Podcasts about todavia

  • 440PODCASTS
  • 814EPISODES
  • 28mAVG DURATION
  • 5WEEKLY NEW EPISODES
  • Jan 14, 2023LATEST
todavia

POPULARITY

20152016201720182019202020212022

Categories



Best podcasts about todavia

Latest podcast episodes about todavia

Christo Nihil Praeponere
Pregação Seleta | Não seja uma prostituta de Satanás!

Christo Nihil Praeponere

Play Episode Listen Later Jan 14, 2023 25:56


Antes de ser discípulo de Cristo, o Evangelho diz que São Mateus era cobrador de impostos. Ou seja, tratava-se de um homem corrupto, que (diríamos nós) “mamava nas tetas” do Estado, colaborando com a tirania do Império Romano e enriquecendo às custas do sofrimento de todo um povo — uma espécie de “prostituta” do poder constituído. Certamente, a última pessoa que você ou eu chamaria não só para fazer parte de nosso círculo de amigos, mas para se tornar um dos Apóstolos, seria Levi. Todavia, é ali mesmo, enquanto ele está “sentado na coletoria de impostos”, isto é, no lugar mesmo de seu pecado, que Jesus o chama para segui-lo. Nesta pregação, Padre Paulo Ricardo faz uma analogia entre a vocação de Mateus e a de cada brasileiro: Deus nos chama a ser grandes, sem “jeitinhos” nem trapaças. Ouçamos e convertamo-nos! Esta homilia foi feita pelo Padre Paulo Ricardo no dia 14 de janeiro de 2023, durante Missa matutina na Paróquia Cristo Rei, de Várzea Grande (MT). Na ocasião, o Evangelho comentado era Mc 2, 13-17.

Devocional Florescer
A Luz de Cristo em meio as lutas - Devocional 686

Devocional Florescer

Play Episode Listen Later Dec 28, 2022 7:32


Mateus 4:1. Diz; Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Amados e eleitos do Senhor, como é necessário que cristãos entendam que o evangelho muitas vezes é um lugar desconfortável com muitas lutas e provações. No fatídico versículo em epígrafe, revela que o próprio Jesus, o filho do Deus vivo, esteve sujeito aos embates da vida, pois o próprio Espírito de Deus o conduziu ao conflito espiritual. Neste ínterim, Jesus de Nazaré ao ser convocado pelo Evangelho deixa a sua casa e seus amigos, e logo entraria em seu ministério público, mas antes disso, seu caráter deveria ser provado, passando por um teste peculiar, antes que Ele tivesse pronto para enfrentar as dificuldades naturais do Ministério. Em ato contínuo, Jesus está fisicamente vulnerável, a cerca de quarenta dias e quarenta noites está jejuando e sendo assolado pela fome e sede. Ele está sozinho agora, suas necessidades físicas, psicológicas e emocionais gritam silenciosamente tentando levar ao caos e ao desespero a sua rica alma. Todavia, Jesus ensina ser possível ser Luz e ter Luz mesmo em meio as Lutas e trevas, porque importa SER aquilo que Deus quer que sejamos com aquilo que ele deseja nos dar. Ao passo, que Satanás colocou suas densas trevas no caminho de Jesus, no entanto, o filho de Deus acendeu a Luz poderosa do Espírito Santo dizendo; “Está escrito; nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus". Amados, neste momento crucial para Cristo, ele nos ilumina dizendo que a única Luz que pode nos livrar das noites escuras da vida é a palavra do nosso Deus. Sabiamente, já nos advertiu o menino ruivo, filho de Jessé, tirado de trás dos monturos, e que após suportar inúmeras lutas e guerras se tornou Luz de Deus quando foi milagrosamente alçado como Rei em Israel. Definitivamente, só alguém que vivenciou tamanho milagre poderia afirmar conforme descrito nos salmos 119; “Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho”. Eleitos de Deus, ainda que satanás e seus demônios levantem fornalhas das aflições contra os Justos, saiba também que Cristo tem Luz e refrigério para todo aquele que invoca seu nome com mãos santas e corações limpos. Portanto, em meio a guerras e lutas, traga ao seu coração às verdades espirituais e a Luz de Cristo, faça como o apóstolo Paulo e diga em alto e bom-tom; Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espirito. Desta maneira, pode acontecer de estarmos por um breve tempo trafegando por um caminho árido e deserto, mas a palavra de Deus tem a Luz e a clareza que precisamos, como disse o nosso amado irmão Pedro; "Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse, mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis". A queridos, os sofrimentos por causa do Evangelho nos trazem luz, força e ânimo, pois é um privilégio sofrer devido à verdade da justiça e do Juízo, que está em Cristo, nosso Senhor e salvador. Nesta mesma esteira, nos ilumina o apostolo Pedro, que diz;”Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espirito da glória e de Deus". Que o mundo ouça, e que Deus seja louvado por isso". Por isso, tendo esse ministério, segundo a misericórdia que nos foi feita, não desfalecemos, porque nós que vivemos estamos sempre entregues á morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal, conforme disse o apóstolo Paulo aos Coríntios. Fazendo isto, certamente, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, o nosso interior irá se renovar de dia em dia, e a Luz de Cristo resplandecerá em você.

IBPG - Igreja Batista Palavra da Graça
Davi, reconciliado com Deus

IBPG - Igreja Batista Palavra da Graça

Play Episode Listen Later Dec 19, 2022 22:34


Nesta décima-quarta meditação sobre a Carta que Mudou o Mundo, a maravilhosa Epístola aos Romanos, o apóstolo Paulo traz outro exemplo de gigante da fé, o Rei Davi! Desde menino enfrentou provas impossíveis aos olhos humanos, mas por meio da fé, obteve vitórias fantásticas. Todavia, a ênfase de Romanos sobre a vida de Davi é o perdão obtido de Deus, pela Graça, em relação aos pecados cometidos que tiveram consequências desastrosas em sua vida, um homem reconciliado com Deus! Convido você a assistir o vídeo com esta mensagem no Youtube, se inscrever no canal da IBPG, ativar o sininho, e compartilhar com seus amigos para que a Palavra de Deus possa abençoar vidas, assim fazendo permite que o canal da Igreja alcance mais pessoas. ---- Igreja Batista Palavra da Graça Visite nosso site: https://www.ibpg.org.br/ Ouça nossos podcasts: https://anchor.fm/ibpg-df Conheça nosso canal no Youtube: https://bit.ly/3cUKIWO

Convidado
COP15: Países comprometem-se a proteger 30% do planeta

Convidado

Play Episode Listen Later Dec 19, 2022 8:22


Os mais de 190 países reunidos na Conferência das Nações Unidas sobre a Biodiversidade, em Montreal, no Canadá, chegaram a um acordo para proteger 30% do planeta até 2030 e para desbloquear 30 mil milhões de dólares de ajuda anual à conservação da biodiversidade por países em desenvolvimento. O ministro do Ambiente e Biodiversidade da Guiné-Bissau, Viriato Cassamá, afirma que, se o acordo for bem implementado, a humanidade estará a dar um passo histórica na preservação da biodiversidade. RFI: O que é que representa este acordo para o planeta? Viriato Cassamá: Este acordo, se for bem implementado, representa um marco histórico e a boa vontade da comunidade internacional em proteger os recursos da biodiversidade. O acordo prevê a protecção de 30% da biodiversidade do planeta até 2030. Do meu ponto de vista, temos de arranjar soluções para melhorar as condições de vida das comunidades que protegem estes recursos da biodiversidade. Sem uma acção robusta, este acordo não vai passar de um compromisso de boas intenções. Os países concordaram com um roteiro que visa proteger 30% do planeta até 2030. Em que é que consiste este roteiro? Penso que cada país irá trabalhar nesse sentido. No caso da Guiné-Bissau, o país já conta com 26% do nosso território nacional como área protegida. Todavia, é preciso fazer acções concretas, criar mecanismos capazes de gerar rendas para as comunidades que vivem nessas áreas protegidas. Se isso não for feito, não vamos conseguir proteger, nem preservar a nossa biodiversidade. Não podemos esquecer que a população é tributária desses recursos naturais. Anualmente serão disponibilizados cerca de 28 mil milhões de euros para a ajuda à conservação para os países em desenvolvimento. Como é que se vai traduzir esta ajuda? Quais são as áreas prioritárias? A ser aplicado, este fundo seria uma boa notícia para os países em desenvolvimento, países que concentram a maioria dos recursos da biodiversidade. É preciso que este projecto não acabe como o Fundo Verde Para o Clima, que devia contar anualmente com 100 mil milhões de dólares, até 2020, mas esse compromisso ainda não foi materializado. Espero que este anúncio do apoio de cerca de 30 milhões venha a concretizar-se, caso contrário não vamos conseguir proteger a nossa biodiversidade. Por mais vontade que tenhamos em proteger os recursos da biodiversidade, se não conseguirmos criar alternativas de vida e sustento para as comunidades mais fragilizadas, não vamos conseguir atingir esta meta. Diz que é preciso criar alternativas. Que alternativas serão essas? É preciso criar condições de vida para as comunidades que dependem directamente da biodiversidade. Precisamos de ensinar as pessoas a gerir recursos da biodiversidade de forma sustentável, criar escolas e mecanismos alternativos de renda para estas comunidades. Isto porque as comunidades indígenas dependem exclusivamente da biodiversidade. Este texto não esquece os povos indígenas, guardiões de 80 % da biodiversidade remanescente da terra. Quais são as garantias dadas a estas comunidades? O acordo é global. A meu ver, no futuro, vamos ter de trabalhar em acções concretas. Não havendo alternativas de renda, iniciativas locais sustentadas pela comunidade internacional, esta ambição [proteger 30% do planeta até 2030] não será exequível. É urgente criar leis mais robustas, pois quem delapida os recursos da biodiversidade não são os indígenas. Quem delapida os recursos da biodiversidade são os industriais que vêm de fora e, por essa razão, defendo que é preciso reforçar a legislação internacional. Há ainda o compromisso de restaurar 30% das terras degradadas e reduzir para metade o risco ligado aos agrotóxicos…. Sim, há esse compromisso. No entanto, tudo isso depende do financiamento. Os grandes países que conservam a biodiversidade, na sua maioria, são países que precisam de ajuda internacional para procederem à restauração das áreas degradadas. A restauração das áreas degradadas, estamos a falar de 30%, exigem acções concretas, como, por exemplo, a reflorestação e a introdução de espécies ameaçadas no seu habitat natural. A China apresentou uma proposta para resolver a eterna questão financeira entre o Norte e o Sul. O que é que se sabe sobre esta proposta? Ainda estamos no campo das intenções. Há uma grande discrepância entre o Norte e o Sul e não é de um dia para o outro que vamos atingir metas paralelas. Para se alcançarem essas metas, é preciso ter vontade política e mobilizar os países ricos. Esta proposta mexe com as economias de outros países. A República Democrática do Congo opôs-se a este acordo. Quais foram os argumentos evocados por este país? A Republica Democrática do Congo integra o grupo de países da Bacia do Congo que constituem o santuário da biodiversidade, a nível mundial. Mas o que é que estes países ganham com a protecção da biodiversidade? Penso que a Republica Democrática do Congo quer ver o retorno das acções que este grupo de países tem feito na protecção da biodiversidade. O secretário-geral da ONU, António Guterres, afirmou, recentemente, que a humanidade se tornou numa "arma de extinção em massa". Acredita que este «pacto” é uma tentativa de fazer a paz com a natureza, ou não passa de um acordo de intenções? Há aqui muitas hipóteses. Na minha opinião, este acordo só será exequível se houver uma consciencialização global para se sair das intenções e passar-se para o plano real. O homem precisa de reencontrar-se com a mãe natureza, mas este caminho exige acções concretas. No âmbito do clima, vimos que nas várias COPS, os resultados não passam de intenções. Na prática não se fez grande coisa. Espero que, no domínio da biodiversidade, saiamos das intenções para as acções concretas.

Autores e Livros
Bert Jr. analisa a complexidade das relações humanas em "Do Incisivo ao Canino"

Autores e Livros

Play Episode Listen Later Dec 16, 2022 27:30


No Autores e Livros dessa semana, uma conversa com o embaixador Bert Jr, autor da coletânea "Do Incisivo ao Canino". Retrato inquietante e plural das questões envolvendo a ética dos relacionamentos contemporâneos, o livro reúne um amplo leque de gêneros e estilos narrativos, com contos que variam de uma atmosfera onírica ao tom de mistério. O programa traz também dicas de leitura e lançamentos. Em destaque, a nova edição de “Os Ratos”, de Dyonelio Machado, publicado pela Todavia. Publicado em 1935, pouco antes da instauração do Estado Novo, este romance vertiginoso e inconformista acompanha a modesta odisseia de um homem comum e sua busca obsessiva, quase delirante, pela sobrevivência num mundo hostil. Esta edição conta com posfácio de Davi Arrigucci Jr. O programa traz também a poesia de Claufe Rodrigues. Escritor, jornalista, compositor e poeta, Claufe Rodrigues participou de alguns dos principais grupos de poesia do Rio de Janeiro, como “Os Camaleões” (1984 a 1987) e “Ver o Verso” (1999 a 2001). Ao mesmo tempo, desenvolveu carreira na TV brasileira, como diretor e apresentador de programas especiais sobre literatura. Claufe também é diretor de cinema. Seu primeiro filme, o documentário Faz sol lá sim, foi lançado no final de 2020.

