Podcasts about unidas

  • 679PODCASTS
  • 1,717EPISODES
  • 22mAVG DURATION
  • 1DAILY NEW EPISODE
  • Nov 9, 2022LATEST

POPULARITY

20152016201720182019202020212022

Categories



Best podcasts about unidas

Show all podcasts related to unidas

Latest podcast episodes about unidas

O Assunto
COP-27: o que esperar da cúpula do clima

O Assunto

Play Episode Listen Later Nov 9, 2022 23:13


Eventos extremos cada vez mais frequentes, em um planeta que não para de esquentar. No intervalo de um ano desde a última Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas, assistimos às inundações que mataram milhares de pessoas no Paquistão, à seca recorde na Europa e a chuvas devastadoras na costa brasileira, entre outros desastres. Acordos para mitigar os danos e fazer as adaptações existem, mas o mundo tem imensa dificuldade em tirá-los do papel. Agora, na COP-27, que se desenrola até 18 de novembro no Egito, “o momento é de implementação de tudo o que foi prometido”, acredita Ana Toni, ex-presidente do conselho do Greenpeace Internacional e diretora-executiva do Instituto Clima e Sociedade. Neste episódio, ela conversa com Renata Lo Prete diretamente do balneário de Sharm el-Sheikh, na costa do Mar Vermelho, onde acontece o encontro. Para a economista, a discussão sobre quem pagará a conta da emergência climática está vencida. A questão é exigir dos países ricos que os recursos já combinados cheguem às populações mais vulneráveis no fluxo necessário, e não mais “a conta-gotas”. Ana fala também da expectativa quanto à participação brasileira - Lula irá à COP na próxima semana. “Há sensação de esperança”, diz.

Estadão Notícias
Lula na COP-27 e o futuro da política ambiental brasileira

Estadão Notícias

Play Episode Listen Later Nov 8, 2022 25:54


O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), figura como uma das principais atrações da COP-27, que é a conferência sobre o clima da Organização das Nações Unidas (ONU). O novo governo deve mostrar ao mundo o potencial de geração de energia limpa do País. O presidente eleito, Lula, também pretende usar a COP-27 para realizar encontros bilaterais considerados cruciais para a sua retomada ao comando do Palácio do Planalto. O petista pretende se reunir com os presidentes dos Estados Unidos, Joe Biden, e da França, Emmanuel Macron. Jair Bolsonaro (PL) se queixou da decisão do presidente eleito de ir à conferência climática da Organização das Nações Unidas, em um desabafo que foi testemunhado por auxiliares. O atual presidente chamou o petista de “usurpador” e o acusou de vestir a faixa presidencial antes da hora. Mais de 190 países vão participar da cúpula, incluindo o Brasil. Cerca de 90 chefes de Estado confirmaram sua presença, porém, alguns líderes mundiais não devem comparecer ao evento, enviando representantes do seu governo, como Vladimir Putin, presidente da Rússia. No ‘Estadão Notícias' de hoje, vamos conversar sobre esse assunto com o secretário executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini, que está na COP-27, no Egito. O ‘Estadão Notícias' está disponível no Spotify, Deezer, Apple Podcasts, Google podcasts, ou no agregador de podcasts de sua preferência. Apresentação: Emanuel Bomfim Produção/Edição: Gustavo Lopes, Jefferson Perleberg, Gabriela Forte e Gabriel Lara Sonorização/Montagem: Moacir Biasi.See omnystudio.com/listener for privacy information.

Durma com essa
Da política à Copa: a camisa amarela em seu palco principal

Durma com essa

Play Episode Listen Later Nov 7, 2022 21:41


O técnico Tite convocou nesta segunda-feira (7) os 26 jogadores que vão o Brasil na Copa do Mundo de futebol masculino no Qatar, que começa em 21 de novembro. A seleção brasileira vai representar um país onde cresce o desinteresse pelo esporte, enquanto vê seu uniforme ser usado por extremistas em manifestações pedindo uma intervenção militar após a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições ao Planalto. O Durma com Essa relembra a relação entre futebol e política em outras participações brasileiras em Copas e fala da apropriação da camisa amarela pelo bolsonarismo. O programa conta também com a participação de Fabiano Santos, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, falando sobre os desafios para a governabilidade de Lula, e de Mariana Vick, que comenta a participação do Brasil na Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, que acontece no Egito.

Durma com essa
A onda de otimismo com Lula e o mundo paralelo bolsonarista

Durma com essa

Play Episode Listen Later Nov 1, 2022 16:34


Nesta terça-feira (1º), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva confirmou a participação na COP27, a Cúpula do Clima das Nações Unidas, que acontece no Egito a partir de 6 de novembro. A confirmação acontece em meio a uma onda de otimismo de líderes estrangeiros com a vitória do petista e em meio a atos de bolsonaristas. O Durma com Essa fala sobre o otimismo com a eleição de Lula e sobre o mundo paralelo em que estão alguns apoiadores do atual presidente. O programa conta também com a participação de Marcelo Roubicek, falando sobre o uso político da Polícia Rodoviária Federal, e da professora titular do Instituto de Matemática da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) Tatiana Roque, que falou sobre o processo de reconstrução do país para a Ponto Futuro, editoria do Nexo dedicada a refletir sobre os próximos anos.

Un Mensaje a la Conciencia
«El hombre más viejo del mundo»

Un Mensaje a la Conciencia

Play Episode Listen Later Oct 31, 2022 4:01


(Día Nacional del Adulto Mayor en Ecuador) «A primera vista no se observa nada especial en Lerik, un pueblecito al suroriente de Azerbaiyán, cerca de la frontera con Irán, aunque es un... hermoso lugar, enclavado en una cima montañosa y rodeado de praderas agrícolas. Pero lo que distingue a Lerik y a sus alrededores de cualquier otra parte de Azerbaiyán o, en realidad, del mundo, es la sorprendente longevidad de sus habitantes. »Se dice que el hombre más viejo del mundo vivió cerca de aquí hasta que murió a principios de la década de los años ochenta, aparentemente a los ciento sesenta y ocho años, y hoy hay varias personas en la zona que sobrepasan los cien años de edad. La mayoría de la gente que vive aquí son miembros del grupo étnico talish, que llega a unos ochocientos mil en Azerbaiyán. Como la mayoría de la población azerbaiyana, son musulmanes. »Cuando los miembros de un equipo de Kitab Shirketi visitó Lerik a principios [del año 2008,] conocieron a la persona más anciana del poblado. «“Nos invitaron a una casa donde conocimos a un hombre de ciento treinta y tres años ­—recuerda Namik Kerimov—.... ¡Casi no podíamos creerlo! ¡Estaba rodeado de sus hijos, nietos, bisnietos y tataranietos! Gozaba de buena salud y nos dijo que nunca se había enfermado. ¡Su nieto también nos dijo que siempre les está pidiendo que lo ayuden a encontrar una novia nueva! »”Le preguntamos si alguna vez había [oído] hablar de [Jesucristo], y respondió que nunca antes había oído ese nombre.”»1 Si bien este reportaje publicado por labibliaweb.com nos asombra con relación a la edad que han llegado a tener los habitantes de esa zona de Azerbaiyán, debiera asombrarnos igualmente el que uno de ellos, en sus ciento treinta y tres años de vida, no sólo nunca se hubiera enfermado sino tampoco hubiera jamás oído siquiera mencionar el nombre de Jesucristo. Esa falta de conocimiento alguno acerca del fundador del cristianismo es prueba de que, con todo y los avances tecnológicos e informáticos que ha habido hasta el siglo veintiuno, ese anciano aún no comprendía que en gran parte del mundo el tiempo mismo se divide entre antes y después de aquel célebre personaje histórico. Pero también pone de manifiesto que, en ese lapso de un siglo más una tercera parte de otro, ninguno de los seguidores de Cristo había logrado llegar hasta ese lugar en cumplimiento de la llamada «Gran Comisión» que su héroe pronunció luego de su muerte por crucifixión y su resurrección tres días después. «La Gran Comisión» consistía en que fueran e hicieran discípulos suyos de todas las naciones, y que fueran sus testigos hasta los confines de la tierra,2 de modo que incluía, sin lugar a dudas, Azerbaiyán. Como resultado de la muerte de Cristo en la cruz —afirma San Pablo—, «Dios lo exaltó hasta lo sumo y le otorgó el nombre que está sobre todo nombre, para que ante el nombre de Jesús se doble toda rodilla en el cielo y en la tierra y debajo de la tierra, y toda lengua confiese que Jesucristo es el Señor».3 Más vale que los seguidores de Cristo redoblemos nuestros esfuerzos para que de aquí en adelante disminuya al máximo el número de quienes puedan alegar que nunca en su vida han oído el nombre de Jesucristo. «Porque —como afirma San Pedro— no hay bajo el cielo otro nombre dado a los hombres mediante el cual podamos ser salvos.»4 Carlos ReyUn Mensaje a la Concienciawww.conciencia.net 1 «Un hombre de 133 años oye hablar de Jesús por primera vez», Sociedades Bíblicas Unidas, 2 febrero 2008 En línea 7 febrero 2008. 2 Mt 28:20; Hch 1:8 3 Fil 2:9-11 4 Hch 4:12

