Podcasts about lula pt

  • 57PODCASTS
  • 412EPISODES
  • 27mAVG DURATION
  • 2DAILY NEW EPISODES
  • Nov 16, 2022LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022


Best podcasts about lula pt

Show all podcasts related to lula pt

Latest podcast episodes about lula pt

Estadão Notícias
Com Lula, Brasil pode ter protagonismo no cenário internacional?

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 27:45


Durante o governo de Jair Bolsonaro (PL), o Brasil experimentou uma condição que até então ainda não havia sentido: a de ser pária internacional. Com um histórico de sempre manter boas relações com outras nações, o País acabou isolado e sem condições de cumprir um papel de destaque ou protagonismo. Em larga medida, pelo tipo de radicalização ideológica assumida pelo atual presidente. Com a eleição de Lula (PT), houve uma espécie de alívio por parte de alguns líderes globais, como o presidente da França, Emmanuel Macron, que já no dia seguinte ligou para parabenizar o presidente eleito. A mesma rapidez em reconhecer a vitória do petista aconteceu por parte do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden. Na América do Sul, a vitória de Lula também foi muito comemorada. O presidente argentino, Alberto Fernandez, que nunca veio ao Brasil durante o governo Bolsonaro, fez questão de cumprimentar o petista pessoalmente. Chile, Peru, Bolívia e Colômbia também esperam uma relação mais amistosa com o novo governo. Afinal, o que podemos esperar da política externa do governo Lula-3? O alinhamento com autocracias de esquerda, como a da Venezuela, pode trazer complicações? A pauta ambiental é o que pode recolocar o Brasil numa posição de destaque na geopolítica global?No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com Rubens Barbosa, presidente do Instituto de Relações Internacionais e Comércio Exterior e ex-embaixador do Brasil em Londres, na Inglaterra, e em Washington, nos EUA. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Gabriel Tassi Lara Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Reforma tributária sairá do papel no governo Lula?

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 14, 2022 18:10


Membros do próximo governo Lula (PT) querem acelerar a discussão e a tramitação da reforma tributária para o ano que vem. A medida é vista como essencial para, entre outras coisas, abrir mais espaço no engessado orçamento que a gestão do petista terá em 2023. Entre os pontos a serem discutidos está a criação de um Impostos sobre Valor Agregado (IVA), no lugar do ICMS, PIS/Cofins e ISS. Outra promessa de campanha de Lula é a isenção na tabela do imposto de renda para quem ganha até R$ 5 mil. Além disso, existe a possibilidade de avançar com a proposta de taxação das grandes fortunas, e sobre lucros e dividendos. Os entusiastas dessa reforma são o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB), e a senadora Simone Tebet (MDB-MS). A medida também deve ter amplo apoio no Congresso Nacional, já que Lula tem costurado alianças antes mesmo de assumir o cargo. Afinal, quais são as chances da reforma tributária prosperar? Se aprovada, ela terá impacto imediato e positivo sobre a economia brasileira? No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com Gabriel Quintanilha, professor convidado da FGV Direito Rio. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Gabriel Tassi Lara Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Lula emparedado e o relatório dúbio da Defesa

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 35:52


Na tentativa de aumentar sua base de apoio dentro do Congresso Nacional, Lula (PT) chegou a Brasília convidando cerca de 14 partidos para integrarem sua equipe de transição, entre eles, PSD, PSDB e MDB. O objetivo é garantir ampla maioria para aprovar o crédito extra de R$ 200 bilhões para o pagamento do Bolsa Família de R$ 600, no ano que vem. O petista já deixou claro, no entanto, que os políticos escolhidos para chefiar as áreas da sua equipe de transição não serão automaticamente convertidos em ministros. Lula já garantiu, por exemplo, que seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), que coordena essa equipe, não assumirá nenhuma pasta. Mal começou sua bem sucedida peregrinação política pela capital federal, o presidente eleito já atraiu a desconfiança do mercado ao relativizar a necessidade de um compromisso firme com a responsabilidade fiscal. Dólar disparou e a Bolsa de Valores despencou. Estaria Lula jogando fora todo o empenho da construção de uma frente ampla moderada e com uma visão mais de centro? Jair Bolsonaro continua recluso e recebendo poucas visitas, desde a derrota nas eleições. No entanto, aliados acreditam que o silêncio é proposital para preparar um ataque à isonomia do pleito. Essas suspeitas aumentaram ainda mais com o relatório produzido pelo Ministério da Defesa, que apesar de não apontar fraude, afirma que não é possível dizer se elas aconteceram. Estes são alguns dos assuntos que guia o ‘Poder em Pauta', nossa conversa semanal com os repórteres do Estadão que cobrem o dia a dia da política e das eleições. Participam desta edição Felipe Frazão e Pedro Venceslau. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Assunto
Taxa de abstenção - a incógnita final

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 28, 2022 22:33


Mais de 32 milhões de brasileiros não compareceram ao 1º turno, número que representa quase 21% do total de aptos a votar. “É um problema para a sociedade”, considera o cientista político Antonio Lavareda, convidado de Renata Lo Prete neste episódio. Na avaliação dele, não é natural que tantos abdiquem de participar do “principal momento da democracia”. Professor colaborador da Universidade Federal de Pernambuco e presidente do Conselho Científico do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), Lavareda explica como, em uma reta final tão acirrada, a abstenção se tornou variável de peso, e por que ela tem potencialmente mais impacto sobre o desempenho de quem está na frente -no caso da disputa presidencial, Lula (PT), que aparece com 5 pontos de vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL) no Datafolha divulgado nesta quinta-feira. Lavareda discute o papel da gratuidade do transporte público, ampliada no 2º turno, para garantir o exercício do voto aos eleitores mais vulneráveis. “Tirar dinheiro do bolso para votar afasta compulsoriamente muitos brasileiros da urna”, diz. E recomenda olhar com especial atenção para o comparecimento no Sudeste e no Nordeste: “A abstenção pode alterar profundamente o desenvolvimento dos fatores políticos de um país”.

O Assunto
Taxa de abstenção: a incógnita final

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 28, 2022 22:33


Mais de 32 milhões de brasileiros não compareceram ao 1º turno, número que representa quase 21% do total de aptos a votar. “É um problema para a sociedade”, considera o cientista político Antonio Lavareda, convidado de Renata Lo Prete neste episódio. Na avaliação dele, não é natural que tantos abdiquem de participar do “principal momento da democracia”. Professor colaborador da Universidade Federal de Pernambuco e presidente do Conselho Científico do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), Lavareda explica como, em uma reta final tão acirrada, a abstenção se tornou variável de peso, e por que ela tem potencialmente mais impacto sobre o desempenho de quem está na frente - no caso da disputa presidencial, Lula (PT), que aparece com 5 pontos de vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL) no Datafolha divulgado nesta quinta-feira. Lavareda discute o papel da gratuidade do transporte público, ampliada no 2º turno, para garantir o exercício do voto aos eleitores mais vulneráveis. “Tirar dinheiro do bolso para votar afasta compulsoriamente muitos brasileiros da urna”, diz. E recomenda olhar com especial atenção para o comparecimento no Sudeste e no Nordeste: “A abstenção pode alterar profundamente o desenvolvimento dos fatores políticos de um país”.

