Podcasts about houve

  • 634PODCASTS
  • 1,154EPISODES
  • 29mAVG DURATION
  • 5WEEKLY NEW EPISODES
  • Dec 2, 2022LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022

Categories



Best podcasts about houve

Latest podcast episodes about houve

Paracatu Rural - Jornal do agronegócio
Primeiro dia de dezembro marcado por queda no CAFÉ, na SOJA, no TRIGO e no MILHO.

Paracatu Rural - Jornal do agronegócio

Play Episode Listen Later Dec 2, 2022 14:15


Houve queda forte na soja e no café nesse primeiro dia de dezembro no mercado internacional. O óleo de soja caiu algo em torno de 6%. Outros grãos como o trigo e milho também fecharam em baixa. O relaxamento das restrições em razão do Covid-19 na China está impactando as commodities em todo o mundo. O agente autônomo de investimento, João Santaella Neto, explica como foi essa quinta-feira nas bolsas internacionais.

Rádio CNseg: conteúdo que informa e protege
Reflexos do Open Insurance nas áreas de controle é um dos temas de seminário na CNseg

Rádio CNseg: conteúdo que informa e protege

Play Episode Listen Later Dec 1, 2022 3:10


Nesta quarta-feira aconteceu o Seminário Controles Internos & Compliance, Auditoria e Gestão de Riscos, organizado pela Confederação Nacional das Seguradoras, no auditório da CNseg, no Rio de Janeiro. Houve debates sobre os principais assuntos da agenda dos profissionais ligados a essas atividades. O presidente da Comissão de Governança e Compliance da CNseg, Eugênio Felipe destacou a importância da realização do evento. Os reflexos do Open Insurance no Sistema de Controles Internos, Estruturas de Gestão de Riscos e Atividades de Auditoria Internas foi um dos tópicos do evento. Diretor-executivo da CNseg, Alexandre Leal, destaca que o Open Insurance também é uma questão de gestão e não só de tecnologia. E explica o porquê. Para mais informações sobre o evento e sobre o mercado de seguros, acesse o site. CNseg.org.br

LIVRA-TE
#53 - Clube do Livra-te de Novembro e Escolhas de Dezembro

LIVRA-TE

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 40:28


Esta semana falamos das leituras do Clube do Livra-te de Novembro (⚠️COM SPOILERS, JÁ SABEM ⚠️), o mês que parecia nunca mais acabar. Para alguns correu bem, para outros nem por isso, enfim, o normal. Houve também tempo para falar das escolhas para Dezembro e as expectativas que temos. Sobre os livros de Novembro: - Tomorrow, and Tomorrow, and Tomorrow, Gabrielle Zevin (04:45) - The Dictionary of Lost Words, Pip Williams (21:08) ✨ Livros de Dezembro do Clube do Livra-te: ✨ - You've Reached Sam, Dustin Thao (33:39) - Legendborn, Tracy Deonn (34:54) ________________ Enviem as vossas questões ou sugestões para livratepodcast@gmail.com. Encontrem-nos nas redes sociais: www.instagram.com/julesdsilva www.instagram.com/ritadanova/ twitter.com/julesxdasilva twitter.com/RitaDaNova [a imagem do podcast é da autoria da maravilhosa, incrível e talentosa Mariana Cardoso, que podem encontrar em marianarfpcardoso@hotmail.com]

O Mundo Agora
Copa 2022: talento da seleção brasileira pode ser diferencial decisivo

O Mundo Agora

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 5:20


A mídia europeia e mundial derramou elogios desmedidos diante do segundo gol brasileiro e de Richarlison, de voleio, como se diz na gíria desportiva. Sublinharam o “talento” do atacante. Houve um comentarista alemão que atribuiu este termo, “talento”, ao conjunto da equipe brasileira, algo que, segundo ele, poderia fazer o diferencial decisivo numa Copa em que quase todas as seleções seguem um mesmo esquema tático, o chamado 4 - 4 - 2, basicamente defensivo e popularizado a partir dos anos 70 do século passado. Flávio Aguiar, analista político É um esquema que atua com quatro zagueiros em linha, às vezes até 5, com um pivô colocado um pouco mais à frente. Aponta para o fato de que a maior preocupação nas táticas atuais é a de não tomar gols, ao invés de fazê-los. Esse esquema contribui para nivelar o desempenho as equipes, diminuindo a distância entre aquelas tradicionalmente consideradas de excelência e as médias. Facilita a ocorrência de “zebras”, como a derrota da Argentina para a Arábia Saudita e da Alemanha para o Japão. Neste último caso, que traumatizou a mídia alemã, o diferencial foi a velocidade dos japoneses, sobretudo no gol da vitória. Desde os tempos em que o futebol começou a ser exportado da Inglaterra, onde nasceu, para o mundo, o resultado dos jogos foi marcado por uma combinação de dois fatores: esquema tático, combinando disciplina coletiva e inovação, de um lado, e do outro o talento individual dos jogadores. O primeiro fator destaca o trabalho do técnico e a preparação física; o segundo, a habilidade com a bola e eventualmente a liderança em campo. Esquema tático “Pirâmide” O primeiro esquema tático, difundido internacionalmente a partir de 1891, foi o da chamada “Pirâmide”: goleiro, dois zagueiros, três médios e cinco atacantes. Sua presença foi tão forte que durante muito tempo, mesmo depois que as equipes adotaram outros esquemas táticos, ele ordenou a escalação dos times. Exemplo: em 1958, quando o Brasil já atuava com o chamado 4 - 2 - 4 ou o 4 - 3 - 3, os locutores ainda descreviam a escalação assim: Gilmar, Bellini e Orlando; Djalma Santos, Zito e Nilton Santos; Garrincha, Didi, Vavá, Pelé e Zagallo (o time da final, contra a Suécia). No final dos anos 20, quando foi introduzida a atual forma da lei do impedimento, o técnico inglês Herbert Charpman inovou o esquema, com uma distribuição que também correu mundo: o chamado “WM”, tão estático quanto eficiente: três zagueiros, dois médios à frente, dois meia armadores e três atacantes, dois pelas pontas e um centroavante. Com a progressiva adoção de números nas camisetas, este esquema evidenciou a nove, a do centroavante, como uma das mais valorizadas numa equipe. Foi a partir de 58 que Pelé consagrou a camisa 10 como a de maior destaque. A grande inovação seguinte foi a adoção, a partir das seleções da Hungria, em 1954, e do Brasil, sobretudo em 1958, do já mencionado 4 - 2 - 4, com sua variante 4 - 3 - 3, com o ponta-esquerda Zagallo jogando recuado, em auxílio ao meio do campo. Este esquema, mais ágil e dinâmico do que o “WM”, impôs-se também graças à liderança em campo de jogadores que atuavam como “organizadores do time”, como Ferenc Puskas, da Hungria, Didi, do Brasil, Kopa, da França, tão importantes como os goleadores. A invenção do 4 - 2 - 4 é atribuída ao brasileiro Martim Francisco, quando treinador do Villa Nova Atlético Clube, de Nova Lima, na Grande Belo Horizonte, no começo dos anos 50. “Laranja Mecânica” A novidade subsequente se deu com Rinus Michels, nos anos 70, com a invenção do chamado “Carrossel Holandês”, também apelidado de “Laranja Mecânica”, devido à cor da camiseta do time. Nele, todos os jogadores se capacitam a jogar em todas as posições, com exceção do goleiro. Mas nem tudo é inovação no futebol. Em 1954 os criativos húngaros, apelidados de “Mágicos Magiares”, caíram na final perante os disciplinados alemães ocidentais, comandados por Fritz Walter. Depois de estar perdendo por 2 x 0, os alemães viraram o jogo para 3 x 2. Em 1974 os holandeses, liderados pelo legendário Johan Cruijff, caíram na final de novo diante dos disciplinados germânicos, liderados pelo também legendário Franz Beckenbauer. Em 1978 os holandeses perderam a final novamente, mas desta vez para os nem tão disciplinados argentinos, liderados por Passarella e Kempes. Em 1958 os fotógrafos brasileiros pediram ao capitão Bellini que erguesse a taça Jules Rimet para melhor fotografá-la. Ele o fez, e seu gesto, então inovador, consagrou-se como o preferencial para simbolizar a vitória em qualquer esporte. Vamos ver se desta vez, depois de 20 anos de jejum, o capitão Thiago Silva consegue repetir o feito, “erguendo a taça” para o Brasil.

Agrocast
Episódio #168 Minasul na Semana Internacional do Café 2022

Agrocast

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 10:14


Este episódio destaca a presença marcante da Minasul na SIC (Semana Internacional do Café), em Belo Horizonte. O evento reuniu produtores, profissionais do segmento e compradores de vários países, entre os dias 16 e 18 de novembro, no Expominas. Foram três dias de várias ações, em um ambiente multimídia, envolvendo rádio, TV e streaming de áudio e vídeo, em parceria com a Rádio 98, Rede Mais/Record TV e programa "Balanço no Campo". promovendo a verdadeira seleção de cafés especiais que a Cooperativa levou para o evento. A Minasul aproveitou a Copa do Mundo para traçar um paralelo entre duas paixões brasileiras, reconhecidas mundialmente: nossos cafés e o nosso futebol. Houve "cuppings" com os cafés mais bem colocados no 30º Concurso Qualidade Minasul e foi escolhido o melhor café fermentado. Uma goleada em favor dos cafés produzidos por nossos cooperados e cooperadas.