Podcast Internacional - Agência Radioweb
Apenas 50% dos países têm alertas para catástrofes naturais

Podcast Internacional - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Oct 14, 2022 1:35


Novo estudo do Escritório das Nações Unidas para Redução do Risco de Desastres e da Organização Meteorológica Mundial relata preocupação com prevenção de desastres e perigos climáticos. Países com cobertura limitada de alerta precoce têm mortalidade oito vezes maior.

Noticentro
"A la baja homicidios y secuestros en México"

Noticentro

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 1:35


•Pío López interpone un recurso legal•Colectivo Víctimas Unidas le reclama al gobierno •Banxico prevé una inflación de 8.6%•Más información en nuestro Podcast

JE Notícias
Ucrânia: ONU condena anexações russas com apoio esmagador | O Jornal Económico

JE Notícias

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 0:45


A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou, com uma esmagadora maioria de 143 votos, uma resolução que condena a anexação de territórios ucranianos pela Rússia.

FEBRABAN News
A Saúde Financeira como estratégia para o desenvolvimento humano e sustentável na região

FEBRABAN News

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 24:26


Como os latino-americanos lidam com o dinheiro? A pandemia acelerou o processo de bancarização na América Latina. Atualmente, cerca de sete em cada dez latino-americanos são titulares de conta, quatro deles abriram a conta para receber auxílios emergenciais dos governos. Mas, apesar do crescimento da inclusão financeira e do grande volume de transações digitais, esse movimento não se traduziu numa mudança de comportamento na região. A maioria das pessoas ainda prefere usar o dinheiro vivo. Como incluir efetivamente essas populações ao sistema? Como ajudá-las a ter uma vida financeira saudável? Como desenvolver jornadas para acelerar essa transformação? Essas questões foram discutidas por representantes de 27 países, reunidos no Congresso Latino-Americano de Educação e Inclusão Financeira 2022. Durante os dois dias de evento, em parceria com a Felaban (Federação Latino-Americana de Bancos) e apoio do Banco Central do Brasil, os participantes trocaram experiências de como estão mobilizando os diferentes atores, públicos e privados, para colocar a saúde financeira no centro da agenda dos governos e instituições financeiras. Compartilharam as iniciativas e programas de educação financeira, bem como as melhores estratégias para se chegar às populações mais vulneráveis e carentes. E discutiram a importância de se criar métricas e indicadores para mensurar os impactos desse processo. A maioria dos países já lançou o seu índice de saúde financeira, inclusive o Brasil. Apesar dos diferentes contextos dos países latino-americanos, os desafios e as soluções são muito semelhantes. E todos são unânimes: a inclusão e a educação financeiras podem alavancar o desenvolvimento humano e sustentável em toda América Latina. Todo esse conteúdo foi reunido nesta série especial de 03 capítulos da FEBRABAN NEWS, sobre a saúde financeira na América Latina. Neste primeiro, vamos focar nos desafios para conscientizar os diferentes setores da importância estratégica dessa questão para o empoderamento das pessoas e para o desenvolvimento regional. Há estudos que mostram que a inclusão e a educação financeiras podem levar a um incremento do PIB de até 14% nos países em desenvolvimento. Participantes: Mona Dorf, jornalista, Diretora- Adjunta de Mídias Sociais da Febraban. Maurício Moura, Diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do Banco Central do Brasil. Nancy Widjaja, Assessora de Políticas do Advogado Especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para Financiamento Inclusivo para o Desenvolvimento, UNSGSA. Eric Usher, Head da Iniciativa Financeira do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – UNEP. Alan Gómez, VP de Sustentabilidade e Coordenador do Comitê de Sustentabilidade da Associação de Bancos do México (ABM). Saniya Ansar, Economista Líder do Banco Mundial. Amaury Oliva, Diretor de Sustentabilidade, Cidadania

Pedro Ferriz de Con
Solo 4 países dan la cara por Rusia por la anexión ilegal de territorios ucranianos.

Pedro Ferriz de Con

Play Episode Listen Later Oct 13, 2022 9:03


La comunidad internacional ha vuelto a dar la espalda a Vladimir Putin. Durante la Asamblea General de Naciones Unidas: 143 países han condenado que Rusia se haya anexionado de forma ilegal territorios ucranianos (Donetsk, Jersón, Lugansk y Zaporiyia) y solo 4 han respaldado a Putin.La resolución, además, declara que esos referendos ilegales no tienen validez según el derecho internacional y no constituyen la base para ninguna alteración del estado de estas regiones de Ucrania.De esto y más, nos habla Adriana Braniff en su Comentario Internacional.