O Assunto
O papel de Minas no desfecho da eleição

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 27, 2022 23:22


Segunda maior concentração de votantes do país, único Estado do Sudeste a dar vitória a Lula (PT) em 2 de outubro. Ali, a vantagem percentual do petista sobre Jair Bolsonaro (PL) foi praticamente a mesma do resultado nacional. Isso porque, explica Bruno Carazza, Minas Gerais é, sob vários aspectos, uma síntese do Brasil. Na conversa com Renata Lo Prete, o colunista do Valor Econômico analisa o desempenho dos dois candidatos por região do Estado no primeiro turno e as seguidas visitas de ambos nas últimas quatro semanas. Avalia o peso da máquina comandada pelo governador reeleito Romeu Zema (Novo), agora a serviço do presidente. E elenca também os apoios reunidos por Lula, que luta para conservar ao menos parte dos cerca de 600 mil votos de dianteira que obteve entre os mineiros. Carazza chama a atenção ainda para os números da abstenção, que foi elevada em partes do interior. Em Minas, conquista estratégica para a vitória nacional, “cada voto conta”.

O Antagonista
FHC evoca Plano Real para pedir voto em Lula

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 27, 2022 0:23


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC, foto) gravou um vídeo para pedir voto a Lula (PT). Ele evoca o Plano Real na mensagem: “Meus amigos e minhas amigas, você, que melhorou de vida com o Plano Real e acredita no Brasil, nestas eleições não tenha dúvida: vote no 13, vote no Lula, porque ele vai melhorar ainda mais a sua vida.” O vídeo foi distribuído pelas redes sociais do petista, que, às vésperas da segunda disputa eleitoral entre os dois, em 1998, chamou o Plano Real de "fantasia". "O povo tem que aprender que ninguém pode viver de fantasia o tempo inteiro", disse Lula após ato com sindicalistas no dia 1º de julho de 1998. "Não há o que comemorar. O Brasil está à beira do caos com essa política econômica", completou. Além de FHC, um grupo de economistas que participou da criação do Plano Real, entre eles Armínio Fraga, Pedro Malan e Persio Arida, declarou voto em Lula nesta eleição, quase trinta anos depois da disputa de 1998, e passou a participar de agendas do petista nas últimas semanas. No primeiro turno, o ex-presidente tucano havia já havia declarado apoio ao petista. Na ocasião, disse que o fazia em “defesa da democracia”. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Lula: PF foi "condescendente" com Roberto Jefferson

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 26, 2022 0:52


Lula (PT, foto) criticou a conduta da Polícia Federal na mais recente prisão de Roberto Jefferson (PTB), no último fim de semana. Durante live nessa terça-feira (25), o petista afirmou que a corporação foi "condescendente" com o ex-deputado, que atirou e jogou granadas contra agentes da corporação. "A Polícia Federal, na minha opinião, não agiu corretamente. Ela foi condescendente com ele [Roberto Jefferson]. E, ainda quando saiu, o policial foi oferecer: 'não, o senhor pode pedir o que o senhor quiser, a gente vai atender'", disse o petista, se referindo ao vídeo que a mostra a negociação amistosa entre a PF e Roberto Jefferson. "Um cidadão que fazia questão de posar armado, com rifle, revólver, pistola. Ou seja, apologia da arma não leva ninguém a lugar nenhum. A arma não educa, a arma mata", acrescentou. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

E Tem Mais
Corrida eleitoral: campanhas articulam estratégias finais antes do 2º turno

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 25, 2022 25:33


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um panorama de como as campanhas dos dois candidatos que disputam a corrida presidencial planejam buscar os votos que precisam na reta final para o segundo turno. Os mais recentes desdobramentos da disputa incluíram momentos de grande tensão, com as reações à resistência à prisão com tiros e granadas contra a Polícia Federal do ex-deputado federal Roberto Jefferson e a pressão sobre a Justiça Eleitoral para que conceda direitos de resposta aos candidatos pelo uso de desinformação em ataques na campanha. O ex-presidente Lula (PT) foi o candidato mais votado no primeiro turno, com pouco mais de 6 milhões de votos de vantagem sobre o atual presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL).  Os números de 2 de outubro e as mais recentes pesquisas eleitorais apontam uma disputa acirrada e reforçam a importância dos últimos dias de campanha. Para descrever as estratégias finais dos dois candidatos neste segundo turno, participam deste episódio os repórteres da CNN Tainá Falcão, que acompanha as movimentações de Lula ao longo da corrida eleitoral, e Leandro Magalhães, que faz a cobertura jornalística da trajetória de Bolsonaro. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Estadão Notícias
As granadas lançadas por ‘Bob Jeff' na campanha de Bolsonaro

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 25, 2022 27:42


A campanha de Jair Bolsonaro (PL) tem uma bomba para tentar desarmar a menos de uma semana das eleições do segundo turno. Roberto Jefferson, apoiador do presidente, atirou contra policiais federais, que foram até a sua residência para cumprir um mandado de prisão, expedido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), por ter descumprido as regras da prisão domiciliar. O primeiro passo foi gravar um vídeo em que o presidente diz que não tem amizade com o ex-deputado, e se referiu ao aliado como “bandido”. Além disso, a equipe do candidato do PL tenta associar Roberto Jefferson ao ex-presidente Lula (PT). Os dois foram aliados durante o governo do PT, até que o ex-deputado denunciou o esquema do Mensalão, do qual fazia parte. Bolsonaro foi criticado ainda por mandar o ministro da Justiça, Alexandre Torres, ao Rio de Janeiro para acompanhar de perto a rendição de Roberto Jefferson. A atitude foi mal vista entre os agentes de segurança e o meio político. Por ter atirado em agentes da Polícia Federal (PF), o ex-deputado foi indiciado por 4 tentativas de homicídio. Afinal, qual o impacto que esse fato terá na última semana de campanha antes das eleições do segundo turno? O caso pode inviabilizar a já difícil reeleição de Bolsonaro? No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com o cientista político e professor da FGV, Fernando Abrucio. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Alex Braga Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Chegou a hora final: as últimas cartadas de Lula e Bolsonaro

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 24, 2022 32:46


Chegamos a última semana de campanha antes do segundo turno das eleições, que acontece no dia 30 de outubro. Os candidatos têm apenas alguns dias para tentar convencer os indecisos, ou aqueles que vão votar branco e nulo, a mudar de ideia. Segundo as pesquisas eleitorais, de 6% a 7% dos entrevistados ainda se encaixam nesse grupo. Para isso, as campanhas prometem ir com tudo nas críticas a seus adversários. A equipe de Lula (PT) vai levar ao ar peças publicitárias ligando Jair Bolsonaro (PL) à pedofilia. Para isso, vão relembrar um episódio em que o presidente homenageou o ex-ditador paraguaio Alfredo Stroessner, acusado de ser pedófilo. Já o candidato do PL vai apostar em aumentar a rejeição do seu adversário através do antipetismo, relembrando as corrupções em governos petistas. Além disso, a campanha vai trabalhar para dar a entender que o presidente e seus apoiadores são vítimas de censura, após decisões recentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terem removido conteúdos de Bolsonaro. Afinal, intensificar o ataque ao adversário pode conquistar votos dos indecisos? O que podemos esperar dessa última semana de campanha?  No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre o assunto com Vitor Oliveira, cientista político da consultoria Pulso Público. Conversamos também com a repórter Renata Cafardo sobre as estratégias que as candidaturas vão utilizar nas redes sociais nesta reta final de campanha. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Jennifer Neves Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Assunto
O TSE e a avalanche de desinformação

