

Eliane Cantanhêde responde

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 17:36


O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), chegou a Brasília na noite deste domingo para tentar destravar as negociações envolvendo a PEC da Transição e começar a definir sua equipe de ministros. Lula deve despachar nesta semana do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede da transição. O petista chegou acompanhado da futura primeira-dama, Janja da Silva, e do ex-ministro Fernando Haddad (PT), que vem sendo cotado para comandar o Ministério da Fazenda. "Bolsonaro deixou uma destruição de um lado e contas públicas estouradas do outro. Muita coisa para fazer e pouco dinheiro. Todo mundo, portanto, está de olho no Ministério da Fazenda", comenta Eliane. "Lula não quer anunciar Haddad sozinho para ele virar alvo de todo mundo. Quer diluir Haddad junto com outros nomes. Lembrando que os focos principais são Fazenda, Defesa, uma área conflagrada, e a articulação política". See omnystudio.com/listener for privacy information.

No pé do ouvido
Lula chega a Brasília para destravar PEC da Transição

No pé do ouvido

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 24:37


Depois de viagens e um descanso por conta da cirurgia na garganta, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltou a Brasília para comandar as negociações da PEC da Transição. Ontem à noite, o petista desembarcou na capital ao lado da futura primeira-dama Janja e do ex-ministro Fernando Haddad (PT). 

5 Fatos
Em evento para banqueiros, Haddad defende reforma tributária

5 Fatos

Play Episode Listen Later Nov 25, 2022 25:54


O ex-ministro Fernando Haddad (PT) almoçou nesta sexta-feira (25) com representantes da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Haddad foi ao evento representando Luiz Inácio Lula da Silva (PT), a pedido do presidente eleito. No discurso que fez para os participantes do encontro, Haddad afirmou que a reforma tributária é prioridade do novo governo. O ex-prefeito de São Paulo tem sido cotado pra comandar um futuro Ministério da Fazenda. Ouça o podcast e saiba mais sobre o ataque a tiros que matou 3 pessoas em escolas no Espírito Santo, a greve de funcionários da Amazon em plena Black Friday e a lesão que vai tirar Neymar do próximo jogo da Seleção Brasileira na Copa do Catar.  Produção e roteiro: Camila Olivo, Ramana Rech, Rodrigo Tammaro e André PinheiroEdição de áudio e sonorização: Cláudio Cuca

Rádio PT
PODCAST | Haddad na Febraban (25-11-22)

Rádio PT

Play Episode Listen Later Nov 25, 2022 28:54


Ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), participa do almoço de final de ano da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), na Zona Oeste da capital paulista, no início da tarde desta sexta-feira (25). Haddad representou o presidente eleito Lula. . radio.pt.org.br/podcast

Abertura de Mercado
Bolsa volta à volatilidade com demora na indicação da política econômica de Lula

Abertura de Mercado

Play Episode Listen Later Nov 8, 2022 19:26


Já faz algumas semanas que a Bolsa brasileira tem se descolado dos mercados internacionais: enquanto lá fora a crise derruba índices e moedas, o movimento aqui era o contrário, com fortalecimento do real ante o dólar e pregões positivos do Ibovespa. Até a última semana pós segundo turno foi vista como uma verdadeira lua de mel quanto à eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ainda que a Faria Lima tenha deixado claro a predileção pelo adversário derrotado Jair Bolsonaro (PT). Agora, porém, o cenário é outro. Os sinais que balizam as decisões dos gestores de investimentos estão emergindo e é muito difícil se esquivar deles. A coordenação da transição de governos está confusa e, principalmente, difusa, com muitas pessoas falando, muitos porta-vozes diferentes e várias soluções postas à mesa para lidar com o Orçamento de 2023 -- nenhuma delas sugerida com convicção o bastante para garantir uma certa estabilidade no período entre-governos. A crítica recai sobre como a equipe de transição do presidente eleito Lula não parece ter nada decidido, embora a situação e a necessidade de alargar o Orçamento já sejam conhecidas há meses. Além disso, a pressão política de colocar Fernando Haddad (PT) à frente do Ministério da Economia não agrada em nada o mercado, que estava adoçado pela possibilidade de Henrique Meirelles indicar o caminho a Lula sobre a escolha de um perfil de gestor à altura das necessidades do país. O estresse na Bolsa visto na última segunda-feira é exemplo de como o mercado está reagindo à demora em indicar como se dará a política econômica do governo Lula. Ao mesmo tempo, investidores estrangeiros se mostram -- e se provam -- dispostos a vir para o Brasil, um movimento que em muito desagrada os agentes locais. No episódio desta terça-feira (8), o CNN Money discute as pressões políticas sobre a economia e o que a volta da Bolsa ao padrão internacional de alta volatilidade pode indicar para o futuro do país. Apresentado por Thais Herédia e Priscila Yazbek, o CNN Money apresenta um balanço dos assuntos do noticiário que influenciam os mercados, as finanças e os rumos da sociedade e das dinâmicas de poder no Brasil e no mundo.

Estadão Notícias
A composição ministerial de Lula

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 3, 2022 24:07


Após a vitória nas urnas, o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT), prometeu que seu governo seria de uma frente ampla democrática, com a participação de todos aqueles que trabalharam para a sua eleição e, consequentemente, a derrota de Jair Bolsonaro (PL). Para isso, o petista deve aumentar o número de ministérios dos atuais 23 para 34. Alguns nomes já são tidos como certos no futuro governo, como o da senadora Simone Tebet (MDB), do candidato derrotado ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e do próprio vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB). Além desses nomes, lideranças petistas também devem fazer parte da gestão de Lula. A negociação com partidos do bloco que hoje dá sustentação ao presidente Jair Bolsonaro, principalmente com o PP, o PL e o Republicanos, também é vista como fundamental para construir acordos no Congresso, que terá maioria conservadora a partir de 2023. Alguns políticos do bloco também podem integrar ministérios. Afinal, Lula conseguirá fazer um governo com a frente ampla? Unir todos esses partidos em torno de um projeto, vai reunificar o País? No Estadão Notícias de hoje, vamos conversar sobre o assunto com o professor e cientista político da FGV, Eduardo Grin. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

UOL Entrevista
Sabatina Fernando Haddad (governo SP): 'Não faltou aceno ao centro, mas não quero ganhar a qualquer custo'

UOL Entrevista

Play Episode Listen Later Oct 28, 2022 66:07


Candidato ao governo de São Paulo, Fernando Haddad (PT) é sabatinado nesta quarta-feira (26). A sabatina é conduzida por Fabíola Cidral e pelos jornalistas Leonardo Sakamoto, do UOL, e Carolina Linhares, da Folha de S. Paulo

Estadão Notícias
A exploração da fé e um giro pelas eleições estaduais

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022 36:20


O uso da religião como “arma” eleitoral deu o que falar no último dia 12. No Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, no interior de São Paulo, Jair Bolsonaro (PL) teve que ouvir do Arcebispo da cidade, Dom Orlando Brandes, um sermão sobre misturar eleição com a fé das pessoas. No mesmo dia, apoiadores de Bolsonaro vaiaram um padre que falava sobre fome, e agrediram duas equipes de televisão que faziam a cobertura da comemoração. Os funcionários eram da TV Vanguarda, afiliada da TV Globo, no interior do Estado, e da TV Aparecida, que transmitia sua programação direto do santuário. Enquanto isso, o presidente tem guardado as sete chaves o relatório produzido pelas Forças Armadas sobre a fiscalização das urnas eletrônicas no primeiro turno. Jornalistas apuraram que o documento não detectou nenhuma fraude, o que teria irritado Bolsonaro. Nas eleições estaduais, o clima é de indefinição em vários entes da federação. O pleito promete ser apertado, e definido voto por voto, na Bahia e em Pernambuco. Já em São Paulo, as pesquisas registram uma diferença de 5% entre Tarcísio de Freitas (Rep) e Fernando Haddad (PT). Estes são alguns dos assuntos que guia o ‘Poder em Pauta', nossa conversa semanal com os repórteres do Estadão que cobrem o dia a dia da política e das eleições. Participam desta edição Felipe Frazão e Pedro Venceslau. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Eliane Cantanhêde responde
"Ipec foi comemorado no comitê de campanha de Haddad"

Eliane Cantanhêde responde

Play Episode Listen Later Oct 12, 2022 17:23


O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) lidera a disputa ao governo de São Paulo com 46% das intenções de votos ante 41% do ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT), de acordo com pesquisa Ipec (ex-Ibope) divulgada nesta terça-feira, 11. "São Paulo é muito decisivo para as eleições de 2022 pelo número de votos. Há um empate técnico entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula. Mas considerando o contexto estadual, o Ipec foi um resultado considerado muito positivo na campanha do petista Fernando Haddad; ele não teve tantos apoios políticos e está 'encostando' em Tarcísio de Freitas, candidato pelo Republicanos", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Colunistas Eldorado Estadão
Eliane: "Ipec foi comemorado no comitê de campanha de Haddad"