Leo Eler
Devocional Diário - 15/12/22 - Boas novas de grande alegria - A maior salvação inimaginável

Leo Eler

Play Episode Listen Later Dec 15, 2022 15:05


Devocional Diário Boas novas de grande alegria - 17º dia: A maior salvação inimaginável ““Estão chegando os dias”, declara o Senhor, “quando farei uma nova aliança com a comunidade de Israel e com a comunidade de Judá.” ‭‭Jeremias‬ ‭31‬:‭31‬ ‭NVI‬‬ Deus colocou todo nosso pecado e culpa sobre Jesus, para que pudesse derramar seu amor sobre nós. O que isso significa: 1. Uma nova identidade. 2. Um novo acesso. 3. Um novo futuro. O Natal é o lembrete da manifestação da maior realidade que os pecadores jamais poderiam imaginar. “Todavia, como está escrito: “Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam”;” ‭‭1 Coríntios‬ ‭2‬:‭9‬ ‭

Convidado
São Tomé e Príncipe: O processo de esclarecimento está "viciado na origem"

Convidado

Play Episode Listen Later Dec 14, 2022 9:19


Rafael Branco, ex-primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, sublinha que o processo de esclarecimento dos acontecimentos está "viciado na origem". O ex-presidente do MLSTP-PSD critica ainda a posição do seu partido face à gravidade do sucedido. A 25 de Novembro quatro suspeitos de terem atacado o quartel militar de São Tomé e Príncipe foram torturados e mortos. Imagens e vídeos publicados nas redes sociais mostram o envolvimento dos militares nos actos.  Até o momento a justiça são-tomense constituiu 17 arguidos no processo que investiga a suposta tentativa de golpe de Estado. Todavia, no processo aberto por violação de direitos humanos, traduzido na tortura e morte de quatro suspeitos, ainda não foram feitas detençoes, interrogatorios ou prisões preventivas. Questionado sobre este vazio no processo de violação de direitos humanos, o Ministro da Defesa de São Tomé e Príncipe, Jorge Amado, não comentou a situação, sublinhando que o processo se encontra “em segredo de justiça". Para Rafael Branco, ex-primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe entre 2008 e 2010, os militares não estão acima do poder judicial, todavia "estão protegidos”. “A análise que faço é que eles [militares] estão protegidos. Porque, de outra maneira, num Estado de direito democrático, os militares obedecem ao poder civil. Quem orienta a política de defesa e segurança é o poder civil.  Se perante factos comprovados que há um envolvimento dos militares nas execuções era normal, expectável, que todos envolvidos, todos suspeitos de envolvimento, todos que directa ou indirectamente participaram, todos os que assistiram fossem objecto de um tratamento, primeiramente, disciplinar e, depois, um processo normal de justiça.  O próprio ex-Chefe de Estado Maior [Olinto Paquete] já declarou que foi enganado, foi traído, portanto foi traído por quem? Ele foi traído pelas pessoas que estavam abaixo ou que partilhavam o comando com ele. Portanto, em qualquer país quando há um acidente de viação que é grave, muitas vezes, não têm responsabilidade directa, mas enquanto responsáveis máximos eles demitem-se, pedem a demissão ou são suspensos. Aquilo a que assistimos é que nada disto aconteceu e se não acontece é porque há protecção. Mais, há decisões de um outro órgão de soberania, que são os tribunais, que decide num sentido em relação aos detidos, que deveriam ir para a cadeia normal e estão num quartel.  Acha que isto acontece porque os militares estão acima? Não é porque eles estão acima [do poder], é porque estão a ser claramente protegidos. E isso levanta muitas outras questões em relação a tudo o que se passou no dia 25 [de Novembro].” Mas também levanta questões em relação a tudo o que se vier a passar no seguimento do esclarecimento cabal dos acontecimentos? “Certamente. Como cidadão são-tomense não tenho expectativas boas em relação a este processo. Ele está viciado na origem. Quanto mais tempo passa sobre medidas que são normais em qualquer país para identificar, afastar o culpado, responsabilizá-los, mais difícil se torna o esclarecimento desse facto. Estamos a acentuar um sentido de impunidade que pode comprometer todo o nosso futuro e pode abrir portas a actos semelhantes. Daí que era importante que, como sociedade, fôssemos mais activos, mais consequentes e mais coerentes no tratamento disto. A questão da impunidade que se está a desenhar preocupa-me bastante.” Essa impunidade pode abrir as portas, precisamente, a um estado anárquico? "Em algumas sociedades, a anarquia pode até ser um instrumento de reforço de poder.  Quando se criam situações em que as ameaças às pessoas e às instituições são claras, justifica-se com uma grande propensão para utilizar meios cada vez mais musculados e autoritários para controlar a situação. São casos estudados em estados como o nosso: frágeis e vulneráveis. O principal agente que ameaça a segurança dos indivíduos é o Estado e os seus órgãos. E na nossa sociedade quem tem poder de fazer mal é o Estado.  Eu esperava reacções mais enérgicas da comunidade internacional, no sentido de dizer que isso precisa de ser esclarecido, precisa ser totalmente esclarecido.  Essa zona cinzenta em que estamos não é benéfica. Sou daqueles que acha que a comunidade internacional tem uma responsabilidade de proteger, respeitando a soberania do país, mas há instrumentos pacíficos de prevenção que já deviam ter sido activados." O facto de no âmbito do processo de violação de direitos humanos não haver interrogados nem detidos e, inclusive, como o representante regional do Alto-Comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos na África Central disse, esta terça-feira em entrevista à RFI, essas pessoas que são facilmente identificáveis nos vídeos ainda continuarem em pleno exercício de funções, faz crer que efectivamente… “Não escolha a palavra, esses serviços estão a ser protegidos. Nalguns casos há promoções. Pessoas que estiveram directa ou indirectamente envolvidas nisso foram promovidas ou mantidas nos seus postos.  Se elas continuam nas posições de chefia, se os próprios detidos estão no quartel, não têm acesso a uma defesa que permita que eles falem de maneira livre porque há sempre um militar, como é que acha que isto pode ter um esclarecimento?  Isto são instrumentos de protecção de quem perpetrou esses actos. Está-se a proteger quem perpetrou esses actos." Foi líder do MLSTP-PSD, foi primeiro-ministro, foi também candidato no último congresso à liderança do MLSTP-PSD, actual partido na oposição. Eleição interna essa que perdeu para o actual líder do partido Jorge Bom Jesus. O seu partido não deveria ter uma posição mais vigorosa em relação a estes acontecimentos? “Sim, e o facto de me ter candidatado, depois de me ter afastado [da vida política] diz muito sobre o que eu penso sobre essa liderança. O MLSTP não tem uma liderança efectiva e não está à altura desse acontecimento.  Há uma frase de que eu gosto: "muitas vezes olharmos para a floresta só a pensar na lenha para a nossa fogueira''. Há muitos jogos de interesse particulares, numa situação em que o interesse geral nacional é que devia estar acima.  Qual é o interesse nacional que está aqui? É defender que isso seja completamente esclarecido e que os responsáveis por esses actos sejam responsabilizados em termos do enquadramento jurídico nacional. Francamente acho que a oposição não está a fazer tudo, começa pela própria análise que não é suficientemente profunda e a partir daí todas as outras acções subsequentes são de ocasião, não estão articuladas numa estratégia de defesa do interesse nacional.” Jorge dos Bom Jesus devia estar no país?  “Devia estar no país e estando fora devia estar muito mais activo. Estamos, enquanto oposição, muito aquém das nossas responsabilidades.”

Ciência
"Cogumelos Mágicos" eficazes na depressão resistente

Ciência

Play Episode Listen Later Dec 13, 2022 7:42


Um estudo publicado na revista “New England Journal of Medicine”, no mês de Novembro, que envolveu o centro Clínico Champalimaud, em Portugal, e mais de duas centenas de doentes de vários países mostrou que a administração da psilocibina, substância sintética encontrada nos cogumelos mágicos, é eficaz no tratamento da depressão resistente. Albino Oliveira Maia, director da Unidade de Neuropsiquiatria no Centro Champalimaud, considera que qualquer nova alternativa para o tratamento da depressão resistente é animadora, embora reconheça que há um longo caminho a percorrer neste tipo de tratamentos. O que é que se pretendeu mostrar com este estudo? O objectivo deste estudo foi avaliar se doses mais altas de psilocibina tinham eficácia anti-depressiva diferencial, em relação às doses mais baixas, presumivelmente inactivas. Ou seja, foi um estudo para encontrar a melhor dose para estudos subsequentes. Como é que foi conduzido este estudo? Quantos doentes participaram nesta investigação? Foram mais de duas centenas de doentes e que foram distribuídos de forma aleatória, por um de três grupos. Um grupo fez um tratamento com uma dose muito baixa de psilocibina, um miligrama, uma dose que não se esperava nenhum efeito biológico significativo. O segundo grupo foi tratado com uma dose que poderia ter efeitos clínicos, com a dose mais alta de 25 miligramas. O terceiro grupo fez uma dose intermédia de 10 miligramas. O que é a psilocibina e quais são os efeitos que provoca a toma desta substância? A psilocibina é uma substância que, originalmente, foi encontrada numa espécie de cogumelos. Esses cogumelos são, muitas vezes, consumidos de forma recreativa, por causa dos efeitos cognitivos, psicológicos e emocionais, que essa substância provoca. Estes cogumelos, em linguagem comum, são denominados cogumelos mágicos, provocando um efeito da alteração do estado da consciência e, em determinado momento, percebeu-se que esta substância poderia ter algum impacto terapêutico no tratamento de algumas doenças psiquiátricas, nomeadamente, no tratamento da depressão. O que se fez, depois disto, foi avançar para um processo de síntese da molécula [psilocibina] para poder criar um medicamento. Em seguida, começaram a fazer-se alguns estudos. Este é o maior, para se avaliar se havia ou não potencial anti-depressivo nesta molécula. Quais foram os resultados? As pessoas que fizeram a dose mais elevada tiveram uma redução dos sintomas da depressão mais significativa do que as pessoas que fizeram a dose intermédia e a dose mais baixa. No entanto, três semanas depois da administração, 29% dos doentes estavam em remissão e, às 12 semanas, esse número baixava para as 20%. Como se explica esse comportamento? Isso explica-se da mesma forma que se explica aquilo que acontece com qualquer tratamento da depressão. É como os vários tratamentos que temos para esta doença crónica, ou seja, sempre que são interrompidos pode verificar-se o regresso dos sintomas. Isso acontece com os anti-depressivos, com a psicoterapia, com a estimulação magnética transcraniana e com a terapia electro-convulsiva. É uma característica típica de qualquer doença crónica. Há a necessidade de manter os tratamentos para obter os benefícios que os tratamentos trazem. Como este era um tratamento novo, havia a expectativa de termos benefícios que fossem mais duradouros no tempo. Mas, infelizmente, para uma percentagem importante dos doentes isso não aconteceu, sugerindo-se que para o futuro possamos vir a ter a necessidade de avaliar se este tratamento poderá ter feitos mais duradouros se for administrado mais do que uma vez. Que feitos secundários se registaram? Foram registados múltiplos efeitos secundários. Um deles, como é óbvio, é o facto de haver uma alteração da consciência. Idealmente, gostaríamos de fazer um tratamento que não se fizesse acompanhar deste tipo de efeitos. Todavia, o efeito mais preocupante, apesar de acontecerem apenas numa pequena minoria dos doentes, fez-se sentir nas pessoas que fizeram as doses mais elevadas, tendo essas pessoas manifestado ideias de suicídio. Esse é um efeito colateral muito significativo e muito preocupante. Apesar de ter sido raro, é algo que vai necessitar de estudos mais detalhados no futuro. Ainda assim, pode afirma-se que as conclusões são animadoras? Seguramente que sim. Qualquer nova alternativa para o tratamento da depressão resistente é animadora. Isto porque a perspectiva que temos neste momento é uma perspectiva pouca animadora. Os medicamentos que temos disponíveis são muito pouco eficazes para estes doentes e as outras alternativas são de muito difícil acesso. Há, por outro lado, novos medicamentos que já estão aprovados para a depressão resistente à medicação, como a Escetamina, mas são medicamentos muito caros, que não têm comparticipação. Medicamentos que os doentes têm muita dificuldade em ter acesso. Agora, taxas de resposta de 30% não são taxas de resposta espectaculares e nós gostaríamos de ter alternativas ainda mais eficazes do que esta. O que se pode fazer para atingir essas taxas. Qual é que será o próximo passo? Perceber se há formas diferentes de administrar este medicamento, tornando-o mais eficaz. Precisamos de trabalhar para melhorar o acesso dos doentes às formas de tratamento que já existem, nomeadamente a estimulação cerebral e o tratamento com a Escetamina. Precisamos, ainda, de desenvolver novos tratamentos que sejam mais eficazes. Isso é um trabalho mais de investigação. Os psicadélicos estão a tornar-se um medicamento ou ainda há ainda um longo caminho a percorre? Ainda há um longo caminho a percorrer, como este trabalho veio a demonstrar. Precisamos de perceber melhor a forma como vamos fazer o tratamento e em que contexto. Depois, se percebermos que se trata de um tratamento seguro, haverá necessidade de começar a trabalhar para o tornar acessível. Essa é a fase que estamos a passar neste momento, em relação à Escetamina, e que, por vezes, pode demorar anos. Por isso, penso que ainda temos um longo caminho pela frente.