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 21, 2022 26:08


Na largada da campanha, o presidente da Corte, Alexandre de Moraes, prometeu coibir abusos de forma “célere, firme e implacável”. Mas o volume de fake news e outras distorções tem desafiado o ministro e seus colegas, em especial neste segundo turno. Em resposta, o tribunal aumentou a pressão sobre as plataformas, abriu investigação em torno de uma rede de notícias falsas que atuaria em favor de Jair Bolsonaro (PL) e concedeu quase duas centenas de direitos de resposta - a maioria à campanha de Lula (PT). Na noite desta quinta, eles foram suspensos, até julgamento em plenário, pela ministra Maria Claudia Bucchianeri. O conjunto das medidas revela “uma estratégia combativa”, nas palavras de Rafael Mafei, professor da Faculdade de Direito da USP. Muitos, no entanto, se perguntam se o cerco não deveria ter começado mais cedo, considerando que se trata da eleição mais mentirosa e violenta já vista no país. “O TSE responde aos desafios do momento”, pondera Mafei. “E o desafio do momento é esse”. Em conversa com Renata Lo Prete, ele recupera os anos de ofensiva planejada de Bolsonaro contra a Justiça Eleitoral e seus principais representantes. E explica como essa operação de desgaste se relaciona com as dificuldades para conter o presidente dentro das regras agora.

O Antagonista
Cortes do Talks - "Alguns do Judiciário têm interesse por um candidato", diz Bolsonaro ao CD Talks

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 20, 2022 2:23


O presidente Jair Bolsonaro disse em entrevista ao CD Talks, nesta quarta-feira (19), tera percepção de que "alguns do Judiciário" teriam interesse em um candidato, ao ser perguntado sobre impacto do inquérito das fake news sobre a sua candidatura. Bolsonaro não citou nominalmente Lula (PT), seu adversário no segundo turno das eleições, marcado para o dia 30 de outubro. "O que transparece pra gente, eu não posso afirmar, é que por parte de alguns do Judiciário há um interesse por um candidato. Tanto é que censura, desmonetização, derrubada de página só existem do nosso lado. Do lado de lá, tem barbaridades acontecendo e ninguém toma providência. Obviamente, quando ataca do meu lado, como o caso dos empresários, com busca e apreensão, você desestimula pessoas que estão me apoiando a me apoiar", afirmou o presidente. "Quem mais sofreu com esse inquérito [das fake news] fui eu, quem me segue.  Há uma potencialização na censura, no meu entender, por causa das eleições", acrescentou Bolsonaro. Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Estadão Notícias
Combater a desigualdade social está no radar dos presidenciáveis?

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 20, 2022 31:06


A desigualdade social no Brasil vem crescendo a passos largos. Enquanto os 10% mais ricos possuem 80% das riquezas privadas do País (investimentos e imóveis, por exemplo), 33 milhões de pessoas vivem com insegurança alimentar, quando não conseguem realizar todas as refeições do dia. Essa desigualdade vem desde que o Brasil foi descoberto. Com a chegada dos portugueses, aqueles que eram ligados a monarquia tinham educação, saúde e riquezas, enquanto a maioria da população nativa vivia em condições análogas à escravidão. Os presidenciáveis prometem reduzir essa desigualdade, seja pelo pagamento de benefícios ou pela geração de empregos. Lula (PT) promete taxar grandes fortunas e reverter os valores para programas sociais. Jair Bolsonaro (PL) aposta no Auxílio-Brasil de 600 reais para reduzir a desigualdade. Afinal, quais são os principais desafios para diminuir a desigualdade social? O que deve estar na pauta do próximo presidente? No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre esse assunto com Carla Beni, economista e professora do MBA da FGV. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Jennifer Neves Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Católicos no alvo das campanhas e a carta aos evangélicos

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 26:51


O fator econômico era apontado como o principal tema de debate nas eleições presidenciais deste ano. Mas, o que tem tomado a frente dos embates entre os candidatos são os assuntos ligados à uma agenda religiosa, como o aborto. Lula (PT) já foi acusado de querer fechar igrejas. Jair Bolsonaro (PL) foi acusado de satanismo por causa de um encontro com maçons. No centro disso tudo está a tentativa de conquistar os votos daqueles que têm alguma crença. Pesquisa DataFolha mostra que para 60% dos eleitores a religião importa na hora do voto. Por isso, as campanhas estão investindo cada vez mais neste segmento. Enquanto Bolsonaro é preferido entre os evangélicos, Lula tem a maioria dos católicos. Mas, algumas entidades religiosas têm se posicionado contra o uso político da religião. A Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) afirmou, em nota, que a união da fé com política “desvirtua valores do Evangelho e tira o foco dos reais problemas que precisam ser debatidos e enfrentados no País”. Afinal, arrastar o debate religioso para as eleições têm um efeito prático? Qual o perigo da radicalização religiosa no embate político? No Estadão Notícias de hoje, vamos conversar sobre o assunto com a repórter de ‘Política' do Estadão, Beatriz Bulla, e com a historiadora Tayná Louise de Maria, do Programa de Pós-Graduação em História Comparada da UFRJ. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Jennifer Neves Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
A reaproximação de Moro e Bolsonaro

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 18, 2022 23:43


A dobradinha Jair Bolsonaro (PL) e Sergio Moro (União Brasil) está de volta. Depois de alguns anos rompidos pelas acusações do ex-juiz de que o presidente estaria interferindo na Polícia Federal, quando ele era ministro da Justiça e Segurança Pública, os dois resolveram fazer as pazes com o intuito de derrotar Lula (PT). Essa aproximação já se deu no primeiro turno, quando, de olho no voto bolsonarista para o Senado no Paraná, Moro declarou seu voto no candidato do PL. Não que esse voto seja surpresa, já que o ex-juiz e o petista travaram um embate de narrativas, a ponto de Moro ser considerado parcial nos julgamentos que levaram à condenação e prisão de Lula. Mas, o que não se acreditava, é que neste segundo turno Sergio Moro iria ter um papel tão ativo na campanha de Bolsonaro. No primeiro debate entre os presidenciáveis depois das eleições, na Band TV, o ex-juiz assumiu papel de assessor do presidente, dando orientações nos intervalos do evento. Afinal, qual a força de Sergio Moro como cabo eleitoral? O ex-juiz consegue atrair votos para Bolsonaro? No ‘Estadão Notícias' desta terça-feira, 18, vamos conversar com o cientista político Silvio Cascione, colunista do Estadão e diretor da consultoria Eurasia. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Erick Souza. Sonorização/Montagem: Moacir BiasiSee omnystudio.com/listener for privacy information.

Estadão Notícias
Os obstáculos de Lula e Bolsonaro até o dia 30

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 17, 2022 27:02


A vitória de Lula (PT) sobre Jair Bolsonaro (PL) no primeiro turno foi com uma margem de pouco mais de 5%. Essa diferença dá ao petista um certo favoritismo no pleito do próximo dia 30. Mas a campanha do atual presidente acredita que seja possível ultrapassar Lula no segundo turno. O desafio é grande, já que, desde a redemocratização, nunca o segundo colocado no primeiro turno conseguiu reverter a vantagem do primeiro. No entanto, um outro dado pode animar a campanha de Bolsonaro: todos os presidentes que tentaram a reeleição, venceram as eleições. Mas, para isso, é preciso ultrapassar alguns obstáculos. No caso do atual presidente, diminuir a diferença em Minas Gerais é vital, além de ganhar votos na região Nordeste. Já Lula, traça uma estratégia de ganhar votos em São Paulo e Rio de Janeiro para consolidar sua vitória. Afinal, qual o tamanho do desafio que tem Bolsonaro diante da diferença aberta por Lula no primeiro turno? E Lula? Como manter uma boa vantagem sobre o atual presidente? No Estadão Notícias de Hoje, vamos conversar sobre o assunto com o cientista político Bruno Silva, diretor de Projetos do Movimento Voto Consciente. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Erick Souza. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Assunto
Populismo: do que estamos falando?