Reportagem
"Fotografia foi a minha forma de vida”, diz Sebastião Salgado em Paris sobre 50 anos de carreira

Reportagem

Play Episode Listen Later Nov 24, 2022 5:42


Às vésperas de completar 79 anos, Sebastião Salgado diz estar pronto para “dar lugar aos jovens”. Nesta entrevista exclusiva à RFI Brasil, em Paris, um dos maiores fotógrafos do mundo explica que não pensa em aposentadoria tão cedo, mas quer dedicar mais tempo à edição do vasto material acumulado em mais de 50 anos de carreira. O franco-brasileiro participou de um evento sobre fotojornalismo na Academia de Belas Artes, na noite de quarta-feira (23). Maria Paula Carvalho, da RFI “Eu já estou velhinho, vou fazer 79 anos em fevereiro. Eu acho que está na hora de eu deixar lugar para os jovens fotografarem. O que eu estou fazendo é editar o meu trabalho de mais de 50 anos como fotógrafo. Há muita coisa que eu nunca escolhi, nunca editei e acho que chegou o momento”, disse, momentos antes de compartilhar com o público momentos marcantes de sua longa experiência atrás das câmeras. “A diferença da fotografia para outro tipo de informação é que se o fotógrafo não estiver lá onde a coisa está acontecendo, ele não tem a imagem. Ele busca a informação na fonte e isso leva você a ter um conhecimento bem vasto do mundo”, afirma. Ao longo desse tempo, Salgado viajou por mais de 130 países registrando pessoas, paisagens e diferentes culturas. “A fotografia documentária é a forma de vida da pessoa que a realiza”, explica. “De uma maneira geral, tudo me marcou porque dificilmente eu posso dizer que um país ou algo que aconteceu na minha vida seja mais importante do que outro. Pois o que eu fiz em fotografia na vida foi a minha vida, foi a minha forma de vida”. O mineiro Sebastião Salgado é "imortal" da sessão de fotografia da prestigiada Academia de Belas Artes francesa desde 2016, uma das honrarias culturais mais importantes do país. O debate sobre fotojornalismo lotou o auditório do Instituto de France e reuniu outros grandes nomes da fotografia francesa, como o cineasta Raymond Depardon e Pascal Maître. “É um evento que eu não faço só, nós somos 4 fotógrafos, e falamos da preparação, de tudo que é preciso para montar uma reportagem”, explica Sebastião Salgado. “Eu acabo de fazer uma reportagem sobre a Amazônia brasileira, em que passei 7 anos na Amazônia e fiz dezenas de viagens e tudo isso exige produção, autorizações e uma preparação interna”, ensina. Testemunha de como vivem os homens e do estado atual do planeta, Sebastião Salgado falou à RFI sobre a importância do fotojornalismo em tempos de guerra e de fake news. “Em mais de 50 anos que eu faço fotografia, o que acontece hoje, não é muito diferente do que sempre aconteceu. A única diferença é que hoje está acontecendo muito mais perto do núcleo principal do planeta, que é onde você domina a informação e as finanças, no centro do imperialismo do planeta. Então temos a impressão de que hoje é mais importante do que foi, mas sempre foi a mesma coisa”, compara. Um novo Brasil O fotógrado premiado também comentou o resultado das eleições presidenciais no Brasil. “Eu espero que o Brasil agora mude. Nós tivemos um governo profundamente predador, que destruiu as instituições. Não é um problema de ser de direita ou de esquerda, é de um governo que destruiu instituições centenárias”, observa. “Por exemplo, desmontou-se a Funai, que era o filtro de penetração nos territórios indígenas, era a proteção das comunidades indígenas e a proteção desses territórios. Mas esse filtro deixou de existir. E o território ficou aberto a invasões. Temos hoje invasão de mais de 20 mil garimpeiros no território Ianomâmi”, revela. “Houve uma destruição do Ibama e houve uma destruição massiva da floresta amazônica”, lamenta Salgado. “Espero que o governo que chega respeite as instituições, respeite a cultura, as comunidades, as minorias e seja menos violento. Esse atual governo trouxe uma violência brutal para a Amazônia que não existia”, acrescenta. A exposição mais recente de Salgado em Paris, "Aqua Mater", lançava um novo alerta à crise climática, convidando o público a uma experiência estética e sensorial em torno de um dos assuntos mais sensíveis da atualidade: os recursos hídricos. Vivendo em Paris, com viagens frequentes ao Brasil, o fotógrafo nomeado Cavaleiro da Legião de Honra na França comenta sobre a forma como o Brasil tem sido percebido no estrangeiro. “O Brasil hoje é percebido de uma forma muito especial no exterior. Os brasileiros eram vistos como um povo razoável, um povo pacífico, mas o que acontece no Brasil hoje choca profundamente o resto do mundo”, destaca. “Eu acho que uma nação a gente tem que trabalhar de forma pacífica, humana e não violenta. Eu tenho grande esperança que o Brasil vai funcionar de outra forma”, conclui.

Jovens Cronistas
JC Express – 22/11/22: Neonazismo no Brasil? | com André Nunes

Jovens Cronistas

Play Episode Listen Later Nov 23, 2022 101:27


Qual o tamanho do movimento Neonazista no Brasil? Houve, mesmo, crescimento de grupos simpáticos ao Nazismo nos últimos anos? Estas e outras perguntas pautam esta edição do JC Express, com o cientista contábil e coordenador da Frente Nacional Trabalhista – FNT André Nunes, do canal Conversando com André Nunes. Torne-se membro(a) do canal: https://bit.ly/3cs3Mfe​ PIX: pix@jcronistas.com. IBAN: BR8733923798000000473970238C1.

Manhãzitos da 3
Guilty plesures gastronómicos

Manhãzitos da 3

Play Episode Listen Later Nov 22, 2022 11:23


Na grande questiúncula de hoje, a Ana e o André quiseram saber qual é aquele prazer gastronómico que temos e adoramos, mas temos vergonha de admitir! Houve alguns que surpreenderam bastante a equipa das Manhãs da 3.

Robert Half Talks
#029 O mercado de trabalho fora das grandes metrópoles | Beto Macedo (CESAR)

Robert Half Talks

Play Episode Listen Later Nov 22, 2022 40:59


Houve um momento em que o mercado de trabalho estava muito concentrado em capitais como Rio de Janeiro e São Paulo. Essa realidade vem mudando em diversas áreas, como tecnologia, por exemplo. Uma iniciativa no Recife é uma prova disso, embora não seja o único bom exemplo de descentralização do mercado de trabalho. Post sobre maiores parques tecnológicos do Brasil: https://www.comececomopedireito.com.br/blog/12-polos-tecnologicos-para-ficar-de-olho-em-2021/. Com: Beto Macedo https://www.linkedin.com/in/beneditomacedo, diretor-executivo da CESAR School da CESAR https://cesar.org.br/, e Reiva Melo https://www.linkedin.com/in/reiva-melo-5aa7bb4b/, executiva de vendas da regional Recife da Robert Half https://roberthalf.com.br/. Apresentação: Cassio Politi https://www.linkedin.com/in/cassiopoliti/.