Convidado
Associação ajuda cães errantes de São Tomé

Convidado

Play Episode Listen Later Oct 12, 2022 9:42


Na cidade de São Tomé, “são muitos, muitos, muitos, muitos, muitos” os cães errantes, com fome, com sede, alvo de maus tratos e de atropelamentos frequentes. A Associação Amigos dos Animais (AMA) recebe e trata alguns e está a ser apoiada pela Fundação francesa Brigitte Bardot para esterilizar 800 cães até Julho de 2023. Chama-lhes “pestinhas”, “princesas” e “bolinhas de amor”. Agarra-os ao colo e não se cansa de dar e receber beijinhos dos vários cães que “adoptou” provisoriamente. Mafalda Iria de Sousa é uma das duas veterinárias da Associação Amigos dos Animais (AMA), situada em Praia Lagarto, na capital são-tomense. É ali que vão parar alguns dos inúmeros cães errantes - e muito maltratados - da cidade de São Tomé. Na sua maioria, os animais são levados para a associação e clínica veterinária depois de um grave acidente e muitos são mesmo salvos pelas veterinárias Mafalda e Helda Costa Neto, com a ajuda dos vários voluntários da AMA. Mafalda Iria de Sousa juntou-se à associação em 2019, um ano depois de esta ter sido criada, e considera-se uma “mãe-galinha” de todos os animais que lhe passaram pelas mãos. Como não pode acolher todos, ela e os outros voluntários andam sempre com um saco de ração no carro. Há quem lhe chame “a maluca dos cães”. “Todas andamos com um saco de ração no carro. Há cães que já conhecem mesmo o barulho do motor do carro e, assim que chegamos na cidade, temos uma passerelle de cães a desfilar atrás do nosso carro, à espera que paremos. Há muita gente que nos chama as malucas dos cães, mas é por uma boa causa. Às vezes penso: ‘Eu não sou maluca, estou só a tentar ajudá-los!'. Outros dias é com muito orgulho. E muito amor, sobretudo”, conta. A “principal luta” da associação é controlar o número de cães errantes nas ruas, através da esterilização. Neste momento, a AMA conta com o apoio da Fundação francesa Brigitte Bardot para esterilizar 800 animais até Julho de 2023. “A nossa principal luta é mesmo o controlo populacional de cães errantes na rua. É óbvio que temos lutas maiores como promover uma só saúde e garantir o bem-estar animal, mas a nossa principal luta é mesmo o controlo de cães errantes”, explicou a veterinária, acrescentando que têm, também, o apoio da World Veterinary Service. Mafalda conta que não há uma estimativa de quantos cães existem nas ruas, adiantando apenas que “são muitos, muitos, muitos, muitos, muitos”. A veterinária faz questão de sublinhar que em São Tomé e Príncipe nunca foi registado um caso de raiva, ainda que seja classificado como país com raiva no site da Organização Mundial da Saúde Animal. “Para um país ser considerado livre de raiva, há determinadas fases e uma delas é o país ter um plano de vacinação instaurado há, pelo menos, cinco anos. É necessário fazermos amostragem de um determinado número de animais e enviarmos para laboratórios de referência na Europa. E nunca nenhum desses trabalhos foi feito. Por isso é que São Tomé não é considerado como um país livre de raiva. Mas, a verdade é que nunca houve nenhum caso detectado e assinalado de raiva em São Tomé”, sublinha. O principal problema dos cães errantes é a fome e a sede, mas também os atropelamentos porque os carros raramente se desviam. O aumento de cães abandonados à sua sorte foi também causado pelo aparecimento de carraças, alegadamente “importadas” por um cão proveniente do Gabão. “Neste momento, nós estamos com um problema muito grave em São Tomé que são as carraças. Não havia carraças em São Tomé, foi um cão que entrou do Gabão contaminado. Não sabemos como aconteceu, mas acabou por contaminar todos os cães - inicialmente da cidade de São Tomé e agora já de áreas um bocadinho posteriores. As pessoas não conheciam aquele bicho [carraça]. As pessoas assustaram-se e muitas delas começaram a abandonar os cães com medo porque não sabiam como tratar. (…) Ainda temos muitos animais que acabamos por perder porque estão totalmente infestados por carraças e são abandonados no mato”, lamenta. Neste espaço, funciona também a clínica veterinária, que foi equipada graças à ajuda do PNUD, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, e o novo objectivo é conseguirem uma máquina de anestesia e um aparelho de raio-x portátil. Depois, a associação e a clínica têm de encontrar novo lar porque dentro de um ano deverão abandonar as instalações actuais. Para isso, começaram uma recolha de fundos através de um “crowdfunding” disponível na página internet da associação.

Imagen Informativa Primera Emisión
Nuevo grupo opositor rumbo a las elecciones presidenciales de 2024

Imagen Informativa Primera Emisión

Play Episode Listen Later Oct 12, 2022 8:35


Organizaciones de la sociedad civil, actores, políticos, exgobernadores, legisladores y exdirigentes patronales se unieron para formar en nuevo #grupoopositor rumbo a las #elecciones presidenciales de #2024 llamado “Unid@s”#CeciliaSoto, Excandidata presidencial, nos da lo detalles.

ONU News
Jornal da ONU - 11 de outubro de 2022

ONU News

Play Episode Listen Later Oct 11, 2022 0:05


Em Dia Internacional da Menina, Nações Unidas celebram conquistas Novos ataques na Ucrânia podem ter violado princípios do direito internacional humanitário    

ONU News
Em Dia Internacional da Menina, Nações Unidas celebram conquistas

ONU News

Play Episode Listen Later Oct 10, 2022 0:02


DW em Português para África | Deutsche Welle
10 de Outubro de 2022 – Manhã

DW em Português para África | Deutsche Welle

Play Episode Listen Later Oct 10, 2022 20:00


Greve pode paralisar saúde e educação na Guiné-Bissau. Negociações de paz tentam por fim ao conflito na região do Tigray. Assembleia-Geral das Nações Unidas reúne-se para discutir a anexação de territórios ucranianos pela Rússia. Episódio do Learning by Ear.

Podcast Internacional - Agência Radioweb
Paquistão está à beira de um desastre de saúde pública

Podcast Internacional - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Oct 8, 2022 1:40


O secretário-geral das Nações Unidas destacou que as enchentes atingiram 33 milhões de pessoas e mataram mais 1,7 mil. Unidades de saúde foram arrasadas e população pode sofrer com doenças coloca cólera, malária e dengue.

Fact Check
Bolsonaro foi aplaudido de pé na ONU?

Fact Check

Play Episode Listen Later Oct 7, 2022 4:16


Vídeo mostra aplausos de pé depois do discurso de abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas? Mas terá mesmo acontecido?See omnystudio.com/listener for privacy information.

Radiomundo 1170 AM
LHG4x62: Exilados rusos y el sesgo de las encuestas de Brasil

Radiomundo 1170 AM

Play Episode Listen Later Oct 6, 2022 47:35


Exilados rusos y su entrada a Europa. Aline dos santos y el sesgo de las encuestas en Brasil. Las dos damas disruptivas de Europa. China evita la lupa de las naciones Unidas. La Hora Global: 60 minutos para comprender el nuevo desorden mundial. Conduce: Gustavo Calvo. Con Leo Harari Martes y Jueves , de 15 a 16 hs, en Radiomundo 1170 AM

Convidado
Cabo Verde participa pela primeira vez no Fórum "Ambition Africa 2022" em Paris