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 17, 2022 23:53


A resposta a essa questão, que dá título ao livro recém-lançado dos cientistas políticos Thomás Zicman de Barros e Miguel Lago, passa pelo uso do termo no plural. “São populismos”, afirma Thomás. Em conversa com Renata Lo Prete, o pesquisador do Centro de Estudos Políticos da Sciences Po Paris conta que a dupla se interessou pelo tema ao constatar a utilização indiscriminada da palavra para descrever ideias e práticas de personagens tão díspares quanto Jair Bolsonaro (PL) e Lula (PT). Uma confusão que “normaliza a extrema-direita" e “estigmatiza a esquerda". Para Thomás, embora existam elementos comuns a diferentes tipos de populismo (como a oposição discursiva entre "povo" e "elites" e uma espécie de transgressão das formas tradicionais de fazer política), um abismo separa os dois projetos em questão. Em sua avaliação, o populismo de Lula é “emancipador”, porque incorpora ao debate setores subalternizados. Enquanto o de Bolsonaro seria “reacionário”, permanentemente mobilizando ressentimentos e medo de transformações sociais. Ao atrair ex-adversários, o petista “reforça sua característica conciliadora”, na contramão do entendimento do presidente de que o oponente é sempre "alguém a ser destruído".

O Antagonista
"Vice ladrão de merenda", diz Bolsonaro, sobre Alckmin

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022 0:27


Em evento de campanha em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense (foto), nesta sexta-feira (14), Jair Bolsonaro chamou Geraldo Alckmin (PSB), vice na chapa de Lula (PT), de "ladrão de merenda". "Quando se rouba, falta dinheiro para a Saúde, para a Educação, para a Segurança e para a merenda escolar", disse Bolsonaro. "E, por falar em merenda escolar, o Lula vai muito bem. O seu vice [Alckmin] é um ladrão da merenda escolar em São Paulo", acrescentou. A alfinetada foi referência a um escândalo de corrupção que atingiu o segundo mandato de Alckmin, então no PSDB, no governo de São Paulo em 2016. O esquema envolvia desvio em contratos para compra de merenda escolar em pelo menos 22 municípios do estado. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Estadão Notícias
O vazio de propostas na área econômica de Lula e Bolsonaro

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 23:33


Os candidatos à presidência da República têm sido pressionados a divulgar um plano de governo mais detalhado para os próximos quatro anos. No caso de Lula (PT), a pressão é maior na área econômica, após o petista dar alguns indicativos preocupantes ao mercado financeiro, como a derrubada do teto de gastos. Devido ao ruído, a campanha de Lula tenta contornar a situação, principalmente, com economistas respeitados no meio político. O escolhido para mostrar que Lula será moderado na área foi Henrique Meirelles, que pode vir a ser o futuro ministro da Economia em um governo petista. O apoio dos “pais” do Plano Real, também serviu para acalmar o mercado. No entanto, a mesma cobrança não é feita para Jair Bolsonaro (PL), que ainda não decidiu se Paulo Guedes continua no governo em caso de uma reeleição. O atual presidente tem sido vago também sobre a questão do teto de gastos, que foi implodido em sua gestão. Por que planos de governo não são levados a sério? Quais serão as âncoras fiscais de Lula e Bolsonaro? No Estadão Notícias de hoje, vamos conversar com a repórter e colunista de Economia do Estadão, Adriana Fernandes. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Erick Souza. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

E Tem Mais
Giro pelo Brasil: estados das cinco regiões vão eleger governador no 2° turno

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 29:27


Neste episódio do E Tem Mais, depois de abordar as disputas em São Paulo, Bahia e Rio Grande do Sul, Carol Nogueira apresenta um balanço das expectativas para o segundo turno das eleições que vão definir o governador de outros nove estados espalhados pelas cinco regiões do Brasil. Em Santa Catarina, no Espírito Santo, em Alagoas e no Amazonas, os embates refletem a polarização do cenário nacional, com duelos entre aliados do ex-presidente Lula (PT) contra candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Em Pernambuco e na Paraíba, o PSDB aposta na neutralidade na corrida ao Planalto para tentar reverter a vantagem de nomes que têm o apoio do presidenciável petista neste segundo turno. Em dois estados, Mato Grosso do Sul e Rondônia, a disputa é restrita a candidatos que apoiam a campanha de Bolsonaro à reeleição. E, em Sergipe, os nomes que se enfrentam no segundo turno se mobilizam para conquistar mais eleitores de Lula no estado, onde o petista teve mais de 60% dos votos no primeiro turno. Para traçar um panorama das eleições estaduais em todos esses lugares, participam deste episódio os repórteres da CNN Carol Queiroz, de Manaus, Valéria Santana, de Aracaju, e Divino Caetano, de Porto Velho, e o analista de política Leandro Resende. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Os Pingos nos Is
Os Pingos nos Is - 10/10/2022 - Zema rebate Lula/ PT abre os cofres/ Plano de Bolsonaro para o STF

Os Pingos nos Is

Play Episode Listen Later Oct 10, 2022 118:05


Os Pingos nos Is - Edição Completa - 10/10/2022See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Lula fala em debates "sem baixo nível" e chama Bolsonaro de "boquirroto"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 10, 2022 0:51


Lula (PT) disse nesta segunda (10), em entrevista à Super Rádio Tupi, que vai participar dos debates do segundo turno sem “baixo nível”. Ao falar sobre o tema, o petista voltou a criticar o comportamento do presidente Jair Bolsonaro (PL). “Nos debates, da minha parte não haverá baixo nível, nem jogo rasteiro. Quando eu estiver com o microfone, eu estarei falando com o Brasil e não com o presidente. Eu tenho visto o presidente meio nervoso, meio boquirroto, xingando as pessoas”, disse Lula (foto), que discutiu com Padre Kelmon (PTB) no último debate do primeiro turno, na Globo. A palavra Boquirroto é usada para se referir a pessoas que falam demais ou para quem não consegue guardar segredos. Bolsonaro e Lula confirmaram presença no primeiro debate do segundo turno, que será realizado pelo UOL, Band, Folha de S.Paulo e TV Cultura. O evento está agendado para 16 de outubro. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

PODCAST A+
Podcast A+ I 125 - Eleições 2022: o xadrez do 2º turno

PODCAST A+

Play Episode Listen Later Oct 8, 2022 65:56


Com a primeira semana do 2º turno chegando ao fim, o Podcast A+ faz uma análise da nova fase da corrida eleitoral, tanto da eleição presidencial quanto das disputas estaduais. No xadrez nacional, as campanhas de Lula (PT) e de Bolsonaro (PL) têm trabalhado intensamente na costura de alianças. O episódio avalia o peso dos apoios já conquistados pelos dois candidatos e também se debruça sobre os resultados do 1º turno para decifrar os principais recados das urnas. Com medição do jornalista Rafael Lisbôa, o bate-papo reuniu o sócio-diretor do Instituto FSB Pesquisa e da FSB Inteligência, Marcelo Tokarski, e os analistas políticos Alon Feuerwerker e Marcio de Freitas. O Podcast A+ faz parte da plataforma Bússola, uma parceria entre a Revista Exame e o Grupo FSB.