Convidado
Kady: A voz pode ser “uma fogueira” e arma de empoderamento

Convidado

Play Episode Listen Later Nov 22, 2022 19:09


A cantora e compositora cabo-verdiana Kady usa “a voz como arma” em prol “da igualdade, da aceitação” e do empoderamento, sobretudo da mulher africana. Kady lançou um novo EP que chamou “Lumenara”, uma referência à fogueira da festa “Kola San Jon” e à força interior que diz existir em cada pessoa. A cantora rodeou-se de amigos músicos para compor o seu EP que descreve como tendo “uma identidade muito cabo-verdiana apesar da fusão com a pop”. RFI: A Kady lançou um novo EP intitulado “Lumenara” que já se encontra disponível nas plataformas digitais desde 11 de Novembro. O que significa “Lumenara”? Kady, Cantora e compositora: Lumenara significa fogueira, diz-se isso muito na época das festas de São João que se fazem em São Vicente, em Santo Antão. A música Lumenara foi muito inspirada nessa festa, que é uma forma também de fincar as nossas raízes. Lá, eles saltam a Lumenara, a fogueira, nessa festa. Como, para mim, a fogueira também representa força, representa o renascimento, eu senti que esse nome faria muito sentido porque acredito que dentro de cada um de nós existe essa fogueira e que nós temos que alimentá-la. A 16 de Novembro apresentou o novo single, "Tamina". Do que é que fala esta música? A "Tamina" fala de uma mulher, uma mulher que eu vejo como uma mulher cabo-verdiana, que luta de forma honesta e que se levanta sempre, apesar dos obstáculos que a vida apresenta. Ela vem de um bairro precário, onde ela tinha tudo para não dar certo na vida, mas ela lutou de forma honesta e venceu e isso deixa toda a sua comunidade orgulhosa. Ela representa muitas mulheres que eu conheço e acho que muitas mulheres se identificaram também com a música. No comunicado de lançamento do seu EP, podemos ler que neste trabalho, a Kady afirma “um espaço importante de representatividade como crioula africana, negra e mulher”. As suas canções são, de facto, um manifesto ao empoderamento da mulher africana? Com certeza. Isso é um grande objectivo que eu tinha ao fazer esse álbum porque é necessário, porque eu senti essa necessidade de fazer, porque agora eu vivo em Portugal, não é? Eu nasci e cresci em Cabo Verde e lá não sentia tanto a necessidade dessa representatividade porque eu estava em África - apesar de, ainda assim, sentir o colorismo. Mas aqui, em Portugal, eu senti mais e pensei muito nas crianças negras que nascem cá. Onde é que elas encontrariam uma representatividade, ver alguém e se identificarem com essa pessoa, tanto a nível cultural como a nível físico. Então, eu fiz mesmo por necessidade de sentir a importância que isso teria na vida das pessoas. A canção "Nha Kabelu" fala em cabelo, mas não estamos a falar só de cabelo... O cabelo pode ser político? Exacto, pode ser político. Acho que é um símbolo de liberdade também. Passa muito por nós sabermos quem nós somos e de onde viemos e de nos aceitarmos. A mulher negra, durante muito tempo, ela esteve em negação porque a sociedade dizia que ela não era bonita e ela acreditou nisso. Nós acreditámos nisso por muito tempo e acho que já está na hora de nos vermos como nós somos e gostarmos e sentimos orgulho do que nós somos e de onde viemos. Precisamente, vamos falar de onde vem a Kady. É herdeira de uma longa história que junta Cabo Verde, Guiné-Bissau, Angola numa família de activistas e de artistas. É filha de Terezinha Araújo, fundadora do grupo cabo-verdiano de recuperação da tradição, os Simentera, e é neta de Amélia Araújo, figura do PAIGC, que era conhecida na Guiné, onde difundia os ideais da Independência aos microfones da Rádio Libertação. Como é que toda esta história de mulheres fortes na sua família a influencia ainda hoje na música e na vida em geral? Acho que este EP mostra muito a influência que eu tive da dessas grandes mulheres que eu tenho o privilégio de ter na minha vida. Quando diz que o grupo Simentera é um grupo que vai buscar as raízes da música de Cabo Verde, foi precisamente o que eu fiz neste EP. Falando da minha avó, que usava a voz dela como arma na luta, é exactamente o objectivo que eu tenho: usar a minha voz como uma arma, de uma forma muito amorosamente falando, como uma arma para espalhar mensagens que eu acho importantes. Então, há uma influência muito grande dessas duas mulheres a nível pessoal, a nível de como eu estou na vida. Mostraram-me, desde cedo, que eu não tinha limites por ser mulher, que nós vivemos numa sociedade muito machista, que limita muito as mulheres, mas eu tive o privilégio de nunca ter essa limitação dentro da minha cabeça por ter sido criada por essas mulheres. Diz que quer usar a sua voz como uma arma. A cantiga é então uma arma, mas uma arma contra quê? Contra esta sociedade patriarcal e racista em que vivemos? Uma arma não contra, mas pró amor, pró igualdade, pró paz e pró aceitação, principalmente da mulher negra, que como eu disse, esteve muito tempo a não gostar de si própria. Ao mesmo tempo, em “Djuntu”, no mesmo EP, fala na necessidade de união. É também essa mensagem que quer passar, uma mensagem que acaba por chocar com muito do que vemos nos dias de hoje? Sim, porque eu acho que é importante nós sermos diferentes, sim. Se formos a ver, muitos conflitos que acontecem, acontecem porque nós não aceitamos o outro como sendo diferente de nós e com uma ideologia diferente. Somos diferentes e isso é bom. Ainda bem que não somos todos iguais, mas podemos estar todos unidos nas nossas diferenças e isso nos torna, com certeza, mais fortes. Como é que foi a criação de “Lumenara" e que histórias conta? O processo de criação foi lindo. Em 2020, fizemos um campo criativo, eu e muitos artistas e produtores que eu admiro muito, nomeadamente o Djodje, o Dino de Santiago, o Gerson Marta, o Toty Sa'Med e muitos outros artistas que ajudaram a compor este EP. Aconteceu de forma muito natural, as músicas, porque eu estava mesmo à procura de uma nova identidade musical porque já não me identificava muito com o que fazia antes. Houve uma mudança artística, em mim e como pessoa também, o que é normal com o passar dos anos. Aconteceu de forma muito natural, como já tinha dito, e foi um processo longo até lançarmos o álbum. As músicas ficaram concluídas em 2020. Em 2021, gravámos os vídeos e agora, em 2022, no final de 2022, lancei o EP muito também porque nós queríamos lançar o EP ao mesmo tempo que sairia o vídeo do Tamina no Colors. Então, o processo do Colors também foi um processo longo, mas até que enfim que já está tudo fora e as pessoas já podem ter acesso a todas as músicas. A plataforma "A Colors Show", de que falava, é uma plataforma de descoberta de novos artistas disponibilizada no YouTube. Que força é que esta plataforma pode dar à sua carreira? Nós fizemos uma candidatura, enviámos as músicas do EP todo e eles é que escolheram o Tamina para eu ir cantar. Foi por aí seis ou sete meses neste processo, gravámos em Junho e agora saiu no dia 14 [de Novembro]. É um grande sonho realizado. Eu acho que o Colors é uma plataforma mundialmente conhecida. Tens subscritores do mundo inteiro e tenho sentido isso nas mensagens que eu recebo. Desde o lançamento do "Tamina", mensagens de pessoas de países diferentes que nunca tinham tido acesso à minha música e graças a essa plataforma, estou a chegar a esses países. O EP “Lumenara” tem uma musicalidade contemporânea que não esquece, como você disse, a tradição cabo-verdiana, mas há uma fusão, de certa forma, da música cabo-verdiana com a pop e diferentes ritmos africanos. Que identidade quis dar a este trabalho? Uma identidade muito, muito, muito cabo-verdiana, apesar de ter essa fusão com pop e trazer a música cabo-verdiana para os tempos em que estamos vivendo agora, como eu sinto. Queria muito trazer Cabo Verde neste álbum, que alguém que ouvisse - apesar de eu estar a cantar em crioulo - ouvisse também os ritmos, os instrumentos, a sonoridade muito cabo-verdiana. Isso também se reflectiu muito na forma como eu compus as letras, palavras que hoje em dia nem se usam muito em Cabo Verde. Fui buscar as raízes, ao trazer as palavras que se usavam, por exemplo, no interior de Santiago e é trazer a nossa cultura para a contemporaneidade, para o mundo que estamos hoje. Depois do seu primeiro álbum a solo, em 2015, Kaminho, chamaram-lhe “a cantora da soul crioula”. O disco crioulizava a soul, o jazz, o funk, o hip hop. Este caminho convergiu para este novo EP ou foi só um caminho para encontrar o caminho actual e a nova identidade? É como se diz, o caminho faz-se andando. Com certeza, foi um pontapé de saída para eu chegar hoje a essa sonoridade. Eu acho que a forma de cantar vai ser sempre muito soul porque está em mim, acho que tem uma influência grande do soul na forma de cantar, mas eu já não me identificava tanto, apesar de ouvir ainda muito e acho que tudo faz parte do caminho. Tudo faz parte do caminho para evolução. De onde vem a paixão pela soul? Você estudou música nos Estados Unidos, na Weslyan University e no Berklee College of Music. Foi essa bagagem americana que ainda hoje a influencia? Na verdade, foi antes disso. Desde pequena que eu ouvia de tudo lá em casa, mas, por exemplo, a minha mãe tinha um CD da Mariah Carey, da Céline Dion, da Whitney Houston, que é uma cantora que ainda adoro e, depois, com o tempo, eu fui pesquisando mais e como gostava muito do estilo, fui à Internet também e fui à procura de mais cantores. Mas foi antes de ir para os Estados Unidos. Na verdade, nessas escolas nos Estados Unidos, eu fiz mais jazz e canto lírico. O jazz também é uma das suas paixões… Sim, adoro, adoro. Eu gosto igualmente de muitos estilos de música, como o hip hop. Tanto estou a ouvir uma Cesária Évora como estou a ouvir um 2Pac. Está a viver em Lisboa, ainda que tenha nascido e crescido na ilha de Santiago. Porquê Lisboa e em Lisboa encontrou essas misturas que lhe deram a sua sonoridade, essa panafricanidade moderna? Eu acho que sim. Vim para Lisboa para estudar e depois acabei por trilhar aqui no caminho da música, mas eu tive acesso a muitos músicos e conheci muita gente. Aqui em Lisboa, a “Lisboa crioula” como diz o Dino de Santiago, tens toda essa mistura. Tens angolanos, moçambicanos, tens tudo isso à disposição e que talvez em Cabo Verde não teria. Então, acho que isso influenciou muito, sim, para chegar nesse porto, nessa sonoridade musical. Foi uma grande inspiração. Ao mesmo tempo que tem essa Lisboa crioula a nível musical, foi aí que, pela primeira vez, sentiu a necessidade de afirmar-se mais do que nunca como mulher africana, porque, como disse há pouco, sentiu algumas diferenças de tratamento... Na verdade, eu tive um despertar um bocadinho tardio, digamos assim. Eu não tinha consciência do racismo, por exemplo, porque eu achava que se uma pessoa me estivesse a tratar mal era porque não gostava de mim e não porque não gostava da minha cor. Eu não ligava uma coisa à outra e essa consciência veio mais tarde. É mais para dar a voz àqueles que não tiveram oportunidade de falar porque eu assisti a alguns momentos que me trouxeram angústia, mas que não aconteciam comigo directamente. Por isso é que eu senti a necessidade de haver essa representatividade para que essas pessoas que nós não ouvimos falar na rádio ou não estão nas televisões se sentirem confortadas e sentirem que têm voz. Para terminar: projectos para os próximos tempos. Há concertos em agenda, nomeadamente no estrangeiro? Ainda não. Estamos a preparar a agenda para o próximo ano mas, por agora, vou estar no Super Bock em Stock no dia 26 de Novembro para fazer a apresentação do álbum, aqui em Lisboa, no cinema de São Jorge, e vamos começar a preparar a agenda para o próximo ano. Por agora, estamos a trabalhar neste concerto.