ALCANCE IRATI
MOVIDO POR COMPAIXÃO - Jorge Vicente

ALCANCE IRATI

Play Episode Listen Later Dec 12, 2022 48:05


Palavra do Culto de Ceia (11/12/2022), ministrada pelo Pastor Jorge Vicente. Um leproso aproximou-se dele e suplicou-lhe de joelhos: "Se quiseres, podes purificar-me! " Cheio de compaixão, Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: "Quero. Seja purificado! " Imediatamente a lepra o deixou, e ele foi purificado. Em seguida Jesus o despediu, com uma severa advertência: "Olhe, não conte isso a ninguém. Mas vá mostrar-se ao sacerdote e ofereça pela sua purificação os sacrifícios que Moisés ordenou, para que sirva de testemunho". Ele, porém, saiu e começou a tornar público o fato, espalhando a notícia. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente em nenhuma cidade, mas ficava fora, em lugares solitários. Todavia, assim mesmo vinha a ele gente de todas as partes. Marcos 1:40-45

Vida Cotidiana
Paixão Política: o abismo que leva à imbecialidade

Vida Cotidiana

Play Episode Listen Later Dec 11, 2022 9:53


Não existe alguém que não exerça alguma forma de paixão por algo, uma vez que somos seres dotados de sentimentos. Todavia, as paixões escondem algo perigoso: a cegueira que anula a racionalidade. Dado esse contexto, algumas paixões podem ser toleráveis até certo ponto, porém, há uma que imbecializa totalmente o ser humano. Estou me referindo à "paixão política". Nesse episódio falo sobre esse tema e convido você a deixar a sua opinião nos comentários. Outras redes do Vida Cotidiana: Compra de produtos e livros com desconto na Amazon: https://www.amazon.com.br/?&linkCode=sl2&tag=vidacotidiana-20&linkId=dabd9ee59698eb834d1c211d663200b1&language=pt_BR&ref_=as_li_ss_tl Instagram: https://instagram.com/vidacotidiana.oficial?utm_medium=copy_link Canal no YouTube: https://youtube.com/@vidacotidianaoficial4846 https://open.spotify.com/show/2Ok8usLby0QTwzqoQ5udBt?si=tu-Hr5FLTU2mxXeVGUFjKQ&utm_source=copy-link Blog: https://maycondesouzaoficial.blogspot.com/?m=1 #paixão #política #imbecialidade #paixões #políticos #news #opinião #crítica #filosofia #literatura #comportamento #congresso #senado #abismo #sensocritico #dissertar #leitura

Espiritismo em Seu Lar
#125 - Dar sem esperar retribuição

Espiritismo em Seu Lar

Play Episode Listen Later Dec 9, 2022 57:12


7. Disse também àquele que o convidara: Quando derdes um jantar ou uma ceia, não convideis nem os vossos amigos, nem os vossos irmãos, nem os vossos parentes, nem os vossos vizinhos que forem ricos, para que em seguida não vos convidem a seu turno e assim retribuam o que de vós receberam. — Quando derdes um festim, convidai para ele os pobres, os estropiados, os coxos e os cegos. — E sereis ditosos por não terem eles meios de vo-lo retribuir, pois isso será retribuído na ressurreição dos justos. Um dos que se achavam à mesa, ouvindo essas palavras, disse-lhe: Feliz do que comer do pão no reino de Deus! (S. Lucas, 14:12 a 15.) 8. “Quando derdes um festim, disse Jesus, não convideis para ele os vossos amigos, mas os pobres e os estropiados.” Estas palavras, absurdas se tomadas ao pé da letra, são sublimes, se lhes buscarmos o espírito. Não é possível que Jesus haja pretendido que, em vez de seus amigos, alguém reúna à sua mesa os mendigos da rua. Sua linguagem era quase sempre figurada e, para os homens incapazes de apanhar os delicados matizes do pensamento, precisava servir-se de imagens fortes, que produzissem o efeito de um colorido vivo. O âmago do seu pensamento se revela nesta proposição: “E sereis ditosos por não terem eles meios de vo-lo retribuir.” Quer dizer que não se deve fazer o bem tendo em vista uma retribuição, mas tão-só pelo prazer de o praticar. Usando de uma comparação vibrante, disse: Convidai para os vossos festins os pobres, pois sabeis que eles nada vos podem retribuir. Por festins deveis entender, não os repastos propriamente ditos, mas a participação na abundância de que desfrutais. Todavia, aquela advertência também pode ser aplicada em sentido mais literal. Quantos não convidam para suas mesas apenas os que podem, como eles dizem, fazer-lhes honra, ou, a seu turno, convidá-los! Outros, ao contrário, encontram satisfação em receber os parentes e amigos menos felizes. Ora, quem não os conta entre os seus? Dessa forma, grande serviço, às vezes, se lhes presta, sem que o pareça. Aqueles, sem irem recrutar os cegos e os estropiados, praticam a máxima de Jesus, se o fazem por benevolência, sem ostentação, e sabem dissimular o benefício, por meio de uma sincera cordialidade.

Devocional Florescer
Ef 2:1-10 Do pecado para a salvação pela graça - Devocional 668

Devocional Florescer

Play Episode Listen Later Dec 8, 2022 4:16


Olá queridos, paz, meu nome é Érika e esse é o Devocional Edificai. Hoje vamos falar sobre Efésios 2:1-10, onde Paulo fala aos Efésios. Nessa carta ele não indica uma falha específica da igreja, mas discorre sobre o tema “Do pecado para a salvação pela graça”. Nos versículos 1 ao 3 Paulo descreve que antes de Deus eles eram “mortos”, se referindo não só aos Efésios, mas ao homem em geral vivendo do jeito que bem lhe convém. E ressalta no versículo 3: “Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira”. No versículo sequente, Paulo segue dizendo: “Todavia, Deus, que é rico em misericórdia, pelo grande amor com que nos amou, deu-nos vida juntamente com Cristo”. Nesse momento, ele mostra abertamente a diferença de uma vida sem Deus, morte, e uma vida com Ele, graça! Mais à frente, Paulo reforça sobre a obra da ressurreição de Cristo, e através dele em nós: “para mostrar, nas eras que hão de vir, a incomparável riqueza de sua graça, demonstrada em sua bondade para conosco em Cristo Jesus”. E diz mais sobre a Graça, reforçando que em nada a igreja devia se gloriar, já que a salvação e toda obra de Cristo não é por mérito ou esforço nosso, versículo 8: “Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto não vem de vocês, é dom de Deus” Nesses textos, Paulo deixa claro como o homem, carnal em suas próprias forças e desejos, vive sem Deus. Ele enfatiza no início do texto que o homem sem Deus vive, na verdade, caído em uma morte espiritual. Depois Paulo traz o contraste da vida com Cristo. No versículo 4, ele inicia com a palavra “todavia”, que significa “no entanto” e tem sentido de oposição. Essa palavra traz alívio ao homem dos primeiros trechos, pois se opõe a morte espiritual e mostra a vida com Cristo, debaixo de sua graça. Além disso, o apóstolo Paulo explica que, apesar disso, a Graça que temos acesso foi nos dada, ou seja, não podemos comprá-la, não temos capacidade para isso. Se não a recebermos como um presente imerecido nas nossas vidas, não teremos acesso a ela, já que nada que fizermos é digno de obtê-la. Podemos exemplificar com um casamento de alguém muito importante e rico, para o qual fomos convidados. Como escolher um presente, o que oferecer para uma pessoa que já tem tudo? Assim somos nós com Cristo, como o pagaríamos por algo que nunca teríamos condições de pagar. Seria com nossas obras? Nem elas são suficientes frente ao tamanho amor e graça de Cristo por nós. Assim como descrito em 1 João 4:19, “Nós amamos porque ele nos amou primeiro”, onde o amor vem dEle e por Ele, Paulo também finaliza esses trechos no versículo 10 dizendo: “Porque somos criação de Deus realizada em Cristo Jesus para fazermos boas obras, as quais Deus preparou para que nós as praticássemos”, nessas palavras vemos que até as obras que fazemos vêm de Cristo. Nisso irmãos, entendemos que devemos reconhecer a grandeza e soberania de Deus sobre nossas vidas, aceitá-lo e receber a Graça dEle para nós, por meio de Cristo Jesus que nos trouxe a Salvação. Não nos gloriar em nossas obras, mas prestar toda a honra e glória a Ele, pois tudo que há, o que pensamos e fazemos é tudo dEle e por Ele. Deus abençoe e um ótimo dia!

Psicanálise em Humanês - com Lucas Nápoli
#187 - Que defeitos você precisa suportar para ter as qualidades do seu parceiro?

Psicanálise em Humanês - com Lucas Nápoli

Play Episode Listen Later Dec 4, 2022 13:51


Você compra uma caixa de bombons tradicional porque ela contém chocolates que você gosta. Todavia, para ter acesso a eles, precisa necessariamente adquirir também aqueles que, se pudesse, você jamais compraria. Um relacionamento amoroso de longo prazo é muito parecido com essas caixas de bombom… Participe da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda: confrariaanalitica.com Lucas Nápoli é psicólogo, psicanalista, professor, escritor e palestrante. Tem os títulos de Doutor em Psicologia Clínica pela PUC-RJ e Mestre em Saúde Coletiva pela UFRJ. ➤ Adquira o meu ebook "Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática" - http://bit.ly/ebookhumanes ➤ Adquira o meu ebook "O que um psicanalista faz?" - http://bit.ly/ebooklucasnapoli Siga-me nas redes sociais: Instagram: http://instagram.com/lucasnapolipsicanalista Facebook: http://facebook.com/lucasnapolipsicanalista

Devocional Florescer
Gl 6:1-5 Igreja a Comunidade do Amor - Devocional 662

Devocional Florescer

Play Episode Listen Later Dec 4, 2022 7:58


No Capítulo 5 Paulo tratou da vida no Espírito, agora ele passa a falar sobre a ética do Espírito. Paulo aplica princípios básicos e práticos de como essa vida no Espírito funciona. A lei de Cristo se cumpre no amor, e a igreja é a comunidade do amor. Gálatas é a carta da liberdade cristã, fomos libertos da condenação do pecado e do poder do pecado, mas ainda não da presença do pecado. Estamos sujeitos a fraquezas e quedas.  Por que Paulo levanta esse caso hipotético? Para nos alertar também que o pecado é como um laço, ou uma armadilha posta em nosso caminho. O pecado pode nos surpreender.  Todos nós precisamos estar atentos. Aquele que está em pé, cuide para que não caia. Há terrenos escorregadios diante dos nossos pés. Não podemos andar despercebidamente.  Precisamos viver com discernimento e prudência e fugir da aparência do mal. Na Igreja quem deve lidar com aqueles que caem?  Paulo diz que os crentes espirituais são aqueles que andam no Espírito, produzem o fruto do Espírito sendo guiados pelo Espírito. Esses são os que devem tomar a iniciativa de cuidar daqueles que são surpreendidos pelo pecado.  Obviamente que os crentes espirituais não devem ser entendidos como uma elite espiritual dentro da igreja. Todos os crentes devem e podem ser espirituais. O fiel que caiu em pecado é como um osso fraturado no corpo e precisa ser restaurado. A igreja é uma comunidade de confrontação. Preferimos a dor do confronto ao falso consolo da conivência.  Não confrontar aqueles que caem nas teias do pecado é uma atitude indigna da igreja de Deus.  E claro que corrigir não significa expor o faltoso ao ridículo, humilhá-lo ou execrá-lo. Não temos o direito de esmagar a cana quebrada nem de apagar a torcida que fumega. A exemplo de Cristo, devemos ser intolerantes com o pecado, mas compassivos com o pecador. Como confrontar aqueles que caem? A confrontação precisa ser feita com absoluto espírito de amor e brandura como parte do fruto do Espírito, pois a mansidão é uma característica da verdadeira espiritualidade. Apenas os espirituais são mansos. Precisamos ter a ternura de Cristo e a doçura do Espírito de Deus a fim de que a pessoa ferida pelo pecado possa ser curada e restaurada. Nesse contexto é apropriado citar 2Tessalonicenses 3:15: “Todavia, não o considereis por inimigo, mas adverti-o A igreja não é uma comunidade geradora de traumas e doenças, mas um lugar de cura e restauração. Não somos um exército que executa seus soldados feridos; somos uma clínica que cuida com amor daqueles que foram surpreendidos e caíram nas malhas do pecado. “O amor não se alegra com a injustiça” (ICo 13.6) Paulo acrescenta: “e guarda-te para que não sejais também tentado”. Todos temos a mesma estrutura: somos pó. Se nos apartarmos um minuto apenas da graça de Deus, podemos também tropeçar e cair. Somos todos vulneráveis e dependentes da misericórdia de Deus. “Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo” (6.2). A confrontação não é apenas verbal; implica também ajuda prática.  O apóstolo Paulo nos exorta a “levar as cargas uns dos outros”. A dor dos nossos irmãos deve doer também em nós. O fardo dos nossos irmãos deve pesar também sobre nós. Cada um deve pôr seu ombro debaixo da carga daquele irmão que está gemendo.  Essas cargas precisam ser carregadas coletivamente. Amor apenas de palavras é hipocrisia. É quando levamos as cargas uns dos outros que cumprimos a lei de Cristo. “Igreja a comunidade do amor de Cristo” é amar aos outros como ele nos ama; este foi o novo mandamento que Ele nos deu (Jo 13.34,35). Note a ternura que Jesus tratou a mulher pecadora. “Porque, se alguém julga ser alguma coisa, não sendo nada, a si mesmo se engana” (6.3). Não é correto comparar-nos com aqueles que caem; devemos antes olhar para Cristo, a fim de sermos transformados de glória em glória na sua imagem.

Quarta Capa Todavia
#34 - Ricardo Aleixo: Visões, sonhos e memórias

Quarta Capa Todavia

Play Episode Listen Later Nov 30, 2022 44:36


O último Quarta Capa de 2022 encerra essa temporada com um presente: uma entrevista muito especial com o poeta, performer, músico e artista visual Ricardo Aleixo, que acaba de lançar seu livro de memórias SONHEI COM O ANJO DA GUARDA O RESTO DA NOITE. Numa conversa com Leandro Sarmatz diretamente da casa da Todavia em Paraty durante a Flip, Aleixo fala sobre como foi revisitar e organizar sua produção e suas memórias para esta obra – os momentos decisivos, a poesia, o futebol, a música, a ancestralidade e o futuro, entre muito outros casos de um dos maiores artistas brasileiros do nosso tempo. Saiba mais sobre o lançamento:https://todavialivros.com.br/livros/sonhei-com-o-anjo-da-guarda-o-resto-da-noite===Produção: Nathália Bergocce e Ricardo TertoApresentação e Entrevista: Leandro Sarmatz /Captação e Edição de som: Ricardo Terto /Arte: André Luís Vieira

Felipe Torrealba Geopolítica
20221127 Venezuela 60 años a la deriva

Felipe Torrealba Geopolítica

Play Episode Listen Later Nov 28, 2022 9:38


Los políticos que llegaron a gobernar Venezuela desde 1958 cuando finalizó la última dictadura militar terminaron asociandose con los empresarios para despilfarrar y hacer grandes fortunas a costa de la renta petrolera, para cuando Chávez llega al poder en 1999, ya no había nada que hipotecar o privatizar, Venezuela estaba hipotecada hasta más no poder con la banca internacional, mientras se habían creando una clase empresarial y politica con grandes fortunas depositadas e invertidas en el exterior. Luego llegó Chávez y al poco tiempo comenzó con su Marxismo tratando de cambiar la economía del país de capitalista a comunera comunista, mientras seguía manejando grandes fortunas debido a los altos precios del petroleo. Mientras a los trabajadores se le vende la comuna, empleados de la mega coporacion estatal, los líderes de la revolución utilizaban nuestros recursos para promocionar su religión marxista, la figura del comandante presidente y apoyar otras revoluciones en el continente y el mundo. Todavia los líderes de la oposicion que antes eran gobierno hablan de la inversión extranjera como la formula para prosperar, lo mismo que hicieron durante 40 años y la revolución hablan de la comuna, marxista, de la agenda 20-30 de la ONU, que no es mas que la esclavitud de los desechables

Devocional Florescer
Gl 3:15-29 A lei não pode invalidar a promessa - Devocional 656

Devocional Florescer

Play Episode Listen Later Nov 27, 2022 5:01


Em Gálatas 3; 15, Paulo diz; "Irmãos como homem falo: se a aliança de um homem for confirmada, ninguém a anula nem a acrescenta. Amados, no versículo 15 o apostolo Paulo se utiliza de uma figura jurídica como o contrato ou o testamento para explanar a validade das promessas feitas a Abraão. Assim, da mesma sorte que um contrato ou um Testamento, sendo um Instrumento Particular Jurídico em nossos dias atuais, no qual o seu conteúdo permanece preservado independentemente da morte daquele que prometeu, mantendo-se, portanto, a sua inteira e intocável validade. Por isso, é que as promessas feitas a Abraão são sólidas e permanentes, pois assim como um Testamento após ser ratificado, confirmado e concluído, não pode ser alterado. Neste passo, as promessas feitas a Abraão e concedidas por intermédio de Cristo são irrevogáveis, portanto, pertence aos santos e salvos em Cristo Jesus. Portanto, nem uma norma que não foi prevista no tempo da confecção do presente instrumento, jamais poderia ser suscitada em um período de graça, Deus jamais mudará de ideia com o passar do tempo. Sobre esta rubrica, é que as promessas feitas a Abraão não se limitaria ao tempo de vida de Abraão somente, mas se estenderia ao longo das eras e épocas, alcançando inúmeras gerações que procedem do grande patriarca. Neste sentido, a semente de Abraão é Cristo, e todos tanto judeus como gentios que pela fé se encontram em Cristo e revestidas dEle, se tornaram beneficiários das promessas feitas a Abraão e juntamente com ele através de Cristo hão de herdar o mundo. Amados, portanto, não sejamos nós aqueles que estão nesses últimos dias preocupados e com medo da vida e do futuro. Pois, a nossa herança já foi concedida e nós pertencemos a Cristo Jesus, o autor e consumador da nossa fé. Assim, como descrito em Efésios, o nosso Cristo, pois fim ao Império das Leis, pois a lei foi dada por causa das nossas transgressões, revelando a pecaminosa condição humana, e tendo cumprido o seu objetivo deixou de vigorar. Glória a Deus, que Cristo se manifestou neste mundo tendo a Lei como caminho, para que a sua Glória fosse revelada a todos nós. Com base nisto, Glória a Deus por estas boas notícias, pois nós não vivemos impressionados com os noticiários ou as informações promulgadas pela redes sociais. Todavia, sim, com as promessas descritas nas sagradas escrituras, pois nós somos Herdeiros de insondáveis promessas feitas por Deus ao nosso patriarca, Abraão, conquistada na Cruz por intermédio de Cristo Jesus, o Rei da Glória. Deus os abençoe Deus seja louvado. PR. Wagner Nascimento

Foco na Palavra
Foco na Palavra 552 - Todavia me alegrarei!

Foco na Palavra

Play Episode Listen Later Nov 25, 2022 7:12


com Rev. Epaminondas LopesYoutube: https://www.youtube.com/c/RevEpaminondasLopesSite: http://pipbvv.org.br/Facebook: https://www.facebook.com/rev.epaminondaslopes/Instagram: https://www.instagram.com/revepaminondaslopes/

Leo Eler
Devocional Diário - Quinta-feira 17/11/22 - Um exemplo de avivamento

Leo Eler

Play Episode Listen Later Nov 17, 2022 20:18


Devocional Diário 2 Crônicas 17 a 19: Um exemplo de avivamento “Josafá, filho de Asa, foi o seu sucessor e fortaleceu-se contra Israel. Posicionou tropas em todas as cidades fortificadas de Judá e pôs guarnições em Judá e nas cidades de Efraim que seu pai, Asa, tinha conquistado. O Senhor esteve com Josafá porque, em seus primeiros anos, ele andou nos caminhos que seu predecessor Davi tinha seguido. Não consultou os baalins, mas buscou o Deus de seu pai e obedeceu aos seus mandamentos, e não imitou as práticas de Israel.” ‭‭2 Crônicas‬ ‭17‬:‭1‬-‭4‬ ‭NVI‬‬ Josafá é o exemplo de alguém que buscou e viveu o avivamento em sua vida pessoal. Ele praticou tudo que Asa seu pai ensinou e experimentou a graça de Deus. Todavia ele quase colocou tudo a perder quando: 1. Fez uma aliança impensada e irrefletida com Acabe - um homem vil. 18.1-2. 2. Desprezou a palavra profética de Deus. 3. Mesmo assim, Deus o livrou e o preservou por seu amor e bondade. 18.31. Não existem atalhos para experimentar o urgente e necessário avivamento. Arrependimento, busca e obediência à palavra de Deus são princípios que não devem ser ignorados.

Convidado
Timor Leste: "É essencial que a COP 27 concorde com a criação de um fundo para perdas e danos”

Convidado

Play Episode Listen Later Nov 17, 2022 9:14


O sucesso da COP 27 que decorre até amanhã em Sharm el Sheikh, no Egipto, depende do dossier “perdas e danos”. Uma pasta que entrou in extremis na agenda da Cimeira do Clima e que é defendida de forma acérrima pelo G77, grupo dos países em desenvolvimento. Fidelis Leite Magalhães, Ministro da Presidência do Conselho de Ministros, é o chefe da missão de Timor Leste nesta COP 27. O país defende que o encontro não se pode transformar num “talk show” anual e sublinha que “Temos de sair daqui com resultados”.  “Timor Leste tem sido vítima das alterações climáticas, com perdas de recursos na recuperação das nossas infraestruturas e perdas de vidas. Por isso, da nossa parte, é uma questão de sobrevivência. Por outro lado, Timor Leste é um dos estados mais dependentes do petróleo e tem que pensar em formas para diversificar a economia.” O governante timorense reconhece que os países mais ricos “têm reservas e resistências" às "perdas e danos”, uma exigência antiga dos mais vulneráveis. Todavia, diz Fidelis Leite Magalhães que é essencial que daqui saia uma declaração que “diga que a COP de Sharm el Sheikh concorda com a criação de um fundo para ‘perdas e danos'”. O governante timorense reconhece que os países mais ricos “têm reservas e resistências" às "perdas e danos”, uma exigência antiga dos mais vulneráveis. Todavia, diz Fidelis Leite Magalhães que é essencial que daqui saia uma declaração que “diga que a COP de Sharm el Sheikh concorda com a criação de um fundo para ‘perdas e danos'”. “Timor é um dos maiores proponentes, juntamente com o Bangladesh são os dois países coordenadores [do dossier perdas e danos] dentro do G77. É um assunto muito importante, não só mitigar mas também ter acesso a um financiamento global para a recuperação dos danos e perdas”, sublinha.  A questão do financiamento é sempre problemática, mas é também essencial para a transformação energética: “é muito fácil falar sobre mudanças, alterações climáticas, objectivos e sonhos para um mundo melhor, mas é sempre muito difícil concretizá-los. Sem dinheiro é muito difícil." 

Podcast da IIR Brasil
Crescendo no Milagre - Gustavo Paiva

Podcast da IIR Brasil

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 57:07


Deus nos chamou para viver em um lugar de fé, pois é este o Seu caminho natural de agir aqui na Terra. Todas as vezes em que Deus for fazer algo, Ele nos levará a um campo de fé. Quando percebemos que o que precisamos fazer não pode ser feito com a força do nosso braço, entendemos que isso foi o chamado de Deus, pois Ele sempre nos convida para um caminho de fé. Ele nos chama para um lugar em que as nossas capacidades e possibilidades não são suficientes para realizar o que queremos, fazendo-nos entrar, portanto, no chamado de Deus para nós. Isso se chama viver em um lugar de dependência e expansão do conhecimento de Deus. Muitas vezes, não é confortável para a nossa alma estar nesse lugar, mas é o melhor para o nosso espírito. Ele nos convoca a viver inquietamente, de forma que possamos alcançar grandes projetos e obras. “Todavia, como está escrito: "Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam" (1 Coríntios 2:9). Deus nos chama para uma fé crescente. É certo que orações respondidas imediatamente nos dão fé; orações que não são respondidas imediatamente nos dão um caráter de fé. Quando não vemos o agir das mãos de Deus, precisamos confiar em Seu coração e em Sua bondade. “Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:15). O texto revela que Deus não quer que paremos nunca de crescer, pois quando isso acontece, estamos diante de um caminho de morte. Ele quer, portanto, que cresçamos por toda a nossa vida. Paulo está dizendo que fomos chamados para uma fé que cresce, pois é no nosso desconforto que a nossa fé é esticada e o nosso caráter é provado. É sobre pisar em um lugar de impossibilidades, pois é nele que o nosso conhecimento sobre Deus é aumentado. Lemos histórias de homens de Deus, como Moisés e Davi, e nos empolgamos por tudo o que eles viveram, mas alguém precisou enfrentar uma situação que iria requerer fé para que uma história nos fosse contada hoje e alimentasse a nossa vida diante de mares.

Convidado
COP 27: "Justiça climática para garantir a sobrevivência dos povos do sul"

Convidado

Play Episode Listen Later Nov 16, 2022 9:38


À boleia da guerra na Ucrânia e da consequente crise energética, aumentou a corrida aos combustíveis fósseis. África está no centro desta corrida e Moçambique não é excepção. Para segundo plano, ficam os interesses e direitos dos povos africanos. Moçambique é um dos países mais vulneráveis às alterações climáticas. Em 2019, dois ciclones, Kenneth e Idai, com ventos que excederam os 200km/hora varreram uma parte do país. Fenómenos como estes, devido ao aquecimento global do planeta, tendem a ser mais frequentes e mais violentos. O país continua a apostar na exploração de gás, sob a bandeira da independência e desenvolvimento económico do estado. Todavia, contas feitas, basta uma única época ciclónica agressiva para deitar por terra a esmagadora maioria da receita que o gás pode trazer para Moçambique. Os custos directos e indirectos associados ao Kenneth e Idai ultrapassam os 3 mil milhões de dólares. Dipti Bhatnagar, activista da Justiça Ambiental Moçambique e da ong Amigos da Terra participa na COP 27, em Sharm el Sheikh, Egipto, sublinha a necessidade de justiça climática para garantir a sobrevivência dos povos do sul, denuncia a corrida desenfreada aos fósseis e o poder da indústria do gás e petróleo nesta Cimeira do Clima em detrimento da sociedade civil. “Estamos na COP27 com um grupo de pessoas de todo o mundo para exigir justiça climática. Isto significa que os países desenvolvidos têm de parar de usar energias fósseis e dar financiamento para projectos em países do sul e financiamento para um transição. Por exemplo, em Moçambique, 70% da população não tem acesso a energia, a electricidade e isto deveria ser um direito humano. “Isto é sobre a sobrevivência dos países do sul, a sobrevivência das pessoas mais pobres e vulneráveis do planeta, temos de luta e fazer os possíveis para trazer estas histórias das pessoas que já estão a sofrer com as consequências das alterações climáticas.”  A activista critica ainda o facto da presença dos lobistas do gás e do petróleo ter aumentado em 25% este ano.  Segundo os cálculos da Global Witness, do Corporate Europe Observatory e da  Corporate Accountability “636 lobistas das energias fósseis, afectos aos gigantes poluidores do petróleo e do gás, inscreveram-se para as discussões climáticas". Este número representa um aumento de mais de 25% em relação à COP 26 que decorreu no final de 2021 em Glasgow. A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas decorre até dia 18 de Novembro, em Sharm el-Sheikh, no Egipto.

Ciência
Guiné-Bissau leva projecto de resiliência em Gabu e Bafatá à COP 27

Ciência

Play Episode Listen Later Nov 14, 2022 9:59


A Guiné-Bissau apresenta, em Sharm el Sheikh, na COP 27, as experiências “bem-sucedidas” no campo da mitigação às alterações climáticas. Viriato Soares Cassamá sublinha a importância para os países africanos da discussão “das perdas e danos” e também do financiamento. A Guiné-Bissau apresenta na cidade de Sharm el Sheikh, na COP 27, as experiências “bem-sucedidas” no campo da mitigação às alterações climáticas. A delegação é chefiada pelo Presidente guineense, Umaro Sissoko Embaló, que no início da Convenção do Clima marcou presença no Egipto, na condição de "campeão" dos países menos avançados. A delegação guineense é composta por duas dezenas de técnicos ligados ao ambiente, entre eles o ministro do Ambiente e Biodiversidade, Viriato Soares Cassamá. Ao microfone da RFI, Viriato Soares Cassamá sublinhou que a Guiné-Bissau apresenta no Egipto acções que têm vindo a ser levadas a cabo no país para mitigar as consequências das alterações climáticas.  “Tivemos um projecto que foi implementado entre 2011 e 2017, cujo título é “Projecto de reforço da resiliência e da capacidade de adaptação dos sectores agrário e hídrico às alterações climáticas na Guiné-Bissau”, este projecto visa reforçar os dois grandes sectores, agricultura, florestas e pecuária e o sector dos recursos hídricos, concretamente na gestão de água.  Apesar das vicissitudes das alterações climáticas, na Guiné-Bissau “ainda chove muito”, todavia “grande parte da água que cai não é aproveitada. Neste projecto, tivemos uma experiência de captação e armazenamento das águas pluviais na época das chuvas, que posteriormente serviram para a agricultura e pecuária na época da estiagem.”  O projecto-piloto foi concebido para 18 “tabancas” (aldeia) acabou por ser alargado a 200 “tabancas” e nessa região notou-se uma redução do “tempo de penúria alimentar”.   Este projecto foi levado a cabo na região de Gabu e acabou por ser alargado a Bafatá, no leste do país.  Viriato Soares Cassamá sublinha a importância para os países africanos na discussão da questão “das perdas e danos” e também do financiamento: "Há um preceito máximo da Convenção Quadro das Nações Unidas que é o princípio da responsabilidade comum mas diferenciado. Os países ricos, os países mais desenvolvidos que têm a máxima responsabilidade no aquecimento global devem assumir os seus compromissos”. Todavia, 30 anos após a realização da primeira Convenção do Clima, continua a ser mais fácil a obtenção de financiamento para energias fósseis do que para energias limpas, questionado sobre esta situação o ministro guineense do Ambiente e Biodiversidade apela a “um esforço global” e “eleger como prioridade as energias limpas e renováveis”, sem descurar os fósseis, na medida em que tem que existir uma transição energética sustentável. A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas decorre até dia 18 de Novembro, em Sharm el-Sheikh, no Egito.

Vem pra Luz
#128 - Além da sazonalidade: o verdadeiro potencial estratégico do trabalho temporário

Vem pra Luz

Play Episode Listen Later Nov 11, 2022 30:42


Com as datas sazonais de final de ano se aproximando, muitas empresas começam a se planejar para a contratação de trabalhadores temporários, um modelo de trabalho que segue forte no Brasil mesmo com a crescente informalidade e com a flexibilização de outras estruturas trabalhistas por conta da Reforma de 2017. Todavia, o que muitas pessoas não têm em mente é que as contratações temporárias podem ter um potencial estratégico ainda maior do que habitualmente se vê no mercado nacional, e ele não se resume às datas festivas. Para isso, o parceiro certo faz toda a diferença. No RH Pra Você Cast de hoje, Daniel Consani, CEO do Grupo TopRH, e o jornalista Bruno Piai falam com Poliana Pereira, Gerente Comercial da WE CAN BR, que traz todos os segredos para fazer do trabalho temporário um diferencial poderoso. Não deixe de acompanhar o RH Pra Você Cast nos principais tocadores e em nosso canal no YouTube. https://linklist.bio/RHPraVcCast Aproveite para seguir e interagir em nossas redes sociais: Facebook: https://www.facebook.com/RhpraVoce Instagram: https://instagram.com/rhpravc LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/rhpravc/ YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCtqQf6G3c2NgouNldtYtsjw

Convidado
Nações Unidas traçam “linhas vermelhas” contra greenwashing

Convidado

Play Episode Listen Later Nov 9, 2022 11:23


Ao terceiro dia da COP 27, que decorre no Egipto, foi apresentado um relatório do Grupo de Especialistas de Alto Nível para evitar a “falsa neutralidade carbónica”. Na apresentação do documento, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, defendeu "tolerância zero para o greenwashing”. As Nações Unidas apresentaram esta terça-feira um relatório para acabar com os “malabarismos climáticos”. A neutralidade carbónica não pode ser uma promessa vazia pintada de verde, mas deve ser uma condição essencial para o equilíbrio entre o CO2 emitido e aquele que é absorvido, de forma a evitar o aquecimento global do planeta. Durante sete meses, um grupo de peritos da ONU, avaliou o grau de credibilidade dos actores que se comprometem com a neutralidade carbónica. Neste relatório publicado ontem, em plena COP 27, constam dez recomendações que traçam as “linhas vermelhas” contra o greenwashing. O economista guineense Carlos Lopes, docente na Universidade do Cabo, África do Sul, integra este grupo de peritos das Nações Unidas e ao microfone da RFI começou precisamente por explicar o conceito de Greenwashing. “Na realidade greenwashing é a tentativa de fazer passar como uma contribuição para a economia verde e para o futuro do planeta com menos intensidade de carbono de uma forma ilegítima, ou seja, proclamando determinados objectivos, indicadores e práticas que não se verificam na realidade. Portanto, é uma espécie de cobertura e nós temos que pôr cobro a isso. Este relatório é uma tentativa de tentar definir o trigo do joio, de tentar ver quais são as promessas que efectivamente contribuem para uma diminuição das emissões e quais são as outras que são apenas proclamações que na realidade encobertam práticas que continuam a ser nefastas para a acção climática.” Ou seja, pode ser considerado como um género de propaganda, uma publicidade enganosa? “Exactamente, não se trata bem de propaganda no sentido comercial do termo, porque algumas das instituições implicadas não são comerciais, temos também entidades como, por exemplo, as cidades, as regiões e determinados organismos não-governamentais. Mas no que concerne às práticas de instituições que têm uma actividade lucrativa, efectivamente, trata-se de propaganda enganosa.” Este relatório foi apresentado ontem, terça-feira, 8 de Novembro de 2022, na apresentação, o secretário-geral da ONU sublinhou tratar-se de um "guia prático". É como um enquadramento ou uma tentativa de enquadramento legal para este tipo de prática? “Existem inúmeras instituições que estão a fazer a contabilidade destas promessas de contribuição para a redução de carbono e cada uma delas definiu a sua própria taxonomia e a sua própria forma de conceber aquilo que são promessas legítimas e ilegítimas. Cada uma delas tem certificações e estandardizações que decidem unilateralmente e, portanto, chegou a hora de nós pormos cobro a esta proliferação de promessas e tentar ver se é possível estabelecer uma regra universal, para que possamos, de facto, comparar primeiro mas, também, introduzir transparência e introduzir credibilidade no processo. Nós fizemos este relatório num período relativamente curto meses. Foi uma promessa que o secretário-geral [da ONU] fez na última COP, em Glasgow, e quando ele constituiu o grupo nós, de facto, tivemos um período em que nos tivemos que conhecer, são pessoas que vêm de horizontes muito diferentes e em sete meses conseguimos produzir um relatório para apresentar nesta COP. Eu acho que é o documento mais importante que vai sair desta conferência porque é uma coisa prática, são dez recomendações e portanto toda a gente está a reagir de forma muito positiva a este apelo e a esta contribuição que vem do grupo e que foi endossada pelo secretário-geral." Peço-lhe que me diga, de uma forma geral, que recomendações são estas? “A primeira [recomendação] é de como é que se deve controlar o anúncio das promessas, em inglês pledges, aquilo que as diferentes entidades prometem. Nós definimos exactamente os contornos de como é que esses anúncios devem ser feitos, em que base legal e com que atribuições de tipo normativo devem ser feitos. A segunda recomendação é relativa aos indicadores: quais são os objectivos exactos? Como é que se medem indicadores e quais são os indicadores credíveis? A terceira é utilização voluntária de créditos de carbono. Nós tentamos regular um pouco essa ideia de que se pode resolver tudo através dos créditos de carbono e chegamos à conclusão de que os créditos de carbono não podem substituir uma diminuição real das emissões. A quarta recomendação tem a ver com o plano de transição, como é que se faz um plano de transição para cada uma das entidades. A quinta como é que nós ultrapassamos a dependência dos combustíveis fósseis e como é que nós podemos prometer um futuro à volta das energias renováveis em particular. A sexta recomendação prende-se com as pessoas e as entidades que fazem lobbying e que fazem propaganda e como é que se deve estabelecer limites. A sétima recomendação é relativa à relação entre pessoas-natureza para uma transição justa, não basta apenas dizer que vamos atingir objectivos de redução de emissões sem tomar conta que as pessoas e a natureza precisam de ser protegidas de várias formas. A oitava recomendação tem a ver com a questão da transparência na apresentação de contas. A nona sobre como incentivar o investimento nas transições justas e, finalmente, a última, a décima tem a ver com os reguladores dos diferentes países e entidades multilaterais, como devem trabalhar para estabelecer este standard universal que nós estamos a propor.” Uma questão que aqui se levanta tem a ver com a aplicabilidade dessas recomendações. De que forma é que as entidades, os governos e as empresas visadas por estas recomendações serão fiscalizadas na sua implementação ou não serão? “O nosso grupo tinha a participação de pessoas que vêm do sector corporativo, tinha representantes das empresas relacionadas com tudo o que tem a ver com seguros, cientistas, académicos, indivíduos muito activos na área do meio ambiente de várias formas, por exemplo trabalhando em créditos carbono, outros especializados na regulação de informação e tratamento de informação sobre questões climáticas. Enfim, nós tínhamos uma diversidade de pontos de vista que permite pensar que as nossas conclusões são muito práticas e eu acho que são e isto foi reconhecido já pela enorme cobertura mediática que tivemos desde ontem. É um manual bastante prático.  A implementação agora depende mais de uma vontade colectiva que tem que ser assegurada a partir dos reguladores, porque têm um papel fundamental para poder dar corpo prático a estas documentações." Uma pergunta que não tem a ver com este relatório mas que tem a ver com um dos temas fundamentais desta COP 27: “perdas e danos”. Não dá a ideia de que é sempre possível pagar e continuar a poluir, porque os países que menos poluem vão ser indemnizados pelos países que mais poluem. Todavia, essa não é a solução para o planeta. Ainda no início da COP, o secretário-geral da ONU disse que estávamos “numa auto-estrada em direcção ao inferno e com o pé no acelerador''. A solução, em vez de indemnizar, não passa por, efectivamente, adoptar políticas de redução da pegada de carbono e de redução das emissões? “Nós podemos reduzir a pegada de carbono de duas formas: uma é através da mitigação, outra é através da adaptação. A mitigação não é uma responsabilidade dos países mais pobres, porque, na grande maioria, esses países mais pobres e aí excluem-se uma boa parte do sul global porque há países do sul global que são grandes poluidores, como a China, por exemplo. Esses países têm que acelerar todos os processos de mitigação. Os países africanos, em particular, a maioria deles de facto não têm um problema de mitigação porque emitem muito pouco. São os que sofrem mais e portanto precisam de ser compensados por uma espécie de crédito carbono que têm acumulado ao longo do tempo, porque não foram os produtores da situação actual, que é o resultado de um um tipo de consumo mas também de uma industrialização que foi feita através dos combustíveis fósseis. Esses países não tiveram culpa. Não se desenvolveram, para começar, suficientemente e não tiveram culpa de nós termos chegado à situação em que estamos no planeta, portanto eles têm que ser compensados por essa perda ao longo da história mas também por essa necessidade de, neste momento, passarem directamente para a adaptação e não para a mitigação porque não emitem grande coisa. Por isso é que esta discussão sobre “perdas e danos” é muito importante, porque estas perdas têm a ver com o facto de que ao longo da história estes países perderam oportunidades de desenvolvimento em benefício de outros. E portanto têm que ser compensados, não se trata de ajuda. Trata-se, eu acho, fundamentalmente, de mudar o sistema financeiro para que esses países possam ter acesso a capital para fazer os investimentos certos, porque neste momento é mais fácil conseguir dinheiro para continuar a produzir combustíveis fósseis e sistemas de produção poluentes que o contrário, apesar de toda a retórica.  Se nós virmos o catálogo do investimento externo em África, vemos que uma boa parte desse investimento externo é dirigida para combustíveis fósseis. Isso significa que o sistema financeiro continua a privilegiar uma rota que não é nem favorável ao planeta, nem favorável a África.” Mas os países africanos continuam a privilegiar a aposta na energia fóssil? “Os países africanos e os dirigentes africanos têm um discurso que precisa de ser entendido. É um discurso sobre o pragmatismo. Ou seja, se nós tivermos acesso a financiamento dirigido para a baixa intensidade de carbono, essa é a escolha. Não há a mínima dúvida. Mas se esse investimento não estiver disponível e só o outro estiver disponível, nós vamos para o outro.  Para ter uma comparação clara, não podem os países europeus de repente ficarem muito interessados em voltar aos combustíveis fósseis, ao gás e até ao carvão, que é o mais poluente de todos, por causa da crise na Ucrânia e do seu défice de energia proveniente da Rússia e justificar isso dizendo que é por razões pragmáticas para assegurar o acesso à energia, o direito ao acesso à energia e, ao mesmo tempo, ter discurso que eu diria hipócrita de considerar que os outros não têm direito de ser pragmáticos também.  Então aí tem que se “jogar a toalha” para o sítio certo: se houver financiamento climático, o que até agora não tem acontecido, a escolha dos africanos é fácil, mas neste momento é mais provável que companhias de combustíveis, que têm a sua sede nos países ocidentais, venham com os capitais necessários para poder produzir gás ou extração de petróleo, etc… porque os bancos consideram que o risco é pequeno e não haver dinheiro para a transição climática." A Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas decorre até dia 18 de Novembro, em Sharm el-Sheikh, no Egipto.

Devocional Florescer
2 Cor 4:1-15 Tesouro em vaso de barro - Devocional 637

Devocional Florescer

Play Episode Listen Later Nov 7, 2022 7:46


E o nosso devocional é sobre 2 Coríntios 4:1-15 – “Tesouro em vaso de barro”. 2 Coríntios 4:7 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. Queridos, no início do Capítulo 4 (quatro) o apóstolo Paulo em ato contínuo na doutrinação da igreja de Corinto traz uma revelação esplendorosa, na qual ele afirma haver dentro de nós um tesouro que reflete a excelência do poder de Deus operando em cada um de nós. O vaso, como sabemos reportado em Gênesis Capitulo 2.7, que declara que o homem foi feito do pó da terra, e é por meio desta figura humilde, frágil, fraco e mortal, ainda assim ele torna-se iluminado pelo Espírito Santo para se tornar conhecedor dos tesouros e das insondáveis riquezas de Deus e seus eternos caminhos. Este tesouro se refere às inúmeras promessas do evangelho, conforme a descrição de Paulo nesta epístola de modo geral, porquanto elas envolvem a questão da transformação dos remidos segundo a imagem de Cristo e a participação de sua natureza e glória. Neste passo, o precioso “Tesouro” traz consigo a própria iluminação, porque o Espírito Santo é o mediador de todas as nossas possessões. Nota-se, que o apostolo prescreve o termo “temos”, sim, por já possuímos esse Tesouro, muito embora apenas em parte, mais um dia teremos plenamente. Porém, pela graça divina, havemos de entrar na posse total do mesmo, pois o poder que revela o tesouro é ilimitado, e para nossa surpresa está guardado em receptáculos de quem nós jamais esperaríamos nada. Em grande parte, pessoas desprezadas pela sociedade, vasos que possuem seus nomes envolvidos em rodas de chacotas e zombarias, pessoas conhecidas como rudes, duras, de costumes estranhos, totalmente distante da cultura do mundo, antagônicas aos padrões humanos e carnais de excelência. Todavia, pautados com base na régua de Cristo que pelo seu puro-sangue encontraram lugar diante de Deus, e pela graça receberam cadeiras na mesa das bodas do cordeiro, carregando sem a atenção dos homens, dentro de seus Espíritos e corações as chaves dos mistérios do Reino de Deus e palavras de vida eterna. Paulo, sem pestanejar, revela esse Tesouro no versículo 6 (seis) deste mesmo Capítulo quando declara; “Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo. De outro giro, nem um homem pode gloriar-se em si, pois por mais inteligente e espiritual que seja, somente Deus pode receber a glória pelo elevado e maravilhoso destino que o homem deve desfrutar se decidir seguir e obedecê-lo, pois tudo é de Deus e a Ele tudo pertence tanto o homem, quanto o caminho. Por isso, sempre, sempre, sempre, toda honra, toda gloria, seja dada ao nosso Deus, pois tudo por Ele e para Ele são todas as coisas, pois elas foram criadas mediante o seu Poder. Paulo, relata a excelência do poder de Deus, a palavra grega ali é” uperbole”, o que indica algo tão excelente que chega a ser “excessivo”, “transcendental; virtude exclusiva do poder de Deus. Esse Poder absurdo é frontalmente contrastado com a debilidade da condição humana, mas o impressionante é que apenas através deste magnificente poder é que os remidos podem possuir os tesouros de Deus, os tesouros dos céus. Notadamente, precisamos entender que por carregar tamanha riqueza, é que muitas vezes somos perseguidos, mas jamais seremos desamparados, podemos até nos abater por alguns dias, mas jamais seremos destruídos. Alegrassem-se, pois sinceramente quem se aproximar de nós sem interesses escusos e sem reservas, verás que trazemos em nós o morrer de Jesus, e por Ele somos entregues a morte diariamente, para que com muito cuidado a vida de Jesus possa se manifestar em nós não tão somente com palavras, mas com Poder, como diz as escrituras.

Jesus É Bom O Tempo Todo

MT 26.36 - 46 - Em seguida, foi Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu vou ali orar; e, levando consigo a Pedro e aos dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Então, lhes disse: A minha alma está profundamente triste até à morte; ficai aqui e vigiai comigo. Adiantando-se um pouco, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice! Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres. E, voltando para os discípulos, achou-os dormindo; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudestes vós vigiar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca. Tornando a retirar-se, orou de novo, dizendo: Meu Pai, se não é possível passar de mim este cálice sem que eu o beba, faça-se a tua vontade. E, voltando, achou-os outra vez dormindo; porque os seus olhos estavam pesados. Deixando-os novamente, foi orar pela terceira vez, repetindo as mesmas palavras. Então, voltou para os discípulos e lhes disse: Ainda dormis e repousais! Eis que é chegada a hora, e o Filho do Homem está sendo entregue nas mãos de pecadores. Levantai-vos, vamos! Eis que o traidor se aproxima.

Ilustríssima Conversa
Roberto Moura: Como candomblé e samba forjaram a cultura popular carioca

Ilustríssima Conversa

Play Episode Listen Later Nov 5, 2022 48:43


"Tia Ciata e a Pequena África no Rio de Janeiro", publicado no início dos anos 1980, se tornou um dos livros pioneiros a olhar para as raízes africanas da cultura popular carioca. A obra, relançada pela Todavia, reconstitui as condições de vida de africanos escravizados e negros libertos na antiga capital, de meados do século 19 às primeiras décadas do século 20, especialmente da comunidade baiana da cidade. Tratava-se de uma vida subalterna, que ia da brutalização à extrema vitalidade, escreve o cineasta Roberto Moura, e ganhava coesão com a capoeira, o candomblé e o samba, expressões culturais que se tornaram bases da ideia de brasilidade. Neste episódio, o autor discute a paisagem cultural da Pequena África e apresenta a trajetória de Ciata (1854-1924), filha de Oxum, rainha do Carnaval e do samba e dona de uma casa que abrigava as festas mais importantes da comunidade e se transformou no celeiro de uma geração pródiga de músicos, como Pixinguinha, Donga e João da Baiana. Produção e apresentação: Eduardo Sombini Edição de som: Raphael Concli See omnystudio.com/listener for privacy information.

Palavra Amiga do Bispo Macedo
Ainda que o sonho não tenha sido realizado... Todavia nos alegraremos no nosso Senhor! - Meditação Matinal 31/10/22

Palavra Amiga do Bispo Macedo

Play Episode Listen Later Oct 31, 2022 10:23


"Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas." Habacuque 3:17-19

Psicanálise em Humanês - com Lucas Nápoli
#181 - Tenha autocompaixão, mas não seja autocomplacente

Psicanálise em Humanês - com Lucas Nápoli

Play Episode Listen Later Oct 23, 2022 15:01


Ajudar o paciente a desenvolver autocompaixão deveria ser um dos propósitos de qualquer tratamento psicoterapêutico, seja ele psicanalítico ou não. Todavia, não devemos confundir autocompaixão com AUTOCOMPLACÊNCIA. Não se cobrar de forma exagerada é diferente de pegar leve consigo mesmo. Participe da CONFRARIA ANALÍTICA, uma comunidade exclusiva, com aulas semanais ao vivo comigo, para quem deseja estudar Psicanálise de forma séria, rigorosa e profunda: confrariaanalitica.com Lucas Nápoli é psicólogo, psicanalista, professor, escritor e palestrante. Tem os títulos de Doutor em Psicologia Clínica pela PUC-RJ e Mestre em Saúde Coletiva pela UFRJ. ➤ Adquira o meu ebook "Psicanálise em Humanês: 16 conceitos psicanalíticos cruciais explicados de maneira fácil, clara e didática" - http://bit.ly/ebookhumanes ➤ Adquira o meu ebook "O que um psicanalista faz?" - http://bit.ly/ebooklucasnapoli Siga-me nas redes sociais: Instagram: http://instagram.com/lucasnapolipsicanalista Facebook: http://facebook.com/lucasnapolipsicanalista Telegram: http://t.me/lucasnapoli

Palavra Amiga do Bispo Macedo
O suave cheiro que Deus almeja aspirar de Seus filhos - Meditação Matinal 19/10/22

Palavra Amiga do Bispo Macedo

Play Episode Listen Later Oct 19, 2022 20:21


"E o SENHOR sentiu o suave cheiro..." Gênesis 8:21 "Mas Ele (Jesus) foi ferido por causa das nossas transgressões, e MOÍDO por causa das nossas iniquidades..." Isaías 53:5 "Todavia, ao SENHOR AGRADOU MOÊ-LO, fazendo-O enfermar; quando a Sua ALMA se puser por expiação do pecado, verá a Sua posteridade, prolongará os Seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na Sua mão." Isaías 53:10

O Poder da Oração
Boa noite meu Jesus com Padre Alex Oliveira (At 5,26-28) - 25-09-22

O Poder da Oração

Play Episode Listen Later Sep 25, 2022 9:22


Atos dos Apóstolos 5:26-28 26Então, indo para lá com os guardas, o capitão trouxe os apóstolos, mas sem o uso de força, pois temiam que o povo os apedrejasse. 27Tendo levado os apóstolos, apresentaram-nos ao Sinédrio para serem interrogados pelo sumo sacerdote, 28que lhes disse: "Demos ordens expressas a vocês para que não ensinassem neste nome. Todavia, vocês encheram Jerusalém com sua doutrina e nos querem tornar culpados do sangue desse homem".

Enredadas en la red
Cuando lo tomamos personal??

Enredadas en la red

Play Episode Listen Later Sep 15, 2022 17:14


Todavia venimos con mas preguntas

Es así y punto con Hernán Pereyra
Barcelona va a competir en Champions pero todavia le falta

Es así y punto con Hernán Pereyra

Play Episode Listen Later Sep 12, 2022 43:07


Hernán Pereyra analiza los primeros pasos del conjunto catalán en el torneo europeo, donde afirma que tiene con que competir, pero le falta todavía para alcanzar el nivel de los grandes. Además lo que nos dejó el fin de semana en la Liga MX, y responde mensajes de sus seguidores.

Encontro de Leituras
Dulce Maria Cardoso: “Eliete — A vida normal”

Encontro de Leituras

Play Episode Listen Later Sep 9, 2022 64:58


Este é o podcast do Encontro de Leituras, o clube conjunto do PÚBLICO e do jornal brasileiro Folha de S. Paulo, que junta online leitores de língua portuguesa todas as segundas terças-feiras de cada mês.A convidada do 21.º Encontro do Leituras, que aconteceu a 9 de Agosto, foi a escritora portuguesa Dulce Maria Cardoso. Em destaque esteve o seu romance “Eliete — A vida normal”, publicado em Portugal em 2018, pela Tinta-da-China, e editado este ano no Brasil, pela Todavia.Construído em torno da protagonista homónima, “Eliete” fala-nos de uma mulher de meia-idade e em crise no tempo das redes sociais. Reflecte também sobre temas habituais na obra de Dulce Maria Cardoso, como a memória (a sua perda) e a identidade.Este romance foi o segundo qualificado no Prémio Oceanos em 2019 e esteve também nomeado na categoria de melhor romance estrangeiro para o Prémio Femina em 2020.O Encontro de Leituras é moderado pela jornalista Isabel Coutinho, responsável pelo site do PÚBLICO dedicado aos livros, o Leituras, e por Eduardo Sombini, jornalista da Ilustríssima, o caderno de cultura da Folha de S. Paulo.Siga o podcast do Encontro de Leituras no Spotify, Apple Podcasts, SoundCloud ou outras aplicações para podcasts. Conheça os podcasts do PÚBLICO em www.publico.pt/podcasts.Os podcasts do PÚBLICO dão-lhe 10% de desconto numa nova assinatura do seu jornal. Em publico.pt/assinaturas, procure pela pergunta “Tem um código promocional?”, escreva o código POD10 e usufrua das vantagens de ter o PÚBLICO no ouvido. O código é válido para novas assinaturas ou assinaturas expiradas há mais de 90 dias.Produção: Isabel Coutinho e Aline Flor (PÚBLICO) / Música: Bottega Baltazar (Artlist.io)

Entra la Oscuridad
VELS 07X66

Entra la Oscuridad

Play Episode Listen Later Sep 3, 2022 97:56


Todavia me Sigue De regreso tenemos a Octavio que regresa a contarnos sobre sus anecdotas sobre sus experiencias paranormales #OYC #OVNIS #Extraterrestres #UFO #abduccion #VELS #Aliens #Fantasmas #paranormal #Misterio #masalla #enigmas #entralaoscuridad #vocesenlassombras #conspiracion #demonio #brujeria ¡Sería un favor inmenso! Si nos pudieras compartir en tus redes sociales y seguirnos. Nos puedes encontrar bajo @CanaloficialELO -Facebook -Instagram -Twitter -TikTok -Youtube Ahi nos puedes contactar si gustas participar y contar tus experiencias. Tambien puedes mandar un correo electronico a Entralaoscuridad@gmail.com Si gustarias mandar tu relato por audio, tambien lo puedes mandar ya grabado por Whatsapp al +1 602- 727 - 2973 Escúchanos por medio de: -iTunes -Spotify -Google Podcasts -ivoox y varias otras plataformas! --- Send in a voice message: https://anchor.fm/canaloficialelo/message Support this podcast: https://anchor.fm/canaloficialelo/support

Devocionales Cristianos para Mujeres
2022-08-30 | Mujeres | SIN MIEDOS NI CADENAS - TODAVIA MAS CERCA

Devocionales Cristianos para Mujeres

Play Episode Listen Later Aug 29, 2022 4:40


Devocional Cristiano para Mujeres - SIN MIEDOS NI CADENAS Fecha: 30-08-2022 Título: TODAVIA MAS CERCA Autor: Vanessa Pizzuta Locución: Analía Hein http://evangelike.com/devocionales-cristianos-para-mujeres/

Guilhotina | Le Monde Diplomatique Brasil
#180: A democracia no Brasil, de 2013 ao governo Bolsonaro, com Marcos Nobre

Guilhotina | Le Monde Diplomatique Brasil

Play Episode Listen Later Aug 25, 2022 56:40


Bianca Pyl e Luís Brasilino recebem o filósofo Marcos Nobre, que está lançando novo livro pela editora Todavia, “Limites da democracia: de junho de 2013 ao governo Bolsonaro” (https://bit.ly/3Am2ujr). A obra analisa a conjuntura brasileira nos últimos dez anos e detalha o processo de degradação da democracia, que vive um processo decisivo nestas eleições. Conversamos sobre Junho de 2013, operação Lava Jato, novas esquerdas e novas direitas, ascensão da extrema direita, pemedebismo, desmonte das instituições democráticas, a base e o partido digital bolsonarista, a oposição progressista e as perspectivas para as eleições. Marcos é professor do Departamento de Filosofia da Unicamp, presidente do Cebrap e autor de “A teoria crítica”, “Imobilismo em movimento”, “Como nasce o novo”, “Ponto final, a guerra de Bolsonaro contra a democracia”, entre outros livros. Trilha: Gotan Project, “Epoca” (Philippe Cohen Solal, Eduardo Makaroff e Christoph H. Müller); e Tom Zé, “Vai (menina amanhã de manhã)”.

Encontro de Leituras
Yara Monteiro: “Essa Dama Bate Bué!”

Encontro de Leituras

Play Episode Listen Later Aug 24, 2022 24:00


Este é o podcast do Encontro de Leituras, o clube conjunto do PÚBLICO e do jornal brasileiro Folha de S. Paulo, que junta online leitores de língua portuguesa todas as segundas terças-feiras de cada mês.A convidada do 19.º Encontro do Leituras, que aconteceu a 14 de Junho, foi a escritora angolana Yara Monteiro. Em destaque esteve o seu romance “Essa Dama Bate Bué!”, publicado em Portugal em 2018, pela Guerra e Paz, e no Brasil em 2021, pela editora Todavia.O Encontro de Leituras é moderado pela jornalista Isabel Coutinho, responsável pelo site do PÚBLICO dedicado aos livros, o Leituras, e por Eduardo Sombini, jornalista da Ilustríssima, o caderno de cultura da Folha de S. Paulo.Siga o podcast do Encontro de Leituras no Spotify, Apple Podcasts, SoundCloud ou outras aplicações para podcasts. Conheça os podcasts do PÚBLICO em www.publico.pt/podcasts.Os podcasts do PÚBLICO dão-lhe 10% de desconto numa nova assinatura do seu jornal. Em publico.pt/assinaturas, procure pela pergunta “Tem um código promocional?”, escreva o código POD10 e usufrua das vantagens de ter o PÚBLICO no ouvido. O código é válido para novas assinaturas ou assinaturas expiradas há mais de 90 dias.Produção: Isabel Coutinho e Aline Flor (PÚBLICO) / Música: Bottega Baltazar (Artlist.io)

Devocional Elegante Sempre
Devocional Elegante Sempre 05.08

Devocional Elegante Sempre

Play Episode Listen Later Aug 5, 2022 3:25


Leia Mateus 13 “Então lhes falou muitas coisas por parábolas, dizendo: "O semeador saiu a semear. Enquanto lançava a semente, parte dela caiu à beira do caminho, e as aves vieram e a comeram. Parte dela caiu em terreno pedregoso, onde não havia muita terra; e logo brotou, porque a terra não era profunda. Mas quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu entre espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas. Outra ainda caiu em boa terra, deu boa colheita, a cem, sessenta e trinta por um. Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! " Os discípulos aproximaram-se dele e perguntaram: "Por que falas ao povo por parábolas? " Ele respondeu: "A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não.” Mateus 13:3-11 Reflita Semeadura eficiente Ao longo da minha caminhada com Deus eu tentei ler a Bíblia várias vezes. Quando criança e adolescente. No entanto os textos não faziam sentido para mim e a leitura parecia muito cansativa. Eu não entendia a palavra de Deus. Anos depois, já adulta, tive um encontro verdadeiro com Jesus, minha vida foi transformada e ardeu o desejo de ler a palavra. Orei para entendê-la e algo surpreendente aconteceu. Como se eu tivesse colocado óculos de leitura, tudo agora fazia sentido. Eu compreendia completamente. Na parábola do semeador Jesus ensina como a semeadura só é eficiente para quem ouve e entende. E ele mesmo explica aos discípulos. “Quando alguém ouve a mensagem do Reino e não a entende, o Maligno vem e lhe arranca o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. Quanto ao que foi semeado em terreno pedregoso, este é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria. Todavia, visto que não tem raiz em si mesmo, permanece por pouco tempo. Quando surge alguma tribulação ou perseguição por causa da palavra, logo a abandona. Quanto ao que foi semeado entre os espinhos, este é aquele que ouve a palavra, mas a preocupação desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera. E, finalmente, o que foi semeado em boa terra: este é aquele que ouve a palavra e a entende, e dá uma colheita de cem, sessenta e trinta por um". Quando me tornei uma terra boa a palavra de Deus frutificou. Torne-se um solo fértil, buscando uma vida de santidade e a sua colheita será grande. Ore Pai amado, obrigada porque a fé é um dom que o Senhor dá. Obrigada pela porção que recebi. Que eu possa me santificar para que sua palavra de frutos em minha vida e frutos que sejam abundantes.

Podcast : Escola do Amor Responde
2340 # Escola do Amor Responde (no ar 26.07.2022)

Podcast : Escola do Amor Responde

Play Episode Listen Later Jul 26, 2022 24:33


Durante a Escola do Amor Responde de hoje, Renato e Cristiane Cardoso falaram sobre uma frase que diz: “O tempo é um grande professor, mas, infelizmente, ele mata todos os seus alunos.” O casal disse mais sobre o assunto com muita clareza. Na oportunidade, os professores leram o comentário da Sueli, que disse lamentar não ter ganhado o livro “Casamento Blindado” antes do marido ir embora de casa. Ela não queria a separação. Todavia, se tivesse lido o livro ou assistido aos vídeos do casal, ela não teria agido de maneira errada. Ademais, Renato e Cris compartilharam depoimentos de pessoas que têm recuperado a vida e o relacionamento durante as palestras da Terapia do Amor. Situação embaraçosa Ainda hoje, uma aluna – que não quis se identificar – reclamou que as tias estão ‘'dando em cima' do namorado dela. Elas não têm postura, vestem roupas indecentes e, além disso, não sabem se sentar. A aluna acha uma falta de respeito, mas o que mais dói é que até a irmã cometeu o mesmo erro. Ademais, a aluna comentou outros fatos que têm acontecido. Ela disse que tem se tornado ciumenta e está até com dúvidas se deve se casar ou não. Os dois namoram há cinco anos e ambos têm 25 anos. Bem-vindos à Escola do Amor Responde, confrontando os mitos e a desinformação nos relacionamentos. Onde casais e solteiros aprendem o Amor Inteligente. Renato e Cristiane Cardoso, apresentadores da Escola do Amor, na Record TV, e autores de Casamento Blindado e Namoro Blindado, tiram dúvidas e respondem perguntas dos alunos. Participe pelo site EscoladoAmorResponde.com Ouça todos os podcasts no iTunes: rna.to/EdARiTunes --- Send in a voice message: https://anchor.fm/edar/message

New Life Church Español
Dios Todavia Hace Milagros // Testimonios

New Life Church Español

Play Episode Listen Later Jul 19, 2022 27:09


Dios todavia hace milagros - Testimonios

O Poder da Oração
Reflexão para o XVI Domingo do Tempo Comum - “Quem acolhe um desses pequeninos, me acolhe; e quem me acolhe, acolhe o Pai, que me enviou” - 17/07/22

O Poder da Oração

Play Episode Listen Later Jul 17, 2022 5:10


Reflexão para o XVI Domingo do Tempo Comum “Quem acolhe um desses pequeninos, me acolhe; e quem me acolhe, acolhe o Pai, que me enviou” Padre Cesar Augusto. SJ - Vatican News O tema da liturgia deste domingo é a hospitalidade. Tanto na primeira leitura que fala da visita de Deus a Abraão e Sara, quando moravam em tendas, como no Evangelho, quando relata a visita de Jesus Cristo a Lázaro, Marta e Maria. Deus vem a nós como qualquer pessoa e deseja ser acolhido. A primeira leitura versa sobre a dificuldade que temos quando fazemos um ato de caridade e de acolhida e nos lembramos das palavras de Jesus: “Quem acolhe um desses pequeninos, me acolhe e quem me acolhe, acolhe o Pai que me enviou.” Abraão não sabe que acolhe Deus, mas no final tem consciência de que hospedou e serviu o Deus Altíssimo nas pessoas daqueles três homens. Os três chegaram à tenda de Abrão em um momento inoportuno. Fazia o maior calor do dia e Abraão fazia sua sesta. Todavia, ao vê-los ao longe, ele se levanta e se dirige aos visitantes e lhes dá as boas-vindas. Faz com que se sentem, traz água para que lavem os pés e vai tomar outras providências para bem recebê-los. Mais tarde, aparece com pão feito na hora, com a carne do novilho que havia mandado o empregado matar e preparar, com coalhada e com leite. Podemos dizer que, com sua generosidade, Abraão providenciou o máximo que ele podia oferecer e ofereceu um banquete. Abraão não se senta, mas permanece de pé, no sentido de estar disponível para servi-los. Podemos imaginar, pela fala de Abraão, que os chama de "meu Senhor" ao acolhê-los, que intuía que os visitantes fossem Deus. Por outro lado, eles se comportam de modo diferente de como os habitantes daquela região se comportariam, não perguntando pela mulher do dono da casa; ao invés, eles perguntam por ela e demonstram saber seu nome, e fazem alusão à sua esterilidade, prometendo-lhes um filho dentro de um ano. O relato da visita de Jesus à família de Betânia traz à nossa reflexão a dimensão espiritual que pode conter uma visita e sua acolhida. Jesus não critica Marta por chamar sua irmã para ajudá-la nos afazeres e nem elogia Maria porque, aparentemente, está desligada, não percebendo o "sufoco" da irmã. Marta é censurada por Jesus porque está "preocupada e agitada por muitas coisas"; está dispersa em meio a tantos afazeres. Maria é elogiada porque está na "escuta da Palavra". Marta deveria ter-se envolvido no trabalho após ter escutado a Palavra. Isso evitaria que ela caísse na agitação, na canseira e na neurastenia. Por outro lado, durante esse episódio, não se ouviu a voz de Maria. Ela permaneceu silenciosa todo o tempo. Certamente, em seu silêncio, Maria viu a reação da irmã e se levantou colocou o avental e foi trabalhar. Por sua vez, Marta deixou o avental e foi acalmar-se aos pés de Jesus, quando este a censurou. Abraão, com serenidade, deixou seu descanso no momento mais exaustivo do dia e foi servir os hóspedes. Marta, preocupada em servir o Mestre, se esqueceu de se alimentar de sua Palavra e ficou agitada, preparando a refeição. Maria, a disponível, primeiro se preparou para o serviço, ouvindo o Senhor. Mesmo com a reclamação da irmã, mesmo trabalhando e servindo o tempo todo, conservou a serenidade a ponto de não se ouvir sua palavra. A acolhida mais importante é a feita à Palavra de Deus. Ela irá nos ensinar a acolher todas as pessoas. Contudo, seremos mais felizes se estivermos no seguimento de Abraão e de Maria, acolhendo a Palavra nos dois sentidos: tanto em escutar o Senhor, a Palavra encarnada, como em servi-la com nossos préstimos, deixando que ela fale através de nossos gestos, deixando o Verbo encarnar em nós, como fez Maria de Nazaré. Do mesmo modo como Maria de Betânia e como Maria de Nazaré, com serenidade, conservemos tudo no silêncio de nosso coração.

O Assunto
Bolsonaro e o octógono do golpe

O Assunto

Play Episode Listen Later Jun 20, 2022 29:04


Em 2018, as urnas deram vitória ao candidato que se apresentou como “outsider”. Alojado no então nanico PSL, Jair Bolsonaro prometia governar contra toda a política tradicional. Quatro anos depois, concorre à reeleição pelo notório PL, mas mantém o discurso antissistema. “Ele tenta convencer sua base de que, mesmo com o Centrão, segue lutando”, afirma Marcos Nobre, autor do livro “Limites da Democracia”, recém-lançado pela editora Todavia. Para o núcleo duro de seu eleitorado, “deu certo”, resume o professor de filosofia da Unicamp, também presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Em conversa com Renata Lo Prete, ele recupera uma linha do tempo que começa nos protestos de junho de 2013, passa pela Operação Lava Jato e chega à ascensão do “partido digital bolsonarista”. Nobre descreve uma tempestade perfeita em que se misturam radicalismo, relação umbilical com as Forças Armadas e Centrão no comando do Orçamento secreto. “Bolsonaro joga um jogo muito diferente daquele jogado pelas forças democráticas” diz, ressaltando que isso tende a se prolongar para além de outubro: “Para ele, ganhar eleição não é objetivo, mas instrumento”. Diante daquilo que descreve como iminente “caos social duradouro”, Marcos aponta que apenas a união dos mais diferentes setores pode se contrapor a “todas as possibilidades de golpe” que estão no horizonte. “É um momento sem volta: ou daremos um salto democrático, ou perderemos a democracia”.

Palabra De Vida Devocional Diario
5. Todavia hay tiempo. SERIE- Cantaremos en tierra extraña?

Palabra De Vida Devocional Diario

Play Episode Listen Later Jun 10, 2022 17:01


Parte 5.El pastor Miguel concluye su mensaje con el llamado a que aprovechemos este tiempo de avivamiento, de abundancia de Su poder sobre la iglesia, la facilidad que tenemos de estudiar y escudriñar las Escrituras, de escuchar música cristiana al alcance nuestro, de servir al Señor con libertad sin persecución, de consagrarnos con corazón voluntario. ¿Por qué? porque está profetizado un dia cuando todo esto escaseará y muchos tendrán hambre y sed de Dios pero no serán saciados. #CantaremosEnTierraExtrana #Palabradevidapodcast #palabradevidadevocional #PastorMiguelRodriguez #MiguelRodriguez #iPUHWhittier

LAFSin FILTRO
Episode 078 - Todavia Nos Deben

LAFSin FILTRO

Play Episode Listen Later May 31, 2022 102:31


LAFC en primero pero aun Sin Censura. Sin Miedo. Sin Límites. Sin Miedo Al Éxito.#LAFC #BarrioAngelino #LAFSinFiltro

Boletim de Tecnologia
Qual celular comprar em 2022?

Boletim de Tecnologia

Play Episode Listen Later May 20, 2022 40:29


No programa de hoje, Jacqueline Lafloufa e Rodrigo Ghedin falam de um dilema que (quase) todos enfrentam quando precisam comprar um celular: qual? A analogia da geladeira — chega na loja, vê o modelo mais recente que cabe no orçamento e leva — só vale para as linhas premium. Para o grosso das vendas, a oferta de modelos com poucas variações entre um e outro segue forte e dificulta um bocado a escolha. Não temos respostas, mas algumas dicas, sim. Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho Nas últimas duas semanas, o Manual do Usuário ganhou 2 novos apoiadores: Laura de Andrade Jayme e Fábio Perecin Foltram. Obrigado! Gosta do podcast? Toque aqui e torne-se um(a) apoiador(a). A partir do plano II (R$ 16/mês), você acompanha as gravações ao vivo e ganha outros mimos. Indicações culturais Ghedin: O livro Anna Kariênina [Amazon, editora]1, de Liev Tolstói, publicado pela editora 34. Jacque: O livro Em carne viva [Amazon, editora]1, de Jacqueline Woodson, publicado pela Todavia. Links citados na conversa Mercado de celular fecha o primeiro trimestre de 2021 em alta, mas não anima a indústria, do IDC. Enfim, podemos comprar celular como se compra geladeira. Ao comprar por estes links, o Manual do Usuário recebe uma pequena comissão das lojas. O preço final para você não muda. ↩

IBPG - Igreja Batista Palavra da Graça

O meu justo viverá pela fé! Em quatro locais diferentes das Escrituras Sagradas está essa ordenança de Deus! Todavia, na nossa natureza, na nossa psiquê, na nossa alma existe algo que bloqueia o viver pela fé: a autopiedade, uma terrível autossabotagem! Cristo veio para nos reconciliar com Deus e trazer a vida abundante para nosso ser mas precisamos viver pela fé e o sentir pena de si mesmo bloqueia esse viver, impede entrar no descanso de Deus! Convido você a assistir o vídeo com esta mensagem no Youtube, se inscrever no canal da IBPG e compartilhar com seus amigos para que a Palavra de Deus possa abençoar vidas, assim fazendo permite que o canal da Igreja alcance mais pessoas. ---- Igreja Batista Palavra da Graça Visite nosso site: https://www.ibpg.org.br/ Ouça nossos podcasts: https://anchor.fm/ibpg-df Conheça nosso canal no Youtube: https://bit.ly/3cUKIWO

Patabajo El Podcast
Porque 6ix9ine Todavia esta Vivo?, NBA Playoffs y Mas! - PATABAJO EL PODCAST #56

Patabajo El Podcast

Play Episode Listen Later Apr 27, 2022 76:31


#patabajoelpodcast Muchas gracias por sintonizar, no olvides de suscribirse a mi canal para mas contenido! AMAZON WISHLIST: https://www.amazon.com/hz/wishlist/ls/1N98CE33TS8WH?ref_=wl_share Unete a Patabajo Mafia! https://linktr.ee/patabajoelpodcast Buscanos en Spotify: https://open.spotify.com/show/21saOhhqedeUfdWy3T0YY0 Apple Podcast: https://podcasts.apple.com/us/podcast/patabajo-el-podcast/id1570334931 Mis Redes Sociales Nuevo Canal de YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCnJ_271hscEqUikGtm-4ETA -Twitch: https://www.twitch.tv/darwintvv_ -Twitter: https://twitter.com/darwintvv_ - Instagram: https://www.instagram.com/darwintvv_/ -Patabajo Instagram: https://www.instagram.com/patabajoelpodcast Las Camaras que Uso: https://amzn.to/3fv1ptL https://amzn.to/3e3xJU6 https://amzn.to/2Y1HFYE https://amzn.to/3ht3Uyj https://amzn.to/2MZX2us Tarjetas de Memoria: https://amzn.to/3e1VsEh MacBooks Computadoras: https://amzn.to/3hrMbXX https://amzn.to/30E8VOJ Audio: Mics: https://amzn.to/30IKGis XLR Cables: https://amzn.to/37wCDXh https://amzn.to/2zCnes0 --- Support this podcast: https://anchor.fm/patabajo-el-podcast/support

Boletim de Tecnologia
O que acontece se Elon Musk comprar o Twitter?

Boletim de Tecnologia

Play Episode Listen Later Apr 22, 2022 41:11


⭐️ Oferecimento: Reshape A Reshape é uma plataforma online de inteligência artificial para geração de transcrições de áudios, legendas de vídeos e traduções. A forma mais prática e rápida para deixar seus conteúdos mais acessíveis e prontos para serem consumidos em diversos idiomas. Além de um editor 100% online e interativo para você realizar qualquer tipo de ajuste, a Reshape oferece o serviço de revisão humana com uma equipe especializada pronta para revisar suas transcrições, legendas e traduções, com controle de qualidade rigoroso, seguindo as melhores práticas textuais e de legendagem. Explore todo o potencial dos seus conteúdos na Reshape com desconto de 20% utilizando o cupom MANUALDOUSUARIO20. Elon Musk quer comprar o Twitter. O empresário, no momento a pessoa mais rica do mundo, partiu com tudo para adquirir a rede social por US$ 43 bilhões. Enquanto todos prendemos a respiração ante a expectativa do desfecho dessa história, Rodrigo Ghedin e Jacqueline Lafloufa comentam as implicações do movimento, caminhos alternativos possíveis para o Twitter e esse mundo muito louco em que uma pessoa tem grana e poder suficientes para comprar o Twitter ou, no mínimo, causar todo esse alvoroço. O áudio do Ghedin foi captado pelo microfone errado e saiu com uma qualidade aquém do nosso padrão. Pelo vacilo, pedimos desculpas. Apoie o Manual pelo preço de um cafezinho Nas últimas duas semanas, o Manual do Usuário ganhou 10 novos apoiadores: Flávio Carneiro, Raphael Salomão, Wilson Moreira Tavares, Rodrigo Orem, Fernando Paiva, Renata Imai, Joaquim Mitidiero, Ana Paula Mello, Paulo Henrique Martins, Nestor Schuster e Marcius Ribeiro de Freitas. Obrigado! Gosta do podcast? Toque aqui e torne-se um(a) apoiador(a). A partir do plano II (R$ 16/mês), você acompanha as gravações ao vivo e ganha outros mimos. Indicações culturais Jacque: O livro Nada para ver aqui [Amazon, editora], do Kevin Wilson, publicado pela HarperCollins Brasil. Ghedin: O livro Quando deixamos de entender o mundo [Amazon, editora], de Benjamín Labatut, publicado pela Todavia. Links citados na conversa Elon Musk quer o Twitter. Nos EUA, “poison pill” é outra coisa, no Brazil Journal. Musk, Thiel, Andreessen e a “current thing” (em inglês), na Bloomberg. O Guia Prático é editado pelo estúdio Tumpats.