O Antagonista
Jair Bolsonaro insinua que STF pretende cassar o mandato de Lula, caso ele seja eleito

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 7, 2022 0:56


O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) apontou contra o candidato à vice na chapa de Lula (PT), Geraldo Alckmin (PSB). Em uma live em frente ao Palácio da Alvorada, nesta sexta-feira (7) Bolsonaro disse que o Supremo quer Lula eleito para cassar o mandato do petista e colocar no lugar dele Geraldo Alckmin. “Que vontade de caçar o Lula quando ele chegar para o Alckmin amigo íntimo de [Alexandre] Moraes assumir o governo”, disse. Antes de integrar o PSB, Geraldo Alckmin era filiado ao PSDB, partido de centro-direita ao qual pertence ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Nesta semana, economistas que participaram da elaboração do plano real durante a era FHC declararam apoio à Lula. Bolsonaro também resgatou uma acusação antiga contra Geraldo Alckmin para tentar associá-lo ao tema corrupção. “Quando se rouba no Brasil, falta para saúde e educação, falta para fralda geriátrica, falta para farmácia popular, falta para merenda escolar. Por falar em merenda o Alckmin entende muito de desvio de merenda também, que é vice dele” Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Notícias Brasil de Fato MG
Neste domingo (9), Lula participa de caminhada em BH

Notícias Brasil de Fato MG

Play Episode Listen Later Oct 7, 2022 0:55


Membros da coordenação da campanha de Lula (PT) confirmaram, pelas redes sociais, a vinda do petista à capital mineira, no próximo domingo (9). No dia, está programada uma caminhada com apoiadores, a partir das 10h, com concentração na Praça da Liberdade e encerramento na Praça Raul Soares, no Centro de Belo Horizonte. Com a atividade, o presidenciável busca dar ainda mais fôlego para a disputa no segundo maior colégio eleitoral do país. Na votação de 2 de outubro, o petista já conquistou a maioria dos votos válidos em Minas e, além de mantê-los, busca ampliar a preferência. No primeiro turno, Lula obteve 48,3% dos votos válidos em Minas, contra 43,6% de Jair Bolsonaro (PL). “Temos a tarefa de dar visibilidade à campanha, com diálogo nos bairros, bandeiraços e ações de massas. Com a vinda a Minas, Lula terá condições de falar sobre aquilo que ele se compromete a fazer se for eleito presidente da República”, contou Beatriz Cerqueira, deputada estadual reeleita pelo Partido dos Trabalhadores.

Estadão Notícias
A disputa ‘diabólica' nas campanhas de 2º turno

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 7, 2022 37:14


Apesar da onda de descrença, as pesquisas eleitorais começam a divulgar seus levantamentos para o segundo turno, nesta semana. De acordo com o Ipec, Lula (PT) tem 55% dos votos válidos, contra 45% de Jair Bolsonaro (PL). Na Quaest, o cenário foi bem parecido. O petista tem 54% dos votos válidos, enquanto o atual presidente tem 46%. No entanto, esses números podem sofrer alterações até o dia 30 de outubro, já que os presidenciáveis começaram a reunir apoios para esta fase da eleição. O atual presidente conseguiu reunir um grande número de governadores eleitos em primeiro turno, caso de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná. Já o petista, tem no seu palanque os ex-candidatos Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), além de figuras históricas, como Fernando Henrique Cardoso. Agora, as campanhas traçam estratégias para tentar reduzir a rejeição de seus candidatos em algumas localidades. Enquanto Lula intensifica os comícios no Sul e no Sudeste, Bolsonaro pretende investir mais no Nordeste. Além disso, os dois candidatos “brigam” pelo espólio de eleitores deixados por Ciro Gomes e Simone Tebet. Esses são os assuntos que guiam nossa conversa do “Poder em Pauta” com os jornalistas que acompanham o dia a dia da política. Participam no episódio de hoje do Estadão Notícias, Pedro Venceslau, de São Paulo, e Felipe Frazão, diretamente da capital federal. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
“Se apoiar Lula, vai tomar decisão isolada”, diz Ibaneis, sobre Tebet

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 0:42


Após reforçar seu apoio a Jair Bolsonaro (PL) na corrida presidencial, o governador do DF Ibaneis Rocha (MDB) comentou, em entrevista coletiva, a aliança entre Simone Tebet (MDB) e Lula (PT) no segundo turno, que deve ser anunciada em breve. Segundo ele, se a senadora emedebista, que disputou o Planalto pelo partido, trabalhar pela reeleição do petista, será uma "decisão isolada".  "Ela nunca chegou a me ligar, nem durante o período da eleição. A Simone, como candidata e representante do MDB, não teve diálogo com os governadores. Agora, neste momento, vai tomar uma decisão, mais um vez, isolada se ela for apoiar o presidente Lula", disse Ibaneis, que foi reeleito no último domingo (2). O governador, que foi ao Palácio da Alvorada nesta manhã, também confirmou que a direção do MDB deve liberar os integrantes do partido para apoiarem quem quiserem no segundo turno do pleito. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Simone Tebet declara voto em Lula "Depositarei nele o meu voto"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 0:42


Simone Tebet (MDB) declarou, em pronunciamento nesta quarta-feira (5), que apoiará Lula (PT) no segundo turno das eleições presidenciais deste ano. “O que está em jogo é muito maior do que cada um de nós”, disse a emedebista. Ela foi a terceira colocada na disputa presidencial, com 4,16% dos votos válidos. “Nos últimos quatro anos, o Brasil foi abandonado na fogueira do ódio e das desavenças. A negação atrasou a vacina, a arma ocupou o lugar dos livros. A iniquidade fez curvas a esperança. A mentira feriu a verdade”, afirmou Tebet. “Por tudo isso […], depositarei nele [Lula] o meu voto”. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Assunto
2º turno: o papel dos palanques estaduais

O Assunto

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 31:14


Dois dias depois de fechadas as urnas, Jair Bolsonaro (PL) já obteve a adesão declarada dos governadores dos três maiores colégios eleitorais do país. Uma movimentação rápida que busca reverter, pela via das alianças, a vantagem de cerca de 6 milhões de votos obtida nas urnas por Lula (PT). Neste episódio, Renata Lo Prete conversa com Bernardo Mello Franco sobre a importância das máquinas públicas locais para dar capilaridade e tração às campanhas. “São Paulo é decisivo”, afirma o colunista do jornal O Globo e comentarista da rádio CBN. Bolsonaro precisa aumentar sua vantagem no Estado e, para isso, conta com a associação ao favorito na disputa local, Tarcísio de Freitas (Republicanos), e o recém-conquistado “apoio incondicional” do atual governador, Rodrigo Garcia (PSDB). Do outro lado, Lula enfrenta um “uma situação crítica” para conquistar novos votos dos paulistas, dada a força demonstrada pelo bolsonarismo, especialmente no interior. No Rio, Cláudio Castro (PL) deve mobilizar “a maioria esmagadora dos prefeitos e deputados estaduais” em favor do presidente. Em Minas, avalia Bernardo, o empenho real do reeleito Romeu Zema (Novo) ainda “é uma incógnita”. O jornalista analisa também a situação na Bahia e no Rio Grande do Sul.