Em directo da redacção
COP 27: Apresentado manifesto das mulheres de língua portuguesa pelo clima

Em directo da redacção

Play Episode Listen Later Nov 21, 2022 5:47


Faltam mulheres nas negociações climáticas alertam ong's, políticos e a'tivistas. Contas feitas, as mulheres representam menos de 34% das delegações nacionais que marcaram presença na COP 27 que decorreu até ontem no Egipto. Na “fotografia de família” desta Conferência das Partes sobre o Clima, feita no início do evento, em 110 dirigentes apenas sete são mulheres. Houve inclusive nas COP delegações compostas a 90% por homens. Apesar disso, segundo as Nações Unidas, são as mulheres as mais afectadas pelos efeitos das alterações climáticas.  Susana Viseu, da Business as Nature, apresentou na COP 27 um manifesto das mulheres de língua portuguesa pelo clima, sublinhando que a transição climática acentua a desigualdade de género.

ACIDBLACKNERD BRASIL
HOUVE FRAUDE NAS ELEIÇÕES DA FAZENDA?

ACIDBLACKNERD BRASIL

Play Episode Listen Later Nov 20, 2022 79:35


Convidado
COP 27: Sociedade Civil moçambicana quer mais espaço nas negociações climáticas

Convidado

Play Episode Listen Later Nov 19, 2022 8:32


A participar na COP 27 em Sharm el Sheikh, Egipto, esteve a Plataforma das Organizações da Sociedade Civil para Mudanças Climáticas de Moçambique, que congrega mais de duas dezenas de organizações não-governamentais moçambicanas e que, entre outros, defende a inclusão da sociedade civil nas tomadas de decisão e a descentralização das políticas e programas climáticos. Zinérsio Sitoe, oficial de coordenação e advocacia da Plataforma das Mudanças Climáticas de Moçambique veio à COP 27 pedir mais espaço para a sociedade civil na mesa das negociações: “gostávamos de ter cada vez mais uma articulação de todos os tomadores de decisão e que se dê o reconhecimento devido ao papel da sociedade civil. Já há um esforço gradual de ser incluído nestes espaços de decisão, mas ainda não sentimos que reflecte a força que a sociedade civil tem. Sobre a questão das contribuições nacionalmente determinadas, era interessante que nesta COP fossem mais ambiciosas. Muitas das decisões que são tomadas ou muitos acordos não são vinculativos. Nós gostávamos que cada vez mais fossem vinculativos e que houvesse cada vez mais responsabilidade, principalmente, dos mais poluidores para com os países em desenvolvimento, como é o caso de Moçambique.” Espera que efectivamente saia da Conferência do Clima alguma acção ou acha que vai ser “mais do mesmo”, muitas palavras mas depois pouco aplicação? “Houve muitas expectativas, principalmente para os nossos países, para os países de África, que esta fosse a COP da implementação com acções concretas e todos juntos como o slogan. Mas começa a haver reticências, consensos que são contra consensos, a questão da “perdas e danos”, a questão do artigo seis [do Acordo de Paris] que também ainda é uma luta. Ainda estamos na questão da compreensão do texto, não saímos disto… A questão do género, esta questão das alterações climáticas tem de ser levada a cabo por homens e mulheres, com acções complementares para poderem combater esta questão.  Yolanda Mulhuini do Grupo para o Desenvolvimento da Mulher e Rapariga sublinha que não há justiça climática sem justiça e financiamento para as mulheres.  “Justiça climática não só para as mulheres moçambicanas, mas também para todas as mulheres africanas, para as mulheres do sul global. Apesar de estarmos frustradas, esperamos que haja financiamento para as mulheres na agricultura, para as mulheres na ciência e tecnologia e para as mulheres também continuarem a levar voz daquelas que as suas vozes não podem ser ouvidas. Para que isto aconteça é preciso financiamento. As mulheres precisam de ter financiamento para poder andar.  O plano de acção tem de ser dado às comunidades, às organizações da sociedade civil. É mais fácil a sociedade civil implementar o plano de acção, do que o ponto focal.  O artigo seis do Acordo de Paris é pró-fóssil. Se olhar para o posicionamento da União Africana é um posicionamento  pró-fóssil, felizmente os diplomatas climáticos recusaram este posicionamento. Mas depois é a questão do lobby, das corporações. Esta COP está sendo financiada pela Coca-Cola. Coca-Cola que em Moçambique está a poluir. Há aqui este contraste que não se percebe muito bem." Ouvimos na plenária que não há justiça climática sem justiça de género. O que é que isto quer dizer?  "No início do ano reunimos mulheres de cinco regiões africanas e elaboramos o que são as nossas demandas, nós não temos esse espaço na mesa tomada de decisão. As nossas vozes não são ouvidas. A questão da terra que nos está sendo usurpada por causa das corporações. 70% das mulheres a nível da África são agrícolas e estão a ficar sem terra. Depois é a questão da fome, da miséria. Tudo é feminizado.  Não queremos que nos colonizem com a tecnologia. Queremos acesso à tecnologia, queremos uma capacitação para o uso das tecnologias.  É um direito eu também ter voz. É um direito eu ter acesso à terra. Jovens, mulheres, crianças, idosos, idosas, pessoas com deficiência não se reflectem nas negociações climáticas e são as pessoas mais vulneráveis. Alguém já parou para pensar o que acontece com um deficiente ou com uma deficiente em caso de desastre? Alguém já parou para pensar naquelas mulheres, naquela mãe que que que tem ali cinco, seis filhos, o que é que aconteceu? Quantos filhos perdeu? Será que está com todos? Aquela mãe que é deficiente, que é que lhe aconteceu? O terrorismo em Cabo Delgado, o que é que está a acontecer com aquelas mulheres deficientes que não podem andar, não podem correr, não podem fugir à guerra? Tudo isto é injustiça. Sem justiça de facto não há desenvolvimento no seu todo."

PodTrétis
#136 - não houve tempo para mais nada, COPA!

PodTrétis

Play Episode Listen Later Nov 18, 2022 54:15


Este podcast é uma produção da Pacundê Podcasts.A Pacundê é um selo que depende da sua ajuda pra continuar com a sua programação e estrutura.Acesse pacunde.com.br e ajude com valores a partir de R$10 mensais. Sendo apoiador você pode se inscrever em sorteios exclusivos de todos os programas da casa.* Todas as opiniões expressas neste programa não, necessariamente, refletem a opinião da Pacundê e são de responsabilidade exclusiva de seus idealizadores.