Convidado

Play Episode Listen Later Oct 5, 2022 9:41


Desde ontem e ainda hoje, decorre aqui em Paris o fórum empresarial "Ambition Africa 2022". Este encontro organizado pelo governo francês reúne representantes do sector privado francês e africano juntamente com responsáveis políticos do continente. Cabo Verde participa pela primeira vez no certame e é representado por Adalgisa Vaz, Secretária de Estado para o fomento empresarial, que intervém esta quarta-feira numa palestra sobre o turismo no seu país, um dos pilares da economia cabo-verdiana. Ao evocar com a RFI os diversos desafios com que se debate o arquipélago nomeadamente em matéria de transportes e também de apoio às empresas numa altura em que se antecipam dificuldades, Adalgisa Vaz observa que apesar de um contexto de crise -e contrariando prognósticos- o sector do turismo em Cabo Verde tem conhecido uma retoma, depois de meses de crise devido à pandemia. RFI: Como está actualmente o sector do turismo em Cabo Verde? Adalgisa Vaz: Coincidentemente, ultrapassou todas as expectativas. Estávamos a prever uma retoma em 2023. Este ano, em Julho, atingimos 70% do volume de turistas registados em 2019 e os empresários do sector estão com muita expectativa em relação à época do inverno que já começou em Outubro. Pelo que o programa de vacinação que neste momento regista uma taxa de vacinação de 85% da população, ajudou a consolidar o destino turístico. Já começamos a registar um fluxo de turistas e acreditamos que se vai aproximar do nível registado em 2019 ainda este ano. RFI: Quem diz 'turismo', diz também 'mobilidade'. A mobilidade interilhas a nível marítimo e a nível aéreo tem conhecido alguns problemas ultimamente. Como se pensa sanar esta situação? Adalgisa Vaz: Estamos a acompanhar, a reanalisar com os nossos parceiros e acreditamos que todos vamos encontrar um ponto de entendimento para realmente correspondermos às expectativas da população e dos que nos visitam. A coordenação desse diálogo será fácil na medida em que temos um ministério do turismo e dos transportes ciente de que não poderemos falar de um 'arquipélago do turismo' sem considerar as questões associadas à conectividade, seja aérea, seja marítima ou terrestre. De facto, o governo neste momento está a acompanhar com muita atenção em articulação com os operadores nacionais, para podermos apresentar as soluções de qualidade e com a frequência que interessa aos turistas que querem previsibilidade, assim como a nossa diáspora. RFI: No caso particular da companhia aérea TACV, quais são exactamente os planos do governo? Adalgisa Vaz: Estamos numa fase de criar novas bases para atrair investidores externos. Consta da lista de privatizações em Cabo Verde e estamos numa fase de consolidação da empresa para poder colocá-la no mercado. RFI: Relativamente aos critérios para escolher os investidores, da outra vez correu mal. Quais vão ser agora os critérios para fazer negócio com a TACV? Adalgisa Vaz: É evidente que vamos aprender com as lições do passado. Há um decreto-lei que regula as privatizações. Vamos tentar sempre encontrar um parceiro que venha colocar Cabo Verde nessa rota internacional. Temos uma localização geoestratégica e a nossa ambição é criar um 'hub' dos transportes aéreos. Isso pode de facto atrair os maiores operadores com interesse em aproveitar esse eixo Europa-África-Estados Unidos e América Latina, porque Cabo Verde está a poucas horas de viagem desses três continentes. RFI: O governo cabo-verdiano tem estado com os parceiros sociais a analisar o orçamento para o ano que vem. Ainda há dias, o vice-primeiro-ministro disse que "não se pode esperar facilidades". Portanto, ele antevê para os próximos tempos algumas dificuldades para Cabo Verde a nível orçamental. Que margem de manobra é que haverá para o fomento empresarial? Adalgisa Vaz: Foi apresentado na sexta-feira o orçamento em sede de concertação social. Os parceiros sociais alinharam com a proposta do orçamento. Já foi submetido à assembleia nacional para efeito de aprovação. Em relação ao fomento empresarial, como é do conhecimento de todos, o governo elegeu o sector privado como motor do crescimento e estamos cada vez mais a mobilizar e reorientar todo o apoio dos nossos parceiros de desenvolvimento para o sector privado e também o investimento directo estrangeiro que apesar da crise, tem registado um nível de engajamento satisfatório. RFI: Falou-se nomeadamente do salário mínimo que vai conhecer um aumento faseado, isto numa altura em que tem havido uma hemorragia de trabalhadores cabo-verdianos designadamente para Portugal. Como é que o governo pensa reter essa mão-de-obra? Adalgisa Vaz: O governo tem de criar todas as condições para podermos ter um ambiente de negócios favorável e permitir que as empresas privadas, o maior empregador, possam também reajustar os salários consequentemente. Com uma boa oferta a nível nacional, haverá condições para estabilizar esse fluxo de trabalhadores para o exterior. RFI: Há apoios a nível do Estado, há isenções de impostos para isso? Adalgisa Vaz: O que o Estado pode fazer é garantir programas de formação profissional, apoio à contratação e o que já existe com várias facilidades fiscais para as empresas que recrutam desempregados ou jovens recém-formados. Há todo um programa que está em vigor desde 2018 de apoio à formação profissional e ao recrutamento de jovens, com programas de estágios profissionais, com participação do governo e também há benefícios fiscais para as empresas que recrutam jovens e desempregados. Consta mesmo da lei de Orçamento de Estado. RFI: Acha que isto é suficiente para reter esses trabalhadores que nestas últimas semanas têm procurado ir para fora? Adalgisa Vaz: Temos uma taxa de desemprego à volta de 14%. Não temos a preocupação nesta fase de retenção mas de garantir as melhores condições para os jovens que procuram emprego e os desempregados. Cabe ao sector privado criar as condições de retenção da mão-de-obra. RFI: Paralelamente a isto, o governo cabo-verdiano tem estado em contacto com Portugal precisamente na perspectiva de assegurar condições para esses trabalhadores. Como é que estão essas negociações? Adalgisa Vaz: Já estamos na fase final de assinatura de contratos para realmente coordenar e acompanhar essa mobilidade de trabalhadores para Portugal através do nosso Instituto de Emprego e de Formação Profissional de forma a garantir os direitos para os trabalhadores que vão ser recrutados para exercer a sua actividade em Portugal. RFI: O Presidente cabo-verdiano disse recentemente na tribuna da ONU que queria a breve trecho chegar a um novo patamar do desenvolvimento do país. Julga que haverá condições para efectivamente até 2030 haver um desenvolvimento sustentável em Cabo Verde? Adalgisa Vaz: Já temos uma agenda de desenvolvimento sustentável até ao ano 2030 que estamos neste momento a executar precisamente para podermos atingir os objectivos do desenvolvimento sustentável das Nações Unidas e também garantir um crescimento que venha permitir ao país ter um desenvolvimento económico inclusivo e continuar na sua senda de resiliência.

BallasCast
BallasCast – Episódio 282 - Wesley Barbosa | Live: Neurociência, Ansiedade e Comunicação (Parte 2)

BallasCast

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 23:40


Wesley Barbosa é fundador da EduTech Become Inc., Professor convidado da Fundação Dom Cabral, ex-Executivo do Facebook no Vale do Silício, ex-Sócio da XP Investimentos, especialista em neurociências e Idealizador da ONG chancelada pela Nações Unidas e acelerada por Stanford Ajude o Pequeno. Foi Líder de Desenvolvimento de Mercado no Instagram e Facebook no Brasil e o executivo responsável por trazer o Baidu (O Google Chinês) para a América Latina. Ministrou aulas na Berkeley University e Singularity University, na Califórnia. Formado em Adm e em Marketing, possui educação executiva em Negociação por Harvard Law School, neurociência pelo MIT (Massachussetts Institute of Technology), inovação e Marketing por Columbia Business School. @wesleybarbosa

Podcast Internacional - Agência Radioweb
ONU alerta para nova recessão da economia global em 2023

Podcast Internacional - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 2:07


O crescimento global cairá para 2,2% no próximo ano, a previsão é da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, que prevê para este ano, um aumento de 2,5% na economia.

ONU News
Líder das Nações Unidas diz que é hora de compromissos com ação climática

ONU News

Play Episode Listen Later Oct 3, 2022 0:02


Podcast Internacional - Agência Radioweb
Crescem ameaças a entidades de direitos humanos parceiras da ONU

Podcast Internacional - Agência Radioweb

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 1:55


Um relatório das Nações Unidas que monitora a situação de entidades parceiras em 45 países revela que muitos indivíduos e organizações estão sendo alvos de represálias e ameaças por defender os direitos humanos. O Brasil é o único lusófono da lista e um dos 12 membros atuais do Conselho de Direitos Humanos, que foram citados em alegações de intimidação e represálias. Uma parceria da Agência Radioweb e da Rádio ONU News.

Mujeres llenas de gracia ICJ
Unidas en un mismo Espíritu

Mujeres llenas de gracia ICJ

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 5:12


Unidas en un mismo Espíritu --- Send in a voice message: https://anchor.fm/mujeresllenasdegraciaicj/message

Convidado
Guerra na Ucrânia: "Putin vê actualmente a sua liderança pessoal mais pressionada e ameaçada"

Convidado

Play Episode Listen Later Sep 30, 2022 6:52


O conflito na Ucrânia transpõe hoje um novo patamar com Vladimir Putin a proclamar, em nome do "direito à autodeterminação dos povos", a anexação de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson, 4 regiões situadas no leste e sul da Ucrânia, ao cabo de referendos qualificados de "fantochada" por Kiev e pelos seus aliados ocidentais. A coincidir com esta proclamação, reúne-se hoje o Conselho de Segurança da ONU para discutir sobre uma resolução condenando os "referendos" organizados nas províncias ocupadas pela Rússia, o voto deste texto não deixando contudo margem para ilusões, dado que a Rússia tem sempre usado o seu direito de veto nesta matéria. Perante esta forte probabilidade, os Estados Unidos não excluem a hipótese de se organizar uma reunião da Assembleia Geral da ONU com o objectivo de "enviar uma mensagem sem ambiguidade a Moscovo". Em linha de mira está nomeadamente a China que, até agora, se tem declarado oficialmente "neutra", muito embora tenha em paralelo enaltecido a "amizade sem limites" com a Rússia. Uma relação privilegiada que não impediu Pequim de apelar esta semana ao "respeito da integridade territorial de todos os países" e a "um cessar-fogo pelo diálogo", depois de a Rússia agitar novamente a ameaça da utilização da arma nuclear. Relativamente a este momento do conflito, Sandra Fernandes, professora especialista da Rússia ligada à Universidade do Minho, observa sobretudo que as anexações de territórios ucranianos por Putin acontecem num momento em que ele está a conhecer dificuldades na frente militar mas igualmente na frente política interna. RFI: O que traduz a proclamação das anexações de Donetsk, Lugansk, Zaporijia e Kherson por Putin, a seu ver? Sandra Fernandes: Era algo que já estava a ser anunciado, foi posto em prática e neste momento de viragem do conflito, penso que é sobretudo uma tentativa de manobra sobretudo interna, porque neste momento Putin está a perder uma guerra face aos seus objectivos iniciais. Isto está-lhe a trazer problemas relativamente aos seus apoios, a nível da sua liderança, nomeadamente junto dos ultranacionalistas que partilham de uma visão muito extrema sobre aquilo que deve ser o destino da Ucrânia. Portanto, com estas anexações, podemos ao mesmo tempo perceber que é uma espécie de tentativa de "salvar a face" e de dar alguma aparência de avanços na conquista da Ucrânia e, por outro lado, talvez lhe permita reduzir os seus objectivos estratégicos nomeadamente, por exemplo, na região de Donetsk. Este passo, penso eu, vai-lhe permitir redireccionar no sentido de uma escala menor um conflito que ele está neste momento a perder. RFI: No momento em que ele está a concretizar, pelo menos no papel, a anexação desses territórios, Putin também agita a ameaça nuclear. É para levar a sério? Sandra Fernandes: A ameaça nuclear é algo que considerávamos completamente impossível e agora deixou de ser impossível. Ou seja, nas circunstâncias actuais em que um líder com as características de Putin, com uma liderança muito pressionada e ameaçada devido ao desaire desta guerra para a Rússia, traz-nos a questão da imprevisibilidade de um líder com uma visão do mundo e um perfil psicológico algo deformada, uma visão do mundo obsessiva face àquilo que é o valor da Ucrânia para o interesse nacional russo e, portanto, embora continue a ser improvável, não é de todo impossível. RFI: Hoje, o Conselho de Segurança da ONU vai debruçar-se sobre a questão da Ucrânia e nomeadamente essas anexações. Até que ponto é que isto vai ter algum impacto? Sandra Fernandes: O Conselho de Segurança das Nações Unidas é um órgão que está paralisado, uma vez que depende da unanimidade dos votos dos cinco membros permanentes (França, Estados Unidos, Reino Unido, China e Rússia). Portanto, será com certeza um momento em que as potências que estão do lado da Ucrânia vão condenar novamente a Rússia, mas isso não terá efeitos práticos nenhuns. Será interessante perceber como é que a China vai discursar face a esta questão. A China está aqui num jogo de equilíbrio entre o Ocidente e a Rússia. RFI: Não está excluída a hipótese de haver uma reunião do plenário e, efectivamente, cada um ter que se posicionar relativamente a este conflito. Há uns meses já houve um voto desta natureza. Julga que o voto pode mudar relativamente à Rússia, nomeadamente o voto da China e da Índia que até agora se mostravam "neutras"? Sandra Fernandes: Pode haver aqui alguns ajustamentos pelo menos na retórica. Aí, eu penso que será interessante perceber que tipo de ajustamentos, que leitura é que estes países fazem do momento actual. Teremos que aguardar pela manifestação desses ajustamentos. RFI: Isto também sucede numa altura em que se registaram explosões nos gasodutos Nordstream 1 e 2. Há suspeita de sabotagem. A Rússia diz que são os Estados Unidos. A Europa diz que é a Rússia. Quem é que tem mais a ganhar com esta possível sabotagem? Sandra Fernandes: Julgo que a sabotagem poderá ter algum objectivo dentro da guerra híbrida que a Rússia conduz contra o Ocidente já antes desta guerra porque é no sentido de criar um impacto, uma percepção nas opiniões públicas. Mas penso que o essencial a reter sobre os dois gasodutos Nordstream é que eles estão condenados a prazo. Esta guerra traz uma reorientação drástica quanto aquilo que é a visão europeia sobre o seu mercado energético e sobre as suas relações energéticas, uma vez que se procura cortar a relação com a Rússia nesta senda. Portanto, penso que neste momento, estes acontecimentos criam mais ruído ou distracção face àquilo que é o essencial nesta guerra. RFI: E Precisamente, o que é necessário reter neste momento do conflito? Sandra Fernandes: O que é preciso reter é que Putin falhou os seus objectivos iniciais. Claramente a sua capacidade bélica e a sua acção no terreno têm sido caóticas. Há claros problemas de comando e de coordenação nas Forças Armadas russas e não há uma opinião pública realmente favorável à guerra. Putin vê actualmente a sua liderança pessoal mais pressionada e mais ameaçada.

Podcasts do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil
GT do Mapa busca combater as perdas e o desperdício de alimentos

Podcasts do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil

Play Episode Listen Later Sep 29, 2022 3:00


Como forma de o Brasil contribuir com o Dia Internacional de Conscientização sobre a Perda e o Desperdício de Alimentos, instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Governo Federal criou um Grupo de Trabalho (GT), por meio da Comissão para o Desenvolvimento Sustentável do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (CDSA/Mapa), com o objetivo de reavaliar cenários e propor estratégias no âmbito das políticas públicas coordenadas pela pasta para contribuição no desafio global da redução de perdas e desperdício em 50% até 2030, Os trabalhos se iniciaram em setembro de 2021 e o GT propõe, no relatório final, a adoção de estratégias para o aperfeiçoamento de políticas públicas. As recomendações foram separadas em cinco eixos temáticos: Pesquisa, Desenvolvimento, Tecnologia e Estatística; Avaliação e monitoramento do ambiente regulatório; Difusão de conceitos e comunicação; Integração de Políticas Públicas; e Integração Internacional. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Marcos Montes, destaca que a Embrapa e a Conab, ligadas ao Mapa, já dispõem de programas para o combate às perdas e desperdício de alimentos dentro da cadeia produtiva. O ministro cita, como exemplo, os Bancos de Alimentos, política considerada uma referência internacional. Os bancos funcionam como uma central de recepção, tratamento e distribuição de produtos alimentícios, provenientes de doações de empresas de diversas áreas, entidades assistenciais e agentes do governo, em parceria com as Ceasas. Segundo levantamento da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO/ ONU), estima-se que cerca de 30% dos alimentos produzidos no planeta sejam desperdiçados ou perdidos por ano, chegando a 1,3 bilhão de toneladas. Na América Latina, são cerca de 77 milhões de toneladas perdidas.

BallasCast
BallasCast – Episódio 281 - Wesley Barbosa | Live: Neurociência, Ansiedade e Comunicação (Parte 1)

BallasCast

Play Episode Listen Later Sep 27, 2022 33:42


Wesley Barbosa é fundador da EduTech Become Inc., Professor convidado da Fundação Dom Cabral, ex-Executivo do Facebook no Vale do Silício, ex-Sócio da XP Investimentos, especialista em neurociências e Idealizador da ONG chancelada pela Nações Unidas e acelerada por Stanford Ajude o Pequeno. Foi Líder de Desenvolvimento de Mercado no Instagram e Facebook no Brasil e o executivo responsável por trazer o Baidu (O Google Chinês) para a América Latina. Ministrou aulas na Berkeley University e Singularity University, na Califórnia. Formado em Adm e em Marketing, possui educação executiva em Negociação por Harvard Law School, neurociência pelo MIT (Massachussetts Institute of Technology), inovação e Marketing por Columbia Business School. @wesleybarbosa

BMJ Consultoria
ONU, Voto Útil e Cenário Econômico

BMJ Consultoria

Play Episode Listen Later Sep 23, 2022 44:26


Um discurso de campanha política do presidente Jair Bolsonaro em pleno encontro internacional, a ameaça de ataques nucleares da Rússia e a reação dos Estados Unidos marcaram a última reunião de líderes da Assembleia-Geral das Nações Unidas realizada esta semana em Nova York. Esses são alguns dos temas abordados neste episódio por nossos consultores Érico Oyama, Mauro Cazzaniga, Nicholas Borges e Raquel Alves. Além da análise sobre o discurso de Bolsonaro, você vai saber quais os desafios do Brasil para manter as relações e imagem internacional. Faltando poucos dias para as Eleições de 2022, o Presidente apostou na agenda internacional e participou do velório da Rainha Elizabeth II em Londres. Já na ONU, o discurso de Bolsonaro foi marcado por diversas falas que ressaltavam os feitos do seu governo com um tom de campanha política. O Presidente também pontuou pontos de política externa e manteve o tom moderado em relação ao conflito entre Rússia e Ucrânia. Na outra ponta, após o presidente russo Vladimir Putin ameaçar o uso de armamento nuclear contra os Estados Unidos e outras nações contrárias à ocupação da Ucrânia, o presidente norte-americano, Joe Biden, falou em seu discurso que não permitirá uma guerra nuclear. Enquanto isso, no Brasil, os principais candidatos à Presidência da República focam nos votos úteis. Essa parcela do eleitorado será fundamental para definir o resultado e ditar se haverá um segundo turno. As pesquisas divulgadas nesta semana mostram um cenário estável e, agora, tanto o Presidente Jair Bolsonaro (PL), quanto Lula da Silva (PT) partem para conquistar os votos dos outros candidatos, principalmente de Ciro Gomes (PDT). Bolsonaro voltou a questionar as urnas com seus eleitores e vem enfrentando dificuldade para falar com não-apoiadores. Já no cenário econômico, os principais candidatos precisam convencer aos eleitores de como vão manter ou até mesmo melhorar os programas sociais já oferecidos. O Orçamento de 2023 não consegue abarcar as promessas e o principal ponto é sobre como esse repasse de verba será feito. Nossos consultores analisam os planos de Lula e Bolsonaro para darem continuidade aos programas, já que ambos pretendem encaixar os gastos nas contas públicas; e qual cenário econômico deve ser herdado pelo próximo Presidente da República. Faltando poucos dias para a festa da democracia e convidamos você para ouvir este bate-papo. Confira!

Um dia no Mundo
Os discursos que ouvimos vindos das Nações Unidas

Um dia no Mundo

Play Episode Listen Later Sep 22, 2022 3:48


Discursos que nos fazem ecoar um dos quadros mais célebres. A crónica de Francisco Sena Santos.

SBS Portuguese - SBS em Português
Notícias da Austrália e do Mundo | 21 setembro | SBS Portuguese

SBS Portuguese - SBS em Português

Play Episode Listen Later Sep 21, 2022 12:17


Faltando 10 dias para as eleições presidenciais no Brasil, jair Bolsonaro abre a reunião da Assembleia Geral das Nações Unidas em Nova York e Luiz Inácio Lula da Silva agenda encontro com Douglas Koneff, principal autoridade do governo americano no Brasil.

Eldorado Expresso
Bolsonaro discursa em tom de campanha na ONU

Eldorado Expresso

Play Episode Listen Later Sep 20, 2022 14:17


No discurso que abre a Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas nesta terça, o presidente Jair Bolsonaro fez referências ao seu governo, introduzindo a fala com críticas ao PT. Bolsonaro também exaltou o agronegócio e tratou o País como referência de sustentabilidade e defesa do meio ambiente. O discurso do presidente foi, em boa parte, voltado para o público interno, direcionado para as eleições, com acenos também para a comunidade internacional. Partidos repassaram ao menos R$ 5,8 milhões do fundo eleitoral para candidatos “fantasmas”. O dinheiro público caiu na conta de políticos que, a 12 dias das eleições, praticamente não fizeram campanha, não usaram as redes sociais para divulgar seus nomes, não distribuíram santinhos, são neófitos ou tiveram votação pífia em disputas passadas. Mas, mesmo assim, receberam acima da média dos concorrentes. A verba também foi parar em empresas que não entregaram os serviços e bancou despesas de outros postulantes. E ainda: a busca pelo voto útil no primeiro turno da eleição presidencial e a pequena procura pela vacina contra a paralisia infantil. Ouça estas e outras notícias desta terça-feira, 20, no “Eldorado Expresso”.See omnystudio.com/listener for privacy information.

O Antagonista
Cortes do Papo - Em anos de reeleição, Lula e Dilma também defenderam seus governos na ONU

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 20, 2022 1:34


Assim como Jair Bolsonaro, Lula e Dilma Rousseff também defenderam seus governos na ONU em anos de reeleição. Como mostramos, nesta terça-feira (20), o chefe de Estado brasileiro usou seu quarto discurso na Assembleia-Geral das Nações Unidas, em Nova York, para defender as ações de seu governo no combate à pandemia de coronavírus e no enfrentamento da corrupção.   Em 2006, Lula ressaltou ações sociais de seu governo. Na época, o então candidato à reeleição destacou o Bolsa Família, dizendo que o programa social garantia “renda mínima a mais de 11 milhões de famílias”. “Destinar recursos para a área social não é gasto, é investimento”, afirmou o petista na ONU. Lula também pediu que o combate à fome fosse uma “prioridade da comunidade internacional” e defendeu o livre-comércio, criticando as “amarras do protecionismo”. Em 2014, Dilma Rousseff destacou os avanços brasileiros na área econômica, afirmando que foi construída uma “economia moderna” e uma “sociedade mais igualitária”. Na ONU, a petista também falou sobre o avanço do ensino técnico e a ampliação da educação superior no Brasil, destacando a política de cotas e o programa Ciência Sem Fronteiras. “Ações afirmativas permitiram o ingresso massivo de estudantes pobres, negros e indígenas na nossa universidade [...] Pelo Ciência Sem Fronteiras, mais de 100 mil estudantes de pós-graduação e de graduação são enviados às melhores universidades do mundo”, disse Dilma Rousseff. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Durma com essa
Como Bolsonaro é visto pelo mundo às vésperas das eleições

Durma com essa

Play Episode Listen Later Sep 20, 2022 15:32


Jair Bolsonaro discursou, nesta terça-feira (20), durante a abertura da Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas. Assim como fez em sua passagem pela Inglaterra, para comparecer ao funeral da rainha Elizabeth 2ª, o presidente que disputa a reeleição adotou um tom eleitoral em seu discurso, que pouco tinha a ver com o evento. O Durma com Essa fala sobre a percepção da mídia internacional sobre a postura de Bolsonaro. O episódio também tem a participação da colunista Andreia Coutinho Louback, que fala sobre a importância de pensar o voto nas eleições de 2022 com base na preocupação com a região amazônica, e do redator Cesar Gaglioni, que conta sobre o filme "A mulher rei", que estreia na quinta-feira (22).Materiais de referência:Coluna: Por que precisamos votar pela Amazônia e pela justiça climática, por Andreia Coutinho LoubackLink: https://www.nexojornal.com.br/colunistas/2022/Por-que-precisamos-votar-pela-Amaz%C3%B4nia-e-pela-justi%C3%A7a-clim%C3%A1ticaExpresso: ‘A mulher rei': o papel do Brasil na história que inspirou o filme, por Cesar GaglioniConfira outros textos sobre Amazônia na Ponto FuturoLink: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2022/09/20/%E2%80%98A-mulher-rei%E2%80%99-o-papel-do-Brasil-na-hist%C3%B3ria-que-inspirou-o-filmeConfira outros textos sobre Amazônia na Ponto FuturoLink: https://www.nexojornal.com.br/pontofuturo/

O Antagonista
Cortes do Papo - Brasil perde 3 posições no ranking de desenvolvimento humano da ONU

O Antagonista

Play Episode Listen Later Sep 9, 2022 4:33


O Brasil perdeu 3 posições no ranking global de desenvolvimento humano da ONU e ficou na 87ª colocação, de acordo com relatório divulgado hoje. A organização mede indicadores de saúde, educação e padrão de vida das nações para elaborar a lista, que engloba 191 países. O IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil no ano passado ficou em 0,754. Em 2020, índice ficou em 0,765. Com o desempenho, o país ocupou o 84ª lugar no ranking daquele ano. O índice geral retornou aos patamares de 2016, com mais de 90% dos países registrando queda na pontuação em relação a 2020 ou a 2021, anos marcados pelos impactos gerados pela pandemia de Covid. Além disso, a guerra na Ucrânia puxou os indicadores para baixo, informou o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), responsável por elaborar o documento. Entre os cinco primeiros colocados estão Suíça (0,962), Noruega (0,961), Islândia (0,959), Hong Kong (0,952) e Austrália (0,951). O Canadá é o mais bem colocado país das Américas, com índice de 0,936, na 15ª posição. Na América do Sul, o país mais bem colocado é o Chile, com 0,855 de IDH, em 42º lugar. A Argentina aparece em 47º, com 0,842. Inscreva-se e receba a newsletter: https://bit.ly/2Gl9AdL​ Confira mais notícias em nosso site: https://www.oantagonista.com​ Acompanhe nossas redes sociais: https://www.fb.com/oantagonista​ https://www.twitter.com/o_antagonista​ https://www.instagram.com/o_antagonista No Youtube deixe seu like e se inscreva no canal: https://www.youtube.com/c/OAntagonista

Gama Revista
Txai Suruí: “As terras indígenas protegem a floresta”

Gama Revista

Play Episode Listen Later Sep 4, 2022 31:48


Grandes conhecedores da floresta, os povos indígenas são essenciais para a preservação da Amazônia. “Sem floresta não tem vida. Hoje a gente já sabe que os territórios indígenas protegem mais do que as unidades de conservação”, diz a indígena e ativista Txai Suruí. Ela lembra ao Podcast da Semana dos estudos que apontam que essas áreas são as mais bem preservadas da região amazônica.Aos 25 anos, Suruí foi a única brasileira a discursar na Cop 26, a Conferência do Clima da ONU (Organização das Nações Unidas), em Glasgow, na Escócia. “Os povos indígenas estão na linha de frente da mudança climática, e por isso devem estar no centro das decisões relacionadas com o futuro do planet”, falou a uma plateia de líderes mundiais.Txai é filha do cacique Almir Suruí, liderança dos povos Suruí, em Rondônia. Estudante do último semestre de direito, ela é coordenadora da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e do Movimento da Juventude Indígena de Rondônia.“O Brasil nunca foi um lugar bom para os indígenas viverem, pelo menos depois de 1500. Só que hoje está pior. Porque mais do que omissão, a gente tem um incentivo do governo para que se invada e destrua nosso território”, disse ao Podcast da Semana.Acesse a Semana "Como salvar a Amazônia?": https://gamarevista.uol.com.br/capa/como-salvar-a-amazonia.

Xadrez Verbal
Xadrez Verbal #307 Postou e Saiu Correndo

Xadrez Verbal

Play Episode Listen Later Sep 3, 2022 241:23


Faltando treze minutos para o fim de seu mandato como Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet autorizou a publicação do relatório sobre Xinjiang e os uigures.Também seguimos repercutindo a invasão russa à Ucrânia, principalmente a visita do chefe da agência nuclear da ONU à usina localizada em Zaporizhzhia.J´á na nossa quebrada latino-americana, destacamos o atentado contra a vida da vice-presidenta argentina Cristina Kirchner e o clima no Chile, na última semana antes do plebiscito constitucional.

Deportes COPE
José Manuel Mateos presidente de Aficiones Unidas: "Jugar a las 17:30 horas fue una decisión desafortunada"

Deportes COPE

Play Episode Listen Later Aug 30, 2022 4:45


ONU News
Boina-azul de Burquina Fasso no Mali é a policial do ano nas Nações Unidas

ONU News

Play Episode Listen Later Aug 29, 2022 1:24


ONU News
Nações Unidas alertam para consequências na vida de vítimas de desaparecimentos forçados

ONU News

Play Episode Listen Later Aug 29, 2022 1:15


O Assunto
Europa: uma seca que já entrou para a história

O Assunto

Play Episode Listen Later Aug 25, 2022 26:02


O quadro preocupa desde o início de 2022, mas se agravou muito no verão e sobretudo em agosto, com os termômetros nas alturas. Segundo a Comissão Europeia, a seca deste ano pode superar a de 2018, tornando-se a pior no continente em 500 anos. Em conversa com Renata Lo Prete, o correspondente da TV Globo Leonardo Monteiro descreve as imagens apocalípticas de rios como Elba, Reno, Danúbio e Loire, reduzidos a porção ínfima do volume habitual de água. E conta das surpresas descobertas em seus leitos, como restos de navios da 2ª Guerra. Baseado em Lisboa, o jornalista trata ainda do racionamento enfrentado por milhões de europeus e de perdas que vão da safra de diversos grãos à geração de energia. Participa também do episódio Sérgio Henrique Faria, professor no Centro Basco de Mudanças Climáticas e um dos autores do mais recente relatório do IPCC, painel intergovernamental das Nações Unidas sobre o tema. "Os modelos todos indicam a tendência de mais eventos extremos para as próximas décadas", diz o pesquisador.

Noticentro
Condenan el asesinato del periodista Juan Arjón López

Noticentro

Play Episode Listen Later Aug 19, 2022 2:09


•AMLO recriminó a EU por alerta de inseguridad•Chocan seis tráileres en la autopista Guadalajara-Colima•Critican la detención del obispo Rolando en Nicaragua•Más información en nuestro podcast

Rádio Gaúcha
General gaúcho vai liderar missão sobre Guerra da Ucrânia

Rádio Gaúcha

Play Episode Listen Later Aug 18, 2022 4:30


O STF formou maioria na tarde de hoje para que a nova Lei de Improbidade Administrativa não seja aplicada para beneficiar condenados pela norma anterior. O general brasileiro da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz foi escolhido pelas Nações Unidas para liderar uma missão de apuração de crimes de guerra na Ucrânia. A UFRGS definiu as datas do vestibular 2023: 14 e 15 de janeiro. Depois de aparecer como "branco" no registro de candidatura para concorrer ao Senado, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, teve a etnia retificada hoje e já consta como indígena no site do Tribunal Superior Eleitoral. A Secretaria Estadual de Saúde permite que doses vencidas da vacina AstraZeneca sejam aplicadas na população. Mais notícias em gzh.com.br.

ONU News
Nações Unidas apelam por socorro a haitianos vítimas da violência de gangues

ONU News

Play Episode Listen Later Aug 16, 2022 1:33


ONU News
Brasil e Moçambique entre vencedores de prêmio das Nações Unidas

ONU News

Play Episode Listen Later Aug 9, 2022 2:52


Primeiro Café
#378 Emergência da fome: menino liga para o 190 para pedir comida | Vozes Progressistas: Lua Santis conta bastidores do Spaces

Primeiro Café

Play Episode Listen Later Aug 4, 2022 60:02


QUINTA, 04/08/2022: Foi de destruir o coração ouvir a gravação divulgada pela Polícia Militar de Minas Gerais de um menino de 11 anos que, ao ver a mãe chorando desesperada por não ter o que comer, ligou para o 190 para pedir ajuda. A fome é sim uma questão de emergência seis anos após o golpe e a eleição de Bolsonaro.A atitude desesperada do menino comoveu os policiais. Eles mesmos compraram cestas básicas e levaram para a família, que, enfim, pode fazer uma refeição. Eles também divulgaram o caso, o que gerou uma onda de solidariedade. Um PM, em entrevista à Globo, disse que em 24 anos de serviço nunca tinha visto uma situação assim. Ou esse PM vivia em Marte ou estava fazendo discurso para tentar suavizar a imagem da Polícia Militar, que é, em grande parte, bolsonarista e, portanto, tem parcela de culpa por essa triste situação.Durante o governo Bolsonaro, o Brasil voltou ao Mapa da Fome, segundo a Organização das Nações Unidas. O percentual de brasileiros que não têm certeza de quando vão fazer a próxima refeição está acima da média mundial. São 61 milhões de brasileiros que enfrentaram dificuldades para se alimentar entre 2019 e 2021; 15 milhões deles passaram fome.Tomara que boa parte desses 15 milhões liguem para o 190 para tentar comover os policiais brasileiros e, quem sabe assim, eles entendam o tamanho da bobagem que fizeram ao apoiar um presidente golpista, criminoso e incompetente. A triste situação da família do menino mineiro me comove e me revolta. Já a ação de marketing da PM ao tentar melhorar sua imagem com o caso me causa outros sentimentos.SAIBA MAIS: https://primeiro.cafe/APOIE: https://apoia.se/primeirocafe

ONU News
Nações Unidas apoiam busca de acordo de paz mais amplo sobre o Iêmen

ONU News

Play Episode Listen Later Aug 3, 2022 1:35


Durma com essa
O alerta da ONU de que o mundo está rumo a um ‘suicídio coletivo'

Durma com essa

Play Episode Listen Later Jul 18, 2022 15:55


Secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres afirmou nesta segunda-feira (18) na Alemanha que, sem ações mais efetivas contra as mudanças do clima, o mundo caminha para um “suicídio coletivo”. A declaração ocorre num momento em que a Europa enfrenta ondas de calor e incêndios florestais, com termômetros acima de 40ºC. O “Durma com essa” relata o que está ocorrendo em países como Reino Unido, França, Espanha e Portugal e explica a recorrência cada vez maior de eventos climáticos extremos. O programa traz também o redator Cesar Gaglioni falando sobre as investidas políticas da cantora Anitta e o repórter especial João Paulo Charleuax comentando as investidas do governo ucraniano contra autoridades acusadas de trair o país em favor da Rússia durante a guerra.

E Tem Mais
Brasil volta ao Mapa da Fome da ONU

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Jul 12, 2022 29:16


Neste episódio do E Tem Mais, Muriel Porfiro apresenta um balanço sobre o aumento da insegurança alimentar no Brasil que colocou o país de volta no Mapa da Fome da ONU em um contexto de aumento da inflação ligada à alta dos alimentos  Relatório da ONU (Organização das Nações Unidas) divulgado na semana passada mostra que o número de brasileiros em situação de insegurança alimentar grave ou moderada atinge quase um terço da população. Participam da conversa Daniel Balaban, representante no Brasil do Programa Mundial de Alimentos da ONU e diretor do Centro de Excelência contra a Fome, e Sérgio Vale, especialista CNN l em economia. O mesmo estudo da ONU revelou que aproximadamente 350 milhões de pessoas em todo o mundo passaram a sofrer do mesmo problema durante a pandemia de Covid-19. O quadro é agravado pelo processo inflacionário global e nesse quesito o Brasil está acima da média: a alta de preços em 12 meses acumulou 11,8% até junho, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). De acordo com a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), entre os países do G20, a inflação brasileira fica atrás de Turquia, Argentina e Rússia. Com apresentação de Muriel Porfiro, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

E Tem Mais
Oceanos em risco: poluição e outras ameaças desafiam preservação da vida marinha

E Tem Mais

Play Episode Listen Later Jul 1, 2022 20:22


Neste episódio do E Tem Mais, Carol Nogueira apresenta um balanço das preocupações com os impactos das mudanças climáticas e dos altos níveis de poluição para a preservação da vida nos oceanos. Ao longo desta semana, a ONU realizou a Conferência dos Oceanos, em Portugal, com a participação de delegações de 140 países, que discutiram ações para combater os danos causados pela pesca ilegal, o aumento da acidificação das águas marinhas e a elevação das temperaturas e do nível do mar. A FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura) calcula que cerca de 10% da população mundial depende do setor de pesca e aquicultura para a sua subsistência. Mas a entidade também aponta que 34% de todos os estoques de peixes marinhos são pescados além dos limites biológicos sustentáveis. Para descrever os desafios na busca por soluções para a preservação dos oceanos, participam deste episódio a bióloga Raquel Neves, pesquisadora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio), e o oceanógrafo Joseph Harari, da Universidade de São Paulo (USP). Com apresentação de Carol Nogueira, este podcast é produzido pela Maremoto para a CNN Brasil. Você também pode ouvir o E Tem Mais no site da CNN Brasil. E aproveite para conhecer os nossos outros programas em áudio. Acesse: cnnbrasil.com.br/podcasts.

Aleixo FM
Conferência dos Oceanos

Aleixo FM

Play Episode Listen Later Jun 29, 2022 4:47


Portugal é o país anfitrião e co-organizador desta grande conferência internacional das Nações Unidas - o maior orgulho a nível de mar desde a Expo 98! Ouça já e concorde!