E Tem Mais
Rumos da campanha eleitoral: 2º turno reorganiza estratégias de Lula e Bolsonaro

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Oct 4, 2022 25:15


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço das movimentações e das possíveis estratégias dos candidatos que disputam o segundo turno das eleições presidenciais de 2022. Com quatro semanas de campanha pela frente, o ex-presidente Lula (PT) e o atual presidente e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro (PL), já se articulam na busca por votos para o segundo turno da corrida presidencial em 30 de outubro. Uma das dúvidas é qual será o destino dos votos de eleitores que não escolheram nenhum dos dois no primeiro turno da disputa. Na leitura dos números da apuração de 2 de outubro, a vantagem de Lula na votação do primeiro turno é o principal motivo de otimismo para a campanha petista. Já do lado de Bolsonaro, os bons resultados obtidos por aliados do presidente – em especial, na região Sudeste – abrem caminho para a expectativa de uma possível virada no segundo turno. Para traçar um panorama das reações aos resultados do primeiro turno e dos rumos da campanha até a definição da disputa pela Presidência, participam deste episódio o pesquisador Renato Meirelles, presidente do Instituto Locomotiva, e o analista de política da CNN Iuri Pitta. Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

O Antagonista
Jair Bolsonaro diz que deve se reunir com Garcia para discutir aliança

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 4, 2022 1:27


Jair Bolsonaro (PL) disse que deve se encontrar com o governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), para discutir uma eventual aliança no segundo turno da eleição presidencial contra Lula (PT). O candidato à reeleição deu a declaração nesta terça (4), em coletiva no Palácio da Alvorada, após receber apoio formal do governador Romeu Zema (Novo), que venceu mais uma vez em Minas Gerais. “Está previsto [que isso ocorra] pessoalmente, mas ainda não bati o martelo. Seria no aeroporto lá [Congonhas] esse encontro.” Ao falar sobre o tema, Bolsonaro também afirmou que sua agenda está apertada e que sua equipe de campanha está trabalhando para que a reunião ocorra. O presidente disse que pretende “falar sobre política” com o tucano, para decidir se haverá ou não um “noivado”. “Eu acredito que, naturalmente, uma parte considerável do PSDB viria comigo em São Paulo, porque não vai apoiar o PT, até pelo histórico de Lula e o estrago que o Haddad fez. Ele foi o pior prefeito da história da capital paulista. […] O Haddad, quando era ministro da Educação, investiu em pautas contra os costumes e a família. Aquela história do kit [gay] e agora a Justiça Eleitoral decidiu fazer censura para tudo, né, [mas] não faz para eles. A meu favor não tem nada. Eu tenho que fazer a live aí fora [do Palácio da Alvorada]”, acrescentou Bolsonaro, se queixando novamente de decisões da Justiça Eleitoral. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Ao lado de Bolsonaro, Zema oficializa apoio no 2º turno

O Antagonista

Play Episode Listen Later Oct 4, 2022 0:52


Romeu Zema (NOVO; foto) declarou apoio formal à candidatura de Jair Bolsonaro (PL) no segundo turno presidencial contra Lula (PT). O encontro de ambos ocorreu nesta terça-feira (4) no Palácio da Alvorada, em Brasília. Reeleito em primeiro turno no último domingo (2), o mineiro se mantinha neutro até então. “Eu estou aqui para declarar meu apoio à candidatura do presidente Bolsonaro, porque eu, mais que ninguém, herdei uma tragédia”, disse Zema em seu discurso. “Em muitas coisas convergimos e [em] outras não, mas é o momento em que o Brasil precisa caminhar pra frente, e eu acredito muito mais na proposta do presidente Bolsonaro do que {na d]o adversário dele.” Zema comparou os governos do PT a um atleta com anabolizantes: “O que o PT fez com o Brasil foi isso: maquiou um problema econômico”. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Estadão Notícias
A vitória do bolsonarismo no 1º turno

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 28:55


Para quem esperava uma eleição mais previsível, neste domingo, se enganou. O resultado das urnas mostrou um voto muito diferente das pesquisas eleitorais. A aguardada vitória no primeiro turno de Lula (PT) não veio, longe disso, o petista ficou apenas 5% à frente do atual presidente. Agora, o pleito será decidido no próximo dia 30 de outubro. Mas o bolsonarismo pode comemorar, não apenas pelo feito de levar Jair Bolsonaro (PL) para o segundo turno, mas também por conseguir eleger vários apoiadores do presidente, tanto para governador, como para senador. Um dos exemplos foi Cláudio Castro (PL), que venceu no Rio de Janeiro. Já em São Paulo, além de levar seu candidato Tarcísio de Freitas (REP) para o segundo turno, conseguiu emplacar o astronauta Marcos Pontes no Senado. Para o PT, sobrou a esperança de ter obtido mais votos que Bolsonaro e uma possível conquista de votos de Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB). Além disso, Lula confirmou o seu amplo favoritismo no Nordeste e tem a missão de melhorar seu desempenho no Sul e Sudeste. Na edição de hoje do podcast ‘Estadão Notícias', vamos analisar os resultados das urnas com Luiz Bueno - professor de Filosofia da FAAP e Coordenador do Núcleo de Filosofia Política do Laboratório de Política, Comportamento e Mídia da PUC-SP e com Tathiana Chicarino, Cientista Política. Professora de pós- graduação da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Lula se defende de Bolsonaro: "Celso Daniel era meu amigo"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 1:12


No debate presidencial na Globo, agora há pouco nesta quinta-feira (29), Lula (PT) se defendeu de acusação de envolvimento no assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel, em 2002. Jair Bolsonaro (PL) insinuou envolvimento do petista no assassinato em pergunta a Simone Tebet (MDB). Concedido direito de resposta a Lula, ele rebateu: “Não é possível conviver com alguém com a cara de pau do presidente. O Celso Daniel era meu amigo, ele foi chamado da prefeitura para coordenar o meu programa de governo de 2002″. “Agora, você culpar o Lula da morte do Celso Daniel? Seja responsável, você tem uma filha de dez anos vendo o programa que está gravando“, acrescentou. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

UOL Entrevista
Sabatina com vices: Geraldo Alckmin (candidato na chapa de Lula): 'É difícil perdedor dar golpe; não vejo clima'

UOL Entrevista

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 63:40


Candidato à vice-presidência na chapa de Lula (PT), Geraldo Alckmin (PSB) é sabatinado nesta quinta-feira (29). A sabatina é conduzida por Kennedy Alencar e pelos jornalistas Leonardo Sakamoto, do UOL, e Fernanda Mena, da Folha de S. Paulo

O Antagonista
"Lula é contra, eu sou contra", diz Alckmin sobre o aborto

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 29, 2022 1:06


Em entrevista a um podcast voltado para o público evangélico, Geraldo Alckmin (PSB, na foto) afirmou que ele e Lula (PT) são contra o aborto, informa O Globo. O ex-governador paulista e ex-tucano, hoje candidato a vice na chapa presidencial do petista, disse também que nem sequer é tarefa do governo federal discutir o assunto, e sim do Congresso. Alckmin, porém, afirmou acreditar que não vá mudar “nada da lei atual”. “O povo precisa ter todas as informações. Então, aborto: o presidente Lula é contra, eu sou contra. Ele foi presidente oito anos e não mudou lei nenhuma, nenhuma, nenhuma. O que é dever você fazer são políticas públicas de saúde. É preciso os jovens terem educação e informação, até para não ter gravidez indesejada”, declarou o ex-governador ao podcast SIMpodCRER. A entrevista é mais uma tentativa da chapa Lula-Alckmin de ganhar votos entre os evangélicos, segmento em que Jair Bolsonaro, o segundo nas pesquisas, tem desempenho melhor. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Assunto
A reta final da disputa pela Presidência