Cashless
Mercado de crédito: entenda a mudança de resultados entre 2021 e 2022

Cashless

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 14:12


O mercado de crédito em 2021 teve bons resultados graças à retomada das atividades econômicas e a aceleração da vacina, refletindo principalmente a expansão dos empréstimos às pessoas físicas. Houve crescimento na portabilidade e condições de crédito como um todo, incluindo micro e pequenas empresas, graças à retomada do PRONAMPE. Porém, ainda no final do ano passado, a trajetória do mercado de crédito começou a mudar com o aumento de juros e as consequências estão sendo sentidas em 2022. Entenda quais foram os principais resultados, divulgados no último REB do Banco Central, e como se deu essa inversão do cenário de crédito no cashless desta semana. Assista: Subtítulo: Entender o mercado de crédito é fundamental para que você possa avaliar o melhor momento para pedir um financiamento, por exemplo. Por isso, trouxemos quais foram os principais resultados divulgados para que você possa entender o cenário de crédito. Meta: Está mais caro pegar crédito? Entenda os resultados do mercado de crédito que podem afetar sua vida na hora de pedir um empréstimo. Texto YouTube: A evolução do mercado de crédito em 2021 refletiu principalmente a expansão dos empréstimos às pessoas físicas. Além disso, houve também um crescimento na portabilidade e condições de crédito no ano passado. Mas qual foi a mudança de trajetória que inverteu o cenário crédito no país em 2022? No Cashless desta semana, trouxemos os principais resultados do último REB do Banco Central para que você entenda como os resultados do ano passado refletiram a economia. Assista! Links: - Microcrédito pode ser a solução para salvar pequenos negócios! Entenda o que é e como funciona https://www.youtube.com/watch?v=E8-rSJDVanA - PRONAMPE: pequenos empreendedores são beneficiados! Entenda o programa | Cashless #24 https://www.youtube.com/watch?v=Tg4kMRqK3lc&t= - Portabilidade de crédito avança no setor imobiliário! Confira resultados do mercado de crédito https://www.youtube.com/watch?v=XbM8YgYSdUs Apresentadores Carlos Ragazzo – Presidente do Conselho do Instituto Propague e professor da FGV-Rio Bruna Cataldo – Pesquisadora do Instituto Propague e doutoranda em economia #Cashless

Comentario Biblico
O que significa ter o mesmo sentimento que houve em Cristo? Filipenses 2 - Mario Persona

Comentario Biblico

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 12:27


Publicado primeiro nos podcasts: shows.acast.com/comentario - GooglePodcast ApplePodcasts Deezer iHeartRadio Stitcher ListenNotes Player.fm Podtail Podbean MyTuner-Radio Castbox iVoox Chartable HubHopper Spotify Hosted on Acast. See acast.com/privacy for more information.

Reportagem
"O Brasil é uma Arábia Saudita das renováveis", diz especialista sobre potencial energético do país

Reportagem

Play Episode Listen Later Nov 15, 2022 5:42


O mundo enfrenta uma crise energética que levou vários países a adotarem medidas de emergência, com políticas de redução de consumo e busca de novos parceiros estratégicos. Nesta terça-feira (15), quando o assunto é tema de discussões na COP27, em Sharm el-Sheikh, e na reunião de cúpula do G20, em Bali, a redação brasileira da RFI aborda em reportagens especiais a questão das energias renováveis e o papel do Brasil nesse contexto. Maria Paula Carvalho, da RFI Ventos estáveis e intensos. Sol durante o ano inteiro. Enquanto outros países precisam gerenciar a escassez de recursos naturais limpos, o desafio do Brasil é aproveitar a sua abundância de matéria-prima para produção de energia renovável. "O Brasil é sem dúvida uma Arábia Saudita das renováveis", compara Camila Ramos, consultora e diretora da CELA (Clean Energy Latin America). Isso explica, em parte, o sucesso dos projetos de energia eólica e solar no país nos últimos anos, analisa a consultora. "Não só para produzir energias renováveis, seja eólica e solar, suficiente para abastecer toda a demanda do setor elétrico brasileiro se a gente quisesse, e de qualidade. E a gente também tem o potencial para exportar essa energia", acrescenta a especialista, ouvida pela RFI Brasil. Quando falamos em produção de energia a partir do vento, o Brasil conta com 827 parques eólicos e uma potência instalada de 22,5 GW, o que representa 12,1% da matriz elétrica brasileira. É o suficiente para abastecer 36,2 milhões de residências por mês, de acordo com dados da ABEEólica, a Associação Brasileira de Energia Eólica. Mas o potencial é ainda maior, estimado em 700 GW só em terra, sem falar nas novas oportunidades que estão surgindo na exploração offshore, em alto mar, ainda iniciante. Já quando falamos de energia solar, condições climáticas favoráveis permitiram que o Brasil ultrapassasse a marca histórica 21,1 gigawatts (GW) de potência instalada de fonte solar fotovoltaica, somando as usinas de grande porte e os sistemas de geração própria de energia elétrica em telhados, fachadas e pequenos terrenos. Isso equivale a 10,5 % da matriz elétrica do país, de acordo com dados da Absolar, a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica. Os cinco estados com maior geração desse tipo de energia, em 2021, foram: Rio Grande do Norte (21,23 TWh), Bahia (21,15 TWh), Piauí (9,10 TWh), Ceará (7,91 TWh) e Rio Grande do Sul (5,63 TWh). Enquanto o mundo luta contra as mudanças climáticas, a produção de energia a partir de painéis solares evitou emissões na atmosfera equivalentes a mais de 28,7 milhões de toneladas de CO2 (gás carbônico), ou a emissão anual de 28 milhões de carros de passeio. Para base de comparação, a cidade de São Paulo tem uma frota de cerca de 19 milhões de automóveis desse tipo. Novos empregos Desde 2012, a fonte solar já trouxe ao Brasil cerca de R$ 103 bilhões em novos investimentos, mais de R$ 27,2 bilhões em arrecadação aos cofres públicos, gerando mais de 600 mil empregos.   Carlos Rittl, especialista em política internacional da Rain Forest Foundation da Noruega, analisa como esses dois setores se tornaram atrativos ao longo do tempo. "O que aconteceu foi que a energia solar se expandiu naturalmente porque os preços foram caindo, os equipamentos foram se tornando mais eficientes e acabou se tornando economicamente viável para muita gente, para empresas, para famílias, mesmo sem a gente ter as melhores políticas", destaca.  As condições climáticas do Brasil são um grande atrativo para investimentos no setor. "Eu resido na Alemanha, um dos países com a maior capacidade instalada de energia solar. O melhor lugar de incidência de sol na Alemanha é pelo menos 30% pior do que o pior lugar no Brasil, onde o Brasil tem menos incidência de energia solar, que são áreas de Santa Catarina, onde você tem muita cobertura de nuvens. Então o Brasil pode expandir muito mais", compara Rittl. Ele lembra que nos momentos de crise econômica recente, a energia eólica foi um setor que gerou empregos e retorno para o investimento. "Quando tivemos recessão econômica em 2015, 2016 e 2017, a energia eólica continuou se expandindo, os investidores continuaram aumentando a geração de energia dessa fonte e foi um setor que gerou muitos empregos no momento em que a nossa economia estava se encolhendo", observa. Maior geradora independente de eletricidade do mundo, com 104 GW de capacidade instalada, a francesa Engie tem como meta sair das operações de carvão até 2027 e descarbonizar totalmente as atividades até 2045. E o Brasil faz parte dos planos companhia, presente no país desde 1996, e onde o faturamento chegou a RS 13,5 bilhões, no ano passado. A Engie do Brasil explora 5 conjuntos eólicos, 4 usinas solares, além de 12 hidrelétricas e 3 usinas de biomassa, sendo líder no setor de energia renovável no Brasil, com 10 GW de capacidade instalada de fontes renováveis, em 77 plantas operadas pela companhia. "Com relação à energia solar, esse é um boom que está acontecendo no Brasil, porque como não há barreira tecnológica, não precisa ser uma grande empresa e com expertise, um grupo de engenheiros experiente pode fazer, contanto que tenha capital. Houve uma proliferação muito grande de novos projetos no país todo", explica Gil Maranhão, diretor de Comunicação e Sustentabilidade da companhia. O executivo cita outra vantagem dos projetos solares. "Uma vez que são projetos que podem ocupar um espaço mais reduzido, eles podem estar próximos dos centros de carga, dos centros de consumo, e têm custos reduzidos de transmissão", completa.   

Explicador
Houve interferência na liderança de Carlos Costa?

Explicador

Play Episode Listen Later Nov 14, 2022 16:53


Fernando Teixeira dos Santos, ex-ministro da Finanças, elogia o trabalho e a atitude "estoica" de Carlos Costa e admite que houve mesmo "enormes pressões internas e externas" sobre o ex-governador. See omnystudio.com/listener for privacy information.

Resposta Pronta
Covid-19. "Houve aumento, mas não significativo"

Resposta Pronta

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 4:19


Matemático Carlos Antunes explica que avaliação da situação pandémica deve ser feita pela "gravidade da doença e não pelo nº de casos". Houve aumento de óbitos e internamentos, mas "não significativo"See omnystudio.com/listener for privacy information.

Fora do Baralho
Como será a nova liderança do PCP?

Fora do Baralho

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 41:01


A escolha de Paulo Raimundo esteve em análise na jogada da semana. Houve um naipe de lata. Os restantes foram distribuídos por Miguel Alves, Vieira da Silva, Arménio Carlos e ainda o caso Costa/Costa.See omnystudio.com/listener for privacy information.