Colunistas Eldorado Estadão

Play Episode Listen Later Oct 12, 2022 17:23


O ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos) lidera a disputa ao governo de São Paulo com 46% das intenções de votos ante 41% do ex-prefeito da capital paulista Fernando Haddad (PT), de acordo com pesquisa Ipec (ex-Ibope) divulgada nesta terça-feira, 11. "São Paulo é muito decisivo para as eleições de 2022 pelo número de votos. Há um empate técnico entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula. Mas considerando o contexto estadual, o Ipec foi um resultado considerado muito positivo na campanha do petista Fernando Haddad; ele não teve tantos apoios políticos e está 'encostando' em Tarcísio de Freitas, candidato pelo Republicanos", diz Eliane.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Tarcísio x Haddad: qual o peso da disputa em SP para a eleição presidencial

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 7, 2022 19:36


Neste episódio do E Tem Mais, Luciana Barreto apresenta um balanço das expectativas para o segundo turno das eleições para governador em São Paulo e do possível impacto da disputa para a corrida presidencial de 2022. O resultado da votação de 2 de outubro selou o fim de uma era no estado. Depois de 28 anos, o PSDB foi derrotado e deixará o governo de São Paulo. A disputa pelo Palácio dos Bandeirantes opõe Tarcísio de Freitas (Republicanos) e Fernando Haddad (PT) e reflete em âmbito estadual o embate entre Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva. Terceiro colocado no primeiro turno, o atual governador paulista, Rodrigo Garcia (PSDB), anunciou que apoiará Tarcísio na nova etapa da disputa estadual. A decisão pressiona Haddad, que terá de reverter a vantagem de cerca de 1,5 milhão de votos do adversário e o alto índice de rejeição ao PT em São Paulo, em especial, no interior do estado. Para traçar um panorama dos rumos da campanha eleitoral entre os paulistas, participam deste episódio o cientista político Leandro Consentino, professor do Insper, e a repórter da CNN Larissa Rodrigues. Com apresentação de Luciana Barreto, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

O Antagonista
Fernando Holiday anuncia apoio a Tarcísio e Bolsonaro no segundo turno; ouça

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 6, 2022 1:33


O vereador Fernando Holiday (foto), que está de saída do Novo para o Republicanos, anunciou hoje nas redes sociais apoio a Tarcísio de Freitas (Republicanos) no segundo turno da eleição para o governo de São Paulo. O ex-ministro de Jair Bolsonaro (PL) tem como adversário na disputa Fernando Haddad (PT). O ex-integrante do MBL também disse que apoiará o presidente no segundo turno. "Nesse 2º turno, muita coisa está em jogo. SP jamais pode ficar nas mãos do PT e o país não pode voltar para as mãos de um ex-presidiário. Bolsonaro e Tarcisio representam a única esperança de reformas estruturais e preservação da liberdade. Tarcísio 10 e Bolsonaro 22!

Notícia no Seu Tempo
Tarcísio se descola de Garcia e fica isolado em 2º, aponta Ipec

Notícia no Seu Tempo

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 11:27


No podcast ‘Notícia No Seu Tempo', confira em áudio as principais notícias da edição impressa do jornal ‘O Estado de S. Paulo' desta quarta-feira (28/09/22): Nova rodada da pesquisa Ipec (ex-Ibope), realizada entre sábado e segunda-feira e divulgada ontem, aponta que o candidato do Republicanos, Tarcísio de Freitas, se descolou do governador Rodrigo Garcia (PSDB) na disputa pela segunda colocação entre os concorrentes ao governo de São Paulo. Fernando Haddad (PT) se mantém na liderança, com 34% das intenções de voto, Tarcísio tem 24% e Garcia, 19%.  E mais: Economia: Militares engordam salário pouco antes da aposentadoria Internacional: Após referendos, Rússia deve anexar territórios ucranianos até sexta-feira Metrópole: 60% dos jovens dizem ter sentido ansiedade nos últimos 6 meses Esportes: Brasil goleia Tunísia em jogo com ato de racismo Especial Mobilidade: Aumento de ciclovias em São Paulo estimula pais a andar com filhosSee omnystudio.com/listener for privacy information.