O Assunto

Play Episode Listen Later Sep 29, 2022 24:36


A três dias de uma eleição em que as últimas pesquisas têm se movido quase que exclusivamente dentro das margens de erro, o grande suspense diz respeito ao encerramento ou não neste domingo. Analisando precedentes históricos e dados de conjuntura, a consultoria internacional Eurasia estima entre 20% e 25% as chances de Lula (PT) vencer no primeiro turno. Mas, segundo seu diretor-executivo, Christopher Garman, essa previsão ainda pode ser revista, para mais ou para menos, em função de pelo menos duas variáveis: “o voto útil dos eleitores de Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) e o impacto do debate da Globo” (a ser realizado na noite desta quinta-feira). Em conversa com Renata Lo Prete, Garman fala também das expectativas externas em torno do próximo mandato presidencial. “Os investidores estão divididos, mas a maioria acredita que o cenário com Lula seria mais construtivo”, afirma, entre outras razões porque dele esperam “reversão total de curso no tema ambiental”. Quanto à possibilidade de reeleição de Jair Bolsonaro (PL), que a Eurasia hoje avalia ser de 30%, a resenha dos investidores varia entre “reconhecimento de que a gestão macroeconômica não tem sido ruim” e preocupações “com o ruído institucional” que o presidente provoca. Segundo o analista, “eventos curtos” de questionamento dos resultados por Bolsonaro, em caso de derrota, “não devem ter grandes consequências” para o mercado, embora não sejam “saudáveis para nenhuma democracia”.

O Antagonista
Jair Bolsonaro repete que Lula não foi absolvido: "Delatores vão pedir dinheiro de volta"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 29, 2022 2:09


Durante live nesta quarta-feira (28), Jair Bolsonaro (PL) repetiu que o também candidato Lula (PT) não foi absolvido pela justiça no caso do triplex do Guarujá. "Mentira, ele não foi absolvido [...]. O Gilmar [Mendes] fez parte daquela votação que descondenou o Lula e o processo voltou para primeira instância. E o Lula já fala, além de não pagar os cartões de milhões, o Lula vai entrar com uma ação de indenização junto ao Estado brasileiro. Ele quer ser ressarcido do tempo que ficou preso. E pode ter certeza que todos os delatores que devolveram dinheiro vão pedir dinheiro de volta, com juros e correções monetárias", disse o presidente aos internautas. Na última terça-feira (27), Gilmar Mendes suspendeu a cobrança de R$ 15 milhões contra Lula por parte da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O ministro do STF alegou que as provas do processo seriam originárias da Lava Jato e teriam sido anuladas pelo Supremo, o que auditores fiscais contestam. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Gilberto Kassab admite possível conversa com Lula se houver 2º turno

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 3:48


O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, afirmou, em entrevista publicada nesta terça-feira (27), que, caso haja um segundo turno presidencial, negociar um possível apoio a Lula (PT) será uma "prioridade". Como anunciado em julho, o partido está neutro na disputa pelo Planalto, pelo menos durante o primeiro turno. Ele deu as declarações desta terça a O Estado de S. Paulo. "Não vou falar isso antes de discutir internamente, mas posso dizer que é uma prioridade importante", disse ao ser questionado sobre a possibilidade de, nas palavras do Estadão, "entrar na mesa de conversas para um apoio no segundo turno ao Lula". Kassab também afirmou que outra prioridade do PSD será a reeleição de Rodrigo Pacheco, do próprio partido, à presidência do Senado em 2023. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Instituto Paraná, 1º turno: Lula 42,7% x Bolsonaro 36,4%

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 3:58


Levantamento do Instituto Paraná divulgado hoje sobre a corrida ao Planalto mostra Lula (PT) na liderança, com 42,7% das intenções de voto na pesquisa estimulada. Jair Bolsonaro (PL) aparece na sequência, com 36,4%. Ciro Gomes (PDT) tem 5,6%, e Simone Tebet (PDT), 5%. Os demais candidatos aparecem com menos de 1%. Brancos e nulos somam 4,6%, assim como os que não sabem/não responderam. Na rodada anterior, publicada na semana passada, Lula tinha 40,1%, e Bolsonaro, 36,4%. Ou seja, o petista cresceu 2,6 pontos percentuais, enquanto o presidente se manteve estável. Ciro tinha 7,2%, e Tebet, 4,6%. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Na espontânea, Lula tem 35%, Bolsonaro, 31,2%, Ciro, 3%, e Tebet, 2,2%. Os que não sabem/não responderam totalizam 22,4%, e os brancos e nulos, 5,7%. Foram ouvidos 2.020 eleitores entre os dias 22 e 26 de setembro. O levantamento está registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo BR-03928/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Ipec: Bolsonaro foi o único presidenciável que teve alta na rejeição durante campanha

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 2:49


Jair Bolsonaro (PL) foi o único candidato ao Planalto que viu sua taxa de rejeição crescer nas pesquisas Ipec além da margem de erro, de dois pontos percentuais. Como mostramos, o índice do atual presidente da República está em 51%, de acordo com a sondagem divulgada ontem. Na metade de agosto, eram 46%. Lula (PT) era rejeitado por 33% do eleitorado, taxa que agora é de 35%. A variação está no limite da margem de erro. A rejeição a Ciro Gomes (PDT) passou de 18% para 14%, enquanto a de Simone Tebet (MDB) permaneceu em 6% no período. Como mostramos, no levantamento geral, Lula aparece com 48% das intenções de voto, contra 31% de Bolsonaro. Ciro oscilou um ponto para baixo e agora tem 6%; Tebet manteve seus 5%. Soraya Thronicke (União Brasil) e Luiz Felipe D'Avila (Novo) aparecem com 1%; os demais candidatos não pontuaram. O instituto entrevistou 3.008 pessoas em 183 municípios brasileiros entre o sábado (24) e esta segunda (26). A pesquisa está registrada no TSE como BR‐01640/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - Genial/Quaest: Lula abre 14 pontos de vantagem sobre Bolsonaro no 2º turno

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 28, 2022 9:48


Levantamento Genial/Quaest divulgado hoje aponta que, num eventual 2º turno entre Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL), o petista tem 52% das intenções de voto, contra 38% do atual presidente da República. Brancos e nulos somam 6%, enquanto os indecisos totalizam 4%. Na pesquisa anterior, Lula tinha 50%, e Bolsonaro, 40%. Ou seja, o petista oscilou dois pontos percentuais para cima, e o presidente, dois para baixo. As oscilações estão no limite da margem de erro. Com isso, Lula abriu 14 pontos de vantagem sobre Bolsonaro. Foram ouvidas duas mil pessoas entre os dias 24 e 27 de setembro. A sondagem está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR 04371/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

SBS Portuguese - SBS em Português
Notícias da Austrália e do Mundo | 27 setembro | SBS Portuguese

SBS Portuguese - SBS em Português

Play Episode Listen Later Sep 27, 2022 10:26


A 5 dias das eleições para presidente do Brasil, Ciro Gomes (PDT) afirma que não desistirá da candidatura em nome do "voto útil". Na última pesquisa Ipec, Lula (PT) está na margem de erro para vencer no primeiro turno

O Antagonista
Cortes do Papo - Ipec: Lula mantém chance real de vitória em primeiro turno