PlantCast
Plantcast #81 Potássio na interface solo-planta

PlantCast

Play Episode Listen Later Nov 10, 2022 55:41


Neste episódio conversamos com o consultor Geraldo Duarte, os principais pontos abordados foram: As características do potássio (Mobilidade, dinâmica no solo e relações com outros nutrientes). Ainda, falamos sobre o nível deste elemento no solo e por consequência sobre a exigência deste nutrientes pelas diferentes cultivares. Houve também um momento de mitos e verdades sobre o uso de cloreto de potássio. Por fim, sobre estratégias para ciclar K no sistema (integração lavoura-pecuária, plantas de cobertura, etc) e ainda sobre como usar com eficiência a agricultura de precisão para otimizar a adubação potássica.

Ironias da Corrida
Ep. 150 - O que houve com Danielzinho?

Ironias da Corrida

Play Episode Listen Later Nov 8, 2022 36:18


Nesse episódio batemos um papo sobre a última grande maratona do ano, a Maratona de Nova York, com a participação de amigos e amigas e nosso principal maratonista da atualidade Danielzinho. Após seu sua quebra no km32 muitas teorias giraram na Internet e trazemos nesse episódio as palavras do agente de Danielzinho, Gianni Demadonna, que cedeu uma entrevista por email para o site americano LestRun. E qual avaliação eles fazem para o futuro de nosso atleta. E que tal ser nosso apoiador? Confere no apoia.se/ironiasdacorrida! Nos sigam no insta @ironiasdacorrida e compartilhem este episódio com seus amigos e grupos de corrida. Cupom Dobro (@soudobro): IRONIAS

JR 15 Minutos com Celso Freitas
Rumo ao hexa: Tite convoca a Seleção Brasileira para a Copa do Catar

JR 15 Minutos com Celso Freitas

Play Episode Listen Later Nov 7, 2022 15:58


O técnico Tite anunciou os nomes dos 26 jogadores que vão representar o Brasil, na Copa do Mundo do Catar, entre 20 de novembro e 18 de dezembro. A convocação foi feita na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), no Rio de Janeiro. O futebol brasileiro que vai em busca do sexto título mundial enfrenta um longo jejum na Copa, a última conquista foi há 20 anos, em 2002. Quem são os jogadores convocados? Houve alguma surpresa? E quem pode se destacar no mundial? Camila Busnello e a repórter Bruna Dealtry conversam com o comentarista do Portal R7, Cosme Rimoli.

A Música do Dia
Em 6 de novembro de 1836 houve a proclamação da República Piratini

A Música do Dia

Play Episode Listen Later Nov 6, 2022


O Antagonista
Cortes do Papo - “Não houve vitória do Lula, mas uma derrota mínima do Bolsonaro”

O Antagonista

Play Episode Listen Later Nov 3, 2022 10:07


Inscreva-se e receba a newsletter:  https://bit.ly/2Gl9AdL Confira mais notícias em nosso site:  https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais:  https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista ​https://www.instagram.com/o_antagonista https://www.tiktok.com/@oantagonista_oficial No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Podcast Política - Agência Radioweb
TCU conclui que não houve fraude nas urnas no 2º turno

Podcast Política - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Oct 31, 2022 1:07


Como aconteceu no primeiro turno, uma nova auditoria será feita em número superior a 4 mil boletins de urnas e a entrega desse relatório mais amplo deve acontecer em novembro.

Explicador
IBAN. Houve intrusão no sistema das Finanças?

Explicador

Play Episode Listen Later Oct 27, 2022 20:30


Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, garante que não houve falha de segurança. Adianta que restantes transferências com requisitos válidos serão feitas dentro de 5 dias.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Boston Connection
Boston Connection #129 - TSE exagerou na remoção de conteúdos às vésperas da eleição?

Boston Connection

Play Episode Listen Later Oct 26, 2022 77:20


Os últimos dias foram de muita discussão sobre a atuação do TSE na questão do conteúdo de algumas empresas de comunicação. O tribunal exagerou na mão com suas determinações? Houve censura ou apenas a corte fez valer sua interpretação sobre desinformação? Pelo Twitter @bos_connection mande suas sugestões, críticas e tudo mais! Boston Connection é um projeto de quatro amigos (Fernando, Luiz, Matheus e Rafael) para aproveitar as longas conversas e transformar em algo produtivo. Aqui discutiremos esportes, política e o que for notícia no 'triângulo' São Paulo, Uberlândia e Boston.

Acho Que Vais Gostar Disto
House of the Dragon EP 10 (Final): Deixem os Dragões dançar!

Acho Que Vais Gostar Disto

Play Episode Listen Later Oct 25, 2022 51:24


“The Black Queen”, o décimo e último episódio da 1.ª Temporada de “House of the Dragon”, fecha o ciclo de contexto da Guerra Civil à boleia de Dragões e Fogo que aí vem. Numa hora, muito aconteceu, ainda que sem escaramuça de outros finais do Universo de “A Guerra dos Tronos". Houve espaço para um parto traumatizante (mais um…), uma segunda coroação (mais modesta) e até a um encontro entre Daemon e Otto que prometeu chamas e fumaça antecipadas. Enfim, tudo isto apenas para assinalar aquilo que já se suspeitava: apesar das intenções de paz, a guerra entre os Targaryen está prestes a começar. Agora, deixem os dragões dançar. Créditos finais HBO Max White Lotus (2.ª Temporada, a estrear em outubro) Este episódio contou com o apoio da HBO Max Portugal, plataforma de streaming na qual já podes ver todos os episódios de "Game of Thrones" em 4K. Acreditem que vale a pena! SIGAM-NOS NAS REDES SOCIAIS Instagram, Twitter e TikTok em @vaisgostardisto Ainda não subscreves a nossa newsletter? Podes subscrevê-la aqui: https://mailchi.mp/ffebaf0d5744/avgdpod CONTACTO + PARCERIAS em vaisgostardisto@madremedia.pt

GE Botafogo
GE Botafogo #216 - Por que o time levou o empate após ter controle total do clássico?

GE Botafogo

Play Episode Listen Later Oct 24, 2022 56:53


Episódio analisa a atuação alvinegra no empate por 2 a 2 com o Fluminense. Os desfalques no meio fizeram falta? A saída de Eduardo foi decisiva para a queda de produção da equipe? Houve pênalti no primeiro gol tricolor? Como foi a atuação de Patrick de Paula depois de quase três meses fora? Programa também debate o show da torcida no Maracanã, a renovação com Matheus Nascimento e a negociação com a Reebok. Dá o play!

SocTalks
SocTalks #8: "Eletrificação e Mobilidade" - SAHE 2022

SocTalks

Play Episode Listen Later Oct 24, 2022 57:11


A mais recente edição das SocTalks, conversas da Sociedade Comercial C. Santos, teve como tema a eletrificação e mobilidade nas áreas urbanas e suburbanas e esteve integrada no programa oficial de conferências do Salão Automóvel Híbrido e Elétrico de 2022. Com o tema “Eletrificação e Mobilidade”, a conversa teve a participação de Luís Ramos (vereador da Mobilidade e Transportes da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim), Rodrigo Silva (presidente da ARAN – Associação Nacional do Ramo Automóvel), Manuel Reis (membro do conselho diretivo e um dos fundadores da UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos) e Luís Miranda Torres (professor do ISEP – Instituto Superior de Engenharia do Porto). A moderação foi do relações publicas da Sociedade Comercial C. Santos, Aquiles Pinto. Houve ainda lugar a resposta a uma questão do público pelo secretário de Estado da Mobilidade, Jorge Delgado.

Investir com SIM
O que houve com a MRV (MRVE3)? - Live 185 (17/10/22) - Visão do Estrategista

Investir com SIM

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 5:32


Atenção (disclaimer): Os dados aqui apresentados representam minha opinião pessoal. Não são de forma alguma indicações de compra ou venda de ativos no mercado financeiro. Seleção das partes mais interessantes das Lives de segunda. Live 185 - Visão do Estrategista https://youtu.be/ujhDEsYlc2I

Rádio Comercial - O Homem que Mordeu o Cão, Temporada 3
Não tenho nada, não tive tempo de escrever nada, houve um acidente na A5, não tive o meu tempo no café Martins, é tudo um desastre

Rádio Comercial - O Homem que Mordeu o Cão, Temporada 3

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022


Mulher caverna, pedidos de casamento e aparição de imagens em comida

Meditação Diária com o Pe. João Carlos
12 de outubro - Meditação da Palavra do Senhor

Meditação Diária com o Pe. João Carlos

Play Episode Listen Later Oct 12, 2022 10:48


12 de outubro, Dia de Nossa Senhora Aparecida, Dia das Crianças -

Paddockast
PÉREZ VENCE NO CAOS DA F1 EM SINGAPURA. LECLERC 2º, VERSTAPPEN 7º| Briefing

Paddockast

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 109:40


A tempestade que banhou a região de Marina Bay na manhã deste domingo (2), noite no horário local, deu o primeiro sinal do que seria um GP de Singapura problemático. E assim foi, com muitos problemas, batidas e atrasos. Mas uma coisa mudou somente na largada: a liderança. Sergio Pérez tomou a ponta de Charles Leclerc na primeira curva e nem foi ameaçado pela maior parte da prova. Vitória do mexicano, a segunda da temporada 2022.Pérez partiu realmente muito bem, com velocidade de reação bem maior que a do pole Leclerc. No sábado, após a classificação, dissera estar em posição de ataque com relação ao rival, e foi o que fez. Atacou, tomou e, embora não tenha sumido na frente, jamais permitiu recuperação, mesmo em meio às intervenções do safety-car. Houve uma breve briga após a última entrada do safety-car, mas o mexicano saiu vencedor.Faltou força da Ferrari para conseguir atacar a Red Bull. Numa pista em que ultrapassar é bastante complicado, talvez ficar na frente fosse suficiente para sair com a vitória, mas a largada de Pérez impossibilitou que isso acontecesse. Leclerc ficou mesmo em segundo, seguido por Carlos Sainz. O espanhol tomou o terceiro lugar também na largada, após duelo com Lewis Hamilton, e mal apareceu no restante da corrida.Foi uma corrida de recorde. Fernando Alonso chegou à largada #351 e superou o número de Kimi Räikkönen, tornando-se o piloto mais longevo da história da categoria. O dia de comemoração era bom para ele, que segurava o quinto lugar impossibilitando os ataques de Max Verstappen, até o carro parar sozinho e forçar o abandono.O Mundial de Fórmula 1 continua já na próxima semana, entre os dias 7 e 9 de outubro, em Suzuka, com o GP do Japão.

Arquivo Misterio
ABSURDO o que houve com Rebecca (Becky) Watts

Arquivo Misterio

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 17:42


Becky Watts estava trocando mensagens pelo celular com seu namorado quando de repente parou de responder. Ele foi ate a casa dela e a garota não estava la. Ela tinha simplesmente sumido de dentro da própria casa. O mistério sobre o desaparecimento da menina foi resolvido de maneira breve, contudo ninguém imaginava que o responsável por isso estava o tempo todo ao seu lado.

O Antagonista
Cortes do Papo - Milton Ribeiro diz que jamais houve pedido de Jair Bolsonaro para 'fazer coisa errada'

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 24, 2022 1:41


Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

ONU News
Comissão de Inquérito Internacional diz que houve crimes de guerra na Ucrânia

ONU News

Play Episode Listen Later Sep 23, 2022 2:06


Novus Capital
NovusCast - 16 de Setembro 2022

Novus Capital

Play Episode Listen Later Sep 16, 2022 17:24


Nossos sócios Luiz Eduardo Portella, Sarah Campos e Yara Cordeiro debatem, no episódio de hoje, os principais acontecimentos da semana no Brasil e no mundo.⁠ ⁠ ⁠⁠⁠⁠No cenário internacional, o principal acontecimento foi a divulgação da inflação nos EUA, que surpreendeu para cima, mostrando pressão generalizada entre os componentes – tanto para bens, quanto para serviços, na contramão do que o Fed gostaria de observar. Além disso, ainda por lá, o número de pedidos de auxílio desemprego mostrou nova queda, em sinalização positiva para o mercado de trabalho. Como consequência, a desaceleração observada nos dados de atividade ficou em segundo plano. Por fim, o governo anunciou acordo com o sindicato dos trabalhadores ferroviários, que ameaçaram entrar em greve em busca de aumentos salariais. ⁠ No Brasil, as atenções seguem voltadas às pesquisas eleitorais que, no geral, demonstraram piora para o Bolsonaro na semana. Houve também a decisão do STF de suspensão do piso salarial de enfermagem até que haja determinação do impacto sobre os cofres públicos. Por fim, foram divulgados dados de atividade: a PMS (serviços) veio melhor que o esperado, a PMC (comércio) veio pior, e o IBC-Br surpreendeu positivamente, levando a revisões altistas de crescimento para esse ano e o próximo. ⁠ Apesar da semana ter começado em tom otimista, o fechamento foi bastante negativo: nos EUA, as bolsas apresentaram queda – Nasdaq -5,77% e S&P -4,77%, o juro de 10 anos abriu 14 bps, e o de 2 anos 31 bps. O petróleo apresentou queda, e o dólar valorizou. Por aqui, a bolsa (Ibovespa) caiu 2,69%, e o juro (jan/27) abriu 42 bps. ⁠ Na próxima semana teremos importantes reuniões de bancos centrais: Brasil, EUA e Inglaterra. Serão também divulgados os PMIs de Europa, e será importante acompanhar a evolução da guerra entre Rússia e Ucrânia, tendo em vista um tom mais elevado apresentado pelo Putin. ⁠ ⁠⁠Não deixe de acompanhar pra ficar por dentro do que rolou na semana e o que esperar da próxima!⁠ ⁠⁠

Expresso Ilustrada
Você vê sexo no cinema?

Expresso Ilustrada

Play Episode Listen Later Sep 15, 2022 29:41


Sabe aquele botão de pular a abertura de séries que aparece nas plataformas de streaming? Um tuíte sobre isso viralizou recentemente e deixou muita gente ouriçada. Isso porque um usuário da rede sugeriu que fosse criado um botão nesses mesmos moldes, mas para pular cenas de sexo. Houve quem comentasse que isso mostra como a geração mais jovem é “puritana e não sabe lidar com a sexualidade". Outros defenderam que nem todo mundo enxerga sexo do mesmo jeito e é preciso respeitar". Não é novidade que o tema sexo causa alvoroço nas redes sociais. E muito menos que o Twitter seja palco de discussões acaloradas. Mas esse tuíte acendeu uma questão que tem atravessado o cinema: tem ficado cada vez mais raro ver gente ficar nua e transando nas telas. Nesta semana, o Expresso Ilustrada explica por que as cenas de sexo estão sumindo do cinema e qual a relação que geração Z —essa que tem até 27 anos hoje— tem estabelecido com o assunto. O episódio também discute como o movimento MeToo impactou a indústria cinematográfica e como a ascensão de governos conservadores também muda o que é, ou não, retratado nas telonas. Para isso, o programa ouve Walter Porto, jornalista da Folha que escreveu sobre o tema, e Isabel Wittmann, crítica de cinema e fundadora do Feito por Elas, site especializado na cinematografia de mulheres.See omnystudio.com/listener for privacy information.

GE Vasco
GE Vasco #218 - Como avaliar a estreia de Jorginho? Houve alguma evolução?

GE Vasco

Play Episode Listen Later Sep 12, 2022 35:15


Episódio analisa a atuação vascaína na derrota para o Grêmio, jogo que marcou a estreia do técnico Jorginho. O time evoluiu? Por que a equipe leva tantos gols bobos? O que mudar para pontuar fora de casa? Qual deve ser a escalação contra o Náutico? Dá o play!

O Antagonista
Rodrigo Pacheco diz que não foi a atos 7 de setembro por possibilidade de 'desvirtuamento'

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 8, 2022 1:28


O presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG) disse, após a sessão do Congresso nesta quinta-feira (8), que não acompanhou Jair Bolsonaro no desfile cívico-militar de ontem (7), em comemoração ao bicentenário da Independência, por receio de desvirtuamento da data cívica. O senador não citou nomes - mas a mensagem foi dirigida a Bolsonaro, que fez acenos ao agro e ao homeschooling durante o desfile de ontem. "Houve dois momentos: o desfile cívico em que se celebrou o 7 de setembro. E depois os desdobramentos políticos", disse, relembrando da manifestação organizada por Bolsonaro logo após. "Minha preferência foi não participar porque não sabia se eles iriam se misturar."  `Pacheco ainda disse que "não se pode aproveitar a comemoração cívica para política partidária", em novo recado ao presidente. Por conta disso, Bolsonaro revidou - e cancelou de última hora sua participação hoje. Sobre a ausência, Pacheco fez apenas um lamento, sem tecer maiores comentários. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

GE Vasco
GE Vasco #217 - Análise e bastidores da contratação de Jorginho

GE Vasco

Play Episode Listen Later Sep 6, 2022 52:15


Episódio debate a contratação de Jorginho para comandar a equipe na reta final da Série B. Por que a diretoria desistiu de ficar com Emílio Faro até o fim do ano? Como chegaram ao nome de Jorginho? Houve contatos com outros técnicos antes? Como o novo treinador pode montar a equipe nos próximos jogos? Dá o play!

Podcast - Viviane Freitas
QUEM É DEUS - Suas escolhas e prioridades - 02/09/22

Podcast - Viviane Freitas

Play Episode Listen Later Sep 2, 2022 4:27


É muito comum as pessoas olharem para as outras colocando nelas toda a responsabilidade do que acontece. O que não é comum é elas perceberem as suas escolhas. Houve contendas com os pastores de Abrão e de Ló. E por causa disso Abrão pediu a Ló para escolher algum lugar para ir. Se Ló olhasse para o privilégio que seu tio tinha, ele não escolheria sair de perto de Abrão. Mas, infelizmente, ele aceitou a proposta de sair de perto de Abrão. “E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do Senhor ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar. Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló para o oriente, e apartaram-se um do outro.” Gênesis 13:10,11 Aqui mostra Ló com os olhos no ouro, no melhor para ele. Não o melhor para o seu tio. Deus nos deu o livre-arbítrio. Assim como Abrão deu a escolha a Ló para onde ele ia. Assim também Deus nos dá a escolha, o livre-arbítrio. Veja que, enquanto Abrão e Ló estavam juntos, não se revelava muito sobre Ló. Mas quando Abrão deu a Ló a oportunidade de escolher. O que ele fez? Escolheu o melhor para si, de acordo do que os seus olhos priorizavam. A sua liberdade mostra o que você escolhe como prioridade: Deus ou as coisas desse mundo. #QueméDeus #BlogVivianeFreitas #TardeMusicalRedeAleluia #Prioridades

O Antagonista
Cortes do Papo - Congresso vai controlar R$ 38,7 bilhões do Orçamento da União; valor é recorde

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 1, 2022 6:20


O governo federal destinou R$ 38,7 bilhões para emendas parlamentares no Orçamento de 2023. O valor é recorde. Somente em emendas de relator-geral – também conhecidas como Orçamento Secreto, foram destinados R$ 19,3 bilhões; as emendas individuais –  destinadas a cada um dos deputados e senadores – somam R$ 11,7 bilhões. As emendas de bancada, indicadas coletivamente por grupos de deputados ou senadores, chegam a R$ 7,6 bilhões. Neste ano, todas as emendas parlamentares somaram R$ 35,6 bilhões. Houve um acréscimo de aproximadamente 9%, valor superior ao IPCA projetado para 2023, que é na casa dos 4,5%. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Fita Isoladora
Verão trágico confirma dependência da TVI em relação ao Big Brother? | Deu no Comando

Fita Isoladora

Play Episode Listen Later Aug 29, 2022 42:08


O verão na programação da TVI foi muito atribulado. Houve apostas que duraram apenas duas semanas e repetições de repetições de formatos. Com a chegada de setembro e da reentré televisiva, que promete a "tempestade" do Big Brother, será que o canal Quatro conseguirá trazer uma grelha mais interessante? Joana Balsa, elemento do podcast especial de Big Brother do Espalha-Factos, analisa o que correu mal nos últimos meses e antecipa o futuro. O 'Deu no Comando' é o podcast de segunda-feira do Espalha-Factos. Este episódio é conduzido por Pedro Miguel Coelho e Mariana Lambertini e tem edição de João Malheiro. Segue o Espalha-Factos: Site: https://espalhafactos.com/ | Facebook: https://www.facebook.com/EspalhaFactos | Instagram: http://instagram.com/espalhafactos | Twitter: http://www.twitter.com/espalhafactos

O Antagonista
Lula: "Você não pode dizer que não houve corrupção se as pessoas confessaram"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Aug 26, 2022 1:00


Além de criticar a operação Lava Jato, Lula admitiu que houve corrupção durante o período dos governos petistas, mas fugiu de questionamentos sobre como combateria desvios de recursos em um eventual terceiro mandato petista. “Você não pode dizer que não houve corrupção se as pessoas confessaram. O que é mais grave é que as pessoas confessaram e por contas das pessoas confessarem, ficaram ricos. Foi uma espécie de uma delação premiada. Você não só ganhava liberdade por falar o que queria o Ministério Público, como você ganhava metade do que roubou. Ou seja, o roubo foi oficializado pelo Ministério Público”, disse Lula. Durante alguns momentos da entrevista, Lula tentou comparar esquemas como mensalão e petrolão com o orçamento secreto, instituído durante o governo Jair Bolsonaro. “Você acha que o mensalão que tanto se falou é mais grave que o Orçamento Secreto?”, questionou Bolsonaro. Ele disse que o desenho atual do Orçamento “não é moeda de troca, é usurpação de poder da presidência da República”, declarou. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Levante Ideias de Investimento
FECHAMENTO DE MERCADO 24/AGO

Levante Ideias de Investimento

Play Episode Listen Later Aug 24, 2022 14:27


Ibovespa subiu bem nas primeiras duas horas e devolveu zerando por volta das 13h30 e fechou com +0,12% aos 112.992 enquanto a bolsa americana ficou no positivo e fechou com +0,6% o Nasdaq e +0,3% o Dow Jones liderado por ações de tecnologia e consumo, mas com altas limitadas porque todos temem os discursos dos chefes do Fed em Jackson Hole no final da semana. A nossa bolsa continuou com volume muito forte perto dos R$ 60 bilhões com investidores comprando, mais uma vez, ações de varejistas e mercado interno e vendendo ações de exportadoras. As varejistas e mercado interno subiram mais depois da deflação de -0,73% do IPCA-15 e queda dos juros futuros prefixados apesar do mercado ter projetado -0,81% e da média dos núcleos setoriais do IPCA-15 terem subido em média ainda 0,56%. Inflação (IPCA-15) Houve variações positivas em seis dos nove grupos pesquisados. O resultado de agosto foi influenciado principalmente pela queda no grupo dos Transportes (-5,24%), que contribuiu com -1,15 ponto percentual (p.p.) no índice do mês. Além disso, também houve recuo nos preços dos grupos Habitação (-0,37%) e Comunicação (-0,30%). No lado das altas, a maior variação e o maior impacto vieram de Alimentação e bebidas (1,12% e 0,24 p.p.). Destacam-se, ainda, os grupos Saúde e cuidados pessoais e Despesas pessoais. Ambos subiram 0,81% e contribuíram conjuntamente com 0,18 p.p. para o IPCA-15 de agosto. Os demais grupos ficaram entre o 0,08% de Artigos de residência e o 0,76% de Vestuário. Dólar caiu -1,1% e fechou a R$ 5,11, devido à entrada de recursos de investidores estrangeiros para pagar ações compradas faz dois dias. Mais Negociadas VALE3 R$ 68,18 -2,8% PETR4 R$ 33,62 +0,5% AMER3 R$ 18,75 +1,3% MGLU3 R$ 4,52 +8,9% Maiores Altas: CVCB3 (CVCB3) +12% R$ 8,05 MGLU3 +9% R$ 4,53 POSI3 +8% R$ 11,54 NTCO3 +6% R$ 15,79 HAPV3 +5% R$ 7,84 Maiores Baixas: IRBR3 -3.7% R$ 2,04 USIM5 -3.6% R$ 9,36 SUZB3 -3.2% R$ 47,90 VALE3 -2.9% R$ 68,16 LWSA3 -2.5% R$ 10,10 A ação escolhida pelos assinantes da Levante foi PetroRio (PRIO3) e Dommo (DMMO3) e falarei de Oi que merece alguns esclarecimentos e novos cálculos. Veja no vídeo o que o Conde falou.

O Antagonista
Em novo ataque, Bolsonaro chama Barroso de "criminoso"

O Antagonista

Play Episode Listen Later Aug 2, 2022 1:14


O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar pessoalmente o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso. Nesta terça-feira (2), em entrevista a uma rádio gaúcha, Bolsonaro chamou o ministro de "criminoso", por sua atuação contra a PEC que poderia instituir um voto impresso no país. Até hoje, Bolsonaro não engole a derrota da PEC do voto impresso - e escolheu Barroso como o bode expiatório. "O Barroso foi para dentro do Congresso, mudaram os integrantes da comissão, e nós perdemos no voto o projeto do voto impresso. Houve uma interferência direta do ministro Barroso no Parlamento, o que a Constituição diz que não pode", disse Bolsonaro. "É um crime. O Barroso é um criminoso. E depois ele vai para fora do país participar de evento sobre como derrubar presidente." Ele ainda chamou Barroso de "mentiroso" - em mais um dos ataques diretos feitos contra o integrante da Suprema Corte. À época da derrota na Câmara, ele acusou o ministro de "chantagear" deputados e o chamou de "filho da puta". Cadastre-se para receber nossa newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Lito Cavalcanti
#150 O que houve com Leclerc?

Lito Cavalcanti

Play Episode Listen Later Jul 26, 2022 97:41


Charles Leclerc jogou fora uma provável vitória ao cometer um erro que provocou a batida na 18ª volta do GP da França. Sem seu principal rival na pista, Max Verstappen venceu e disparou na liderança. O holandês tem 63 pontos a mais que o monegasco, o que garante a liderança por no mínimo mais duas provas. Os destaques ficaram para Carlos Sainz, que fez boa prova de recuperação e, principalmente, para as duas Mercedes, que conseguiram chegar ao pódio. Neste programa, analisamos também o GP da Hungria, último antes das férias de verão da Fórmula 1. Inscreva-se no canal do Lito Cavalcanti no YouTube e participe toda segunda, às 20h (horário de Brasília), da live: https://www.youtube.com/LitoCavalcanti. Participe do Bolão do Lito: http://litocavalcanti.com.br/. Entre em nosso grupo no Telegram: http://t.me/radiopaddock.