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 27, 2022 3:55


O Ipec (ex-Ibope) acaba de divulgar sua mais nova pesquisa presidencial. Segundo o instituto, Lula (PT, na foto) abriu 17 pontos de vantagem sobre Jair Bolsonaro (PL, na foto). O petista oscilou um ponto para cima desde o levantamento anterior, divulgado em 19 de setembro, e agora aparece com 48%; o presidente manteve os mesmos 31%. Ciro Gomes (PDT) oscilou um ponto para baixo e agora tem 6%; Simone Tebet (MDB) manteve seus 5%. Soraya Thronicke (União Brasil) e Luiz Felipe D'Avila (Novo) aparecem com 1%; os demais candidatos não pontuaram. Há ainda 4% de brancos/nulos e 4% de indecisos. Contando só os votos válidos, Lula obtém 52% contra 34% de Bolsonaro; isso significa que, dentro da margem de erro, o petista mantém chances de vencer em primeiro turno. O Ipec ouviu 3.008 pessoas entre os dias 25 e 26 de setembro. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Estadão Notícias
O voto útil, o ‘voto envergonhado' e a abstenção

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Sep 23, 2022 34:45


Jair Bolsonaro (PL) aproveitou os holofotes que teria em dois importantes eventos internacionais para fazer campanha. No velório da Rainha Elizabeth II, na Inglaterra, o presidente subiu na sacada da embaixada brasileira e discursou para apoiadores, onde criticou a esquerda e disse que vencerá a eleição no primeiro turno. O mesmo se repetiu na Assembléia-Geral da ONU, em Nova York, nos Estados Unidos. Enquanto o mundo usou o espaço para mostrar preocupação em relação à guerra na Ucrânia, Bolsonaro resolveu criticar seus adversários e promover seu governo. Já no Brasil, o presidente confirmou sua participação no debate do Estadão/Rádio Eldorado, em parceria com SBT, CNN, Terra, Nova Brasil e Veja, no sábado (24). Enquanto isso, o líder das pesquisas, Lula (PT), ainda não disse se comparecerá ao embate. A possível recusa do petista virou alvo de ataques de seus adversários. Por outro lado, a campanha de Lula voltou suas forças à tentativa de convencer o eleitor de Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) a mudar o seu voto em favor do petista, visando uma vitória em primeiro turno. Um evento com a presença de Caetano Veloso, Chico Buarque e Anitta, está sendo preparado para convencer esse eleitor. O grupo ganhou o reforço do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que divulgou uma nota defendendo o voto “pró-democracia”. Esses são os assuntos que guiam nossa conversa do “Poder em Pauta” com os jornalistas que acompanham o dia a dia da política. Participam no episódio de hoje do Estadão Notícias, Pedro Venceslau, de São Paulo, e Felipe Frazão, diretamente da capital federal. O Estadão Notícias está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg e Gabriela Forte. Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Assunto
Voto útil: em que medida ele pode influir

O Assunto

Play Episode Listen Later Sep 22, 2022 21:11


A menos de duas semanas da votação, as pesquisas permitem a Lula (PT) sonhar com a possibilidade de liquidar a disputa com Jair Bolsonaro (PL) no 1º turno - no Datafolha e no Ipec mais recentes, o ex-presidente tem, respectivamente, 48% e 52% pelo critério de votos válidos, que exclui brancos e nulos (para vencer na etapa inicial, é preciso obter nas urnas 50% dos válidos e mais um). Nesse cenário, muito se especula sobre o papel do chamado voto “útil” ou “estratégico”, aquele em que o eleitor “rejeita tanto um candidato” a ponto de votar principalmente para derrotá-lo - ainda que, no processo, abandone seu postulante favorito, define Mauro Paulino, comentarista da GloboNews. Em conversa com Renata Lo Prete, ele avalia as chances de eleitores de Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) migrarem para o petista nesta reta final. É possível, afirma o sociólogo. Ele alerta, porém, para o fato de que muita migração já ocorreu, e as taxas de convicção estão elevadas, restando pouca margem para “surpresas”. Paulino recomenda prestar atenção, em 2 de outubro, à taxa de abstenção, “que pode aumentar devido às ameaças de violência”. Tal hipótese, segundo ele, tenderia a prejudicar o candidato do PT: historicamente, são os mais pobres (entre os quais a liderança de Lula é absoluta) que mais se abstêm.

O Antagonista
Cortes do Papo - "Vai ser um Perón", diz Tebet, sobre Lula

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 19, 2022 6:34


Simone Tebet (MDB) comparou Lula (PT) ao ex-presidente da Argentina Juan Domingo Perón, que governou o país por 10 anos no total em três décadas diferentes, para acusá-lo de querer se perpetuar no poder. Ela deu a declaração em sabatina organizada pelo Estadão e pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP) nesta segunda-feira (19). "Eu não acredito no governo Lula. Por isso, eu sou candidata. Eu não consigo visualizar (apoio), a não ser o papel que nós temos de fortalecimento de um pacto a favor do Brasil que começa e não termina agora", disse Tebet. "Vai ser um Perón", concluiu. A presidenciável também negou a existência de negociações com a campanha do petista para apoiá-la em um eventual segundo turno contra o presidente Jair Bolsonaro (PL). "Eu não converso com Lula. Sabe quando eu conversei com Lula, e até ele foi gentil em me cumprimentar e fazer uma brincadeira comigo, foi no dia do debate (da Band). Eu não tenho o celular dele e não sei com quem ele fala", relatou Tebet. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Em Londres, Bolsonaro se irrita e encerra entrevista após pergunta sobre uso eleitoral de viagem

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 19, 2022 0:32


Jair Bolsonaro (foto) encerrou uma entrevista após ser questionado sobre o uso eleitoral de sua viagem a Londres, para acompanhar o funeral da rainha Elizabeth II. Irritado com a pergunta, o presidente da República e candidato à reeleição afirmou: "Você acha que vim aqui fazer política? Pelo amor de Deus, não vou te responder não. Pelo amor de Deus, não tem uma pergunta decente? Compara o Brasil com os Estados Unidos, com o resto do mundo. Faça uma pergunta decente." Após a declaração, na saída da casa do embaixador do Brasil no Reino Unido, Bolsonaro virou as costas e deixou o local. Como mostramos, Soraya Thronicke (União Brasil) e Lula (PT) acionaram o TSE para que o presidente seja proibido de usar imagens da viagem em campanha eleitoral. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

O Antagonista
Cortes do Papo - BTG/FSB, 1º turno: Lula 44% X Bolsonaro 35%

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 19, 2022 2:45


Nova pesquisa BTG/FSB sobre a corrida ao Planalto, divulgada hoje, mostra Lula (PT) na liderança, com 44% das intenções de voto no primeiro turno, contra 35% de Jair Bolsonaro (PL). Em relação ao levantamento anterior, publicado na semana passada, o petista oscilou 3 pontos percentuais para cima, enquanto o presidente da República se manteve estável. Ciro Gomes (PDT) tem 7% e Simone Tebet (MDB), 5%. Como a margem de erro é de 2 pontos percentuais, o pedetista e a emedebista estão tecnicamente empatados. Na comparação com a rodada anterior, os dois oscilaram 2 pontos para baixo. Os demais candidatos têm 1% ou menos. Os brancos e nulos somam 4%, enquanto os indecisos representam 3%. A pesquisa realizou 2.000 entrevistas por telefone entre os dias 16 e 18 de setembro e está registrada no TSE sob o protocolo BR-07560/2022. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista